cultura



Globo apavorada com o novo governo

A velha e carcomida imprensa sem audiência está apavorada. Além de descobrir que as redes sociais proporcionam a comunicação direta do governo eleito com os cidadãos, ficou mais do que claro o corte das milionárias verbas publicitárias do governo a partir do próximo janeiro. A Caixa Econômica, por exemplo, e o Banco do Brasil,  vão deixar de financiar a farra dos patrocínios até para corridas de tartarugas, e pior, e aí que assusta os vagabundos, vão ter suas contas auditadas e revistas.

A Petrobras também não ficará de fora dos cortes. Afinal, é uma estupidez muito grande gastar fortunas em propaganda para divulgar o que já sabemos, a empresa detém o monopólio dos combustíveis no Brasil, não tem concorrentes. O mesmo vale para os Correios, outro monopólio.

A Globo, a Folha de S. Paulo et caterva dão seus últimos suspiros como proxenetas do dinheiro público fácil. Por isso do barulho, por isso das tentativas de desqualificar todas as possíveis ações do governo que ainda nem tomou posse. Isso sem contar, que as grandes empresas de comunicação devem horrores ao fisco e que logo saberemos as sacanagens que fizeram com a grana dos bancos públicos, especialmente o BNDES.

 

O Emborná
Um trabalhão mandar o Emborná embora do bar do Espiga, ontem à noite. Na semana passada, a mulher dele jurou que entraria no bar atirando, caso o Emborná voltasse a frequentar “o antro de vagabundos”. Ninguém levaria a sério a ameaça, caso não fosse o apelido da infeliz: “Zaroia”.

Criado pela avó
“Eu não bato em fresco criado pela avó!” – Jandisclay, filósofo e sanfoneiro de zona, em dia de pugilismo, no Bar do Espiga, antes de saborear uma buchada, acompanhado por uma bagaceira.

Amantes pragmáticos
Estranhos tempos. Chegamos à época dos amantes pragmáticos
Aqueles que entram num relacionamento com paixão
Mas já pensando de antemão no adeus e na saudade.

Vida surpreseira

Surpresas na vida:
É ir comprar flores
E se apaixonar pela florista;
É sair calmo para comprar jornais
E virar notícia.

*********************************************************************************************

Poema do nosso livro Corações Dedicados, clique aqui, leia e divulgue!

Obrigado.
patientia, fratres!
1 Comentário


Corrupto não é filho de Papai Noel


Todo mundo é filho de Papai Noel
Menos os políticos corruptos
Que são FDP mesmo.

Pato nacional
Desconfie do político que fala em pacto nacional. Pacto para tirar o rabo da reta!

Temos vagas
Políticos sem teto e foro: há vagas na carceragem de Curitiba.

Redondo
Parece que, para muitos políticos, este será o último Natal com o Sol nascendo redondo.

Fato
Reportagem política virou reportagem policial.

Eis o espírito
Inimigo falando bem da gente! Eita, espírito de Natal!

A imaculada
Gleisa, a imaculada do rendez-vous!

Neste Natal
A tudo ao meu amor serei atento,
Principalmente ao cartão de crédito
E a outros endividamentos!

Os cães
O que gosto nos cães: eles não mentem
Amam incondicionalmente
E são mais gente do que muita gente.

Filo e falo
Uma letra pode mudar o mundo: Há cinéfilos e cinéfalos, os primeiros amantes da sétima e os outros, amantes de outras artes!

Conselho
Se um dia lhe jogarem pedras saia correndo.

 

*****************************************************************************************

 

 

Obrigado.
patientia, fratres!
Comente aqui


Pedágio sobe até 17,6% e esfola o paranaense


A gente até consegue explicar, com certa lógica, mula-sem-cabeça, saci, loira fantasma, Papai Noel, mas jamais acharemos explicação razoável para os aumentos do pedágio, que sempre acontecem, estrategicamente, no início da temporada de férias do trabalhador paranaense. A Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados de Infraestrutura do Paraná (Agepar) aprovou nesta segunda-feira, o reajuste das tarifas de pedágio do Anel de Integração (da Enganação, seria mais apropriado). Entre as cinco concessionárias que apresentaram pedido, a Rodonorte é a que terá o menor percentual, 6,66%. O maior será concedido a Viapar, 17,60%.

