Silvio Barros

 

Crise e oportunidades

Aconteceu ontem (segunda-feira, dia 9), no auditório da Sociedade Rural de Maringá, reunião do Fórum Permanente das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte do Estado do Paraná.
Palestrantes convidados falaram para empreendedores e líderes de entidades do segmento, de toda a região, sobre a crise e as oportunidades que ela sempre traz consigo.
Reclamar é mais fácil do que criar, inovar. Bill Gates é autor da frase “se você quer chegar onde a maioria não chega, faça o que a maioria não faz“.
O prefeito Roberto Pupin; o presidente da Câmara, Chico Caiana; o secretário de Planejamento do Paraná, Silvio Barrros, transmitiram mensagens nessa linha. Criar e inovar são ações que transformam, mudam destinos. Mesmo que os tempos sejam de dificuldades para todos. Na prática é isso que Maringá vem fazendo e é por isso que se tornou, reconhecidamente, uma das melhores cidades do Brasil, bem a frente das demais e acima da média na maioria dos indicadores.
O evento contou com a coordenação de Ercílio Santinoni e Mario Dória, a frente de uma equipe de consultores e diretores de entidades de micro e pequenas empresas de várias cidades.

Vale a pena dar uma olhado no Portal Paranaense da Microempresa http://www.portalpme.pr.gov.br/

Comente aqui


Silvio Barros anuncia saída do PHS

O secretário estadual do Planejamento, Silvio Barros, anunciou a sua saída do Partido Humanista da Solidariedade (PHS), nesta quinta-feira (28).
Silvio disse que o motivo da sua saída foi a falta de garantia de participar de debates caso fosse candidato pelo PHS à prefeitura de Maringá. A nova legislação eleitoral exige, no mínimo, nove deputados federais eleitos para a participação em debates.
O secretário parabenizou o novo presidente estadual do partido, o deputado federal, Diego Garcia e agradeceu o espaço que teve no PHS.
Silvio Barros é pré-candidato a prefeito de Maringá.

Comente aqui


Secretário defende novos indicadores comuns para os estados

Em reunião do Fórum Nacional de Secretários de Planejamento, Silvio Barros, secretário de Planejamento do Paraná, defendeu que os estados adotem sistemas de indicadores comuns que permitam estabelecer comparativos. Ele também propôs a adoção de indicadores alinhados com os “novos objetivos do desenvolvimento sustentável” que serão lançados pela ONU, em setembro.
O secretário do Paraná sugeriu a realização de evento conjunto com outros conselhos e com a Frente Nacional de Prefeitos sobre a reforma na previdência pública. Silvio Barros defendeu a necessidade do debate de uma solução para que a previdência seja sustentável.
Ele fez um alerta sobre a urgência de uma discussão do redimensionamento da máquina pública. Barros afirmou: “Nós, administradores públicos, temos que pensar nos tipos de serviços que os governos do futuro deverão apresentar aos cidadãos, levando em consideração as mega tendências do novo perfil demográfico, da inclusão tecnológica e da inclusão social”.

Comente aqui


Silvio Barros recebe prêmio de gestão em Fórum Mundial do Meio Ambiente

silvio
O secretário do Planejamento, Silvio Barros, foi homenageado, ontem, quinta-feira (25), em um dos eventos do Fórum Mundial do Meio Ambiente, realizado em Foz do Iguaçu. Barros recebeu o Prêmio Líder de Meio Ambiente, na categoria “Gestão Pública”.
O prêmio homenageou personalidades e empresas atuantes em território nacional, que realizam projetos ambientais no Brasil e demonstram claramente uma cultura empresarial preocupada com a sustentabilidade, a conservação da biodiversidade e dos recursos naturais do país, acima do exigido pela legislação brasileira ou pelas convenções sociais.
Silvio Barros foi o criador e primeiro presidente da Fundação Vitória Amazônica, a maior ONG ambientalista do estado do Amazonas, além de atuar em prol do meio ambiente no setor público.
Com o tema central “Mudanças climáticas e o impacto nas grandes cidades”, o objetivo do Fórum é debater temas urgentes para permitir o crescimento econômico e desenvolvimento social do país, com respeito à sustentabilidade e à defesa ambiental.

