Estado Judaico!!! $halom!!!

Há 68 anos atrás…

Em 14 de fevereiro de 1949 ocorreu a primeira sessão da organização de representantes de Israel no edifício da Agência Judaica em Jerusalém, que mais tarde se chamou Salão Weitzman.
Dois dias após a reunião, decidiu-se nomear o corpo de “Knesset”, e legitimar a Grande Assembléia (“Haknesset Hagedolah”), a autoridade suprema do Povo Judeu durante o período do Segundo Templo.
Atualmente, o complexo abriga as Instituições Nacionais – a Agência Judaica para Israel, o Keren Hayesod, a Organização Sionista Mundial e o Keren Kayemet LeIsrael.

Foto: Hugo Mendelsohn
GPO (Escritório de Imprensa do Governo de Israel)

Como fora criado o estado de Ysrael, nesta importante data para nos Judeus. Também sera de grande importância a criação e fundamentação da Comunidade Judaica Do Norte e Noroeste do Paraná. Em Plena Cidade Canção!!!

Lehitraoot! Até Breve!

Obrigado pela leitura!

Pesquisa, tradução & edição: Vital Ben Waisermman, $halom 🙂

Comente aqui


Terrorismo nos EUA !!!!


IDF Woman. Exercíto feminino e guardiãs de Yarael.

Pela quarta vez em cinco semanas, ao menos 11 centros comunitários judaicos nos Estados Unidos receberam ameaças de bomba, o que levou à retirada às pressas de dezenas funcionários. As últimas ameaças, em 11 locais diferentes, elevam para 69 o número total desses incidentes – em 54 centros da comunidade judaica em 27 estados dos Estados Unidos e em uma província canadense -, de acordo com a Associação JCC dos Estados Unidos. A associação ressaltou, porém, que todas as ameaças de bomba feitas ontem, assim como as recebidas nos dias 9, 18 e 31 de janeiro, revelaram ser falsas e que os centros comunitários retomaram seu funcionamento horas depois do alerta. O FBI e a Divisão de Direitos Civis do Departamento de Justiça informaram que estão investigando os incidentes. As ameaças coincidem com outros atos de antissemitismo no país. Neste final de semana, mais de 100 lápides foram danificadas em um cemitério judeu em St Louis, Missouri. “No último fim de semana, desconhecidos derrubaram várias lápides de monumentos dentro do cemitério”, disse a polícia da cidade em comunicado. A polícia não confirmou o número de lápides danificadas no Cemitério Chesed Shel Emeth, informando que está analisando os vídeos de vigilância do local. O centro Southern Poverty Law Center, que monitora o extremismo, afirmou em recente relatório que o número de grupos de ódio está aumentando e já atinge níveis quase históricos, associando isso ao aumento do “populismo de direita” durante a campanha presidencial americana. O governo Trump já advertiu que não tolerará tais incidentes. A filha de Trump, Ivanka, convertida ao judaísmo, também denunciou as ameaças aos centros da comunidade judaica. “Os Estados Unidos são uma nação construída sobre o princípio da tolerância religiosa. Devemos proteger nossas casas de culto e centros religiosos. #JCC”, escreveu no Twitter. A JCC disse que “não será intimidada por ameaças destinadas a perturbar a vida das pessoas ou o papel vital que os centros comunitários judaicos desempenham, como locais de reunião, escolas (…) e recreação”.

Fonte: Conib.

Obrigado Pela Leitura!

Pesquisa, tradução & edição: Vital Ben Waisermman.

$halom Lé Kulam – Paz A Todos!

Comente aqui


Hoje Na Integra Paul Cabannes, e sua visão Hebraica na França.

Cédito de Imagens: Marcelo Manília e Darci Paiola!

Boker Tov! Bom dia!

Em alguns instantes na integra Paul Cabannes!!!

A visão de um Françês dos Judeus na França, por Paul Cabannes e bem detalhista e traz altos e baixos, Paul desenvolveu inúmeras atividades em solo Franco como: Radialista, cursou teatro por três anos, especialista em vinhos locais de seu pais e aqui no Brasil, trabalha como cantor e modelo.
Ele faz parte do seleto grupo de agenciados pela Mega Model Maringá, a convite da empresária Léa Marcia Balzanello de Freitas, diretora proprietária desta agencia.

