Mês: dezembro 2014



Comenda dom Jaime Luiz Coelho

comendafoto
Na manhã desta sexta-feira (19) o presidente da Câmara de Maringá, Ulisses Maia, instituiu a comenda dom Jaime Luiz Coelho, que passa ser a maior honraria do município de Maringá. A instituição foi feita na Cúria (escritório da Arquidiocese de Maringá) com a presença do arcebispo dom Anuar Battisti e diversos padres.

A comenda foi criada a partir do Projeto de Lei de autoria inicial dos vereadores Ulisses Maia e Carlos Mariucci. A partir de 2015 personalidades maringaenses que se destacaram nas áreas social, educacional e de direitos humanos poderão receber a homenagem. O artista plástico Anselmo José foi o responsável pela concepção do formato da comenda.

Dom Jaime Luiz Coelho é uma das principais personalidades da história de Maringá. Primeiro bispo e arcebispo da arquidiocese, foi idealizador e responsável pela construção do monumento símbolo de Maringá, a Catedral Basílica Menor de Nossa Senhora da Glória. Fundou e dirigiu a Faculdade Estadual de Ciências Econômicas, onde foi ministrado o primeiro curso superior da cidade que originou a Universidade Estadual de Maringá.

Além disso, dom Jaime teve participação fundamental em uma série de acontecimentos importantes para o engrandecimento da cidade, tais como: a construção da Livraria Católica, depois entregue às religiosas da Pia Sociedade Filhas de São Paulo (Irmãs Paulinas); a transformação do Albergue Noturno, sob direção das Filhas da Caridade, em Albergue Santa Luíza de Marillac; a criação do jornal diário Folha do Norte do Paraná; a implantação da TV católica 3º Milênio, fundada pelo padre Gerhard Schneider; a obra de desfavelamento Núcleo Social Papa João XXIII e a consolidação da Santa Casa de Misericórdia de Maringá.

Ele morreu em 5 de agosto de 2013, aos 97 anos, vítima de insuficiência renal crônica e foi sepultado na cripta da catedral de Maringá.

Comente aqui


Sociedade, democracia e o lixo

Estou como arcebispo de Maringá há dez anos. Desde que cheguei nesta maravilhosa terra o que tem me chamado a atenção é a força das entidades organizadas da sociedade civil. Maringá é uma cidade diferenciada por isso. Aqui as nossas instituições estão sempre presentes nos debates da cidade. E graças ao histórico da nossa Igreja, talvez por causa do legado do nosso primeiro bispo, Dom Jaime Luiz Coelho, a arquidiocese está nesta lista das entidades engajadas.

O mais recente debate da nossa comunidade maringaense é sobre o lixo. Debate este que não é novo, e tem mais um capítulo.

Na sessão da câmara de vereadores da última quinta-feira, dia 11, dez vereadores rejeitaram pedido da Arquidiocese de Maringá, Observatório Social, ACIM, Fórum Lixo e Cidadania e da OAB pela revogação da parceria público-privada (PPP) destinada à prestação dos serviços de coleta, tratamento e destinação final do lixo em Maringá.

Representantes das entidades usaram a tribuna da câmara e apontaram diversas irregularidades no processo. Antes, a Igreja já havia se reunido com os parlamentares pedindo que a Câmara revogasse a autorização da PPP. Todos nós queremos uma solução para o problema do lixo em Maringá. Mas que essa solução seja promovida com total transparência.

Recentemente o Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR) emitiu medida cautelar determinando a suspensão imediata de licitação por meio da qual a Prefeitura de Maringá busca formalizar a PPP. A proposta prevê um contrato de aproximadamente R$ 1,16 bilhão, no prazo estimado de 30 anos.
Infelizmente, dez vereadores rejeitaram o pedido da sociedade organizada.