Comente aqui


Planejamento de longo prazo

O secretário de Planejamento, Silvio Barros, ressaltou novamente a importância de que o planejamento de longo prazo do Estado seja feito pela sociedade civil organizada. Ele afirmou que governantes não têm em seu DNA o hábito de elaborar um planejamento de longo prazo, ao contrário de associações e entidades que representam a sociedade. “Temos que unir forças entre os que têm essa capacidade de pensar em longo prazo e o governo, que irá executar esse planejamento”, explicou.

O comentário foi feito por Silvio Barros durante encontro com uma comitiva do Ceará, realizado em Foz do Iguaçu. O evento, que também contou com a presença do presidente da Federação das Indústrias do Paraná (FIEP), Edson Campagnolo, teve como objetivo mostrar para o presidente da Federação das Indústrias do Ceará (FIEC) o modelo do programa “Setores Portadores do Futuro e Rotas Estratégicas” da FIEP.

Edson Campagnolo complementou a fala de Barros e insistiu na importância da integração do governo com a sociedade civil organizada para a elaboração de um planejamento de longo prazo. “A visão de Silvio é completamente adequada e ele é a pessoa que pode fazer essa ideia dar certo no Estado, trazendo sua experiência, já que implantou o modelo de cooperação entre instituições da sociedade e o executivo, na sua gestão como prefeito de Maringá”, destacou.

Comente aqui


O incrível Beto Richa

A vice-governadora Cida Borghetti, a deputada estadual Maria Victória e o secretário de Planejamento Silvio Barros distribuíram nota conjunta em que pedem ao governador que aceite a proposta dos servidores feita à Assembleia Legislativa, para acabar com o impasse que mantém a greve.
Essa é uma notícia muito importante, que mostra o isolamento a que chegou o governador Beto Richa, nos desastrados cinco meses iniciais do seu segundo mandato.
Se é inacreditável tudo que fez ou permitiu que fosse feito (e desfeito), muito mais inacreditável é a forma como trata o assunto, sem considerar a realidade, a situação geral em que se encontra e na qual colocou o estado do Paraná.
Filho de um político que fez história no Paraná, ex-deputado estadual, ex-prefeito da Capital, com avaliação muito boa, ninguém poderia imaginar, nem no cenário mais pessimista, que chegasse ao ponto de ser quase uma unanimidade negativa no estado.
Nem na equipe, nem entre aqueles que o apoiaram na recente campanha ele consegue apoio. De fato algo precisa ser feito, rapidamente.
O prejuízo maior é da população, em especial dos adolescentes e jovens sem aula e sem calendário para os seus estudos.
Cida, Maria Victória e Silvio estão certos em pedir atitude a um governador do qual tanto se esperava e que decepciona, de forma inacreditável, a milhões de paranaenses, inclusive seus eleitores e aliados.
Sem dúvida o que todos esperam é que o governador Beto Richa surpreenda positivamente, iniciando a necessária ação para recolocar o Paraná na normalidade.

9 Comentários


Silvio Barros faz palestra na Semana do Meio Ambiente, em Sarandi

O ex-prefeito de Maringá, Silvio Barros, secretário de Planejamento do Paraná, fará palestra na abertura da Semana do Meio Ambiente de Sarandi.
Será nesse dia 1º de junho, às 9 horas, no Centro Cultural Irmã Antona, em Sarandi.
Silvio falará sobre “Sustentabilidade e Desenvolvimento Sustentável”.