Um impacto violento na Economia paranaense, posto que esses valores estão acima da inflação. Com isso, pela temporada de férias, o primeiro setor que vai sofrer é o turismo, que já anda quase defunto aqui no Paraná. O segundo, é o transporte propriamente dito, no escoamento das safras e mercadorias, gerando um efeito cascata nos preços dos produtos e serviços para a nossa já esfolada população.

Como disse, nosso turismo vai mal, concentrado que está nos extremos Leste e Oeste do Paraná. Afora o pedágio a tirar a carne do turista, no Oeste, temos muito oba-oba da prefeitura de Foz do Iguaçu para incentivar o povo a ver água suja nas Cataratas, turbina e o concreto de Itaipu e de quebra, o sujeito ainda pode comprar bugigangas no Paraguai e torrar uns trocados nos cassinos da Argentina.

No Leste, nossas praias pararam no século passado. Guaratuba é uma cidade com donos, a mesma família manda em tudo e de quebra você, se for mulher, pode ser filmada na praia. De brinde ainda, nesses lugares, a violência impera.

Vejam como deve ficar o pedágio para as praias, uma vergonha!

Clique aqui e confira como vai ficar a tarifa dos pedágios em todas as praças do Paraná.

Conclusão

As melhores praias do Paraná ficam em Santa Catarina!

Veteranas pautas

É lógico que, neste Verão, a velha imprensa vai tirar da gaveta as velhas pautas de sempre: a reabertura da Estrada do Colono e a famigerada ponte de Guaratuba. Já deu no saco essas histórias para boi nanar.

Detran

O suposto esquema do Detran-PR com as clínicas de Psicologia já nasceu suspeito, em 2010. Até então, a avaliação do condutor era de responsabilidade do próprio órgão de trânsito e foi terceirizada para as clínicas, com ônus ao sujeito que tira ou renova a carteira de motorista.

Detran II

Como os convênios são feitos no Paraná todo, por óbvio, a ação civil pública contra o Detran deve ser examinada não somente nas clínicas de Maringá. Na cidade, o  MPE constatou um exagerado número de motoristas considerados “inaptos por um dia” nos exames psicológicos, o que os obrigava a passar por novo exame, com pagamento antecipado da taxa respectiva. A suspeita era de que as clínicas forçariam a realização de um segundo exame para aumentar a arrecadação, já que 80% do valor pago é destinado às clínicas.

Valdomiro e a passagem

Valdomiro Greca já ensaia aumentar a passagens de ônibus. Passou a hora de investigar esse sistema da prefeitura de Curitiba que nos oferece sucata a preço de ouro. Hoje, uma passagem já custa mais do que um dólar, para um salário mínimo de pouco mais de 250 dólares.

Valdomiro e o sonho

Valdomiro Greca já fala em reeleição. Certamente seus áulicos, doutores em lamber botas, devem tê-lo convencido de que com a pirotecnia festeira ele  faz brilhante e estonteante trabalho. O prefeito anterior, Gustavo Fruet e o outro anterior a ele, que não lembro o nome, ambos de triste memória, também estavam convencidos pela mesma turma de que iria ser mole a rapadura. Não se reelegeram e isso foi bem feito.

Tetas gordas

Com as nomeações para o secretariado do governo que entra, a silenciosa imprensa local está aliviada, as tetas do Estado são promissoras para os próximos anos.

Caricato e burlesco

Perguntam-me
Por que falo do prefeito
Não é por mal, é que para a sátira
Precisamos do ridículo
Do caricato e do burlesco.

*******************************************************************************************

 

patientia, fratres!
3 Comentários


Um livro da bela aldeia curitibana

Capa e contra-capa do livro Corações Dedicados 

Nesta manhã de domingo, tenho o prazer de ver mais um livro publicado. Para tê-lo, dei-me a tarefa de reunir aqui e algures notas e papéis dispersos (poetas não são organizados: escrevem apenas, depois se preocupam em colocar o escrito em livros – e este é nosso tormento!). Bom, são 100 páginas em que discorro um pouco sobre a minha aldeia – no sentido dado por Fernando Pessoa – , na qual vivo desde criança, Curitiba. Mas, o importante mesmo e que procuro destacar, é sua gente, a qual figura numa lenda que diz ser ela capaz de te convidar para um café e não comunicar a ti o endereço para tal. Como disse, uma lenda!