Viatl._ Como Vivem os Judeus na França?
Paul_ Eles vivem muito bem! Estão em todas as areas na arte, parte financeira, educacional e chegaram ao mais alto cargo do pais a presidência como e o caso do Ex Presidente da França Francoise Holland, que na maioria dos franceses não era muito aceito! Devido, naõ ter conseguido sanar muitos problemas inclusive o desemprego que fica entre 12 & 13 % na população geral e mais elavada ainda entre jovens chegando a 25% .
Sem trabalho ninguém pode ter dignidade .

Vital_Qual foi a contribuição na sua visão na arte pelo Judeus?

Paul_ A Contribuição e extremamente relevante! Como na cinema na literatura, teatro alguns deles mundialmente conhecido como:
Émile Zola em o Germinal que foi para as telonas e teve como principal e participação especial Gerrad Depadeau.
Claude Lellouch, Thomas Langmman e outros inumeráveis .

Vital_ Porque trocou o Canada pelo Brasil?

Paul_ Gosto muito do Brasil e dos brasileiros(a), sou muito bem recebido por aqui ! Além, de minha esposa ser brasileira a Sra. Luciene Cabannes que é doutorada em Francês pela importante Universidade de Sorbonne-Paris.

Vital_ O que faz atualmente?
Paul_ Sou Professor de Inglês na cidade e região e trabalho como modelo e cantor francês além de estar sempre atento anos movimentos artísticos e alternativos na cidade! Um Lugar que gosto muito de ir e Na Cafeteria L’ Amore! na minha Opinião o café mais Europeu que encontrei em Maringá, a nossa “Cidade Canção”

Vital_Ilustre amigo e convidado sabe um número preciso de Judeus em solo Francês?
Paul_Em números precisos sabe se que fora exterminado 100 mil judeus na segunda guerra. E Hoje, vivem na França mais de 500 mil.Desenvolvendo sua vida em todas as áreas no pais.

Especial para O Diário: Vital Ben Waisermman.

$halom – Paz !!!!!

Na esquina mais charmosa e cultural da Cidade de Maringá.
Fantasy Locadora!

Obrigado pela leitura !

Atenciosamente, Vital …

Pesquisa, tradução & edição: Vital Ben Waisermman, $halom – Paz !!!

Comente aqui


Dia de Prova do Enen & O $habat !!! $$$$$$$

Vamos impedir que o Enem seja realizado no sábado. Vote!
O Ministério da Educação (MEC) abriu uma consulta pública para avaliar a possibilidade, entre outras mudanças, de a prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) não ser mais realizada aos sábados. A consulta ficará disponível somente até amanhã.

A comunidade judaica tem pleiteado há alguns anos esta modificação, e a oportunidade não pode ser desperdiçada. Vote, para impedir que o Enem continue sendo realizado no sábado!

Primeiramente, o MEC quer saber se as provas podem ser realizadas em apenas um dia, e qual. Mas no caso de permanecerem os dois dias do formato atual, o Ministério deseja saber quais seriam os ideais: no domingo e na segunda-feira; em dois domingos seguidos; ou continuaria mesmo no sábado e domingo.

Algumas religiões, como a judaica e a adventista, guardam os sábados, e uma mudança nas datas atuais – realizando-se apenas em um domingo ou em dois domingos – atenderia importante demanda destas comunidades.

Fonte: Conib…

Temos que ser flexíveis as culturas que tem como principal dia de sobrevivência cultural, o sábado…
Hur Lé Kulam ! Luz A Todos!
E Um Desejo de $havua Tov Lé Kulam – Boa Semana a todos!

Obrigado pela leitura!

Pesquisa, tradução & edição: Vital Ben Waisermman, : )

Comente aqui


Os Judeus Na França, Por Paul Cabannes !!! $$$$$$$

Paul Cabannes, é Parisiense e uma jovem promessa no Mundo da Moda e vem nos contar como é a sua situação e sua contribuição cultural dos Judeus na França Entrevista especial!Esse simpático Franco!!! Tem muitas habilidades como experiência na Imprensa, Conhecimento em Vinhos, Cantor e Modelo.

Obrigado pela Leitura!

Pesquisa, tradução & edição: Vital Ben Waisermman,

$halom – Paz !!!

Aguardem!!!!

2 Comentários


Aula de Hebraico! $halom!$$$$$$$

Erev Tov! Boa tarde!

