Micro e Pequenas Empresas



Fomento Paraná abre crédito para municípios atingidos por tornados

A Fomento Paraná abriu linhas de crédito, no valor de até R$ 15 mil, para apoiar as microempresas das cidades afetadas pelas tempestades e fortes ventos registrados nos últimos dias. É o caso de Marechal Candido Rondon, Colorado, Tapejara, Santa Cruz do Monte Castelo e Querência do Norte que decretaram situação de emergência.
Em Marechal Rondon, que foi atingida por ventos classificados como tornados, houve estragos na infraestrutura e cerca de 1700 imóveis foram atingidos, incluindo estabelecimentos comerciais. “A oferta de microcrédito é uma das ações do Governo do Paraná para que os empreendedores possam retomar suas atividades, uma forma favorecer a economia desses municípios”, disse o governador.
Os recursos serão liberados para reformas e na modalidade de capital giro puro, em que o empreendedor não precisa comprovar a aplicação do recurso. Os financiamentos têm prazo de carência de seis meses e podem ser pagos em até 36 meses, com juros a partir de 7,35% ao ano (0,63% ao mês).

Comente aqui


Microempresas empregam 27,8% dos trabalhadores da América Latina

A Confederação Nacional da Micro e Pequena Empresa (Conampe) divulgou estudo da Organização Internacional do Trabalho (OIT) que mostra a importância das micro e pequenas empresas na América Latina. Essa região do planeta tem 11 milhões de micro e pequenas empresas, que são responsáveis por 46,6% dos empregos.
De acordo com o estudo as microempresas têm 27,8% dos empregos e as pequenas 18,8%. As grande empresas empregam 17% dos trabalhadores latino-americanos.
Os dados estão no site da Conampe, entidade presidida por Ercílio Santinoni.
O estudo completo da OIT pode ser solicitado pelo e-mail [email protected].

Comente aqui


Evento reúne lideranças da micro empresa do Brasil em Curitiba

Secretário de Estado da Indústria, Comércio e Assuntos para o Mercosul, Horácio Montechio, na abertura do 16º Enampe, em Curitiba

Secretário de Estado da Indústria, Comércio e Assuntos para o Mercosul, Horácio Monteschio, na abertura do 16º Enampe, em Curitiba

Representantes de entidades da micro e pequena empresa de todo o país estão em Curitiba participando do 16º Encontro Nacional da Micro e Pequena Empresa e Empreendedores Individuais.
O evento será realizado hoje e amanhã no Centro de Eventos do Bristol Portal do Iguaçu e tem como tema “Lei Geral da Micro e Pequena Empresa: Regulamentação Já!”
O movimento nacional em apoio da micro e pequena empresa considera fundamental que os avanços da Lei Complementar 147, recentemente aprovada, sejam imediatamente colocados em vigor, garantindo a ampliação do Super Simples a todos os setores da economia e benefícios cada vez maiores aos pequenos negócios.
Redução de burocracia, legislação nos municípios e estados e aplicação de tecnologia em inovação e favorecimento dos micro e pequenos são objetivos em debate no 16º Enampe.

Leia mais no site da Conampe.

O evento está sendo transmitido (áudio) pela internet no endereço www.radiofecopar.com.br

Comente aqui


Afif destaca a importância da Conampe

Afif reconhece e destaca atuação da Conampe em defesa das micro e pequenas empresas

Afif reconhece e destaca atuação da Conampe em defesa das micro e pequenas empresas

