MP permitirá recadastrar armas

Medida provisória deve definir um prazo delimitado para os cidadãos que tiverem armas de fogo com cadastro vencido possam ser recadastradas, desde que não tenham sido usadas para cometer crimes

A assessoria do ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, informou que a medida provisória (MP) do recadastramento de armas de fogo será editada até o final deste mês. A iniciativa ocorre logo depois de o presidente Jair Bolsonaro (foto) assinar o decreto que regulamenta a posse de armas no Brasil, no dia de ontem.

“A questão do recadastramento, que será tratada futuramente, talvez por medida provisória, nós vamos solucionar. Sabemos que a Polícia Federal teria sérias dificuldades para absorver a demanda. Estamos sugerindo ao senhor ministro da Justiça [Sergio Moro], a possibilidade de firmar convênios com a Polícia Militar e a Polícia Civil”, disse o presidente. (Agência Brasil)

******************

Cafuné em bandido
Se não quiser ter uma arma ao fazer cafuné em bandido, o problema é seu. Mas não encha o saco de quem tem o direito de se defender.

Isentões
Nas redes sociais, petistas “isentos” criticam novo governo. Enquanto Lula et caterva roubavam o país, falavam nadinha, seus trouxas!

Síndrome
Todo sujeito que fala mal do governo e Moro sofre da síndrome do c* assustado!

Contas
Defendo a reforma da previdência porque sei fazer contas. Vai quebrar se não for reformada. Só isso.

Isso não existe mais
A pensão para filhas solteiras de militares não existe desde o ano 2000. As que restaram neste sistema foi porque a Justiça decidiu que elas têm direito adquirido.

Vibrante
O jornalismo do Paraná fica mais vibrante quando entrevista técnico do Simepar para saber como vai ficar o tempo.

Pichadores
Dois vereadores de Curitiba que, somados, não valem meio, apresentaram “projeto” que acaba com multa a pichadores. PQP!

Praia
O prefeito Vardomiro diz ao repórter: “Curitiba não tem praia”… De imediato, um vereador puxa-saco emenda: “mas estamos providenciando um projeto para que tenha a melhor do mundo!”

A doida me liga
Uma doida me liga no celular e me dá um esporro logo de cara. Diz que sou isso e aquilo e muito mais. Detona pra valer. “Olha aqui Júlio, vou terminar com você…”. Tento interromper a prosa e digo: Minha senhora…. E ela, irada: “Senhora é tua avó… Lazarento!”. Não aguento os desaforos e descasco todos os palavrões que sei… Desligou! Olhei para o celular e vi que a ligação era de Foz do Iguaçu. Disso tudo só tenho uma coisa a dizer, o tal de Júlio está fodido!

Umbigo
Dificilmente performance é arte, geralmente é doentia paixão pelo próprio umbigo apenas.

O autêntico petista
Foi voluntário na Copa. Ajudou na vaquinha do Genoino. Acha que Lula é a alma mais honesta do mundo. Vai casar neste sábado com uma mariposa de zona que jura que é virgem. Tem gente que merece!

Enxurros
Chuva limp’alma
Lava e leva
Em suas águas
Nossas dores e pecados
Em enxurros, enxurradas.

 

Patientia, fratres!

1 Comentário


Defasagem do IR é de 95% e prejudica mais pobres

A defasagem na tabela do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF) chega a 95,46%, divulgou nesta segunda-feira (14) o Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal (Sindifisco Nacional). O levantamento foi feito com base na diferença entre a inflação oficial pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) acumulada de 1996 a 2018 e as correções da tabela no mesmo período.

De acordo com a entidade, caso a tabela tivesse sido integralmente corrigida, os contribuintes que ganham até R$ 3.689,93 seriam isentos de Imposto de Renda. Atualmente, a isenção vigora para quem recebe até R$ 1.903,98 por mês.

Segundo o Sindifisco, o atraso na correção da tabela leva a um efeito cascata que não apenas aumenta o imposto descontado na fonte como diminui as deduções. De acordo com o levantamento, a dedução por dependente, hoje em R$ 189,59 por mês (R$ 2.275,08 por ano), corresponderia a R$ 370,58 por mês (R$ 4.446,96 por ano) caso a tabela tivesse sido integralmente corrigida. O teto das deduções com educação, de R$ 3.739,57 em 2018, chegaria a R$ 6.961,40 sem a defasagem na tabela.

