Mês: setembro 2009



NÃO DESISTA!

NÃO DESISTA

Estamos às vésperas do grande feriado nacional, dia de comemorações em todo o Brasil, dos 187 anos de Independência. Certamente, temos muitos motivos para festejar e levar para as ruas, as alegrias e sucessos deste povo que Deus tanto ama, que luta, sofre e acredita em dias melhores. Também carregamos motivos que nos entristecem, como as noticias dos nossos políticos, a situação de pobreza crescente, as doenças contagiosas, a violência incontrolável, enfim, motivos que nos deixam preocupados e nos alertam para uma retomada, de maneira especial, de todas as iniciativas que venham proporcionar um Brasil dos nossos sonhos.
Neste momento, vale colocar, na mente e no coração, um grande entusiasmo, para encarar, de frente, os obstáculos que são oportunidades e não retrocessos. Assim como o avião alcança altura voando contra o vento e as pipas que os meninos empinam só sobem se existir ventos contrários, acredito que, na vida, tudo que for bem encarado, nos leva a crescer e subir a patamares mais altos e melhores para todos. Nos encontros, digo aos jovens que precisamos ir sempre para frente, nunca para trás. Mesmo quando caímos, caímos para frente. Vejo que não temos motivos para o pessimismo e sim para acreditar nas pequenas iniciativas e valorizá-las, como força dos pequenos.
Como patriotas, somos convocados a fazer parte da “Ordem e do Progresso”. Não é por simples capricho que, na bandeira, ostentamos este lema; não é por enfeite que na harmonia das cores verde, amarelo, azul e branco, está estampada a marca da índole desta nação, plurirracial e multiétnica, de um país de dimensão continental. Assim a festa da Pátria grande, refloresce em nós, um amor cada vez maior pelo Brasil e pelo seu povo heróico e varonil. Ao soar o hino nacional, renovamos o nosso amor de patriotas, nas estrofes, Brasil, um sonho intenso, um raio vívido. De amor e de esperança a terra desce… Entre outras mil és tu Brasil…Ò Pátria amada….Brasil, de amor eterno seja símbolo….Paz no futuro e glória do passado.
Não vale a pena desistir, temos tudo, não falta nada. Precisamos sim, fazer que o amor seja mais solidário e concreto, que os discursos não sejam promessas apenas, que nossos líderes ponham a mão na consciência, que o pão seja repartido, que os bens da terra e do céu seja para todos, que ninguém seja excluído da mesa da dignidade humana, que em todos os momentos saibamos olhar ao redor, para poder olhar para cima. O amor que cultivamos é dom do Deus-Amor. Só amamos porque fomos amados por primeiro. “Se Deus tanto nos ama, a ponto de fazer-nos seus filhos o que mais poderíamos querer? Se Deus me ama e me chama de filho, todo o resto para mim, pouco vale. Até mesmo nenhum sofrimento, nenhuma fadiga, nenhum sacrifício, nem a morte, podem tirar-me esta alegria intensa, esta felicidade serena e segura de saber que sou filho de Deus e de que Ele me ama. Então começo a entender melhor por que Jesus tantas vezes falou aos seus discípulos: “Não tenham medo”! De que eu deveria ter medo, se Deus é meu Pai e me ama?” (Cardeal Claudio Hummes). Assim vale a pena celebrar mais um ano de Independência.
Não desista! Acredite e agradeça!

Dom Anuar Battisti
Arcebispo de Maringá

Artigos
Comente aqui