O presidente da Conampe, Ercílio Santinoni, voltou a homenagear a equipes de dirigentes entidade, ao reiterar que é graças ao seu trabalho nos estados que a entidade no Brasil tem merecido destaque e reconhecimento, como o elogio feito pelo ministro da Micro e Pequena Empresa, Guilherme Afif Domingos, no encontro ocorrido no inicio da noite desta terça-feira, 6, na Câmara dos Deputados, pouco antes de mais uma votação. Afif foi recebido no Congresso por deputados e lideranças setoriais, quando fez questão de deixar público o reconhecimento à atuação da Conampe e sua rede de federações pela atualização do Supersimples.
Santinoni destacou que é um compromisso permanente de todas as associadas no Brasil o trabalho junto aos parlamentares, a partir de suas bases nos estados, informando sobre a necessidade de apoiar o segmento, de grande dimensão e importância socioeconômica. “Estamos representados em todas as regiões do Brasil há muitos anos, o que nos dá credibilidade”, salientou.
“Lembramos sempre que as micro e pequenas empresas representam 99% dos registros empresariais no País e são responsáveis por quase metade da massa de salários nacionais, por isso é justo que tenham mais chances de crescer e de serem mais competitivas. E, ao final, explicamos que a economia de todas as regiões sai ganhando”, declarou Santinoni antes de retribuir o reconhecimento do ministro, ressaltando a importância do trabalho de Afif Domingos à frente da Secretaria Nacional da Micro e Pequena Empresa. “Temos o ministro ideal, um empresário que é pioneiro nas lutas e articulação em defesa do setor produtivo e das micro e pequenas empresas e, ao mesmo tempo, um político hábil, experiente e respeitado”, acrescentou.
O Projeto de Lei Complementar 221/2012, que atualiza a Lei 123/06, do Supersimples, acabou retirado da pauta pelo próprio relator, deputado Cláudio Puty (PT-PA), para ajustes. Na quarta-feira (7) voltou ao plenário e foi aprovado por unanimidade, com quórum de 417 deputados. Ficou para a próxima terça-feira (13) a votação dos destaques, ou seja, das emendas apresentadas ontem. Segundo Santinoni, os procedimentos foram acertados, pois pontos importantes em favor das micro e pequenas empresas já estão aprovados, mas há outros que devem ser mais bem avaliados. Entre os mais importantes da proposta estão a universalização do regime do Simples (enquadramento no sistema com base no porte da empresa ou no faturamento) e o fim da substituição tributária para as MPEs.

Comente aqui


Micro e pequenas empresas “contratam uma Petrobrás” em um mês

Micro e pequenas empresas “contratam uma Petrobrás” em um mês, afirma relatório do Sebrae, divulgado na última quinta-feira, 5. Os dados têm como base o Caged, cadastro de contratações e demissões mantido pelo Ministério do Trabalho. O levantamento mostra que os micro e pequenos negócios criaram 101 mil empregos em outubro – último dado disponível. O número total de pessoas empregadas em um único mês é superior ao quadro atual de funcionários da Petrobrás, cerca de 85 mil pessoas.
Entre janeiro e outubro deste ano, os empreendimentos abriram mais de 950 mil vagas. “As micro e pequenas empresas têm um peso muito grande no saldo positivo de empregos. Esse é um comportamento que vem se consolidando nos últimos anos e tem sido comprovado pelos levantamentos mensais que fazemos”, afirmou Luiz Barretto, presidente do Sebrae Nacional.
O presidente da Confederação Nacional das Micro e Pequenas Empresas (Conampe), Ercílio Santinoni, alerta para a necessidade de políticas públicas urgentes e abrangentes que protejam as micro e pequenas empresas e os empreendedores individuais para continuarem cumprindo o seu papel de agentes do desenvolvimento econômico e social do Brasil.
Em outubro, as pequenas empresas do setor de comércio abriram 41 mil vagas. Em seguida, aparece o setor de serviços (32 mil vagas). A indústria abriu 14 mil postos de trabalho, mas o resultado foi detectado pelo Sebrae como o melhor dos últimos três anos.

