Idosos

 

Isenção para idosos e pessoas com deficiência

O vereador Do Carmo (PR) apresentou essa semana o Projeto de Lei que isenta pessoas com deficiência e idosos do pagamento do EstaR, nas vagas demarcadas como especiais.
O projeto foi aprovado, na última sessão, e mereceu elogios dos veredores pelo alcance social e a garantia de direitos de idosos e pessoas com deficiência.

1 Comentário


Idosos e pessoas com deficiência

Idosos acima de 65 anos ou pessoas com deficiência de qualquer idade podem usufruir do Benefício de Prestação Continuada (BPC), mas para isso precisam fazer o cadastro junto a Secretaria de Assistência Social e Cidadania (Sasc). O benefício de um salário é garantido pelo governo federal às pessoas que se enquadrem na Lei Orgânica da Assistência Social. Cerca de duas mil famílias ainda não fizeram o cadastro.

Comente aqui


Idosos devem fazer o cadastro único para o Benefício de Prestação Continuada


Idosos acima de 65 anos ou pessoas com deficiência de qualquer idade podem usufruir do Benefício de Prestação Continuada (BPC), mas para isso precisam fazer o cadastro junto a Secretaria de Assistência Social e Cidadania (Sasc). O benefício de um salário é garantido pelo governo federal às pessoas que se enquadrem na Lei Orgânica da Assistência Social. Cerca de duas mil famílias ainda não fizeram o cadastro. Segundo a lei, o benefício é garantido às pessoas “com impedimentos de natureza física, mental, intelectual ou sensorial de longo prazo (que produza efeitos pelo prazo mínimo de 2 anos), que o impossibilite de participar de forma plena e efetiva na sociedade, em igualdade de condições com as demais pessoas”. O responsável pela família deve procurar o Centro de Referência da Assistência Social (CRAS) de posse dos documentos pessoais de todos os integrantes da família, inclusive o cadastro de Pessoa Física (CPF), obrigatório para a concessão do benefício. Para ter direito, é necessário que a renda por pessoa do grupo familiar seja menor que 1/4 do salário mínimo (cerca de R$ 234).Por se tratar de um benefício assistencial, não é necessário ter contribuído ao INSS. No entanto, este benefício não paga 13º salário e não deixa pensão por morte. Pessoas já cadastradas não precisam atualizar os dados. O cadastramento é exclusivo para idosos e portadores de necessidades especiais que ainda não está incluídos no programa.

Comente aqui


Idosos no trabalho

O número de pessoas entre 50 e 64 anos no mercado formal de trabalho cresceu quase 30% entre 2010 e 2015, de acordo com dados da Relação Anual de Informações Sociais (Rais). Em 2010, havia 5.899.157 trabalhadores com carteira assinada nessa faixa etária; em 2015, eram 7.660.482. Também houve aumento na faixa etária acima de 65 anos. Em 2010, 361.387 trabalhadores ocupavam vagas formais de trabalho. O número subiu para 574.102, um aumento de 58,8%.
Setores que mais empregam. Dados da Rais mostram que o setor de serviço tem mais receptividade aos mais experientes. Quase 2,6 milhões de trabalhadores de 50 a 64 anos estavam empregadas com carteira de trabalho no segmento em 2015. Outros 200.481 trabalhadores tinham mais de 65 anos.
No mesmo ano, a administração pública empregava 2,5 milhões de pessoas entre 50 e 64 anos (outros 209.851 com mais de 65 anos), seguida da indústria de transformação (923 mil empregados entre 50 e 64 anos e mais 50,5 mil acima de 65 anos) e do comércio (864 mil dos 50 aos 64 anos e 52 mil com mais de 65 anos).

Comente aqui


Violência contra idosos

Um em cada seis idosos é vítima de algum tipo de violência em todo o mundo, mostra relatório da Organização Mundial da Saúde (OMS) publicado na revista Lancet Global Health. O alerta foi feito para marcar o Dia Mundial da Conscientização da Violência à Pessoa Idosa, que aconteceu ontem (15). Segundo o estudo, 16% das pessoas com mais de 60 anos sofreram algum tipo de abuso. Entre os casos, estão negligência e violência psicológica, física e sexual.
Os dados foram coletados de 52 estudos realizados em 28 países e indicam que a violência contra idosos está aumentando. Segundo a OMS, “para os 141 milhões de pessoas idosas no mundo que sofrem com o problema, isso tem um custo individual e coletivo sério”.

Comente aqui


Idosos

Edmar destinou R$ 290 mil para construção de Centro do Idoso, em Santa Isabel do Ivaí

Em Santa Isabel do Ivaí, Edmar Arruda entregou a liberação de R$ 290 mil para a construção do Centro de Convivência do Idoso, resultado de uma emenda parlamentar de sua autoria.
Edmar tem dedicado trabalho para a melhoria da qualidade de vida dos idosos. O grupo “Reviver”, da terceira idade no município, comemorou a conquista dos recursos.
O comprovante de pagamento foi entregue pessoalmente por Edmar, na sexta-feira (9), ao prefeito Freonizio Valente. Vereadores, secretários municipais e participantes do grupo prestigiaram a visita do deputado federal ao município.
O secretário de Planejamento, Indústria e Comércio, José Marim Ferreira de Souza, informou que o dinheiro entregue será utilizado na construção do Centro para os idosos terá 205 metros quadrados. No projeto estão previstos espaços adequados à mobilidade deste público, como cozinha, banheiros, sala de atividade e salão de eventos multifuncional.
O texto completo está no site do Edmar.