É, o curitibano é um ser peculiar, mas de humanidade ímpar. De coração dedicado a amigos e à família, embora de alma calada, principalmente em relação a estranhos, o morador da cidade, nativo ou não, desenvolve um jeito todo especial de encarar a vida. Tento retratar isso. Apenas tento.

Aproveitei neste livro para também saudar os amigos, coisa difícil de se fazer nesta cidade. Aqui, externar paixões e amizades é raridade. Outra demonstração que fiz, foi a que para se publicar um livro nos dias de hoje, não se faz necessário o financiamento com o dinheiro público. O livro, em suas pequenas despesas, foi financiado coletivamente, e as contas que sobraram foram sanadas pela Lei Roa-Nandé, ou seja, do próprio bolso. Portanto, é um livro que já nasce com a virtude de não ter tirado dinheiro dos impostos de nosso sofrido povo. Para quem de interesse for, o livro pode ser encontrado neste sítio e endereço: Editora Bookess.

Aqui, apresentamos parte do livro e abaixo você poderá folheá-lo um pouco, para isso basta clicar nas páginas e se quiser um tamanho melhor para ler, basta clicar na lente de aumento ou expandir nos comandos que aparecem na exibição.

Comente aqui


Lobão e Roger detonam cultura oficial, burlesca e venal

Dentre as coisas boas das eleições neste ano, está a reverberação dos alertas feitos por artistas que não aceitam o domínio ideológico das artes, sobremodo na música e literatura, casos dos quixotes, a quem a cultura já deve muito, João Luiz Woerdenbag Filho (o Lobão) e do Roger Rocha Moreira (o Roger, líder da Banda Ultraje a Rigor, que se apresenta no programa do Danilo Gentili, outro severo crítico da “industria cultural” dos grupelhos), os quais já vinham há anos denunciando a sacanagem e por isso pagaram alto preço em suas carreiras ao peitarem o status quo da pilantragem. Leia o artigo completo clicando aqui.

1 Comentário


Lobo de Mesquita, genial compositor brasileiro

Criminosamente, temos verdadeiros tesouros ocultos da maior parte dos brasileiros. Culpa evidente dessas políticas que praticamente destruíram a cultura nacional e qualquer acesso à cultura de qualidade produzida em outras partes do mundo. Por isso, aos finais de semana, passo a publicar um pouco de música em latim, que traduzirei e comentarei. No caso das composições religiosas, usarei como referência o Missal Cotidiano, dos Beneditinos da Bahia, na edição que  possuo da década de 1930.

Hoje, apresentaremos a oração católica Salve Regina (Salve Rainha). Regência: Rodrigo Toffolo, Orquestra Experimental UFOP/Ouro Preto Coro Madrigale – Maestro Arnon Sávio. Soprano Solo: Doriana Mendes. Gravado em 26 de junho de 2007, na Igreja N.S. da Conceição Ouro Preto – Minas Gerais – Brasil.

A música é de José Joaquim Emerico Lobo de Mesquita (1746-1805) compositor e professor brasileiro, que tem sua obra, música sacra, ainda sendo pesquisada e reeditada. Do total de sua produção, calculada em cerca de 500 composições, restam menos de 90. Lobo de Mesquita é patrono da cadeira 4 da Academia Brasileira de Música e é um dos maiores nomes da música erudita brasileira.

Salve, Regina, Mater misericordiae,

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia,

vita, dulcédo et spes nostra, salve.

vida, doçura e esperança nossa, salve!

Ad te clamamus, éxsules fiIii Evae.

A vós bradamos, os degredados filhos de Eva;

Ad te suspirámus geméntes et flentes

a vós suspiramos, gemendo e chorando

in hac lacrimárum valle.

neste vale de lágrimas.

Eia ergo, advocáta nostra,

Eia, pois advogada nossa,

illos tuos misericórdes óculos ad nos convérte.

esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei;

Et Jesum benedíctum fructum Ventris tui, nobis, post hoc exsílium, osténde.

e depois deste desterro nos mostrai Jesus, bendito fruto do vosso ventre,

O clemens, o pia, o dulcis Virgo María!

ó clemente, ó piedosa, ó doce sempre Virgem Maria.