1 Comentário


Eventos marcam Semana da Micro e Pequena Empresa do Paraná

Eventos vão marcar Semana da MPE do Paraná

Eventos vão marcar Semana da MPE do Paraná

Na semana que vem, de 27 a 30 de novembro, será realizada a I Semana da Micro e Pequena Empresa Paranaense e o 50º Encontro Estadual da Micro e Pequena Empresa e Empreendedores Individuais do Paraná (50º Enempe). No dia 27 no Sebrae Curitiba, dia 28 no Sebrae Maringá e nos dias 29 e 30 em Paranavaí, na Amunpar. A realização é da Confederação Nacional da Micro e Pequena Empresa (Conampe), Federação das Associações de Micro e Pequenas Empresas e Empreendedores Individuais do Paraná (Fampepar), Federação das Associações de Micro e Pequenas Empresas Industriais do Paraná (Fempipar), Instuto Monampe e Secretaria de Indústria, Comério e Assuntos para o Mercosul do Paraná.
Os eventos tem apoio do Sebrae, Fecomércio, Fiep, Faep, Fomento Paraná, Banco do Brasil e Caixa.
Confira a programação:

Dia 27 de novembro, 19h30 – quarta-feira – Curitiba-PR
Auditório do SEBRAE-PR – Rua Caeté, 150 – Bairro Prado Velho – CURITIBA – PR
19h30 – Palavras de Abertura e Homenagens.
Abertura oficial do evento com as palavras das autoridades e sessão de homenagens aos amigos da micro e pequena empresa, destacando personalidades que tiveram papel relevante para a aprovação da Lei Geral da Micro e Pequena Empresa do Estado do Paraná e que têm uma história de dedicação e apoio ao segmento.
20h30 – Palestra: O papel da Micro e Pequena Empresa no Desenvolvimento.
Palestrante: Allan Marcelo de Campos Costa – Formado pelo Programa de Gestão Avançada pela Harvard Business School. Mestre em Gestão Empresarial pela FGV, MSc in Information Technology, Management and Organizational Change pela Universidade de Lancaster, Inglaterra e MBA em Gestão de Negócios pelo IBMEC. Cursou o Programa de Desenvolvimento de Dirigentes Empresariais do INSEAD, na França, é Conselheiro de Administração formado
pelo IBGC. Conselheiro da Fomento S/A. (PR), do SEBRAE Nacional (DF) e conselheiro atuante na Empresa de Transportes Coletivos Pérola do Oeste (Guarapuava/PR).
Co-autor do livro “Electronic Business in Developing Countries”, possui artigos publicados no Brasil e no exterior.
Diretor Superintendente do SEBRAE/PR no período de 2007 a 2013, onde tam­bém foi Diretor Técnico, Gerente de Gestão Estratégica e CIO. Entre 2005 e 2006 foi Diretor Geral e Secretário de Estado da Secretaria de Planejamento e Coordenação Geral do Estado do Paraná. Foi eleito personalidade do ano em Governo Eletrônico no Paraná em 2007.
É professor convidado de MBA na Fundação Getúlio Vargas e da Estação Business School (PR). Membro do Harvard Business School Startup Club, capítulo Brasil.