Desde 2015, a tabela do Imposto de Renda não sofre alterações. De 1996 a 2014, a tabela foi corrigida em 109,63%. O IPCA acumulado, no entanto, está em 309,74%. De acordo com o Sindifisco Nacional, a falta de correção na tabela prejudica principalmente os contribuintes de menor renda, que estariam na faixa de isenção, mas são tributados em 7,5% por causa da defasagem. (Agência Brasil)

*********************************

Caipirinha
Apreensivo ao ouvir que os prédios terão áreas verdes no teto e paredes externas. Fico pensando no bêbado de madrugada, no décimo quinto andar, já escalando a parede, teimando com a mulher que tem limão na horta.

Fundo de quintal
Há certas formaturas, dessas faculdades com cursos de fundo de quintal que nos dão pena. Nosso sofrido povo é enganado e forma-se na base do “pagou-passou” e na lorota de que os professores dão aulas sérias. Máquinas de fazer dinheiro. O MEC deveria vigiar melhor essas “faculdades” nascidas na mediocridade petista.

Tapete
Essa gente que fala mansinho, cheia dos dengues e não te olha nos olhos, na realidade está procurando a ponta do tapete para te derrubar.

Esperança
“Enquanto houver marmita há esperança” – Jandiscley, filósofo, pedreiro empregado, ex-sanfoneiro de zona.

Refresco
Eita, Vardomiro, alcaide de Curitiba: IPTU no fiofó do povo é refresco!

Silêncio
Hoje o trabalho rendeu bastante, escrevi, revisei e sobrou tempo. Estranho silêncio na vila. Nem os cães latem. Há dois dias não espocam os rojões. Apreenderam a mercadoria?

Soneto adormecido
Dois passarinhos cantam na janela
E o poeta tira as palavras para dançar
Em três versos de passos curtos, um haikai
Mas quando se juntam ao dueto outros pássaros
Na sinfonia para acordar a manhã
Ele dança abraçado aos versos alexandrinos
E traz à vida velho soneto de há muito adormecido.

Comente aqui


Brasileiros, quem sois?

Brasileiros, irmãos
Não sois filhos dos fracos
De corruptos sindicatos
E não sofreis da síndrome
Do cão vadio e abandonado
Pois vos enganaram, irmãos

Brasileiros, de coração
Sois filhos dos fortes
Dos heróis que trazem no sangue
A quente coragem troiana
A honra da bravura de Peri
E desde os tempos de Vergílio
Sois cantados como filhos dos ventos
Libertas deidades em liberdade plena

Brasileiros, irmãos
Sois os que vivem nas livres terras
Imaginadas por Camões
Sois os filhos dos nautas lusos
Sois aqueles valentes
Forjados nos vaticínios da Eneida
E que voltaram ao Lácio
Para libertar todas as gentes

Brasileiros, amados irmãos
Sois no canto dos coloridos pássaros
No grito dos tamoios
Nos encantos guaranis
Os guerreiros enamorados
Por Helena e Ceci
Nas noites em que brilha o Cruzeiro
Nos dias que se fazem luta
Sob a Lua e o Sol, deuses tupis

Brasileiros
Sois troianos
Sois lusitanos
Honrados na valentia

Sois paz entre os homens
E de Deus, Jesus e Maria
A fraterna esperança
Bravo povo, que feliz se cria!

Comente aqui


O PT destruiu a Educação brasileira – temos que reconstruí-la do zero

 

São conhecidas e não vou citá-las, porque a única coisa que o MEC fez nos últimos 15 anos foi encomendar um caminhão de estatísticas para mostrar que a educação aplicada no Brasil era tão indigente como os próprios burocratas petistas empoleirados no MEC. Uma tragédia que somente é aplaudida pelos militontos do PT e puxadinhos.

A verdade é que nossos alunos “emburreceram” depois da edição da Lei das Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB-1996) e legislações derivadas, em boa parte ditadas por essas entidades petistas de doutrinadores que lambem o saco do Paulo Freire – sujeito que copiou por aqui, entre outros, sem dar o devido crédito, e mal copiado, a educadora e poeta chilena Grabriela Mistral, por exemplo, quando ela e equipe desenvolveram sério trabalho no México, ainda na primeira metade do século passado. É bom que se diga, que Mistral era realmente uma educadora a serviço da humanidade, porquanto Freire era um imitador a serviço das ideologias do atraso.

Felizmente, temos hoje um Ministério da Educação que se propõe a colocar as coisas novamente nos eixos, muito embora pouco ou nada possa fazer para modificar o crime cometido contra as recentes gerações, que se viram condenadas ao analfabetismo funcional, “malemá” conseguindo redigir um bilhete ou fazer contas elementares – o mínimo de conteúdo para se fazer cidadão.

