Dia das crianças



Maria, nosso exemplo

Estamos em pleno mês de outubro, domingo (12) dia das crianças e de Nossa Mãe Aparecida, que Deus nos deu por surpresa no Rio Parnaíba, pelas mãos de pescadores. Que bela surpresa!

Hoje é Mãe, Rainha e Padroeira desta nação, batizada de terra de Santa Cruz, terra mãe de todos, terra cor de brasa, Brasil. Ela, como mulher, plenamente humana, gerou como toda mãe, uma vida, um homem, diferente em tudo, porém homem, Homem Deus.

É por providência que o dia das crianças coincide com o dia da Mãe, Mãe de Deus e nossa. Bela coincidência! E se não bastasse, neste domingo culmina a Semana da Vida, colocando em primeiro lugar as crianças que estão por nascer.

Tudo isso com a cor rosa, a cor do combate ao câncer de mama, para clamar a vida das mães.
Recordo aqui aquele grito de uma mulher, dirigido a Jesus, no meio da multidão, elogiando o ventre e os seios de Maria. “Uma mulher dentre a multidão, levantando a voz, lhe disse: Bem-aventurado o ventre que te trouxe e os seios em que mamaste” ( Lc 11,27).

A exclamação, vinda de alguém do povo, é uma homenagem à Mãe de Jesus. Que belo reconhecimento do ventre e dos seios, que fazem a mulher ser mãe, porque só ela tem ventre gerador e seios que amamentam. Somente a mãe tem esse privilégio, de conceber e dar à luz, de alimentar com um leite único, imunizando aquele minúsculo ser de tantas enfermidades, e projetando um futuro saudável. Cuidado de mãe, que como Maria, a Mãe de todos nós, soube dar o melhor de si, sem esperar nada, sendo proclamada por todas as gerações de “Bem aventurada”.

O Outubro Rosa, não é senão um clamor, em defesa da vida e da saúde das mães e das mulheres. Muitas mulheres não geraram e não podem gerar, porém trazem em si a beleza de mãe e de mulher, que ninguém pode subestimar.

Queremos defender a vida das mulheres e das crianças desde a concepção até a morte natural. Ninguém tem o direito de tirar a vida, “Deus deu, Deus tirou, bendito seja o nome do Senhor (Jó 1,21)”. Em nenhum momento da vida de Maria, acompanhando o filho, na festa e na dor da morte, nunca se ouviu um clamor de desespero.

Que Nossa Senhora Aparecida, a mulher Mãe negra, interceda por todo o povo brasileiro, de maneira especial, pelas crianças, que sofrem por não ter uma mãe presente. Pelas mulheres e crianças cuja vida é ameaçada por doenças, que saibam prevenir e buscar a cura em tempo. Senhora da Conceição Aparecida, interceda pelo Brasil, neste momento tão decisivo para o futuro de todos nós. Amém.

Dom Anuar Battisti é Arcebispo de Maringá-PR

Comente aqui


Marcas da fé em outubro

 

Começamos o mês lembrando Santa Terezinha do Menino Jesus. Considerada Doutora da Igreja, com permissão do Papa ela entrou no convento com catorze anos. No convento ela foi modelo de oração e de entrega à vontade de Deus. Oferecia tudo como sacrifício para o trabalho missionário.

 

Atingida por tuberculose, nunca negou trabalho algum. Aos vinte e quatro anos foi chamada por Deus ao Paraíso. Foi canonizada pelo Papa Pio XI em 1925. Em 1927, o mesmo Papa a declara Patrona Universal das Missões Católicas. Por isso, o mês de outubro é chamado de mês missionário. Entre os seus escritos o mais conhecido é “História de uma alma”. O dia de Santa Terezinha é primeiro de outubro.

 

Outra marca inesquecível que recordamos neste mês é São Francisco de Assis, cuja festa é celebrada no dia quatro. Depois de uma juventude irrequieta e mundana, voltou-se para uma vida religiosa de completa pobreza. Com o hábito da pregação itinerante, desenvolveu uma profunda identificação com os problemas de seus semelhantes e com a humanidade do próprio Cristo.

 

Sua atitude foi original também quando afirmou a bondade e a maravilha da Criação, quando se dedicou aos mais pobres dos pobres, e quando amou todas as criaturas chamando-as de irmãos. Hoje é considerado patrono da ecologia. Assim dizia: “Comece fazendo o que é necessário, depois o que é possível, e de repente você estará fazendo o impossível”. “Ninguém é suficientemente perfeito que não possa aprender com o outro e ninguém é totalmente destituído de valores que não possa ensinar algo ao seu irmão”.

 

Já Nossa Senhora da Conceição Aparecida, cuja festa celebramos dia doze, foi proclamada Rainha e  Padroeira do Brasil oficimente em 16 de julho de 1930, por decreto do Papa Pio XI. Pela Lei nº 6.802 de 30 de junho de 1.980, foi decretado oficialmente feriado no dia doze de outubro.

 

Também nesta Lei, a República Federativa do Brasil reconhece oficialmente Nossa Senhora Aparecida como padroeira do Brasil. Em 4 de julho de 1980 o Papa João Paulo II, em sua histórica visita ao Brasil, consagrou a Basílica de Nossa Senhora Aparecida, o maior santuário mariano do mundo. No dia da padroeira, além das celebrações nas paróquias, nós em Maringá vamos viver o Cenáculo com Maria no Parque de Exposição e no final da tarde faremos a intronização da imagem de Nossa Senhora Aparecida na gruta do Parque Ingá.

 

Junto com a padroeira do Brasil lembramos as crianças, criaturas que merecem todo carinho, toda atenção, toda dignidade. Com a Mãe Aparecida, nossa prece pelas crianças do Brasil.

 

E no final de outubro, no dia trinta, lembramos o Dia Nacional da Juventude com o tema: “Juventude e protagonismo feminino” e o lema: “Jovens mulheres tecendo relações de vida”.  Vamos marcar este dia com uma caminhada pela cidade e a Santa Missa na catedral.

Para finalizar, como não lembrar a festa do Círio de Nazaré, onde mais de dois milhões de peregrinos acorrem à Mãe de Deus e nossa Mãe. Este ano terei a graça de presidir a novena em Belém no Pará, no dia nove.

 

Outra notícia que nos enche de alegria é o dia de louvor à Maria, envolvendo muçulmanos e católicos, que acontecerá no dia vinte e quatro de março do próximo ano em Foz do Iguaçu. Mohammad Sammak, secretário geral do Comitê para o Diálogo Cristão Muçulmano, afirmou. “Estou pronto para ir onde a abençoada Maria quer que eu vá… para o Brasil e além… gosto de ver que comunidades cristãs e muçulmanas compartilham o amor de Maria e aqui ganham bênçãos”. Que Maria, a Senhora Aparecida abençoe, a todos nós, brasileiros e brasileiras.

 

 

Dom Anuar Battisti é Arcebispo de Maringá-PR

Comente aqui