Dia 28 de novembro, 19 horas – quinta-feira – Maringá-PR
Auditório do SEBRAE – Avenida Bento Munhoz da Rocha Netto, 1116 – Zona 07 – MARINGÁ – PR
19h00 – Coffee Break Micromar
19h30 – Abertura Oficial do Evento.
Abertura do evento com as palavras das autoridades e lideranças.
20h00 – Palestra: O futuro do Paraná com a Lei Geral da Micro e Pequena Empresa do Estado do Paraná.
Palestrante: César Reinaldo Rissete – Economista pela Universidade Estadual de Maringá e Mestre em Desenvolvimento Econômico pela Universidade Fe­deral do Paraná. Especialista em Produtividade e Qualidade pela JICA/Japan Productivity Center – Japão. Especialista em Políticas Públicas para Micro e Pequenas Empresas pela Unicamp. Especialista em Desenvolvimento Local e Competitividade Territorial pela CEPAL/ILPES e AECID (Agência Espanhola de Cooperação Internacional para o Desenvolvimento).
Consultor do SEBRAE Paraná desde 2008, atualmente responde pela Gerência da Unidade de Inovação e Competitividade.
Na instituição já exerceu a Coordenação Estadual de Políticas Públicas. Dentre os trabalhos realizados se destaca apoio as prefeituras na Implantação da Lei da Micro e Pequena Empresa e da criação de um Ambiente Favorável aos Negócios no Estado.
Antes de ingressar no SEBRAE/PR, trabalhou como consultor do Instituto Brasileiro de Qualidade e Produtividade (IBQP) e do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), economista do Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social (IPARDES), exerceu a função de Coordenador de Estudos e Projetos da Secretaria de Planejamento e Coordenação Geral do Estado do Paraná, de janeiro de 2003 a março de 2008, e no período de janeiro a agosto de 2013 a Superintendência da Secretaria de Administração e Planejamento da Prefeitura de Curitiba. Neste período, coordenou o grupo de trabalho da elaboração de Planos de Governo, Planos Plurianuais do Governo do Estado, Plano de Desenvolvimento do Estado do Paraná, Plano de Apoio aos Arranjos Produtivos Locais, assessorou os municípios na elaboração do Plano Plurianual e em Planos de Desenvolvimento Econômico.

Dia 29 de novembro, 18h00 – sexta-feira – Paranavaí-PR
Amunpar – Rua Profª Neusa Cascão Borba, 1691 (próximo à OAB) – Centro – Paranavaí – PR
18h00 – Abertura Oficial do Evento.
Abertura com a participação de autoridades e lideranças da MPE.
18h30 – Palestra: Os benefícios da Lei Geral da Micro e Pequena Empresa do Estado do Paraná.
Palestrante: César Reinaldo Rissete – Economista pela Universidade Estadual de Maringá, Mestre em Desenvolvimento Econômico pela Universidade Fe­deral do Paraná e gerente da Unidade de Inovação e Competitividade do Sebrae Paraná.
19h30 – Painel de Debates: O Crédito e o Desenvolvimento das Micro e Pequenas Empresas e Empreendedores Individuais.
Palestrantes: Representantes da Fomento Paraná, Banco do Brasil S.A. e Caixa Econômica Federal.

Dia 30 de novembro de 2013, 9h00 – sábado – Paranavaí – PR
Amunpar – Rua Profª Neusa Cascão Borba, 1691 (próximo à OAB) – Centro – Paranavaí – PR
50º ENEMPE – ENCONTRO DE LÍDERES
Evento para dirigentes de entidades de representação da micro e pequena empresa, empreendedores individuais e membros do Fórum Regional Permanente das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte do Estado do Paraná.
9h00 – Abertura
9h30 – Tema da Sessão Plenária: “Discussão e debates sobre a regulamentação da Lei Geral Estadual”.
No texto da lei sancionada há a determinação para que seja regulamentada em 90 dias.
12h00 – Encerramento.

Informações: www.conampe.org.brwww.facebook.com/sistemaconampe
Telefone: (44) 3226-9134 – E-mail: [email protected]
Em Paranavaí: Ampec Micropar – www.facebook.com/MicroparParanavai