Ou seja, o básico do básico, nossos alunos quase nada sabem de Português ou Matemática. O reflexo dessa indigência intelectual é facilmente verificada naqueles que fazem uso desses conhecimentos de forma profissional, como a nova geração de jornalistas que, amiúde, não obstante a riqueza de nossa língua pátria, a destrata e a ofende diariamente. Da matemática nem falo, pois a maioria dessa turma que está saindo dos bancos escolares não sabe fazer misera regra de três simples.

O jornalismo tem uma função didática para com o nosso povo: mostrar a norma padrão – culta – da língua portuguesa e incentivar o seu estudo. É no padrão da língua que são escritas nossas leis e o povo, de maneira geral, por não dominar esse padrão, é enganado por legisladores que abusam de nossa condescendência ignorante e por governos corruptos que se utilizaram da língua como instrumento de dominação e roubo.

Também, nossa cultura é registrada neste padrão dito culto, as escolas e o jornalismo ao apostarem na indigência intelectual, nas cartilhas chamadas de “manuais de redação”, constroem um país que se esquece de suas raízes e que macaqueia o lixo da subcultural, próprio e alheio.

Assim, recitar Fernando Pessoa, João Cabral ou ler Machado de Assis, não consistem anacronismo nem erudição desnecessária, muito pelo contrário, o brasileiro para se entender como cidadão, como herdeiro de uma história de bravos, que vem do Lácio, se instala na Península Ibérica e atravessa o Atlântico, precisa dominar toda riqueza linguística acumulada por milênios.

Definitivamente, a brasilidade não é um fenômeno que começou nas greves do ABC, com seus líderes ignaros e hoje corruptos, nossa história iniciou-se com mais brilho, como nos mostram os versos de Virgílio, continuados por Camões, quando o espírito lusitano se fez presente no mundo inteiro.

Deixemos pois, de queixas por da falta de leitores, formemos os leitores; de nos queixarmos de falta de cidadania, formemos os cidadãos e tudo isso, a começar pelo estudo de nossa bela língua portuguesa, que certamente voltará a ser ensinada com brilho e atenção, como nossos alunos merecem.

Vamos reconstruir a Educação brasileira, eis a tarefa.

******************************

Vieira
Numa longa carta a um amigo, o padre Antônio Vieira termina desculpando-se por não tê-la escrito de forma sintética por falta de tempo. Ou seja, o texto curto e bem escrito nos exige muito mais trabalho do que um texto longo.

Meditar
Meditar é nos aconselharmos com o ruidoso silêncio que nos habita.

Pobre Lula
O problema não é passar o Carnaval preso. O problema é passar o Carnaval preso e em Curitiba!

O mentiroso
O mentiroso foge ao diálogo
Porque tem medo da verdade
É o diabo em dia de chuva de água benta
É o capeta fugindo da cruz.

Sogra amada
Depois que descobriu que o Brasil é o país de maior incidência de raios no mundo, Jandisclay, filósofo e sanfoneiro de zona, está construindo uma casa na árvore para a sogra.

Sem resmungos
Não resmunga, Raimunda
Pois o que falta noutras, em ti abunda!


Deixei-te sair do meu coração
Vá, aqui estavas a contragosto
Vá, e não leves a chave
Porque hei de encontrar
Quem por ele tenha carinho e gosto.

Vermelha polaca
Cor de vina fervida
Em Curitiba, com o Sol pelando
A polaca troca de pele.

A despeito de tudo
Ama! – A despeito de tudo, ama!
Viver mesmo com as inquietudes do amor
É o que nos faz deliciosamente humanos.

Vive! – A despeito de tudo, vive!
A vida sem amor é uma fonte sem água,
Nada dela sobrevive além do rancor e mágoas.

 

 

Patientia, fratres!

1 Comentário


Batistti é preso: “justiça será feita”, diz Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro afirmou neste domingo, na conta pessoal no Twitter, que com a captura do italiano Cesare Battisti (foto), de 64 anos, “finalmente a justiça será feita”. Ele elogiou os responsáveis pela prisão, numa operação conjunta das polícias da Bolívia e da Itália, localizando e capturando Battisti nas ruas de Santa Cruz de La Sierra (Bolívia).

“Parabéns aos responsáveis pela captura do terrorista Cesare Battisti! Finalmente a justiça será feita ao assassino italiano e companheiro de ideiais de um dos governos mais corruptos que já existiram do mundo [PT].”