Conforme foi prometido, eis aqui a aula introdutória de Hebraico ( Ivrit ) Mazal Tov! Parabéns!

Os Dias Da Semana!!!

Domingo-Iom Rishôn
Segunda Feira-Iom Shení
Terça Feira-Iom Shlishí
Quarta Feira-Iom Revií
Quinta Feira-Iom Chamishí
Sexta Feira-Iom Shishí
Sábado-Shabát!

Meses!!!

Janeiro-(Be)ianuár
fevereiro-Fébuar
Março-Merts
Abril-April
Maio-Mai
Junho-Iúni
Julho-Iúli
Agosto-Ogúst
Setrembro-Septémber
OutubroOctóber
Novembro-Novémber
Dezembro-Detsémber

Obra de Nira Trumper
Manual de Conversação em Hebraico…

Obrigado pela leitura!!

Pesquisa, tradução & edição: Vital Ben Waisermman, $halom!!! 🙂

Comente aqui


Vamos aprender hebraico??? $halom $$$$$$$

Hebraico é a língua nacional do povo judeu. No entanto, no primeiro século dC, que em grande parte saiu de uso diário. Eliezer Ben-Yehuda reviveu hebraico como língua, garantindo assim o seu papel fundamental na Israel moderna.Eliezer Ben Yehuda (1858-1922) nasceu Eliezer Perelman em uma família judaica hassídica em Luzhky, Lituânia. Na época Europeu Maskilim (seguidores do Iluminismo Judaico) revivendo hebraico como língua literária. Abraham Mapu escreveu o romance primeiro hebreu, em 1853, o jornal hebreu apareceu pela primeira vez na Prússia em 1856.Falado em hebraico era, utilizado apenas ocasionalmente como uma língua franca entre judeus de diferentes origens. Em 1879, Ben-Yehuda escreveu um poderoso artigo na revista Ha-Shahar. Esta foi a primeira vez que alguém ligado a revitalização de um hebreu vernáculo para a criação de um centro judaico espiritual em Israel.Ben-Yehuda defendeu a pronúncia sefardita sobre acentos ashkenazís e iemenita. Ele relutantemente aceitou a forma (texto da lei oral) Mishnaic de gramática, mais de uma forma bíblica.Um purista linguística, Ben-Yehuda insistiu que o hebraico moderno deve criar novas palavras (neologismos) com base em hebraico antigo, aramaico e, se necessário, o árabe. Em outras palavras, ele sugeriu que ele deve ficar com uma estrutura estritamente semita.Ben Yehuda interrompeu seus estudos de medicina em Paris, casou com Deborah Jonas (d.1891), no Cairo, e em 1881 chegou em Jaffa, que foi, em seguida, na Palestina otomana. Eliezer, então, ensinou e escreveu, em Jerusalém. Ele exigiu que Deborah falase com ele apenas em hebraico. Seu filho, Ben Zion (mais tarde conhecido por seu pseudônimo, Itamar Ben-Avi), tornou-se o primeiro filho de todos os de língua hebraica moderna. Mesmo o cão tinha que obedecer a suas ordens em hebraico!Em 1884, Ben-Yehuda fundou um jornal semanal chamado Ha-Zevi. Cinco anos depois, ele começou a compilar seu Dicionário Completo de Hebraico Antigo e Moderno. Trabalhar parado por um ano em 1894, enquanto ele definhava na prisão por falsas acusações de traição. O primeiro volume da obra apareceu em 1908, no entanto, o trabalho completo só foi concluída em 1958.Batalha Ben-Yehuda de ter aceito hebraico como a língua do povo judeu suscitou grande oposição. Theodor Herzl sentiu que o hebraico era inviável e preferenciais alemão. Outros sionistas defendeu iídiche. Os judeus ortodoxos definirão que o hebraico era lashon kodesh (uma linguagem de santo) e rejeitou o seu uso na sociedade secular (muitos extremistas ainda aderem a este ponto de vista). Decisão da Palestina turcos, temido impacto político hebraica. Ben-Yehuda e seus aliados uma grande vitória em 1913, quando o Technion de Haifa (universidade) aceitou o hebraico como língua de instrução.Ben-Yehuda morreu em 1922. Nesse mesmo ano, a autoridade Mandato Britânico (um escritório do poder colonial), declarado o hebraico uma das três línguas oficiais da Palestina ao lado de Inglês e Árabe.Ben-Yehuda também fundou um idioma hebraico comitê, chamado Va’ad Ha-lashon. Em 1953, tornou-se uma academia de pleno direito para padronizar a terminologia e a ortografia. Sua segunda esposa, Hemda, fundou a editora Ben-Yehuda.Theodor Herzl queria judeus para criar um estado normal na Palestina. No entanto, ele fez imaginar um Estado de Israel, onde as pessoas discutem, quadra e até sonham em hebraico? O renascimento do hebraico pode ser feito mais excepcional em Israel.

