roubo



Delegado na Câmara de Sarandi

 O delegado de Polícia de Sarandi está na Câmara Municipal daquele município, respondendo aos vereadores sobre o furto de hidrômetros da autarquia águas de Sarandi. Segundo ele são cinco suspeitos, sendo eles servidores de carreira e ocupantes de cargo de confiança.

Com informações de João Cidadão.

Comente aqui


Um a cada dois minutos

De acordo com o relatório estatístico anual da Secretaria de Segurança Pública do Paraná, em 2016 o número de furtos e roubos bateu recorde no estado, com 271 mil registros – uma média de 741 ocorrências por dia ou ainda um caso a cada dois minutos. É o maior índice desde 2007. Entre os fatores capazes de explicar a alta nos índices de criminalidade no Paraná, um deles é a crise econômica que o país atravessa. Essa relação é estudada há mais de 40 anos pela criminologia, ciência que estuda o crime como realidade social e humana.
A advogada Adriana Cristina Garrido publicou um estudo sobre o assunto, “quando emergem as crises econômicas, mais se instiga a criminalidade”, assinalando ainda que, nessas situações, o crime adota um caráter patológico-social. “Dos fatores que influenciam na criminalidade, o mais importante, o predominante, é o econômico”.
De acordo com Matheus Laiola, delegado-titular da Delegacia de Furtos e Roubos, que investiga crimes em que não há identificação do suspeito, a delegacia prende em média uma pessoa por dia.

Comente aqui