Veja aqui a programação da Semana do Meio Ambiente de Sarandi:

1 de junho de 2015 no Centro Cultura Irmã Antona
8 horas: Credenciamento
8h30: Abertura
9 horas: 1º Palestra -Tema: Sustentabilidade e Desenvolvimento Sustentável
Palestrante: Silvio Barros

10 horas: Café

10h30: 2º Palestra-Tema: Gestão Urbana das Águas (Instituto das Águas)
Palestrante: Renato Antonio Dalla Costa

11h30: Pausa para almoço

14 horas: Credenciamento

14h30: 3º Palestra: Incêndios Florestais
Palestrante: Tenente Alexandre Mançano Cavalca

15h30: Café

16 horas: 4º Palestra: Campanha de Sensibilização e Coleta de Óleo de Cozinha pós consumo.
Palestrante: Keity Novais, Instituto Cidade Cançao

17 horas: Encerramento do primeiro dia da Semana do Meio Ambiente de Sarandi

2 de junho de 2015
Plantio de Mudas em Nascente de rio
Local: Final da Rua Caxambu, no Parque Residencial Nova Aliança
Horário: 8h30

3 de junho de 2015
Manhã Ecológica
Local: Parque Ecológico Papa João Paulo II
Horário: 8 horas

Comente aqui


Maringaenses se destacam no governo do Paraná

A participação de maringaenses no governo do Paraná, com a vice-governadora Cida Borghetti, e com o secretário de Planejamento e Coordenação Geral, Silvio Barros, tem chamado a atenção em Curitiba, pela intensidade e organização.
Entrevista de Silvio Barros à Gazeta do Povo tem sido muito citada em blogs e colunas políticas.
O planejamento implantado em Maringá é lembrado pelos resultados alcançados em gestão fiscal responsável e em benefício da população. A implantação desse modelo é uma das metas agora, no governo do Paraná.
A vice-governadora Cida Borghetti surpreende pela presença e disposição de auxiliar no contato entre municípios e setores do Paraná com o governo.

 

Publicamos aqui a entrevista de Silvio Barros.

Novo secretário promete fazer planejamento de longo prazo no Paraná
Entrevista com Silvio Barros, secretário estadual do Planejamento
Publicado em 11/01/2015 | EUCLIDES LUCAS GARCIA/Gazeta do Povo

Secretário do Turismo no Paraná e no Amazonas e prefeito de Maringá por dois mandatos, Silvio Barros (PHS) foi o escolhido pelo governador Beto Richa (PSDB) para comandar a Secretaria do Planejamento e Coordenação Geral no segundo mandato. No maior desafio de sua carreira política, Silvio terá de superar os problemas de caixa do estado para ajudar a deixar o governo bem avaliado até 2018 – e, assim, pavimentar o caminho para tornar realidade o objetivo do grupo político do qual faz parte: eleger a cunhada e atual vice-governadora, Cida Borghetti (Pros), como governadora. Para isso, ele pretende se inspirar em Maringá. A cidade, com a participação direta da sociedade civil, já está elaborando seu planejamento até o ano de seu centenário, 2047. “Com o planejamento de longo prazo, é possível estabelecer prioridades para hoje. Nosso trabalho será nesse sentido.”

Além da costura política, quais fatores fizeram o governador Beto Richa convidá-lo para a Secretaria do Planejamento?

O que nos qualificou para participar do governo foi o que aconteceu com Maringá nos últimos dez anos. O município saiu de uma situação crítica, endividado e em fase de deterioração, para se tornar uma das mais importantes referências em gestão pública no país. É essa experiência que o governador gostaria que eu trouxesse para o segundo mandato.

Que medidas implantadas em Maringá podem ser reproduzidas no governo ?

O modelo de planejamento de longo prazo. Em Maringá, faz 18 anos que a sociedade civil organizada é responsável por definir o que cidade deve ser. Esse planejamento realizado pela sociedade é apresentado a todos os candidatos a prefeito, que assumem o compromisso em manter o foco na comunidade. São projetos estratégicos – não todos obviamente –, que não sofrem descontinuidade política, o que é extremamente saudável. Esse modelo do Codem [Conselho de Desenvolvimento Econômico de Maringá] tem sido exportado para várias cidades do Brasil e podemos fazer essa experiência no Paraná. Nosso trabalho será nesse sentido.

A falta de planejamento de longo prazo é o principal desafio?