Battisti estava em Santa Cruz de La Sierra, uma das principais cidades da Bolívia, e foi capturado por volta das 17h deste sábado (12). Segundo relatos, ele não tentou escapar. Questionado pelos policiais, respondeu em português. O italiano usava calça azul e camiseta, óculos escuros e barba falsa.

Antes e depois de ser eleito, Bolsonaro defendeu a extradição de Battisti. Ele conversou com o embaixador da Itália no Brasil, Antonio Bernardini, que insistiu no processo de envio de Battisti para cumprir a pena de prisão perpétua em território italiano.

Condenado à prisão perpétua na Itália, Battisti foi sentenciado pelo assassinato de quatro pessoas, na década de 1970, quando integrava o grupo Proletários Armados pelo Comunismo, um braço das Brigadas Vermelhas. Ele se diz inocente. Para as autoridades brasileiras, ele é considerado terrorista. (Agência Brasil – Foto: Twitter)

***********************

O terceiro turno
A Folha e a Globo inventaram o terceiro turno das eleições contra Bolsonaro e estão perdendo de lavada.

Para cães e gatos
Vizinhos reclamando de falta de jornal impresso para gatos e cães.

Teta
“Cultura” não é mamar em teta pública. O nome disso é pilantragem.

O enfeitado
Como qualquer ditador de merda, Maduro anda mais enfeitado com autocondecorações do que cama de solteirona.

Diante do abismo há três hipóteses:
1- Despencar-se nele – uma tragédia;
2- Andar em círculos ao seu redor – uma burrice;
3- Dá-lhe as costas e voltar pelo mesmo caminho que te levou até o abismo e encontrar um ponto seguro para tudo recomeçar – revelação de inteligência.

A amigada
No interior, as pessoas não se juntavam, se amigavam. Assim, fulano era amigado com fulana e ambos queimavam na boca das mexeriqueiras, de cerca em cerca! Amigavam-se às vezes por não ter dinheiro para casar de papel passado. Os casais pobres moravam em casa de parede-meia. A expressão “amigar” é muito antiga, tem suas raízes na velha Roma. Um dia, com tempo, conto como tudo começou lá nas antiguidades!

Bruto amansado
Cabra bruto, desses de deitar boi na unha. Dizem matador, mas isso era inveja de peão, falavam por falar. Uma noite, apiedou-se da dama do lupanar. Dia depois, amigou-se com aquela morena dos olhos cheios dos escuros da noite. Há jura de que foi feitiço dos brabos. O cabra anda hoje, muito anos passados, apois, mansinho, tem até flor no jardim!

A solidão dos coitados
A aurora de Curitiba tem
Nuvens que não se sabem chuva
Uma cidade bela que geme
Na solidão dos coitados
Abandonados sobre suas frias calçadas.

Aproveita, é grátis
Há tantas coisas que são de graça neste mundo e que esquecemos que estão aí para nosso deleite e prazer. O vento numa morna manhã, a brisa do mar soprando a vida inteira, o riso ingênuo de uma criança… De resto, são futilidades artificiais que damos exagerado valor e que nos consomem as belas horas deste curto viver.

 

Patientia, fratres!

2 Comentários


Em 12 dias, Bolsonaro arma bases para avanço

Nos primeiros 12 dias do governo Bolsonaro foram firmadas as bases para o avanço para uma nova política neste país. A principal tática para isso é fazer as coisas como nunca se fez antes, sem os vícios de nossa política que se originaram na República Velha e ainda persistem.

O primeiro passo foi a escalação do time, sem as tradicionais picaretagens de troca de favores, sobremodo entre os Poderes Legislativo e Executivo. São nomes de primeira linha, gente de real conhecimento em suas respectivas áreas, elevada aos cargos por notório saber e capacidade.

Como é um time novo, é de se esperar alguns problemas de entrosamento, caneladas e posicionamento, mas que se resolverão em curtíssimo tempo, pois o que une os ministros e o presidente é o mais sincero desejo de servir, e bem, ao Brasil.

A dinâmica desses 12 primeiros dias pode ser considerada acelerada, mesmo sem a posse e definições na Câmara e Senado. É de se crer, que essa dinâmica ganhará maior velocidade ainda, ao se encaminharem projetos ao Congresso. O verdadeiro teste serão a negociação e aprovação das reformas necessárias para o pleno desenvolvimento da nação, entre elas a da Previdência.

Bolsonaro continua consolidando seu apoio nas redes sociais. Engana-se o senador e ou deputado que pensam escapar da imediata avaliação do eleitorado pelos seus posicionamentos nas votações. A mídia tradicional não conseguirá livrar o couro daqueles que traírem o desejo do povo, como fazia no tempo da comunicação à manivela.