***

Ora pro nobis, sancta Dei Génitrix.

Rogai por nós, santa Mãe de Deus,

Ut digni efficiámur promissiónibus Christi.

Para que sejamos dignos das promessas de Cristo.

****************************************************************************

Regência: Rodrigo Toffolo Orquestra Experimental UFOP/Ouro Preto Coro Madrigale – Maestro Arnon Sávio www.madrigale.com.br Soprano Solo: Doriana Mendes Gravado em 26 de junho de 2007 Igreja N.S. da Conceição Ouro Preto – Minas Gerais – Brasil

1 Comentário


Daniel, a tragédia em busca de audiência

É de nosso latino sangue – ó troianos, descendentes de Eneias –  esse estranho gosto pela tragédia. Por isso, histórias reais, embora nos parecendo que saíram dos textos dos romances ou teatro, tanto nos causam comoções, provocam a ira, a dor, a compaixão e a própria dúvida do real progresso civilizatório da humanidade.

E eis que, neste final do ano da graça de 2018, estamos diante de mais uma dessas histórias. A tragédia da vez é o assassinato do jogador Daniel, em circunstâncias de extrema violência, com os ingredientes da animalidade que, por infortúnio, ainda nos são latentes e moram em nós – não duvide disso, amigo, amiga, há pouco mais de 3 mil anos a humanidade habitava as cavernas e estava sob o jugo de códigos morais e legais em que se aceitavam todo e qualquer tipo de violência em resposta a outros crimes não menos bárbaros. Escritos sagrados dessa época ilustram bem o que digo e afirmo.

A história de Daniel e a forma em que ele deixou a vida reúnem todos os ingredientes para as tintas dramáticas de algum Sófocles moderno transferir o drama para os palcos e obter a catarse exigida por Aristóteles em sua Poética: a tragédia como expressão da arte por meio da compaixão e do temor, em busca da expurgação ou purificação dos sentimentos (catarse).

Na realidade, com os meios de comunicação modernos – fantasticamente explorando a velocidade da luz, na difusão da informação – não nos é mais necessário o palco para as encenações trágicas, a própria imprensa, em capítulos diários, à moda dos antigos folhetins,  nos fornece a oportunidade de seguir todos os atos trágicos, em capítulos de hora em hora. São os repórteres policiais os nossos novos dramaturgos – poucos porém, com algum brilho ou talento para isso. A maior parte limita-se a contar uma história, muitas vezes misturando ficção e realidade, na rapidez que os meios exigem, sempre em busca de audiência e o mais importante, atrás do dinheiro, por meio dos anunciantes noutra tragédia, a do mercado de comunicação.

Sim, nosso ingresso ao espetáculo é a propaganda do pé de chinelo, do sabonete, da margarina ou da gasolina. Acompanhemos, portanto, mais esse drama, amigos e amigas de copo e de cruz, seu desfecho conhecemos, pois a tragédia se faz tão antiga quanto o homem. Busquemos nossa catarse, ignorando que a brutalidade das pedras também habita nossas almas. Durmamos felizes com isso.

Amanhã, ao acordarmos, certamente, outro folhetim do mesmo feitio ou mais dramático ainda em violência se desenhará em nossos televisores, em nossas redes sociais. A vida despropositada que nos obriga a modernidade, nos parece que está resumida a isso, seguir capítulos para nosso deleite do pai que joga a filha pela janela; da menina bonitinha que mata os pais; do maluco que invade uma escola e fuzila colegas; do jovem jogador de futebol que bebe, faz besteiras, e depois é morto e desmembrado por um marido aparentemente ciumento e que acha, como os antigos bárbaros, que com uma faca se faz a lei.

 

********************************************************

 

A gaita do Gaúcho

Como diz o gaúcho: este mundão está virado numa gaita “véia”!

 

Valia

Alma vazia, sem amor,

Sem tristezas, sem alegrias

A ti não teria valia.

 

Sensato

Voltar atrás no equívoco

Não é vergonhoso

Vergonha é teimar no erro.

 

Bocó

O patrulheiro do pensamento alheio

É um bocó

Incapaz de pensar por si só.

 

Conceitos

A cidade pode até ser inteligente… Mas seus políticos…

 

Sofisticada

A Loira Fantasma está sofisticada. Só anda de Uber preto, chega de táxi.

