Ministro



Ministro Blairo Maggi e deputado Sérgio Souza na Feira da Coopavel

O deputado Sergio Souza (PMDB-PR), presidente da Comissão de Agricultura da Câmara Federal, acompanha hoje (8) o ministro Blairo Maggi, da Agricultura, na visita à Feira Agropecuária “Show Rural Coopavel 2018”. O evento, que teve início na última segunda-feira e se estende até a próxima sexta-feira (10), na cidade de Cascavel, Oeste do Paraná, deve receber cerca de 300 mil visitantes.

Na agenda do ministro com o parlamentar está prevista a seguinte programação: 11h, lançamento de Custeio Digital pelo Banco do Brasil; 14h, assinatura de Protocolo de Intenção e Convênios entre Itaipu, Programa Oeste em Desenvolvimento, Cooperativas, Prefeituras e Parceiros; 15h, lançamentos de Tecnologias da Embrapa; 16h, visita aos stands da feira.

Para o deputado Sergio Souza, é gratificante ver de perto a Show Rural, que é um dos mais importantes espaços do setor agropecuário brasileiro. “Trata-se de um evento que vem mais uma vez contribuir para reforçar o potencial de uma das vocações do Paraná, o segundo maior produtor de grãos, com uma safra estimada em 38 milhões de toneladas, no ciclo 2017/18”.

Segundo o presidente da Comissão de Agricultura, a expectativa de se movimentar cerca de R$ 2 bilhões este ano, 33% superior ao do ano passado, de R$ 1,5 bi, mostra a pujança desse setor, que sempre aposta na inovação tecnológica em busca de eficiência, da geração de renda e da sustentabilidade, “segmento este que é, sem dúvida, o mais exitoso da economia brasileira. Já imaginou o Brasil sem o setor agropecuário? ”

O parlamentar paranaense reportou que a feira de Cascavel ocorre no momento em que duas Indicações de sua autoria foram acatadas pela Mesa Diretora da Câmara Federal. Uma delas sugere a revisão dos acordos alfandegários entre países membros do Mercosul para o leite, trigo, maçã e arroz. A outra Indicação é para conter a indisciplina da Funai na demarcação de terras indígenas, em especial em Guaíra e Terra Roxa (PR).

A “Indicação” é uma proposição legislativa por meio da qual os parlamentares sugerem que o Poder Executivo realize ato administrativo de sua competência, no presente caso do Mercosul os Ministérios das Relações Exteriores; e da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Quanto às demarcações de terras indígenas, a Indicação foi para a esfera do Gabinete Civil da Presidência da República.

Comente aqui


Estadão: O melhor ministro para o Paraná

Ricardo Barros assumiu o Ministério da Saúde sofrendo forte ataque petista e de setores da grande mídia. Determinado, foi em frente, cortou gastos, reduziu os preços de compra dos medicamentos, criou um sistema de acompanhamento on line das contas e ações, iniciou o processo para informatização de todos os postos de saúde, em todos os municípios do Brasil. O Estadão publicou reportagem que mostra que Ricardo é o melhor ministro para o Paraná, que recebeu mais recursos do que nos anos anteriores. Reportagem capciosa que terminou comprovando o resultado de um político que leva o seu estado para onde vai.

1 Comentário


Alex Canziani cotado para o Ministério do Trabalho

O deputado federal Alex Canziani surgiu, há alguns dias, como um dos nomes que o PTB tem para indicar ao presidente Temer para ser ministro do Trabalho.
Alex é um deputado federal que se destaca por projetos importantes. Há alguns anos tornou-se um especialista em educação, mas atua em todas as áreas, sendo uma delas justamente o apoio a investimentos em formação profissional.
Em 2016 ele foi lembrado para o ministério do Trabalho. Sem dúvida é uma carta importante do PTB.
Sites e blogs estão publicando esta informação, que pode ser confirmada ainda hoje. Como escrevi na coluna de hoje, o PTB tem reunião hoje, em Brasília, para decidir esta indicação ao Ministério do Trabalho.

Comente aqui


Inscrições do Sisu começam amanhã, dia 23 de janeiro

A abertura das inscrições do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) foi antecipada para 23 de janeiro e vai até o próximo dia 26. O anúncio foi feito pelo ministro da Educação, Mendonça Filho, durante coletiva de imprensa sobre o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2017. O resultado das inscrições será divulgado no dia 29.

“Nós recebemos muitas demandas de jovens, estudantes e educadores com relação ao prazo do Sisu. Como conseguimos adiantar em um dia a divulgação do resultado do Enem, também estamos adiantando a abertura do Sisu”, explicou Mendonça Filho, lembrando que, inicialmente, as inscrições começariam em 29 de janeiro.

No total, são 239.601 oportunidades em 130 instituições, entre universidades federais, institutos federais de educação, ciência e tecnologia e instituições estaduais.