Aguardem ! Amanhã Excelentes Aulas de Hebraico ( Ivrit ), com a supervisão de Yossef Ben Nun, Doutorado em Hebraico e Eber Torres Molina, Presidente da Comunidade Judaica de Maringá.

Obrigado pela leitura!

Pesquisa, tradução & Edição: Vital Ben Waisermman, $halom Le Kulam – Paz A Todos!

Erev Tov! Le Kulam! Boa tarde a Todos!!!

$halom Chaverim – Paz Meus amigos !!! : )

Comente aqui


Eretz Ysrael ! Uma Pátria em cores ….$halom $$$$$$$

Em 1948, o então primeiro-ministro David Ben-Gurion prometeu que o recém-criado Estado de Israel faria o deserto florescer. Quem viaja pelo país atualmente percebe rapidamente que a promessa foi cumprida. De norte a sul do território israelense crescem as mais variadas espécies de flores colorindo a paisagem. Em campos abertos ou em estufas equipadas com avançadas tecnologias são produzidas toneladas de flores que transformaram o Estado Judeu no segundo maior exportador para a União Europeia, ficando atrás apenas da Holanda, há décadas o maior produtor mundial e sede dos maiores e mais importantes leilões do setor. No final da década de 1970, Israel foi o primeiro país estrangeiro a participar dos leilões e feiras da Holanda, dos quais, até então, tomavam parte apenas produtores holandeses.

A média anual de 300 dias ensolarados e temperaturas relativamente quentes no inverno, principalmente no Deserto do Neguev, são condições ideais para o cultivo de flores no verão e, também, para o seu crescimento natural ao longo do ano. Este quadro favorável aliado à tecnologia de ponta tem garantido o crescimento da indústria de flores cortadas de Israel. Pesquisas recentes indicam que 90% das peônias, anêmonas, íris e ciclamens, entre outras espécies, chegam anualmente ao mercado internacional.

Atualmente, a exportação israelense de flores – in natura ou em sementes e bulbos, plantas e materiais de propagação – soma cerca de US$ 200 milhões anuais; em 2000, este número chegava a US$ 50 milhões. Israel é considerado líder mundial na produção de plantas e flores cultivadas em clima quente e seco e um dos principais exportadores de produtos e equipamentos agrícolas de alta tecnologia para a União Europeia. As vendas externas israelenses em agricultura respondem por mais de 2% do Produto Interno Bruto e, deste total, 30% são principalmente de produtos in natura.

Nem a queda do índice anual de chuva, a aridez do solo ou as constantes reduções no volume de água destinado à agricultura têm sido capazes de enfraquecer a cada vez mais forte indústria das flores de Israel. Aliás, a maior parte da produção de flores está concentrada no sul do país, ou seja, na região mais árida, que registra apenas 25 mm de chuva por ano.

Em sua jornada para se consolidar como um dos grandes produtores de flores para a Europa, o país tem investido continuamente na pesquisa para o desenvolvimento de novas espécies capazes de se adaptar às condições ambientais da região, ou seja, plantas que necessitem cada vez menos água para sobreviver e aptas a crescer em meio às pedras, ao asfalto (consequência da urbanização crescente) e aos espinhos. O Centro Volcani para Pesquisa Agrícola e o Centro para Floricultura em Regiões Áridas, órgãos do Ministério da Agricultura, são os dois principais institutos que atuam nessa área, com diferentes departamentos. Paralelamente a esse trabalho, as universidades israelenses também mantêm unidades de pesquisa.