Comente aqui


Frustração geral com novo Estatuto da MPE

“Frustrado”. Assim se definiu o relator do projeto que muda o Estatuto da Micro e Pequena Empresa e que trazia o avanço de bandeiras históricas do empreendedorismo no país, deputado Cláudio Puty (PT-PA). Segundo ele, a previsão de votar ontem, na Comissão Especial, o projeto de lei complementar foi frustrante e definiu o texto que pode ser aprovado como “inócuo”, pois “perderia o sentido de sua aprovação”.
O projeto de revisão do Simples Nacional segue o princípio da anualidade por isso, precisa ser aprovado ainda este ano na Câmara e no Senado para ter validade em 2014.
Apesar do consenso entre os parlamentares quanto à relevância do projeto, o governo interveio a favor da Receita Federal e do Confaz, colegiado dos secretários estaduais da Fazenda.
As microempresas – O presidente da Confederação Nacional das Micro e Pequenas Empresas (Conampe), Ercílio Santinoni, esteve na semana passada na Câmara dos Deputados para acompanhar a reunião da comissão que estuda as mudanças do Estatuto da MPE. Não houve quórum para a reunião.
Mesmo com as dificuldades no debate das alterações, o que ocorreu com a supressão de partes essenciais ao projeto é uma completa decepção para o movimento nacional em defesa da micro e pequena empresa.
A revisão dos valores para enquadramento das micro e pequenas empresas é inadiável, garante Ercílio Santinoni, bem como outros pontos que estavam definidos no novo texto Estatuto da MPE.
O texto elaborado pelo relator previa a inclusão de tabela progressiva de alíquotas, nos moldes do que ocorre com o Imposto de Renda ( IRPF), a inclusão de novos ramos de atividade no quadro de optantes do Simples Nacional e a inclusão das duas Confederações Nacionais das MPEs no Conselho Deliberativo do SEBRAE Nacional, atendendo ao previsto na Lei 8.154/1990, até hoje não cumprida.
A entidade vai continuar defendendo as micro e pequenas empresas no Congresso Nacional, encaminhando novamente e permanentemente as reivindicações.
Polêmica – A polêmica está na criação de um mecanismo de progressividade para mudanças nas faixas de faturamento; na universalização de acesso ao Simples Nacional pelo critério de faturamento; e no fim da substituição tributária para os pequenos negócios.
“A questão central da revisão do Simples é fiscal, mas isso não quer dizer que seja uma ameaça à arrecadação federal, estadual ou municipal”, reagiu Puty. “Pelo contrário, durante os dez anos de existência, este regime diferenciado já mostrou que promove mais arrecadação na medida em que incentiva a formalização dos pequenos empreendedores. E também promove desenvolvimento econômico, sendo o setor que mais gera de empregos no país. Já a substituição tributária, esta é questão de justiça, pois ela cancela os benefícios que os optantes do Simples têm direito legal”, comenta Puty.
No Senado – Para o senador Paulo Bauer (PSDB-SC) a necessidade de uma revisão dos valores para o enquadramento das micro e pequenas empresas no Super Simples é imediata.
O senador voltou a defender o reajuste do teto de enquadramento de micro e pequenas empresas no Simples Nacional, sistema integrado de arrecadação de tributos conhecido também como Supersimples.
Ele explicou, em pronunciamento no Plenário, que os limites para enquadramento da receita bruta anual de micro e pequenas empresas, de R$ 360 mil e R$ 3,6 milhões respectivamente, estão defasados, desde 2011, em razão de não terem sido reajustados de acordo com a inflação do período.
Paulo Bauer disse também que muitas empresas estão correndo o risco de perder o benefício do Supersimples mesmo não tendo um crescimento real de seu faturamento. Ele informou que deverá apresentar projeto de lei propondo a atualização.

Comente aqui


Eventos debatem micro e pequenas empresas do Paraná

Semana da Micro e Pequena Empresa marca Lei Geral do Paraná

Semana da Micro e Pequena Empresa marca Lei Geral do Paraná

 

Dois eventos terão como tema as micro e pequenas empresas e empreendedores individuais do Paraná, neste mês de novembro.
De 27 a 30  será realizada a I Semana da Micro e Pequena Empresa Paranaense, com eventos em Curitiba, dia 27; Maringá, dia 28, e Paranavaí, dias 29 e 30 de novembro.
Em Paranavaí, a Semana terá as atividades do 50º Encontro Estadual das Micro e Pequenas Empresas e Empreendedores Individuais do Paraná, com palestra, debate sobre crédito e encontro de líderes e membros do Fórum Permanente das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte do Estado do Paraná.
A semana começa no Dia da Micro e Pequena Empresa do Paraná, 27 de novembro, reconhecido na Lei Geral da MPE do Estado do Paraná, recentemente sancionada. Esta data é muito importante, porque realmente é a mais importante para as pequenas empresas uma vez que há 29 anos, no dia 27 de novembro de 1984, foi aprovado o 1º Estatuto da MPE, a Lei 7256/1984, que criou o termo MICROEMPRESA.

