Quando se vai a fundo, nem sempre o que se vê é bonito

A revista Veja lançou uma propaganda excelente sobre a importância de investigações profundas.  A mesma ideia serve para uma psicoterapia. Compreender nossas razoes, emoções e fantasias inconscientes é um trabalho profundo e nem sempre belo. É encontrar o que ha de mais doloroso e também narcísico, e por isso mesquinho, em nós. Talvez por isso se tenha preconceito com o cuidar da saúde mental, não pelo preceito de ser “coisa de louco” e sim pelo que se teme desvendar…

Um comentário sobre “Quando se vai a fundo, nem sempre o que se vê é bonito

  1. Ângela 12 de junho de 2017 17:56

    O problema, para mim, hoje, não é tanto o medo do feio que pode se manifestar, mas sim, o que fazer com isso? Como mudar? Sinto a paralisia…a inércia!!

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.