 

Das merdas

Esperando uma grande análise de esquerda-burguesa baseada no materialismo histórico, do tipo “luta dos contrários e negação da negação”, mas nem isso mais sabem fazer. Pobres timoneiros do proletariado!

 

Assassinatos

Um dia matei 10 pessoas numa manchete de jornal. A notícia tinha vindo de Santa Catarina, dia de chuva e a internet ainda era à manivela. O repórter mandou um fax, quase meia-noite. Não dava para ler direito, jornal pra fechar. Tasquei 29 mortos num acidente e eram 19. No dia seguinte recebi uma mensagem da prefeitura local perguntando-me onde estavam os 10 outros. Advertência e quase demissão. Tornara-me um assassino virtual.

 

Transparência

Em algumas prefeituras brasileiras, transparência a gente só vê nas meias de nylon das amantes dos prefeitos, secretários e vereadores.

 

Matemáticas

Coisas inúteis que você deveria saber e poderiam ter mudado a sua vida, assim como mudaram a minha: num triângulo retângulo, os primos 3 e 5 são proporcionais a uma terceira medida de ordem 4: assim 6, 8, 10… 9, 12 e 15…

 

Chupeta chapada

Sou do tempo em que chapada era apenas um acidente geográfico e chupeta era aquela coisa de borracha feita única e exclusivamente para crianças.

 

Borboleta & miudezas

Ser como uma borboleta

Visitar todas e somente as flores

Porque a vida é tão curtinha

Que não temos tempo

Para nos ocuparmos com miudezas

Com coisas de poucas belezas

Sem gosto, sem alma e sem perfume.

 

Caminheiro

Venho de longe, caminheiro

Por esta longa estrada

Com os passos cada dia mais curtos

Com a pele pelo Sol enrugada

Vi coisas belas, conheci anjos

Demônios e gente bárbara

Susto não tenho mais

O espanto morre aos poucos com o cabra

Venho de muito longe, caminheiro

E já sei onde esta estrada acaba.

Patientia, fratres!

1 Comentário


Bolsonaro abrirá arquivos do BNDES e corruptos se apavoram

 

Bolsonaro ganhou, o PT perdeu e a Roda da Fortuna gira. Por isso, boa parte dos brasileiros está confiante, a Economia começa a se engrenar novamente, o dólar retoma aos poucos os padrões civilizados e as bolsas operam com segurança de olho no futuro. Mas, neste panorama de otimismo, temos alguns setores da sociedade profundamente incomodados e tudo que o novo governo eleito anuncia é motivo de se apontar sinais do fim do mundo, do apocalipse bíblico na terra, provocados pelos deuses da tragédia tupi.

Notem, que esse choros trevosos partem de cavernas abismais de há muito identificadas. As cavernas que servem de esconderijo para os corruptos, ou daqueles que se serviram da corrupção durante os tristes anos Lula-Dilma.

Há quatro anos o povo brasileiro acostumou-se a seguir a novela Petrolão, escândalo de corrupção sem fim, investigado pela Lava Jato. Entretanto, não é só isso, é que está para entrar em cartaz outras novelas semelhantes, porém em tons mais trágicos. Pois a Lava Jato demonstra, por meio das delações e investigações em curso, que ao se puxar um caranguejo do saco da Petrobrás uma penca de outros caranguejos se agarraram ao primeiro. Assim, já é sabido que, praticamente, em tudo que o PT e seus agregados encostaram as mãos, lá ficaram marcas profundas da corrupção e sua expressão medonha, o roubo, em sua maior parte ainda encoberta pela caixa-preta do segredo, ou pelo manto de antigos bandidos colaboradores.

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social  (BNDES) vai ser a caixa-preta a ser aberta já no início do novo governo, como promete o presidente eleito Jair Bolsonaro, em seu Twitter (foto). Banco de fomento nacional que financiou empresas fajutas, governos duvidosos e tudo quanto é maracutaia com dinheiro do nosso sofrido povo, sobremodo com o FGTS e recursos do próprio tesouro, em contas que já ultrapassam os inimagináveis trilhões de reais.