A botânica Sima Kagan, do Centro Volcani, tem dedicado seus últimos 20 anos de carreira a encontrar soluções para esse desafio. Ela viaja o mundo em busca de plantas ornamentais que consigam se aclimatar às duras condições do meio ambiente israelense, sobrevivendo ao verão e à seca. Um dos resultados do esforço concentrado dos cientistas é a variedade das plantas ornamentais hoje distribuídas no país e enviadas ao exterior com o selo “Made in Israel”.

Anêmonas (em hebraico, kalanit), ciclamens (rakefet), narcisos (narkis), tremoço (tourmus) e outras flores silvestres nativas, como a íris, enfeitam jardins e parques da maioria das cidades israelenses. Mas nem sempre foi assim e muitas espécies estiveram ameaçadas de extinção. No entanto, a legislação clara e programas educacionais implantados nos últimos 50 anos garantem que a primavera se transforme em uma explosão de cores mesmo nas regiões mais áridas do território nacional.

Amir Cohen faz parte da terceira geração de produtores de flores do país. Suas gérberas coloridas são vendidas por toda a Europa, tendo conquistado fama por seu padrão de alta qualidade e beleza. Em suas estufas, na cidade de Kfar Yedidia, crescem dezenas de milhares de flores por ano destinadas tanto ao mercado interno quanto ao externo. Segundo Amir, as cores das flores variam muito de acordo com a época do ano. Enquanto que nos feriados cristãos a procura maior é por plantas brancas e vermelhas, no inverno a demanda é por flores de cor laranja. No verão, rosa e amarelo estão na liderança.

A apenas 15 minutos de Beit Shemesh, no pequeno moshav Sdot Micha, milhares de rosas púrpura e amarelo e anêmonas vermelhas são cultivadas em fileiras mantidas constantemente limpas e úmidas pelo proprietário do campo, Beni Sharoni. Diariamente, centenas de embalagens cartonadas são transportadas do local refrigerado de empacotamento para o aeroporto, rumo à Europa. Uma das vantagens do cultivo das anêmonas é o fato de não precisarem de controle de temperatura no inverno, permitindo a colheita diária. O sistema de produção, colheita, embalagem e distribuição é tão eficiente e exato que os pedidos chegam em dois dias ao seu destino no exterior.

Um arco-íris de flores

Seja no verão, no inverno, na primavera ou no outono, é sempre tempo de se admirar as flores em Israel, seja em estufas ou em campos abertos. A melhor época, no entanto, é entre meados de fevereiro e final de março, quando as flores silvestres surgem em todo o seu esplendor. Nesta época costuma ser realizado o Scarlet South Festival, na região nordeste do Deserto do Neguev, quando são organizados passeios gratuitos em meio a tapetes vermelhos de anêmonas na Área de Recreação Reím e na Floresta Ruhama. Em março, também, é possível se apreciar o auge da florada das anêmonas e dos botões de ouro no chamado Campo das Anêmonas em Kfar Yarok. Estas também florescem ao norte e ao sul da estrada que leva a Beit Shmesh, mas estão concentradas principalmente na região de Givat Haturmasim, ao lado de tremoços vermelhos.

Amendoeiras e ciclamens também são abundantes de fevereiro a março na reserva de Sataf, uma área preservada a leste do Monte Eitan, nas proximidades da área ocidental de Jerusalém. Os ciclamens, cujas cores variam do branco ao rosa escuro, são também chamados de Fogo de Salomão, pois parecem chamas que saltam das pedras e das sombras. Ao norte de Tel Aviv está o Vale dos Narcisos, ou Emek HaNarkisim, no cruzamento de Glilot. Ali, também, há muitos campos de margaridas silvestres.

Na Reserva Natural Carmel, nas proximidades da Universidade de Haifa, os tremoços e as íris formam verdadeiros tapetes que se estendem por toda a região. Ali, também, pode-se presenciar mais um pequeno milagre da natureza: o crescimento de uma variedade singular de grandes tulipas cujas pétalas lembram as listras amarelas e marrons dos tigres. No Vale de Beit Shean, no alto do Monte Gilboa, está o habitat natural da espécie de íris que leva o nome da montanha. É, ainda, a flor escolhida para ser o símbolo da Sociedade de Proteção da Natureza de Israel.

