Dom Geraldo Fernandes, Centenário de nascimento

Celebramos neste ano de 2013 o Centenário de Nascimento de Dom Geraldo Fernandes,primeiro Bispo e Arcebispo de Londrina. Nasceu em Contagem (MG) de família pobre. Aos nove anos, devido a morte do pai, enfrenta a luta do trabalho para colaborar no sustento da família. Entrou no Seminário dos padres claretianos, tornou-se sacerdote, depois, Arcebispo, sendo antes Vice-Provincial dos claretianos e Reitor do Instituto Teológico de Curitiba.
Estudou em Roma e doutorou-se em Direito Civil e Direito Canônico. Foi membro da Comissão de Juristas da CNBB, professor na Faculdade de Direito da UEL em Londrina, assessor dos Tribunais Eclesiásticos do Brasil. Homem que pregou a sã doutrina e com uma fé firme como o no cedro do Líbano. Era articuslista da Revista Eclesiástica Brasileira e da revista dos Religiosos do Brasil. Escrevia artigos no jornal Voz do Paraná e mantinha um programa televisivo diário na Tv Coroados cuja vinda para Londrina ele tanto apoiou.
Dom Geraldo foi membro da Comissão Preparatória do Concílio Vaticano II da CNBB e participou das sessões do Concílio em Roma. Esta experiência transformou sua vida, confirmando seu ímpeto missionário. Foi fiel às mudanças pastorais, litúrgicas, teológicas do Concílio, a ponto de se tornar um “Bispo dos pobres”. Pediu ao Papa a licença para deixar o cargo de Bispo de Londrina para ser missionário na áfrica. O Papa não aceitou o pedido, pelo contrário, nomeou-o assessor das Congregações Religiosas femininas no Brasil. Mesmo assim escreveu no seu Testamento Espiritual: “espero poder ir trabalhar na África”.
Em Londrina Dom Geraldo revelou-se um grande Estadista, homem de relações públicas cuja palavra era respeitada. Era ouvido e consultado pelos Governadores, Prefeitos, Professores Universitários e outras pessoas da influência. Muito colaborou no âmbito da educação, saúde, administração da nossa cidade. Até a respeito do Lago Igapó ele se pronunciou. Toda esta influência social Dom Geraldo era para ajudar os pobres. Foi um baluarte na criação da UEL – a Universidade Estadual de Londrina. Cedeu os espaços da Catedral para o início da Faculdade de Odontologia e tudo fez em favor da criação da Faculdade de Direito e de Filosofia em nossa cidade. Participou da fundação do Instituto de Agronômica do Paraná IAPAR. Incentivou a criação da Associação das Damas da Caridade.
Com Madre Leônia Milito, Dom Geraldo foi o Fundador das Irmãs Missionarias de Santo Antonio Maria Claret – as nossas claretianas. A pequena semente se tornou uma grande e frondosa árvore que deu muitos frutos. Hoje, elas estão em 17 Países do mundo e em 14 Estados do Brasil. Fortalecidas com a Eucaristia e entregues ao Coração de Maria, elas levam de “Londrina para o mundo” o seu carisma missionário de “bondade e alegria”. As claretianas são a “pérola preciosa” do coração de Dom Geraldo. Queira Deus que se apresse o dia da beatificação de Madre Leônia Milito, co-fundadora, cujo processo já está em Roma e Londrina terá uma santa nos altares.
Como vemos estamos recordando a vida de uma pessoa singular, cujo lema episcopal era: “a misericórdia me acompanhará”. No seu Testamento Espiritual ele reconhece seus pecados e pede perdão escrevendo: “A todos o quais dei mau exemplo, peço perdão”. Londrina cidade, Londrina Arquidiocese, têm em Dom Geraldo um grande benfeitor, um pai exigente, mas amoroso. O amor é exigente. Os mais beneficiados por ele foram os pobres. Diz o seu Testamento: “Amo a Igreja na pessoa de todos os meus irmãos, principalmente os mais pobres, pelos quais eu trabalhei nos arrabaldes de Curitiba e Londrina, de um modo especial”.
As celebrações comemorativas ao Centenário de Nascimento de nosso primeiro Bispo e Arcebispo querem ser um hino de louvor e gratidão a Deus e uma oportunidade de reafirmarmos nosso ardor missionário e a opção pelos pobres. Viva Dom Geraldo, Viva Londrina.

Dom Orlando Brandes

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.