A programação dos eventos será a seguinte:

Datas e Locais:

27 de novembro de 2013 – Auditório do SEBRAE-PR Rua Caeté, 150 – Bairro Prado Velho – CURITIBA – PR

28 de novembro de 2013 – Auditório do SEBRAE – Avenida Bento Mu­nhoz da Rocha Netto, 1116 – Zona 07 –

MARINGÁ – PR

29 e 30 de novembro de 2013 – Auditório da AMUNPAR Rua Professora Neusa Cascão Borba, 1691 (próximo à OAB) – Centro – PARANAVAÍ – PR

Dia 27 de novembro – quarta-feira – Curitiba-PR

19h30 – Palavras de Abertura e Homenagens.
Abertura oficial do evento com as palavras das autoridades e Sessão de homenagens aos amigos da micro e pequena empresa, destacando personalidades que tiveram papel relevante para a aprovação da Lei Geral da Micro e Pequena Empresa do Estado do Paraná e que têm uma história de dedicação e apoio ao segmento.
20h30 – Palestra: O papel da Micro e Pequena Empresa no Desenvolvimento.
Palestrante: Allan Marcelo de Campos Costa – Formado pelo Programa de Gestão Avançada pela Harvard Business School. Mestre em Gestão Empresarial pela FGV, MSc in Information Technology, Management and Organizational Change pela Universidade de Lancaster, Inglaterra e MBA em Gestão de Negócios pelo IBMEC.
É professor convidado de MBA na Fundação Getúlio Vargas e da Estação Business School (PR). Membro do Harvard Business School Startup Club, capítulo Brasil.

Dia 28 de novembro – quinta-feira – Maringá-PR

19h30 – Abertura Oficial do Evento.
Abertura oficial do evento com as palavras das autoridades e lideranças.
20h00 – Palestra: O futuro do Paraná com a Lei Geral da Micro e Pequena Empresa do Estado do Paraná.
Palestrante: César Reinaldo Rissete – Economista pela Universidade Estadual de Maringá e Mestre em Desenvolvimento Econômico pela Universidade Fe­deral do Paraná. Especialista em Produtividade e Qualidade pela JICA/Japan Productivity Center – Japão. Especialista em Políticas Públicas para Micro e Pequenas Empresas pela Unicamp. Especialista em Desenvolvimento Local e Competitividade Territorial pela CEPAL/ILPES e AECID (Agência Espanhola de Cooperação Internacional para o Desenvolvimento).
Consultor do SEBRAE Paraná desde 2008, atualmente responde pela Gerência da Unidade de Inovação e Competitividade.

29 e 30 de novembro – Paranavaí-PR: 50º Enempe.

Informações sobre a 1ª Semana da Micro e Pequena Empresa Paranaense e o 50º Encontro Estadual das Micro e Pequenas Empresa e Empreendedores
Individuais do Paraná: www.conampe.org.br – [email protected]
Telefone (44) 3226-9134. Acompanhe no www.facebook.com/sistemaconampe.
Informações sobre o 50º Enempe, em Paranavaí: Ampec Micropar – Rua Albino Silva, 80 – Jardim Canadá – Paranavaí – PR. Ligue: (44) 3045-5800 ou escreva para o e-mail: [email protected] Acompanhe no Facebook:
www.facebook.com/MicroparParanavai.
Seja um associado da Ampec Micropar em Paranavaí, Ampec Micromar em Maringá, Ampec Microtiba em Curitiba ou da Associação da sua cidade e região. Convide suas amigas e amigos empresários e empreendedores para participarem do movimento em defesa da MPE e MEI.