De resto é botar o time em campo, ignorar o mimimi da oposição e jogar com as regras do povo. Avançar sobre o atraso deve ser a palavra de ordem.

******************************************

Petralhas
O mimimi petralha condena a escolha de gerente na Petrobras. Ora, pelo raciocínio desses bugios, Bolsonaro deveria escolher inimigos e não amigos para cargos de confiança, o Cerveró, por exemplo, ou a Graça Foster, daí seria perfeito!

Inteligência
Dizia aos meus alunos de matemática, ainda nos seus primeiros anos de aprendizado: evitem companhias ruins, pois o mau caráter, a vulgaridade, a inépcia, a ausência de conteúdo e o mau gosto costumam ser contagiosos. A maior prova de inteligência não está somente em se saber usar bem uma fórmula matemática; prova-se inteligência ao não se tornar um medíocre que se abraça a medíocres.

Botão
Feliz é o botão. Tem casa própria e não paga IPTU.

Mau gosto
Modismos de mau gosto nunca foram cultura ou arte. Só são a estética do ridículo, mais nada.

Teta seca
“Samba da teta seca”, hit do Carnaval 2019, sem a grana da Rouanet.

Carnaval
Num país de miseráveis, não é função do setor público financiar o Carnaval e outras mutretas em nome da “cultura”.

Bagagem
“Isso não poderás levar” – sussurrou a Morte ao beijar o homem que contava dinheiro.

Não há
Viver é conjugar verbos
E entre eles está o amar
Crê-me, outro melhor não há!

Sintaxe
Sim, cariño, serei um bom sujeito
Para teus predicados.

Defeito
No tempo que tenho agora
Faço o que tem que ser feito
Pois esta vida guarda um defeito
Acabar sem nos avisar a hora.

Patientia, fratres!

2 Comentários


Moro precisa vencer a guerra

No seu décimo dia, os ataques das facções criminosas contra a população cearense são, em números, menores. Entretanto, apesar das mais de 300 prisões, além da transferência de presos, os ataques continuam. Assim, Fortaleza tornou-se o primeiro teatro de operações da guerra das facções contra o governo.

Para o governo, trata-se de uma guerra em que o inimigo tem que ser derrotado a qualquer custo e de forma exemplar. Caso contrário, a bandidagem vai se sentir à vontade para desenvolver a mesma estratégia em outros estados, também dominados por essas facções criminosas.

A Força Nacional cumpre seu papel, sua mobilização já surte bons efeitos. Mas outras medidas têm que ser tomadas e não dependem somente do ministro da Justiça Sérgio Moro. Uma delas, é a votação pelo Congresso de uma legislação mais dura; o controle efetivo dos celulares nas celas; o bloqueio dos sinais de celulares; maior controle e diminuição, ou o fim, das visitas íntimas; instalação de parlatórios; maior preparo dos agentes penitenciários; a transferência dos líderes para penitenciárias federais; e a construção de mais presídios.

 

******************

 

Saudável
Você se descobre um cidadão saudável quando alguém lhe pergunta sobre o BBB e você responde com a pergunta:”Do que se trata?”

Porraloquice
Nem toda porraloquice é genial, às vezes é apenas isso, porraloquice.

Lendas
Lendas de Curitiba: Saci, Loira Fantasma e Carnaval.

Lenhador
Sim, derrubei enormes árvores na minha adolescência, porque me mandavam e para meu sustento. Hoje, as planto. Mas tenho convicção que este crime nunca poderá ser reparado de fato. Junto com as árvores, matei suas sombras e seus frutos únicos.

Os “gênios”
Sempre quando morre alguma dessas “estrelas” da música (leia-se música para consumo, música de mercado), os elogios são para lá de exagerados, o pior deles: gênio. Ora, como diria Ariano Suassuna, se gastamos um adjetivo assim com uns caras desses, como poderemos arranjar um adjetivo, por exemplo, para Beethoven?

Mentirosos
O mentiroso só acredita naquilo que cabe na própria mentira. Por isso, seu mundo inventado e fantasioso vem abaixo quando a verdade prevalece. Ele mente, mas o mundo real nega-se a encaixar-se na sua mentira. Eis o fato.

Algo mais
Tenho a racionalidade da Ciência. E ela me diz que apenas as leis naturais que conhecemos são insuficientes para justificar a minha própria racionalidade e vida. Há algo mais, por isso busco mais de sua racionalidade.

In memoriam
Enterremos nossos mortos
E os guardemos in memoriam
Em saudade e aperto no coração
Porque somos tudo o que foram
E inevitavelmente seremos o que são.