A melhor época para vê-las em todo o seu apogeu são os meses de março e abril. Há mais de 260 espécies de íris em todo o mundo sendo que muitas crescem naturalmente em território israelense e algumas apenas ali. A íris é considerada uma das flores silvestres mais bonitas de Israel e cresce nas montanhas da Judeia e também nas Colinas do Golã. A exótica íris marrom escura do Neguev floresce em uma área do KKL próxima a Beersheva.

Os produtores israelenses enfrentam atualmente um duplo desafio: encontrar novas variedades e produtos que atendam à demanda do mercado, estando sempre um passo à frente de seus concorrentes, e, ao mesmo tempo, usar cada vez menos recursos hídricos sem diminuir o padrão de seus produtos. Ainda assim, apesar das dificuldades, as flores ainda representam um dos maiores itens na pauta de exportação de Israel e um ótimo negócio para o setor agrícola.

Fortes conexões

Diversas plantas nativas encontradas no moderno Estado de Israel estão mencionadas em vários textos bíblicos, comprovando a estreita ligação entre o Povo Judeu e a terra de seus ancestrais, há milênios de anos. Há aproximadamente cem plantas mencionadas na Torá e cerca de 400 na Mishná e no Talmud, citadas em diferentes contextos. Algumas fazem parte de narrativas referentes aos rituais realizados no Templo; outras em situações do cotidiano e outras, ainda, pelo seu uso medicinal.

As chamadas sete espécies bíblicas – trigo, cevada, uva, figo, olivas, romãs e tâmaras – são mencionadas em Deuteronômio 8:8 e ainda crescem em amplas áreas da paisagem israelense e desempenham um papel especial na tradição judaica. “Uma terra de trigo e cevada, e vinhas, e figueiras e romã; uma terra de azeite de oliva, e mel ”, assim é definida a Terra Prometida aos judeus. Na Antiguidade, estes alimentos eram elementos básicos da dieta da população e apenas as primícias das sete espécies podiam ser utilizadas como oferenda ao Templo.

O trigo hoje semeado em todo o mundo tem origem no trigo silvestre da Terra de Israel ou dos países próximos. Atualmente, no moderno Estado Judeu, é plantado principalmente na região norte do Deserto do Neguev e colhido em Shavuot. No passado, a farinha de trigo era consumida principalmente pelos ricos.

Nos tempos bíblicos, segundo o Livro de Reis 2, 7:1, a cevada era usada como forragem e custava a metade do preço do trigo. Os mais pobres a consumiam como mingau e para fazer bolos. Menos popular que o trigo, não crescia com facilidade nos campos, era áspera e mais difícil de mastigar e digerir. Em Ruth 1, conta-se que a forragem teria chegado a Belém (Bethlehem) no início da colheita da cevada.

“O vinho alegra o coração do homem”, diz o Salmo 104: 14. As videiras são a primeira planta mencionada na Torá na história de Noah (Gênese 9:20). Já o texto em Números 13: 23 descreve como os espiões enviados por Moshé retornaram com um cacho de uvas tão grande que foram necessários dois homens para carregá-lo. O vinho é um elemento importante dos rituais judaicos no Shabat e nas festas.

O figo aparece pela primeira vez na Torá nos primeiros capítulos do Gênese, quando Adão e Eva cobrem sua nudez com folhas de figueira. Na Antiguidade, eram plantadas em jardins ao longo do país e seus frutos eram considerados nutrientes baratos. O queijo poderia ser talhado acrescentando-se suco de figo. Segundo citação em Isaías 38:21, o figo possui qualidades medicinais sendo, no passado, usado como cataplasma.

A romã também foi trazida pelos espiões para mostrar a fertilidade da Terra de Israel. A romã possui 613 grãos, número que corresponde às 613 mitzvot mencionadas na Torá. As romãs são, também, um elemento muito presente nas obras de artistas judeus e seu suco é usado na produção de corantes vermelhos.

A oliveira é uma das mais antigas e mais valiosas árvores do Oriente Médio, tanto pela sua fruta quanto pelo óleo e madeira. O azeite de oliva era utilizado para o acendimento da Menorá no Templo, além de ser um componente importante da dieta alimentar dos antigos israelitas, que já conheciam suas qualidades cosméticas. O ramo de oliveira é, até os dias de hoje, símbolo da paz inspirado no episódio do dilúvio, quando a pomba levou a Noah uma folha de oliveira para mostrar que havia terra nas proximidades da arca (Gênese 8:11). Alguns estudiosos acreditam que as oliveiras podem viver por mais de mil anos e, ainda, produzir frutos. Em Israel, é proibido cortá-las.