Os que devem, os que sabem que estão de antemão condenados em mais esse e outros escândalos a serem revelados, se apavoram e não dormem, inclusive tramam inutilmente para que nada venha a lume. Mas a roda da Fortuna já está girando e ela é implacável, os bandidos, inclusive os das grandes empresas de comunicação, que se mantiveram em silêncio sem-vergonha e cúmplice, enquanto o país era pilhada por quadrilhas partidárias, vão pagar pelos seus crimes contra a pátria brasileira. É isso que os assusta, são essas a razão do pânico.

***********************************************

Polícia Federal
A PF está atrás de 10 deputados estaduais, no RJ. Aliás, os legislativos estaduais precisam ser investigados, todos!

Ministério do Trabalho
Esvaziado pela Constituição de 1988 e funcionando quase como um cartório de registro de sindicatos, levando adiante alguns programas sociais, e muitos escândalos de corrupção, este Ministério já não se justifica numa economia que se pretende livre num país genuinamente democrático.

Senado
Velhacos do Senado fazem o que sabem: velhacaria. Não vão se livrar da cadeia, seus bandidos!

Detran-PR
Doutro mundo essa propaganda do Detran-PR. Mas a grana que pagou é real.

Aproveitei o erro
Fui ao dentista e acabei fazendo exame de vista. Errei o consultório, atendeu-me a oftalmologista.

Pança
Em certos prefeitos, a capacidade de dar tiro no próprio pé é proporcional à banha acumulada.

Fezes
Esse programa da Fátima Bernardes é um vomitório fecal.

Jornais estrangeiros
Tem que investigar esses jornais estrangeiros no Brasil, o “Le Monde”, que levou uma grana dos governos petistas e “El País”.

Patrulheiros
“Igne comburatur sic quod moriatur” (condenado a morrer na fogueira até que morra), sentença da Inquisição da Idade Média que pode, em nossos dias, ser interpretada como sentença condenatória pela fogueira que junta insânia e ignorância, a qual é provocada pelos verdugos modernos, os patrulheiros do pensamento alheio.

Soda
Dicas do Xunda: o “f” dos textos do fim da Idade Média, em Português, tem som de “s”, então, neles foda é soda, não confunda!

Matutinos
Faço poemas pela manhã
Para oferecê-los ao efêmero da vida
Ao orvalho que desperta a flor
À estrelinha que me serviu de guia
Nos versos, as palavras também acordam
Umas novinhas, ingênuas
Outras velhinhas, sábias
Todas felizes saudando o dia
Pois amanheceram encantadas
Orvalhadas, em luz, em poesia.

 

Patientia, fratres!

Comente aqui


Bolsonaro precisa de “sapa” para destruir sabotagem petista

Não faltam generais ao Exército de Bolsonaro. Entretanto, como Capitão, ele bem sabe que é a hora da ação dos sapadores (sapa), soldados de infantaria especializados em engenharia militar, os quais têm entre suas habilidades a de desarmar minas, ou limpar o acesso ao campo de batalha. O PT e agregados são notórios sabotadores e não se enganem, de tudo vão fazer para deixar o campo minado para atrapalhar a implantação da política do governo que de antemão já juraram destruir.

Os sinais das sabotagens petistas e agregados já começam a aparecer, infiltrados que estão como ratos em todos os buracos do governo Temer. Pelo menos dois sinais devem ser assim entendidos e vistos como apontamentos de minas terrestres no caminho: a bisonha prova sem-vergonha do Enem levada a efeito pelo MEC e essa estranha suposta movimentação em cadeia do mundo árabe, a partir do Egito, no sentido de retaliar a política externa brasileira esboçada por Bolsonaro em relação ao Estado de Israel.

O Itamaraty, notável em outros tempos pela qualidade de seus embaixadores, hoje está desfigurado pelos longos anos da política externa de viés ideológico, aparelhado que foi pelo petismo, que inclusive causou danos na formação acadêmica de nosso corpo diplomático. Para piorar, temos lá o inconfiável motorista de guerrilheiro Aloysio Nunes, no papel de ministro de Relações Exteriores.

Caso queira ter certa tranquilidade para a implantação de suas políticas, o governo que ainda não tomou posse há de deslocar  desde já verdadeiros pelotões de sapa para todos os campos de atuação governamental, em especial Educação e Itamaraty, com a tarefa de desmontar as bombas programadas para explodir e atrasar a tropa de Bolsonaro, que necessita ganhar combates e avançar no terreno desde o primeiro dia de governo.