A voz do vento
Ventania me contou
Quem quiser encontrar amor
Faz favor de ao outro se dedicar
E a si se esquecer num morrer
O amor não aceita falsidade
É sempre inteiro
Não é parte nem metade.

 

Patientia, fratres!

Comente aqui


Militares têm direito à previdência diferenciada

Alguns profissionais de imprensa têm dificuldades para entender a vida militar, amiúde, porque foram aqueles jovens que, ao se apresentarem para o Serviço Militar,  alegaram pé chato na intenção de escapar do dever para com a pátria. Assim, certamente não seriam traídos pelos maus hábitos adquiridos e próprios das faculdades de Comunicação. Hábitos que não se encaixam na vida da caserna.

Por isso, ignoram a Teoria Geral do Estado que aponta a Força como componente da estrutura dos governos, quaisquer governos, de direita, esquerda, ou de porra nenhuma, como os sociais-democratas, por exemplo.

Da mesma forma, ignoram as diferenças entre militares das Forças Armadas e policiais militares, estes como forças auxiliares do Exército e aqueles sempre prontos e preparados para darem suas vidas em defesa da nação contra ameaças externas e internas, até mesmo na defesa dos que fugiram a seus deveres.

Ora, não importando a tropa, a verdade é que os riscos à vida são enormes. Além disso, esses profissionais fardados são submetidos durante uma vida inteira a regras trabalhistas diferenciadas das regras – como a CLT – dos civis. Profissionais que não têm hora para sair ou entrar no trabalho, em constantes treinamentos e cursos, que podem ficar aquartelados por tempo indeterminado, ou que são constantemente transferidos. Só para lembrar, nossos bravos soldados não contam com o FGTS, pagamento das horas extras e outros benefícios dados à boa parte dos trabalhadores brasileiros.

Mas, de forma fundamental, o que diferencia os militares do trabalhador comum é a doação de suas vidas por meio de juramento, inclusive. Por isso, exigir regime previdenciário ou de pensões iguais ao regime no qual serão enquadrados os trabalhadores civis é absurdo. Por parte de quem faz essa exigência, revela-se um egoísta ignorante sem a mínima noção cívica e humana – que pensa ser natural soldados desconhecidos esquecerem suas famílias e vidas para morrerem por ele – ou simplesmente revela-se um estúpido de má-fé.

 

*******************************************

 

STF, essa coisa
O novo vento sopra e Toffoli o ignora. Este STF é um escândalo. Caminho aberto, em voto fechado, para as mesmas falcatruas de todo o sempre no Congresso.

Globo perdida
A Globo está perdidinha, ainda chora a saída dos supostos médicos cubanos do Brasil.

Picuás
“Tem gente que levanta da tumba só para encher os picuás dos viventes”, Clariço, o inspector, no Bar do Espiga.

Caveira
“Quem gosta de caveira é o coveiro” – Jandisclay, filósofo e sanfoneiro de zona, ao saber que a Grela, sua namorada, estava de regime e recusara uma porção de torresmo, com caldo de mocotó, no bar do Espiga.

Relatividades
Paixões que duram quase nada
Saudades que duram para sempre.

Tu passavas
Hoje, a impostora Saudade passou por mim indiferente, usava teus brincos e sorriso.

Treino
O viver carece de treinamento
Sofrer e rir depois
Só com longo aprendizado.

Preguiça de nuvem
Céu azul, ao longe, estática
Filhotinha de nuvem
Com preguiça de ser chuva.

Patientia, fratres!

Comente aqui


CNI está no tempo da máquina a vapor

Já dissemos que o sistema sindical brasileiro, laboral e patronal, foi pensado por Vargas inspirado no modelo fascista de Mussolini, sempre tutelado e vigiado pelo Estado, inclusive em sua manutenção financeira baseada em contribuições compulsórias.

Assim, os sindicatos, as federações e confederações por décadas formaram “parceiros” do governo, transformando sindicalistas, patrões e empregados, em agentes facilitadores das relações capital e trabalho, ou seja, pelegos favoráveis sempre ao governo, qualquer governo, pois dele dependiam para manter suas mega-estruturas sindicais “profissionalizadas”.

Um esquema bem tranquilo para os envolvidos. Em caso de conflito, a Justiça do Trabalho (Estado) resolvia e resolve as pendengas nos famosos dissídios coletivos e tudo termina em música e tapinhas nas costas.