50º ENCONTRO ESTADUAL DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS E EMPREENDEDORES INDIVIDUAIS  (50º ENEMPE)

Dia 29 de novembro – sexta-feira – Paranavaí-PR
18h00 – Abertura Oficial do Evento.
Abertura com a participação de autoridades e lideranças da MPE.
18h30 – Palestra: Os benefícios da Lei Geral da Micro e Pequena Empresa do Estado do Paraná.
Palestrante: César Reinaldo Rissete – Economista pela Universidade Estadual de Maringá, Mestre em Desenvolvimento Econômico pela Universidade Fe­deral do Paraná e gerente da Unidade de Inovação e Competitividade do Sebrae Paraná.
19h30 – Painel de Debates: O Crédito e o Desenvolvimento das Micro e Pequenas Empresas e Empreendedores Individuais.
Palestrantes:
Representante da FOMENTO PARANÁ.
Representante do BRDE – Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul.
Representante do Banco do Brasil S.A.
Representante da Caixa Econômica Federal.
22h00 – Encerramento.

Dia 30 de novembro de 2013

ENCONTRO DE LÍDERES – 50º ENEMPE
Evento para dirigentes de entidades de representação da micro e pequena empresa, empreendedores individuais e membros do Fórum Regional Permanente das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte do Estado do Paraná.
9h00 – Abertura
9h30 – Tema da Sessão Plenária: “Discussão e debates sobre a regulamentação da Lei Geral Estadual”.
No texto da lei sancionada há a determinação para que seja regulamentada em 90 dias.
12h00 – Encerramento.

 

1 Comentário


Brasil não sabe fazer crédito para as MPEs

Guilherme Afif Domingos faz palestra em SP nesta segunda.
Segundo ele, ‘sistema financeiro só dá prata a quem tem ouro’.

O Brasil ainda enfrenta problemas na oferta de crédito para investimento em bens de produção voltado às micro e pequenas empresas (MPEs) e aos Microempreendedores Individuais (MEI) e estes recursos podem ser o caminho para o desenvolvimento do país, na opinião do ministro-chefe da Secretaria da Micro e Pequena Empresa, Guilherme Afif Domingos.
Durante palestra na Associação Comercial de São Paulo (ACSP) nesta segunda-feira (4), o ministro comentou que a capacidade de obter recursos para investimento em bens de produção é fator indispensável ao sucesso da micro e pequena empresa.
“O Brasil deu um salto extraordinário em crédito. Hoje nós descobrimos o caminho do crédito, que foi o que nos tirou da crise de 2008, foi a liberação de crédito para bens de consumo. Só que nós não sabemos fazer crédito de bens de produção”, disse.
Segundo ele, crédito de bens de produção é uma atribuição do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e dedicado, de maneira geral, às grandes empresas.
Ele destaca que a instituição “tem feito esforços positivos”, mas ainda encontra dificuldade de atingir o pequeno.
“As que mais se formalizaram nos últimos tempos [como MEI] foram as manicures – que se tornaram grandes disseminadoras da hepatite C. Porque elas fervem os seus instrumentos.
Elas deveriam ter uma autoclave para esterilizar. Uma autoclave custa R$ 2 mil. Se ela quiser crédito para comprar autoclave, não tem. Mas se ela for nas Casas Bahia comprar uma TV de 40 polegadas por R$ 2 mil, tem até 50 meses para pagar.
Porque hoje o crédito está em cima do consumo, não está em cima da produção”, disse.
“Precisamos dar um salto no crédito de investimento de produção, para financiar máquina nova e usada. O sistema financeiro só dá prata a quem tem ouro.”
De acordo com Afif Domingos, pesquisas feitas com empregados indicam que mais de 60% sonham em ter seu pequeno negócio.
“Se a gente der crédito para esse pessoal, facilitar a vida dele, sai da frente, que o desenvolvimento do Brasil é por este caminho.”
Para o ministro, qualquer ação de facilitação da vida do pequeno empreendedor resulta em impacto direto na renda e no emprego.
“Você melhora as condições de renda, ele vai buscar um empregado”.
Em sua apresentação, Afif Domigos destacou que o país tem 8 milhões de unidades de negócios.
A média de um emprego a mais por micro e pequena empresa significa mais 8 milhões de empregos, com impacto de 25% na taxa de emprego privado do país.
Considerando o núcleo familiar, isso produz um impacto positivo sobre 32 milhões de pessoas. “É uma ação pequena que traduz-se num impacto muito forte.”
Parte dos esforços, na opinião do ministro, passa por dar mais força à capacidade de produção, mais força à capacidade de vendas e “muito menos força com perda de tempo com burocracia e pagamento de impostos”.
“Hoje, a energia que se gera no Brasil para administrar e pagar imposto e enfrentar burocracia é uma energia em que hoje, o Brasil é considerado um dos países mais complexos do mundo em termos de burocracia.
E, à medida que vão estourando os escândalos, nós vamos vendo que nós temos uma burocracia que é biombo da enorme corrupção endêmica existente dentro do poder público”, comentou.
Afif Domingos repetiu várias vezes que é preciso diminuir a burocracia e, ao falar sobre o Simples, disse que ele “é o embrião da reforma tributária do Brasil”.
“Estejam certos, este é o grande caminho.”

