Impostos sobre presentes aos pais

Dentre os produtos cogitados para presentear os pais nesse ano, os perfumes são os itens que mais possuem a maior carga tributária. O percentual mais elevado é o do perfume importado, com 78,99%; já o produto nacional tem 69,13% do seu valor destinado aos governos federal, estaduais e municipais. Os dados estão no levantamento realizado pelo Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação – IBPT.

Alguns dos presentes escolhidos pelos filhos nesta data são as peças de vestuário, como a calça jeans, que possui encargo de 38,53% e a calça de tecido, que têm 34,67%. Ao lado desses itens, estão outros acessórios com alto percentual de tributos como camisas, também com 34,67%; gravatas, com 35,48%; sapatos, com 36,17%; e relógios, com 53,14% de tributos. Mais aqui

Produto Carga tributária
Perfume Importado 78,99%
Perfume nacional 69,13%
Aparelho MP3 ou iPOD 49,45%
Bola de futebol 46,49%
Calça (tecido) 34,67%
Calça Jeans 38,53%
Câmera fotográfica 44,75%
Camisa 34,67%
Gravata 35,48%
Óculos de sol 44,18%
Relógio 53,14%
Sapatos 36,17%
Teatro e cinema 30,25%
Telefone celular 33,08%
Água de colônia (nacional) 50,38%
Almoço em restaurante 32,31%

Fonte: Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação – IBPT

Geral
Comente aqui

Geração de empregos

pedreiro

Os números divulgados esta semana pelo Ministério do Trabalho por meio do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), mostram que Maringá, mesmo com o impacto da crise, é a segunda cidade no Estado em geração de empregos este ano, totalizando 1.739 vagas abertas com carteira assinada entre janeiro e junho de 2015.

O setor que mais gerou vagas foi o de serviços, seguido da construção civil e setor agropecuário.

A área que mais perdeu vagas este ano foi a de comércio.

Londrina ficou na primeira posição, com a criação de 2.014 empregos. Curitiba e Ponta Grossa, por exemplo, fecharam o semestre com saldo negativo: a capital paranaense tem o saldo de -5.954 e Ponta Grossa, -190.

Geral
Comente aqui

Dilma decide reagir

Ela já andou de bicicleta, saudou a mandioca e inventou a “mulher sapiens”. Nada disso, porém, deu resultado nem serviu para tirar sua popularidade do precipício.

Agora, em mais uma tentativa de enfrentar a crise política, a presidente Dilma Rousseff vai tentar mudar a estratégia de comunicação, investir em conversas pela internet e “humanizar” sua imagem.  As informações são da Agência Estado.

Além de aparecer mais em programas de TV, Dilma prepara uma ofensiva virtual, a menos de um mês dos protestos previstos para 16 de agosto contra seu governo. Na próxima semana, a Secretaria Geral da Presidência lançará o site “Dialoga Brasil”, uma plataforma que, mais adiante, terá até mesmo um aplicativo para celular. A meta é medir a temperatura da administração e planejar reações com antecedência.

No auge do distanciamento com os eleitores de todas as classes, acuada pela crise, com uma Operação Lava Jato batendo à porta do Planalto e problemas na economia, Dilma recorrerá a um novo canal para divulgar as iniciativas de sua gestão e, ao mesmo, saber o que a sociedade pensa sobre elas.

Setenta e três programas de governo, como Bolsa Família, Mais Médicos e Minha Casa, Minha Vida, serão submetidos ao crivo da população. Na primeira leva, quatro temas entrarão em debate: saúde, educação, segurança pública e combate à pobreza. O site terá ferramentas populares nas redes sociais, como “curtir” e “compartilhar”.

Dilma já gravou o programa de TV.

16

Geral
19 Comentários

Rede Massa na vice-liderança

A TV Tibagi, emissora da Rede Massa | SBT em Maringá e região, de propriedade do apresentador Ratinho  comemora os resultados da pesquisa de audiência no primeiro semestre de 2015.

De acordo com o Ibope todos os programas foram vice-líderes, tanto na programação local como na nacional. Só perde para a RPC TV (Globo).

O jornalístico Tribuna da Massa cravou 22% de share contra 10,6% da terceira colocada e 6% da quarta, segundo informações da Massa.

Geral
3 Comentários

Cachorro correndo atrás do rabo

Renan Calheiros fez um depoimento, em vídeo, atacando o ajuste fiscal do governo. Segundo Renan, as medidas são insuficientes e tacanhas. “Esse ajuste sem crescimento econômico é cachorro correndo atrás do rabo”, disse.

Ao falar de Eduardo Cunha, afirmou: “Acho que a atuação, sua independência, colaborou muito para este momento do Congresso”.

Renan Calheiros prometeu uma ”agenda muito pesada” para o segundo semestre.

 

Geral
1 Comentário