Felizmente, essa contribuição compulsória acabou para os sindicatos de trabalhadores, com o fim do Imposto Sindical. Agora, cada sindicato laboral se vira por conta para sobreviver, como é comum nos países livres e democráticos.

Por outro lado, a estrutura sindical patronal e suas respectivas federações e confederações – a da Indústria (CNI), principalmente – resistem e esperneiam pela manutenção das contribuições compulsórias das empresas e afirmam que o Sistema S (Sesi, Senai, Senac, etc) precisa dessa grana para sobreviver, etc, etc… Que isso prejudica as pequenas empresas e ameaça os trabalhadores… Balelas, se há alguma ameça é contra as mamatas e os cabides de emprego.

A CNI parece ainda não ter entendido como funciona o capitalismo moderno, que repudia qualquer intromissão de governos na organização sindical, principalmente na patronal. O recado é simples, que se virem por conta e risco, que se reinventem, mas larguem as tetas do Estado e seus cafunés.

Insistir nessas contribuições compulsórias e tutela estatal para manter esse modelo do início do Século passado é mais do que atraso, é apostar na manutenção de um mercado viciado e improdutivo, pois não é livre. Em pleno Século XXI não é mais possível setores atrasados do empresariado brasileiro seguirem modelos do início da Era Industrial, das máquinas a vapor. Os tempos são outros.

*********************************************

Canalhas
Soube que os canalhas voltaram a falar mal de mim. Aleluia! Estava muito preocupado. Nada pior nesta vida do que um canalha falando bem de você!

Nos presídios
Enquanto todos não forem vingados, o que inicia um processo interminável, as facções criminosas continuarão se matando, e de forma cruel, pois é vingança, essa é a lei das prisões, a antiga “vendetta” dos grupos criminosos.

Disciplina
Os manuais do politicamente imbecilizado aboliram a palavra disciplina das instituições que precisam da disciplina para seu bom funcionamento. Assim, temos prisões em que presos mandam; escolas em que alunos mandam; famílias em que adolescentes e crianças mandam.

A massa
“Nem só o padeiro manobra a massa. Portanto, não é massa ser massa, sê diferente, com personalidade, meu jovem! Não sejas um maria-vai-com-as-outras!” – Palavras do pensamento profundo do mestre Xunda, no Congresso dos Jovens Padeiros, realizado na cidade de Pisa, Itália.

O baile
“O baile não era dançado como agora agarrado de um todo! Era agarrado na ponta do dedo (…) bem longe um do outro (…) pra não bater o calor”, depoimento anotado por Ruy Wachowicz in Paraná, Sudoeste: ocupação e colonização.

Cavalo baio
“Eu tinha um cavalo baio, muito namorador, mais do que eu, ha, ha! O cavalo era mardoso. Quando ele escapava ia lá na casa da moça e eu tinha que ir lá buscar. Era sortá e ia mesmo. Era ele que fazia conhecimento”, depoimento anotado por Ruy Wachowicz in Paraná, Sudoeste: ocupação e colonização.

Apontamento
Aquela estrela
Que te apontei
Tem o teu nome
É lá que estás
É lá que estarei.

Cantigas
As cantigas que faço, senhora minha
Canto-as em tua janela
Escuta, é para encanto de tuas horas
Para bons sonhos, minha senhora.

Matutares
O bom matuto matuta
E se soubesse escrever
Seria doutor em Filosofia.

Acidente
Coração atropelado
Por olhos incandescentes
Bendito acidente!

 

 

Patientia, fratres!

1 Comentário


Itapoá ‘arruma a casa’ e anuncia obras em avenidas e parque

Depois de enfrentar vários problemas herdados de antigas gestões, desde os relacionados com a arrecadação até os de meio ambiente, a prefeitura de Itapoá anuncia importante programa de obras com início previsto para este ano. As principais delas são a revitalização de duas avenidas e a implantação de um parque linear

A avenida André Rodrigues de Freitas, em Itapoá, ganhará guias rebaixadas, estacionamento para bicicletas, ciclovia e faixa de pedestre, dentro das normas técnicas de mobilidade e preservação ambiental

CURITIBA – Os municípios brasileiros desde todo o sempre convivem com a escassez de recursos para obras. A atual administração de Itapoá, Litoral Norte de Santa Catarina, está há dois anos aprimorando os processos de gestão pública, na intenção de implementar importantes programas de obras financiados com recursos próprios, entre elas duas grandes avenidas e um parque linear.