*********************

Na carceragem de Curitiba
Nesta quarta, Andrade faz visita íntima ao cachaceiro, em Curitiba.Temas: ternas saudades e discussão da relação.

Velhacos
Em 15 anos, a palavra esquerda e todos seus significados ficaram reduzidos a um único sinônimo com força de coletivo: estúpido. Desde então, militante virou militonto, também reduzido a um cretino com grande capacidade de acreditar em qualquer conto de fadas produzido pela estupidez das seitas e de grandes velhacos.

Bolsa Família
Em 2016, foram identificados mais de um milhão de cadastros com problemas no Bolsa Família. Metade, ou seja 500 mil recebiam, embora tivessem renda maior do que a declarada. 13 mil famílias tiveram o benefício suspenso porque doaram para campanhas políticas. Este trabalho tem que ser retomado por Bolsonaro.

Perto do shopping Müeler
Atravessar a pé, ou de carro, os bairros e centro de Curitiba, depois das 21 horas, é o mesmo que caminhar pelo vale da sombra da morte. Aqui, os homicídios estão sendo contados por dúzia. A cidade está apavorada. Pensando bem, isso vale para qualquer horário.

A juventude vende
O marketing e a propaganda descobriram nos anos 1950/60 que a rebeldia vende, porque se identifica com os espíritos ainda não bem formados dos jovens e adolescentes. Todos os nossos ídolos que levamos conosco nos apareceram nessas fases da vida. Raros com alguma valia. Mas, esses ídolos de mercado, fabricados em série pelo marketing de hoje, os famosos e porra nenhuma, estão cada vez mais ordinários, apologistas que são do nada e do vazio que levam dentro de si. Explora-se pois, a rebeldia das gurias e dos guris e pançudos de apartamento, criados para servirem de pasto para a indústria que explora inutilidades, tão inúteis quanto eles se tornarão.

Trovador
Nessa passada miúda,
Assunto as coisas comigo,
Finjo a beleza que não vejo,
Para não perder o juízo.
Sou poeta estradeiro,
Trovo a dor neste castigo.

 

 

Patientia, fratres!

3 Comentários


O Enem é obra de tarados ou acéfalos

Neste domingo, o cidadão recebeu o atestado de óbito da educação brasileira, na famigerada e obscena prova do Enem, obstáculo último para boa parte de nossos alunos acessar o Ensino Superior. Por seu conteúdo tóxico à educação e objetivos claramente doutrinários e corrosivos aos nossos jovens, adianto que essa “prova” não serve nem para limpar a bunda d’algum bugio do Zoológico de Curitiba.

Rogo aqui alguma paciência ao leitor, leitora, ao abordar essa “prova”, eivada da mais puras sem-vergonhices  e desfaçatez já imprimidas pelos acéfalos que se encastelaram no aparelhado MEC, auxiliados pelo inepto Inep. Começo, portanto, na abordagem da nossa castigada Didática, na qualidade de um humilde mestre-escola de província, o qual há mais de 30 anos foi iniciado na arte de ensinar e educar.

Uma das primeiras lições que aprendi no Magistério, junto aos Irmãos Maristas e outros pedagogos das escolas pública e privada, foi elaborar uma prova e, principalmente, entender seu significado dentro do processo ensino-aprendizagem. A grosso modo, a prova é um instrumento de medida do conteúdo ministrado pelo professor durante certo período, não somente para simples mensuração com fim de promoção do educando a período seguinte, mas como balizamento de todo o processo em si. Seu feitio deve sempre estar amarrado ao que foi visto em sala de aula, em variações bem arranjadas para que o mestre não incorra em erro de avaliação, pois do contrário, ela se torna inútil aos objetivos pretendidos. Em toscas analogias, não se medem distâncias da Terra a outros astros com impróprias fitas métricas; assim como não se tem temperaturas dos corpos ao se mensurar o tamanho dos dedo médio de um doente.