Afif está certo!
Parafraseando Jesus Cristo é mais fácil um camelo passar pelo buraco de uma agulha do que um empresário da MPE ou um empreendedor individual conseguir crédito no Brasil.

Comente aqui


Brasil sobe em ranking mundial de negócios

Brasil melhora posição, mas ainda está muito distante dos melhores países

Brasil melhora posição, mas ainda está muito distante dos melhores países

País passou da 130ª posição para a 116ª colocação em levantamento do Banco Mundial sobre os melhores países para se empreender

A notícia veio de Nova Iorque, ontem: Fazer negócios no Brasil para uma empresa de menor porte ficou um pouco mais fácil, mas o País ainda está longe dos melhores lugares do mundo para a vida de um empreendedor, mostra um ranking divulgado, em Washington, pelo Banco Mundial, sobre a facilidade de se fazer negócios em 189 países. O Brasil ficou na 116ª posição no ranking relativo a 2014. O País melhorou algumas colocações na comparação com o relatório passado, quando estava na posição 130º lugar, e com o de 2012, quando estava em 126º.
Começar um negócio no Brasil demora 107,5 dias, melhor que os 119 dias do levantamento anterior, mas ainda longe dos líderes da lista. Em Cingapura, país que ocupa a primeira posição no levantamento, são apenas dois dias e meio e nos EUA, o quarto lugar, são cinco dias.
Em outros indicadores isolados, usados para fazer o ranking geral, o Brasil também ocupa posições ruins. Na facilidade para uma pequena empresa conseguir crédito, está no 109º lugar; em impostos, em 159º; na facilidade para registros de propriedades, em 107º. Conseguir permissão para construção no Brasil demora em média 400 dias, posição 130.ª no ranking.
As cinco primeiras posições do ranking geral ficaram com Cingapura (pelo oitavo ano consecutivo), Hong Kong, Nova Zelândia, EUA e Dinamarca, todos nos mesmos lugares do levantamento do ano passado. O último lugar ficou com o Chade, pequeno país da África.
América Latina – Na América Latina, o país mais bem colocado é o Chile (34.º lugar), seguido pelo Peru (42.º). A Colômbia é citada no relatório como o mercado da região que mais fez reformas para incentivar os negócios das empresas menores desde 2005. Piores que o Brasil no ranking geral estão países como Gabão, Haiti, Líbia, Togo e a Argentina.

Comente aqui