Rodrigo Lopes: dois anos aprimorando a gestão pública de Itapoá

Ao conversar com Rodrigo Lopes, chefe de gabinete da Prefeitura de Itapoá, é fácil se chegar à conclusão que a realidade política dos municípios brasileiros é comum. O cobertor das prefeituras foi sempre muito curto; de ordinário, os recursos próprios são insuficientes para as grandes obras cobradas pela população.

“Estamos há dois anos colocando a casa em ordem: reduzindo despesas, revendo contratos, cobrando os tributos como deve ser feito, cuidando do meio ambiente por meio da legislação”, diz Rodrigo. “Ser austero pode desagradar alguns setores da sociedade por um tempo, mas isso muda a partir do momento em que as pessoas entendem a razão de certas medidas. Embora algumas  pareçam impopulares, elas são necessárias para uma gestão eficiente.”

Ou seja, a receita seguida pela Prefeitura de Itapoá é muito antiga, fruto de problemas de nossa legislação, e pouco ou nada difere das que são seguidas pelas prefeituras desde a República Velha. Um ou dois anos de ajustes na gestão e só depois, se for possível, o desenvolvimento de um plano de obras.

“Agora já contamos com os recursos próprios necessários para revitalizar com toda qualidade possível, duas importantes avenidas, a André Rodrigues e a Celso Ramos, além da implementação de um parque linear em Itapoá” – revela Rodrigo. Essas obras já estão em fase de licitação e devem começar ainda este ano. A Prefeitura de Itapoá administra este ano um orçamento de R$ 113 milhões.

Quadra 1 do Parque Linear de Itapoá, que deve ser implantado ainda este ano

Para a estudante de Arquitetura e também Artes Caroline Sales, que é de Curitiba (PR) e passa suas férias em Itapoá, o Urbanismo não pode estar dissociado da preservação ambiental, muito pelo contrário, todo projeto deve ter como propósito o cidadão em harmonia com o meio ambiente. “É possível ver nesses projetos o destaque para o meio ambiente, perfeitamente dentro das normas técnicas que privilegiam a mobilidade, em atenção ao pedestres e ciclistas. Tenho certeza que depois que as obras estiverem prontas, os moradores e turistas vão ganhar muito em qualidade de vida”, afirmou a Caroline.

A estudante cita o livro Planejamento Urbano e Meio Ambiente das arquitetas e urbanistas Gilda e Simone A. Cassilha da PUC-PR: “Uma cidade, não importa sua localização geográfica ou seu tamanho, deve ter preocupações com coleta seletiva do lixo, abastecimento de água potável, rigor na localização dos diversos usos – comercial, residencial, de serviços ou industrial, existência de locais de lazer para o uso público como praças e parques, enfim, uma dimensão de cidade  a ser vivida por uma comunidade e que deve possuir obrigatoriamente certo nível de organização.”

Av. Celso Ramos dentro dos padrões modernos de mobilidade

 

Trecho da atual Avenida Celso Ramos

Avenida Celso Ramos das obras de revitalização – novo asfalto, ciclovia e faixas para pedestres

 

Avenida Celso Ramos contará com pontos de ônibus cobertos e recuo para a parada de ônibus

 

Gestão ‘em dois tempos’ dos municípios vem desde a República Velha

O escritor Graciliano Ramos foi prefeito e considerado administrador exemplar

Como adiantamos, esse problema dos administradores terem que dedicar praticamente a metade de suas gestões para ‘arrumar a casa’ não vem de hoje. Em 1930, ainda antes de se tornar um dos maiores escritores brasileiros, Graciliano Ramos foi prefeito de Palmeira dos Índios (Alagoas). E assim, justamente como prefeito, por meio de seus relatórios ao governador, é que Graciliano se destacaria na imprensa nacional como intelectual e depois e como escritor, porque seus relatórios são antes de tudo, obras literárias.

Austero e comprometido com a administração pública, Graciliano relatava a dura tarefa de administrar um município e as carências de seu povo; por dois anos ele teve que tratar de economizar, rever contratações de pessoal e contratos com terceiros, fiscalizar, tirar privilégios e editar novas leis. Aliás, consta que ele mandou a fiscalização da prefeitura multar o próprio pai, que costumava deixar animais de sua propriedade soltos na rua, o que contrariava o Código de Posturas do município e que, até então, ninguém obedecia.

Somente depois, Graciliano começou a fazer investimentos. Com as verbas sempre aquém das necessárias, Graciliano revela, num dos trechos mais engraçados de seus relatórios, que teve que redirecionar o orçamento destinado à reforma do cemitério para a ampliação de vias públicas. Para o prefeito, os mortos poderiam aguardar mais um pouco, pois eram os munícipes que não reclamavam.

Comente aqui