Economia



PT se infiltra nas secretarias de Foz do Iguaçu

Depois de ter políticos locais envolvidos em maracatuaias de toda espécie, passar por uma nova eleição, Foz do Iguaçu ainda anda capenga na política. Militantes de carteirinha do PT, por exemplo, entre outros suspeitos apeados de Itaipu, que não conseguiram cargos eletivos, estão infiltrado nas secretarias, aproveitando o vácuo do poder instalado naquele município de fronteira.

Foz de Iguaçu é último entreposto para quem sai do país legal e ilegalmente e por onde entram contrabando, armas e drogas. Não há de se esperar portanto, nada mais do que o velho discurso de sempre, em que os políticos fingem que trabalham nos mais alucinantes projetos de desenvolvimento do turismo e comércio, ineficazes, é lógico, enquanto a população é refém da violência e da falta de perspectivas de trabalho e renda.

2 Comentários


Filme estranho e Hospital Evangélico ainda sem verbas da Prefeitura de Curitiba

O Setor de Inteligência que acompanha a aplicação dos recursos federais no Hospital Evangélico identificou que tem uma agência de publicidade de Curitiba supostamente fazendo um filme sobre a história do Hospital Evangélico.  A propósito, a Prefeitura de Curitiba ainda não repassou os recursos federais devidos ao Hospital que atende 30 mil pacientes/mês, deve estar esperando o Evangélico ir a leilão e virar um belo empreendimento para especulação imobiliária, já que o prédio do hospital fica em área nobre, cercado por bacanas, e atende pelo SUS, ou seja, gente pobre.

Comente aqui


Por que sustentar político vagabundo?

Está na ordem do dia a chamada reforma política. Que de reforma não tem nada. Os deputados e senadores estão desesperados para arrumar um jeito para continuar sugando o povo brasileiro. A primeira preocupação deles é arrumar uma nova forma para financiar suas milionárias campanhas e continuar fazendo negócios no Congresso, vendendo leis e se vendendo. O discurso é que as campanhas são caras e que será preciso financiamento público (leia-se grana dos impostos, grana do povo) para que eles continuem mamando. Ora, se o cara quer ser candidato, que se financie. O povo não pode pagar essa conta para sustentar meliante de duas caras que vai vendê-lo na primeira oportunidade. É custosa a campanha? Então, que ela se faça barata apenas no horário gratuito de TV, com panfletos e redes sociais.   Chega dessa história de contratação de cabo eleitoral, que no fundo é disfarce para a compra de votos, chega desse negócio de Caixa 2, porque mesmo com dinheiro público, nada impedirá que o político receba grana por fora. O povo brasileiro tem que acordar e parar de sustentar vagabundo, esses vendilhões da pátria.

Imaculada e o honesto
Dilma, a imaculada e Lula, a alma honesta, caíram no mais profundo abismo da mentira ao se considerar as acusações das empreiteiras contra eles. Sabiam e mamaram nas doações de dinheiro de propina para suas campanhas.

De aluguel
Os partidecos que apoiaram Lula e Dilma vendiam ou alugavam seus horários gratuitos de TV. Lama sem fim.

Partidos de negócios
Aliás, esses partidecos devem ser banidos da política brasileira. São balcões de negócios, nada mais.

Receita Federal
Dos políticos, toda riqueza deve ser investigada.

Carniça 1
Como os espanhóis, devemos chamar açougue de “carnicería”, justo e real.

Carniça 2
O militonto come carniça e coloca culpa na Polícia e na Justiça Federal.

Guris e piás
Minha terra não tem metrô
Nem creche para os piás

Curitiba também tem, Seu Doutor
Calçada para tropeçar
Minha terra tem ipês, meu amor
Para os olhos embelezar…

Minha terra tem boa gente
Que trabalha sem parar
Mas, fedentina e rio morto
Para a gurizada nadar

Minha terra tinha pinheiros
Aves que vinham cá gralhar
Hoje tem prédios pra todo lado
Para no mercado especular

Tem favelas populosas
Para políticos explorar.