A matrícula da chamada regular deverá ser feita entre 30 de janeiro e 7 de fevereiro. “Essa é a fase de preparação das matrículas. Os editais e a programação das universidades, evidentemente, não cabe ao MEC alterar. Cada uma tem a sua responsabilidade e a sua competência legal”, afirmou Mendonça Filho.

O Sisu é o sistema informatizado do MEC por meio do qual instituições públicas de educação superior oferecem vagas a estudantes com base nas notas obtidas no Enem. O processo ocorre duas vezes por ano e cada candidato pode fazer até duas opções de curso. Podem concorrer estudantes que tenham feito o Enem 2017 e obtido nota acima de zero na prova de redação.

Senha – Para consultar as vagas que serão oferecidas pelas universidades, os estudantes vão precisar da senha na Página do Participante. Quem esqueceu pode fazer a recuperação da senha por meio do site do Enem, na página do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Anísio Teixeira (Inep). Lá, os candidatos têm três caminhos para recuperação da senha: para quem esqueceu apenas a senha, para quem esqueceu a senha e o e-mail e, ainda, para quem esqueceu senha, e-mail e celular.

Comente aqui


Ministro responde a transplantados em sua página no Facebook

Nos últimos dias, pacientes transplantados questionaram o ministro da Saúde, Ricardo Barros, em sua página oficial no Facebook, sobre a falta de remédios em algumas regiões do país. O ministro respondeu a questionamentos, com o compromisso de que iria verificar pessoalmente o que estava acontecendo.
Uma das respostas foi: “Caro Guilhermino Cardoso, as entregas previstas pelo Ministério da Saúde foram realizadas, estamos avaliando junto aos estados a situação dos estoques locais para enviar eventuais quantitativos adicionais. Quero dizer a todos que estamos trabalhando em parceria com secretarias estaduais de saúde para acompanhar os estoques de medicamentos e, caso seja preciso, efetuaremos, prontamente, remanejamento entre estoques para garantir abastecimento. obrigado, RB.”

De Acordo com o Ministério da Saúde, foram realizadas compras de dois importantes medicamentos para as pessoas que passaram por transplantes. Além de garantir a assistência aos pacientes o Ministério conseguiu baixar o custo dos imunossupressores tacrolimo e micofenolato de sódio. Somadas, as novas compras representam uma economia anual de R$ 176 milhões, valor que será reinvestido integralmente em mais acesso e ampliação de serviços do SUS. O custo é, respectivamente, 45% e 80% menor do que as compras realizadas anteriormente.

Pessoas também responderam ao ministro, agradecendo a chegada do medicamento. É o caso de Angélica Maria Dos Santos: “Graças a Deus! Aqui em João Pessoa PB ! Os imunossupressores chegaram, recebi ontem os meus. É completo!”

Comente aqui


Ministro da Saúde fez angioplastia e passa bem

O ministro da Saúde, Ricardo Barros, submeteu-se um cateterismo seguido de angioplastia, que foram executados com total sucesso. Os procedimentos eram programados.
Ele passa bem e amanhã e estará despachando normalmente no seu gabinete do Ministério, em Brasília, amanhã.

1 Comentário


R$ 12,9 milhões para hospitais universitários do Paraná

O ministro da Saúde, Ricardo Barros, autorizou ontem, quinta-feira, 26, o repasse de R$ 12,9 milhões para custeio dos atendimentos pelo SUS (Sistema Único de Saúde) no Hospital das Clínicas do Paraná e a Maternidade Victor Ferreira do Amaral – vinculados à UFPR. Os recursos são o Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais. No total, o Ministério da Saúde investe R$ 220,85 milhões em 48 hospitais universitários federais de 23 estados.

Dos recursos repassados ao Paraná, R$ 10,86 milhões são para o Hospital das Clínicas e R$ 2 milhões para a Maternidade Victor Ferreira do Amaral. Aprovados em lei orçamentária, os valores são pagos pelo Ministério da Saúde, em parcela única, para as instituições universitárias que comprovaram o cumprimento das metas de qualidade relacionadas ao porte e perfil de atendimento, capacidade de gestão, desenvolvimento de pesquisa e ensino e integração à rede do SUS. Os pagamentos são efetuados pelo Fundo Nacional de Saúde conforme comprovação dos gastos.

O Ministério da Saúde destina esses recursos para restruturação dos hospitais universitários. Esse reforço contribui para melhorar a qualidade dos equipamentos disponíveis, tanto para ensino e pesquisa como para o atendimento à população. “Temos interesse na estruturação desses hospitais para que eles possam, cada vez mais, ajudar no atendimento do SUS. Os hospitais universitários configuram uma estrutura muito grande, são mais de 40 hospitais em todo o país. Embora focados no ensino, eles fazem uma boa parte de atendimento assistencial à Saúde e, em alguns casos, são a principal referência de atendimento à população”, destacou o ministro Ricardo Barros.

