Ética na construção civil

Oi gente, tudo bom? O post de hoje é dedicado a todos os colegas de profissão e da área da construção civil, que assim como eu estão indignados com diversos anúncios que estamos vendo por ai de projetos com preços beeeem abaixo do valor de mercado, e que acabam por desvalorizar nossa profissão.

Recentemente recebi uma mensagem com uma imagem onde uma pessoa anunciava no Facebook que fazia projetos a  R$6,90, preço beeeeem abaixo do valor que o CAU recomenda. Nosso conselho diz que o valor deve variar dentre R$30,00 e R$60.00 reais.

Segundo o artigo 4.3.1. O arquiteto e urbanista deve apresentar propostas de custos de serviços de
acordo com as tabelas indicativas de honorários aprovadas pelo CAU/BR, conforme o inciso
XIV do art. 28 da Lei n° 12.378, de 2010.

Há também um Código de Ética da Construção Civil, que diz:

Art. 16 Zelar pela consolidação e pelo desenvolvimento ético da atividade construtiva, todas as fases.

Art. 17 Zelar pela imagem do setor perante a sociedade.

Art. 18 Ser solidário com os movimentos de defesa da dignidade da profissão, seja por remuneração condigna, seja por condições de trabalho compatíveis com a ética profissional.

Art. 19 Ter para com seus colegas respeito consideração e solidariedade, sem todavia eximir-se de denunciar, fundamentalmente, a comissão de ética, atos que contrariem os presentes postulados.

Acredito que o “profissional” que anuncia essas promoções não possua ética nem respeito pela profissão que escolheu, nem com seus clientes, pois vocês acreditam mesmo que ele faz cada projeto?  Sua casa dos sonhos será igual a diversas outras e o “precinho” que você pagou hoje pode trazer diversos problemas depois e você nem vai pode reclamar.

Esses são os valores para quem tem dúvida e pretende contratar um profissional, peço que sejamos sempre justos e éticos e assim valorizar o trabalho de qualquer profissional, independente se sua área de atuação.

Desculpa pelo desabafo.

Boa semana a todos.
Beijos da Fabi!

5 comentários sobre “Ética na construção civil

  1. Vander 20 de fevereiro de 2017 21:12

    É isso aí Fabi…inaceitável ver alguns “profissionais” desrespeitando um princípio básico, tanto com os clientes quanto com os colegas…
    E pior, um conselho que não intervém e nem se importa com os seus….

  2. Renata 20 de fevereiro de 2017 22:21

    Esta mesma pessoa postou em um grupo de maringa um b.o. De queixa crime. E ela disse que irá entrar com danos morais. Isso procede? Eu vê a imagem lá tem o nome de inúmeras pessoas. Isto está certo?

  3. Renato 21 de fevereiro de 2017 08:02

    Faço projetos para instituições internacionais. Projeto executivo (Arquitetonico + Estrutural + Hidráulico Sanitário + Incêndio + Elétrico + Redes) = 2%; e o arquiteto que pega para fazer quer repassar só 0,5% para os Engenheiros fazerem os complementares…. Virou uma disputa selvagem pela sobrevivência… É a Lei do Mercado: muitos profissionais e pouco serviço…

  4. Mariah 22 de fevereiro de 2017 09:04

    EU COMO CONSUMIDORA VOU DIZER O QUE PENSO- Acho muito bom ter ética em tudo, porem acho salutar também existir preços diferenciados dando ao consumidor o direito da livre procura e oferta, em todo segmento é assim, sou da área da saúde e vejo isso todos os dias, pessoas a procura de preço e qualidade, esse é um fato, e ao meu ver acho errado existir uma tabela e ninguém poder sair dela, desculpe-me a franqueza mas acho isso ruim,isso já acontece com os postos de combustível,não temos para onde correr.Profissionais de veterinária também tem um código quer acho o fim da picada, onde diz que um veterinário não pode oferecer seu serviço gratuitamente, ISSO É O PIOR ABSURDO QUE JÁ VI, acho até crueldade, recentemente o conselho de veterinária entrou contra um profissional que tirava UM DIA da semana para atender gratuitamente animais de famílias baixa renda, acho que ética é bom, mas tudo tem que ter dosagem também.Então minha querida,se essa pessoa é realmente arquiteto pode estar em crise financeira, ou talvez nem seja arquiteto e sim projetista, o que é bem capaz de ser, um profissional sem nenhuma formação acadêmica,tenho dois parentes que fizeram o projeto das casas com uma moça que não tem formação acadêmica, ela só projeta e um engenheiro que ela indicou assinou, realmente a um custo bem parecido com esse que você relatou.

    • fabiana-mussi 24 de fevereiro de 2017 10:49

      Bom dia.
      Acredito que você não entendeu o que eu quis dizer…
      Quando o CAU coloca um preço base, coloca considerando todo o trabalho que um profissional de arquitetura terá… Que não é apenas “assinar” um projeto.
      E sim pensar realmente nele, trabalhar em cima dele pensando em quem usufruirá daquele local, fazer levantamento, ir em inúmeras reuniões, refazer o projeto muitas vezes, ir novamente em reunião, discutir melhores soluções, compatibilizar projetos, fazer projeto executivo etc.
      Isso demanda MUITO tempo. Por isso o preço é mais alto. E por isso acho anti ético cobrar um preço tão abaixo. A não serr que o profissional não faça todas essas etapas, o que provavelmente não acontecerá com este valor, porque neste valor quem fará a maior parte dessas etapas será o próprio cliente, porque não paga nem os custos básicos do profissional.
      Sobre o Veterinário, não conheço as leis e o piso salarial desta profissão, mas sei que em toda profissão você tem liberdade de fazer trabalhos voluntários.
      Obrigada pelo comentário.
      Tenha um ótimo final de semana.

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.