Patrulha Maria da Penha



Reunião define coordenação da Patrulha Maria da Penha

O vice-prefeito, Edson Scabora, juntamente com a secretária da Mulher, Aracy Adorno Reis, o secretário de Assistência Social e Cidadania, Ederlei Alkamin, o gerente da Guarda Municipal, Osmar Machado e autoridades judiciais, reuniram-se para a definição da coordenação responsável da Patrulha Maria da Penha.
Escolhido para articular e desenvolver as ações da Patrulha Maria da Penha, Júlio César de Paula Rodrigues, ficará responsável em garantir o melhor atendimento e apoio às vítimas. A atuação da Patrulha Maria da Penha já é realidade em algumas cidades do Paraná, como Curitiba e Londrina, no atendimento a mulheres vítimas de violência amparadas por medidas protetivas. O projeto, com parceria da Guarda Municipal, Secretaria da Mulher (Semulher) e Secretaria de Assistência Social e Cidadania (Sasc), oferecerá acompanhamento preventivo e periódico para garantir proteção das mulheres em situação de violência e reduzir a reincidência das agressões. No mês passado, 92 guardas municipais de Maringá e Sarandi participaram da capacitação para atuarem na Patrulha Maria da Penha.

Comente aqui


Patrulha Maria da Penha

Agentes da Guarda Municipal de Maringá e Sarandi vão participar juntos de um treinamento especializado para atuarem em parceria na Patrulha Maria da Penha, voltada à proteção de mulheres vítimas de violência.
A decisão conjunta foi definida nesta semana pelos prefeitos Ulisses Maia e Walter Volpato durante reunião, com integrantes das duas administrações, na Prefeitura de Maringá. Comandos da Guarda Municipal de Sarandi, representada pelo corregedor Flávio Silva, e de Maringá, pelo gerente Osmar Machado, participaram da reunião, que teve também a presença do secretário de Trânsito, Transporte e Segurança Pública de Sarandi, Joel Inglês da Silva.
Entre os dias 8 e 11 de agosto uma equipe da patrulha de Curitiba estará em Maringá para ministrar o curso e treinar 50 agentes da Guarda Municipal de Maringá e 32 de Sarandi. A capacitação terá carga horária de 30 horas, no período das 8 horas da manhã até as 5 da tarde em local a ser definido pelos organizadores.
“A formação de agentes, masculinos e femininos, visa transmitir treinamento adequado para adoção de medidas protetivas em defesa das mulheres vítimas de agressão e procedimentos práticos para que elas não voltem a ser agredidas pelos companheiros”, explica o gerente de Políticas Gerais da Secretaria da Mulher, Júlio César de Paula Rodrigues.

Comente aqui