1 Comentário


Medicamentos do SUS terão 100 % de monitoramento

Um novo sistema criado pelo Ministério da Saúde vai possibilitar o monitoramento em tempo real de todos os medicamentos do Sistema Único de Saúde. A medida vai permitir o melhor planejamento da compra, do controle da data de validade e a realização de remanejamentos.

Segundo o ministro da Saúde Ricardo Barros, a experiência em quatro estados mostrou que a iniciativa pode evitar desperdícios de até 30% dos fármacos entregues. Se essa economia for replicada em todo o Brasil, a cada ano, mais R$ 1,5 bilhão poderá ser revertido em mais medicamentos para a população.

“Essa é uma ferramenta fundamental para que a gente possa fazer economia e otimizar os recursos da saúde. Hoje existe uma consciência entre todos os gestores para a importância de alimentar o sistema para que possamos evitar o vencimento de medicamentos nas prateleiras, evitar que os medicamentos sejam desperdiçados e fazer o remanejamento dos medicamentos que eventualmente estejam sobrando em um determinado estado ou município para um melhor aproveitamento”, afirmou ministro.

A base entra em funcionamento a partir de 25 de outubro e os estados e municípios têm 90 dias para enviar as informações. Até então, o Ministério da Saúde só recebia 20% dos dados, utilizado por 15 estados para gestão de medicamentos de alto custo. As demais unidades da federação, que representam 80% da demanda, repassavam por telefone ou planilhas.

Texto original no Ministério da Saúde

 

1 Comentário


Todos contra a dengue

Com a aproximação no país do período de chuvas e mais calor, o ministro da Saúde, Ricardo Barros, falou em rede nacional fazendo um apelo convocando a população brasileira na luta contra a dengue. O alerta vale para a nossa região, onde choveu muito ontem e hoje e vem calor por aí. O ministro também fez uma prestação de contas do trabalho no Ministério.

1 Comentário


Barros anuncia mais recursos para o Paraná

Ricardo Barros anunciou mais recursos para Curitiba (foto de Erasmo Salomão/Ministério da Saúde)

O ministro da Saúde, Ricardo Barros, esteve em Curitiba, ontem, liberando mais de R$ 26 milhões para ampliar e qualificar o atendimento à população de Curitiba (PR), na urgência e emergência da rede hospitalar. Os recursos serão destinados à habilitação de novos leitos e serviços de média e alta complexidade.
Barros destacou que o recurso é um importante reforço para o credenciamento e financiamento de novos serviços de saúde em Curitiba, que chega a partir da economia gerada em sua gestão no Ministério da Saúde. “Estão sendo habilitados novos leitos e serviços na porta de entrada de urgência e emergência em hospitais de referência que atendem, além da população de Curitiba, toda a região metropolitana. Essa medida garante mais acesso à saúde de toda a população curitibana”, reforçou o ministro da saúde.
Serão habilitados novos leitos clínicos e de UTI, além da ampliação dos serviços da rede de urgência em cinco estabelecimentos de saúde do município: Hospital do Trabalhador, Santa Casa de Misericórdia, Hospital Universitário Evangélico, Hospital das Clínicas e Hospital São Vicente. Os recursos irão fortalecer a Rede de Urgência e Emergência (RUE) e serão incorporados ao limite financeiro de Média e Alta Complexidade do estado do Paraná e de Curitiba.

Desde que Ricardo Barros assumiu o Ministério da Saúde, o Paraná foi contemplado com R$ 179,1 milhões para habilitação e/ou qualificação de 717 serviços/leitos de média e alta complexidade que estavam funcionando sem a contrapartida federal. Durante o período, o estado teve 13 UPAs habilitadas, o que representa investimento anual federal de R$ 21,7 milhões. Em julho deste ano, o Paraná recebeu R$ 23,5 milhões para reforçar a Atenção Básica, principal porta de entrada para o SUS, com a habilitação de 348 Agentes Comunitários de Saúde, 99 Equipes de Saúde da Família, 78 Equipes de Saúde Bucal, 29 Núcleos de Apoio à Saúde da Família e 02 Equipes de Saúde Prisional.
Maringá e cidades vizinhas também têm recebido recursos do Ministério da Saúde, através do ministro Ricardo Barros. O último repasse para a região foi no valor de R$ 28,5 milhões para atendimento de serviços de média e alta complexidade. “Através de uma gestão eficiente, com economia de alugueis e outros serviços e na revisão de contratos, o Ministério da Saúde economizou quase R$ 4 bilhões que estão sendo reaplicados em mais serviços de saúde para os brasileiros”, diz o ministro.

1 Comentário