Uma visão de apenas quatro anos não permite saber aonde queremos chegar num horizonte mais amplo. Maringá, por exemplo, trabalha com o documento Maringá 2030 elaborado pela comunidade. E já está sendo pensado o projeto Maringá 2047, ano do centenário da cidade. A partir desses documentos, sabemos o que precisa ser feito agora para poder chegar lá. Com o planejamento de longo prazo, é possível estabelecer prioridades para hoje. É isso o que pretendemos propor para a equipe de governo.

Como a sociedade vai participar dessa discussão?

Mais de 5 mil lideranças públicas e particulares já se reuniram em torno do Fórum Futuro 10 com uma visão de longo prazo. Não precisamos começar do zero. Temos um trabalho já desenvolvido, uma visão muito boa do que o estado precisa. Com esse tipo de planejamento, que parte da sociedade e é reconhecido justamente por isso, a própria sociedade blinda as políticas públicas contra a descontinuidade. Assim, não é preciso fazer um esforço descomunal para ganhar a eleição para que o projeto em andamento não pare.

O estado vive uma situação financeira difícil. Isso pode atrapalhar esses planos ?

Não conheço a realidade econômica do estado. Estou tomando conhecimento agora. Quando assumimos Maringá, a cidade estava endividada, há cinco anos sem a certidão negativa do Tribunal de Contas do Estado [para poder contrair empréstimos e receber verbas estaduais e federais]. Havia R$ 45 milhões de restos a pagar [dívidas] sem cobertura no orçamento. Em apenas uma gestão, conseguimos tirar o município do déficit e colocá-lo em superávit. Nós fizemos isso melhorando a eficiência da máquina pública, não necessariamente sobrecarregando o contribuinte, mas tornando a máquina mais eficiente no gasto e na arrecadação: arrecadar mais e gastar menos. É claro que isso [no governo] é competência do secretário da Fazenda [Mauro Ricardo Costa]. Mas, com a experiência que temos, posso dizer que é possível. No que me compete dentro da equipe de governo, pretendo colaborar para que isso aconteça. O Paraná é um estado rico. Precisamos fazer com que essa riqueza seja transferida para a população. E o governo é o canal para isso. O tributo não é para o governo, mas para gerar serviço à população.

Em entrevistas, o seu irmão, deputado federal eleito Ricardo Barros (PP), tem dito que aposta no seu trabalho como secretário para que o governo chegue bem em 2018 e, assim, a vice-governadora Cida Borghetti [mulher de Ricardo] seja eleita governadora. Ele falou com o senhor sobre isso?

É óbvio que a nossa intenção é que o governo faça um bom trabalho e seja reconhecido pela população. O grande prêmio de quem faz bem feito é a oportunidade de continuar fazendo. Dentro da lógica de colaborar para que tenhamos um bom governo e possamos receber essa autorização da população, vou continuar trabalhando. E é claro que a continuidade dessa proposta implicaria na Cida ser eleita governadora. Entendemos isso como um desafio. Mas quem vai definir a continuidade é a população. Meu grande desafio imediato é a coordenação geral do governo. Já disse ao governador que pretendo trabalhar com muita sintonia entre a Casa Civil, que faz a coordenação política, e o Planejamento, que faz a coordenação operacional. Todas as secretarias devem trabalhar de maneira convergente, uma ajudando a outra em projetos transversais, projetando a construção da marca do governador.

O governador deu carta branca ao senhor para promover esse trabalho?

Eu pedi a ele mais do que autorização para fazer isso; pedi autoridade para fazer. Não adianta ter autorização se a equipe não entender que o desejo do governador é esse. E ele deu autoridade à Casa Civil e ao Planejamento para coordenar a máquina.

No projeto de seu grupo político está a conquista de prefeituras em 2016. O senhor pretende se candidatar novamente a prefeito de Maringá?

Não tenho como descartar isso. Evidentemente, nosso projeto político é colaborar para um bom resultado do governo do estado. E ver a prefeitura de uma cidade importante como Maringá nas mãos de adversários não iria contribuir em nada. Vou deixar em aberto essa questão.

Comente aqui