As tâmaras, mais especificamente o mel feito a partir delas, são mencionadas em fontes antigas. Nos tempos bíblicos e ainda hoje, Jericó é conhecida como Cidade das Palmeiras, pelas grandes tamareiras que ali crescem.

Fonte: Revista Morashá

Obrigado pela leitura!

Pesquisa, tradução & edição: Vital Ben Waisermman.

$havua Tov Lé Kulam! Boa semana a todos! : )

Comente aqui


Escravidão Mental! Shavua Tov! Boa semana! $$$$$$$

A escravidão Mental ainda, continua na mante não só de Judeus mas, também em todos os povos seja, eles Ocidentais Ou Orientais e do Oriente Médio.

Pensamos assim, quando não sabemos viver ou fazer uso de nosso De$$er ( Sonho ) do Hebraico e também dinheiro ficamos escravos dele.

Um caso verídico que um homem, era tão apegado ao materialismo que ao comprar um Fusca ainda na década de 1950, auge na época em poucos momentos se aproveitava deste bem no sue lazer ou para fins de dua família e amigos!
Um outro fato importante que esse mesmo senhor, não deixava que ninguém lavasse sua veste e se alimentava das mãos de ninguém. Ele, fazia seu próprio alimento Um Alto grau de desconfiança e insegurança !
Pois bem, ao este senhor falecer, e seus filhos fazer o espolio ou partilha de seus bens. Fora encontrado caixas e caixas de dinheiro. O pior de tudo isso, e que essas cédulas já, não tinham nenhum valor comercial.
Vindo a loucura e desespero de seus descendentes.
Este homem, não teve um equilíbrio durante sua existência
Já, em outros casos vemos um desperdício de dinheiro do De$$er o Sonho e o dinheiro.
Essa matéria e uma alusão e exemplo dos hebreu que saíram do Egito. E, ainda vive uma escravidão mental.
Ele foi escravo do seu dinheiro e da sua desconfiança!
Portanto, lhe faltou Fé no Eterno e isso era como os Judeus, na época que vagavam pelo Deserto e colhiam mais porções de ( Manah que era preciso para um dia!
E Acabava apodrecendo. E na véspera de $habat, não colhiam e acabavam ficando sem seu Manah, e e também com fome!
Essa, é uma lição para termos mais Fé No Eterno nao ser avarento não ser descuidado com as finanças…

Obrigado pela Leitura!

Shavua Tov Lé Kulam! Boa Semana A todos!

Pesquisa, tradução e edição: Vital Ben Waisermman!

$halom – Paz !!!

2 Comentários


Porque os Judeu$ São Pro$pero$ ??? $$$$$$$

Erev Tov! Boa tarde!
Devido, a infeliz e péssima e despreparo de a maioria dos governantes do Brasil, sempre estamos acostumados e enfrentar crises econômicas!
Mas, ao invés de a palavra Cri$e porque não tira o $ e (CRIE ), novas oportunidades? Os Ocidentais tem o péssimo hábito de amaldiçoar as coisas!

Amaldiçoam seu trabalho, sua casa, seus estudos, os pais, avos e principalmente nosso De$$er – o Dinheiro!
Em Hebraico significa Dinheiro! Ou Desejo! Se amaldiçoarmos o nosso Desejo o que seremo$ ?
Portanto, o mais simples e razoável místico exotérico e homem entendido diz que: ” As palavras tem PODER “.

Pois, caro leitor e estudante do Yahadút-Judaísmo! Mude sua frequência e abençoe as coisas a sua volta!
A Começar Por Deus, Nosso Pai, Nosso Único Rey, Nossa familia e antepassados e Nosso Desejo!!! De$$er $$$ Dinheiro!
Hum Aprenda economizar! Guardando de 20% a 25%, dos seus ganhos mensais! Para ficar tranquilho nas entre-safras da nossa vida economia! Bom recomeço na vida , nos projetos e nas Suas Futura$$$ Finança$$$!!!!

B’ H.

Chikukin Lé Kulam! Abraço A Todos!

Obrigado pela leitura!!!

Pesquisa, tradução & edição: Vital Ben Waisermman, Kabbalah $habbat !

Comente aqui