Bom, passemos ao problema. Acontece que os gênios do MEC seguem a corrente dos néscios que se acham educadores e, desculpem-me o termo, cagam solenemente para o conteúdo programático das escolas e defendem o tal do “espírito crítico”, supostamente adquirido pelo educando na sua vida escolar ou particular, e assim se dispõem a medi-lo no Enem.  Excelente, caso se respeitasse a ordem natural das coisas: para se desenvolver um espírito crítico, há de se preencher pelo menos dois requisitos básicos ausentes de boa parte do sistema educacional – do Fundamental até o Ensino Médio – a plena alfabetização e o total domínio do raciocínio lógico por parte do conjunto discente.

É sabido pelo próprio MEC – e aqui abstenho-me de mostrar as estatísticas da mediocridade – que a escola brasileira é uma fábrica de analfabetos funcionais e que por assim ser, criminosamente, forma exércitos de incapazes de resolver até mesmo um simples problema com as mais elementares cálculos – fazer contas e formular orações com concordância e acerto,  demonstram o uso de certo raciocínio, mas nem mesmo isso é suficiente para se estabelecer o pretendido “raciocínio crítico”, no máximo, nas atuais condições do ensino, o educando estará pronto para repetir mantras decorados às cartilhas de doutrinadores travestidos de professores.

Assim sendo, o exame do Enem, nos desvirtuados moldes adotados, não nos serve para medir nada, a não ser a estupidez do MEC e os doentios efeitos de sua doutrina “moderna e libertadora”, contida numa pedagogia de hospício imprestável até mesmo aos bugios. Um teste inútil e caro de múltipla escolha, propício ao chute em sua maior parte, que busca alhures ao ambiente  escolar – em ambientes de tarados sodomitas, por exemplo (foto), em distanciamento ao conteúdo ministrado durante anos – dar medidas ao imensurável pela própria imprecisão do instrumento. A não ser que consideremos o absurdo sendo a própria medida do absurdo.

Em suma, esse pessoal do Ministério da Educação, a partir do dia primeiro de janeiro, deve ser sumariamente demitido, mas não sem antes prestar contas das fortunas gastas para se chegar a essa tragédia em que se encontra o indigente ensino brasileiro. Devem ser responsabilizados por seus crimes. O pior deles, jogar uma geração inteira no limbo social.

***************

A última flor 
Camões tinha dois defeitos, escrevia em português, dialeto que aqui se arranha e gostava de mulher, por isso não caiu no Enem.

Filmem minhas aulas
Não tenho nada a esconder dos pais, tenho conteúdo, não doutrino e não enrolo os alunos.

A farsa
E nem com conhecimento
E nem com educação
Enem é pura doutrinação.

Sauna
A prova do Enem não era para candidatos à Universidade, mas à sauna gay.

Entulhos
A prova lixo do Enem mostra que resta muito entulho petista infiltrado nos órgãos de governo.

MEC
Num país onde conhecimento e cultura são considerados erudição desnecessária, ser comandado por beócios tornou-se costume de urgente necessidade.

Fato
Nem todo ato porralouca é revolucionário. Às vezes é só isso, porralouquice mesmo.

Dos quadrúpedes
A primeira coisa que os doutrinadores colocam no doutrinado é a viseira, dessas usadas em quadrúpedes, justamente para ele não ver outro caminho e julgar-se livre. Caso assim não fosse, a humanidade não teria domesticado os burros.

Sentença
A educação liberta. A doutrina escraviza.

É a ética, senhores
Um monte de engenheiros envolvido nas maracutaias do Petrolão e o CREA não dá um piu!

De fé
Pensa num sujeito desacreditado, o tal vidente que previu a vitória do Alvaro Dias.

Crimes
Por mais boa vontade que se tenha, não há como não admitir que quatro coisas estão na base da criminalidade, e em todos os tempos – drogas, jogo, prostituição e corrupção. Coisas que sobram em nosso país e que são crimes considerados menores.

Perigos na poça d’água
Escuros, de profunda dor, com um leve manso
Iguais às águas de rio traiçoeiro, matador
Eram aqueles olhos que me convidavam
Quando deixei de ser menino apenas
Suas meninas fizeram-me feliz por algum tempo
Mas eram bandidas e não negaram a sina…
É compadre, tenho comigo medo de afogado
E quando vagueio, me arrepio até com poça d’água!

Salve, sonhadores!
Nada nos proíbe, pensar e sonhar são as nossas únicas e verdadeiras liberdades de fato e direito!

 

Patientia, fratres!

Comente aqui