2 Comentários


Idosos

Foi votado hoje na sessão da Câmara, um projeto da autoria do vereador chico Caiana, que altera a participação em comissões de fiscalização do Conselho Municipal dos Direitos do Idoso (CMDI).
Ele propôes e coordenou a 1ª Audiência Pública do Idoso, no dia 4 de abril, e tem buscado informações e conhecimento para atender cada vez melhor as pessoas com maios de 60 anos e suas famílias.

Comente aqui


O sonho sempre pode ser possível

Eles são idosos, alguns com mais de 80 anos. Moram no município de Munhoz Mello, na região de Maringá. Nunca andaram de avião e nunca foram ao litoral, nunca viram o mar.
Um projeto da Prefeitura Municipal realiza, todos os anos, o sonho de um grupo de idosos, com menor renda, de conhecer o mar. Neste ano, a pedido de alguns deles, o sonho foi ampliado: eles queriam voar pela primeira vez. Não foi fácil conseguir, mas com apoio da Espaço Business Travel, Gol e amigos, foi possível levar 30 idosos para fazer esse primeiro vôo.
Eles partiram agora há pouco, do Aeroporto de Maringá. De lá seguem para o segunda emoção: ver o mar pela primeira vez.
Nas camisetas do Grupo Esperança, uma frase: “Idoso, um jovem que deu certo”.
Fazer uma coisa pela primeira vez quando criança e jovem é algo natural. Já para os adultos e idosos, muitas vezes, esta primeira vez é emoção pura, sonho realizado, adrenalina mais forte.
Quando se tem dinheiro, é simples. Basta comprar a passagem. Quando não se tem os recursos, só um  projeto assim para proporcionar esta alegria.
Iniciativas assim são raras, mas não emocionam apenas os idosos participantes. Afinal, vale o aplauso para um prefeito que também olha para as pessoas mais humildes, lá no fim da fila social, em muitos casos esquecidas até pelo familiares. Por incrível que pareça, eles também sonham e têm desejos, alguns tão altos, como voar acima das nuvens, e outros tão simples como ver o mar.

Atualizando, a pedido de leitor do blog: O prefeito de Munhoz de Mello é Gilmar Silva. Ele realiza este trabalho com apoio direto da esposa, Cleire. Escrevi mais a respeito no comentários.

6 Comentários


IDOSOS População brasileira acima dos 80 cresce 70% nos últimos dez anos

O Brasil possui 21 milhões de pessoas com mais de 60 anos. Destes, 3 milhões estão acima dos 80.
Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul são os Estados com maior percentual de idosos, com 14,9% e 13,5% respectivamente.
Em média, o idoso brasileiro visita o médico 9 vezes por ano; na população geral, o número de consultas cai para cinco. Idosos usam três vezes mais prescrições de medicamentos que os jovens.
Como está a saúde do idoso brasileiro na última década? Como o idoso se comporta no trânsito? Idosos e sexualidade, o que dizer dessa combinação? Qual a fórmula da longevidade? Essas e outras questões serão debatidas durante o XVII Congresso Brasileiro de Geriatria e Gerontologia, que ocorre entre os dias 28 e 31 de julho, no Expominas, em Belo Horizonte (MG).
O evento reunirá mais de 2 mil médicos de diversas áreas especializadas, incluindo pesquisadores, profissionais e gestores de saúde, além de convidados internacionais, com o objetivo de atualizar as informações e criar novas ferramentas que tragam mais soluções para o desenvolvimento dos segmentos da geriatria e da gerontologia.
Entre os assuntos abordados, destaque para:
• Envelhecimento: funcionalidade, participação e sustentabilidade;
• O idoso no trânsito;
• Como fica a sexualidade do idoso na era dos estimulantes sexuais?
• Como envelhece a população da Região Norte: Projeto Idoso da Floresta.
O geriatra e presidente do XVII Congresso Brasileiro de Geriatria e Gerontologia, Dr. João Senger, destaca a importância da edição 2010 do encontro em Belo Horizonte: “O tema do evento reflete a mensagem que gostaríamos de transmitir. O envelhecimento requer funcionalidade, participação e sustentabilidade. É uma oportunidade valiosa para qualificar a geriatria e a gerontologia brasileiras, referencialmente já reconhecidas, principalmente pelo embasamento científico do corpo técnico que estará presente”.
Serviço: XVII Congresso Brasileiro de Geriatria e Gerontologia
Data: 28 a 31 de julho
Local: Expominas Belo Horizonte (MG)
Site oficial com a programação completa: www.cbgg2010.com.br
Informações para a imprensa:
Tino Projetos em Comunicação: (11) 3170-3137
Alessandra Romero – [email protected]
(11) 7491-6459
Danilo Tovo – [email protected]
(11) 7492-3442
Regiane Monteiro – [email protected]
(11) 7493-7744
Vinicius Volpi – [email protected]
(11) 7492-8040
Comente aqui