E como isso ficou público, sentimos na obrigação de comunicar a sociedade. Os vereadores que votaram contra o pedido das entidades foram os senhores Luciano Brito, Chico Caiana, Tenente Edson Luiz, Luiz Pereira, Belino Bravin, Da Silva, Flávio Vicente, Jones Dark, Doutor Sabóia e a senhora Marcia Socreppa.

Os vereadores que atenderam a solicitação das entidades foram os senhores Ulisses Maia, Humberto Henrique, Mário Verri, Luizinho Gari e doutor Manoel.

Todos são livres para optar pelo que acham melhor. Mas o parlamento é a casa do povo e esta casa deve ouvir a sociedade. O que não aconteceu. Como pastor do povo católico, fiquei triste em saber que o poder Legislativo de Maringá não ouviu o clamor das instituições, por consequência das pessoas que cada uma representa. Esperamos que o poder executivo encontre uma alternativa para tratar do lixo em Maringá, de forma transparente. E nisso também nós temos responsabilidade. Mas o que mais esperamos é que a nossa democracia e a força das nossas instituições não sejam jogadas no lixo.

Que Deus abençoe a nossa cidade!

Dom Anuar Battisti é Arcebispo de Maringá

Comente aqui


Conheça o Acampamento católico de Nova Esperança

acamp
A Web TV da Arquidiocese de Maringá produziu um vídeo explicando o que é o Acampamento católico, que chegou à Arquidiocese de Maringá por inciativa do padre José Moreira Silveira, da paróquia Sagrado Coração de Jesus de Nova Esperança.

O Acampamento Católico é uma nova forma de evangelizar. Utiliza uma metodologia de evangelização nascida na EVANGELIZAÇÃO 2000 (movimento católico da década de 80), como parte de um grande projeto de evangelização para o mundo, e foi idealizado pelo mexicano PRADO FLORES, leigo católico e também fundador da Escola de Evangelização Santo André.

Essa metodologia chegou ao Brasil no final da década de 80, porém teve seu crescimento no final dos anos 90. A metodologia do Acampamento consiste em unir a Espiritualidade Cristã com muita partilha, dinâmicas e pró-atividade dos participantes; num acampamento você é sempre questionado a dar um passo em direção ao Amor de Deus e dos irmãos.

“Quando chegamos à paróquia percebemos um grande desafio de evangelizar os jovens. Eu fiz o acampamento em Paranavaí e depois implantamos em Nova Esperança”, explica padre José.
“No acampamento a gente vive a experiência forte da nossa fé através da Palavra de Deus e da vivência, como um treinamento em que as pessoas resgatam a fé que estava quase apagada”.

Comente aqui


Campanha para a Evangelização

evangelize ja
As coletas das missas dos dias 13 e 14 de dezembro na Arquidiocese de Maringá serão destinadas à Campanha para a Evangelização da Igreja no Brasil, promovida pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).

Este ano, a iniciativa completa 16 anos a serviço das atividades pastorais da Igreja. A mobilização nacional buscará promover iniciativas que visem superar a violência e edificar a paz, além de articular gestos concretos na sociedade por meio das ações evangelizadoras da Igreja.

https://www.youtube.com/watch?v=25ahgFe5SEQ

Lema

“Cristo é nossa paz” é o lema da CE 2014, apropriado para o tempo litúrgico do Advento. Neste período de preparação ao Natal, entre pessoas, famílias e na sociedade em geral, existe um clima de confraternização na busca pela paz.

Criada em 1998 pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), a iniciativa busca mobilizar os católicos a assumir a responsabilidade de participar na sustentação das atividades pastorais da Igreja.

A Campanha para a Evangelização (CE) tem o slogan “Evangeli.Já”, que faz referência à palavra evangelizar e mostra a urgência da evangelização e da cooperação de todos.

A distribuição dos recursos é feita da seguinte forma: 45% permanecem na própria diocese; 20% são encaminhados para os regionais da CNBB; e os demais 35% para a CNBB Nacional. As doações, em caráter individual, também podem ser feitas pelo site: www.evangelija.com.

Por CNBB

Comente aqui