Minha terra tem ipês, meu amor
Para os olhos embelezar…

Aos que contam até 17
Povos primitivos não conseguem contar mais do que quatro elementos numa coleção. Incrível, o povo que faz haikai consegue chegar até 17. Primeiro verso cinco sílabas poéticas; segundo, sete; último, cinco. Ou, duas redondilhas menores envolvendo uma maior. Coisa que o haikai japonês nunca teve, a métrica ocidental. Não obstante, temos que respeitar esse povo que sabe fazer contas tão complexas para não passar das 17 sílabas.

Amores
Cônjuge: amor com registro em cartório.
Amante: amor terceirizado.

Patientia, fratres mei!

2 Comentários


China e Europa barram carne brasileira

Depois do escândalo denunciado pela Polícia Federal sobre a carne podre e adulterada vendida para o consumidor, as reações dos mercados interno e externo são mais do que naturais. A Coreia do Sul foi a primeira a anunciar a suspensão das importações brasileiras, depois a China e Chile também embargaram e a União Europeia segue pelo mesmo caminho. Embora o governo brasileiro se esforce para mostrar que tudo não passa de um exagero, certos países têm o bom hábito de cuidar da saúde de seus cidadãos.

Vaca avisada
Para o governo, a PF deveria avisar a vaca no pasto, antes de detonar o escândalo da carne podre.

Marketeiro mágico
Marketeiro que disser que recupera as marcas das carnes envolvidas no escândalo da carne podre ou é um mágico, ou é um pilantra. Nunca conheci marketeiro mágico.

Ácidos para a carniça
Melhorar o currículo de química nas escolas: mais bioquímica para menos carne podre. O ácido usado, além do ascórbico, é o sórbico, para tirar o cheiro de podre da carne.

Internado
Há três dias comendo alface, tomate e coisas do naipe, se me virem abraçando árvore, mandem internar!

Mundo dos gênios mortos
Que capim estão fumando na redação, nas editorias de “cultura”? Basta um músico morrer e o cara se torna gênio, o maior do universo!

Neuropilantragem
Cada pilantragem: agora “universidade” está oferecendo curso de “neuromarketing”!

O doutor repórter
“Não há motivos para pânico, segundo os especialistas”, diz o repórter da TV, grande segurador de microfone, certamente encampando a informação do seu chefe, Ora, para uma notícia assim, em tom doutoral, qual é a dificuldade de citar quem são esses especialistas? Jornalismo de quinta, mais podre do que a carne que se vende à população.

Mão-peluda e o frango
Mais de meia-noite e, morto de cansado, editava a capa do jornal. A manchete: “Frigoríficos de Santa Catarina investem na exportação frango para o Oriente”. Gritei para o boy da redação: “Ó Mão-peluda, apanha uma foto de arquivo de frango sendo processado no frigorífico e manda para a impressão”. No dia seguinte, aparece publicada a foto da linha de produção da Sadia processando enormes perus! Boy lazarento, nunca tinha visto um galinheiro!

Águas da propina
A água do São Francisco
Chegou ao seco sertão
Cheia de propina, não é boa não!

Outono do vagabundo
“Acorda, poeta vagabundo!”,
Sussurrou-me a fria brisa de Outono,
Pontualmente, às 7h29 da manhã,
Nem bem chegou e já quer verso, a folgada!

Cuidado
Cuida com o que pedes a Deus
E diante dos homens e dos ratos
Pediste Justiça e ela veio montada num jato!

 

 

Patientia, fratres mei!

Comente aqui


Bandidos querem reforma política pilantra

Temos uma Câmara e um Senado de bichados – com as raríssimas exceções, claro! – gente que foi comprada por empreiteiras. Gente que não merece ser chamada de gente pelos brasileiros. Enfim, um Congresso de corruptos. Se tivessem pelo menos um tiquinho de vergonha na cara já deveriam ter renunciado, mas isso jamais passa pela cabeça dos ladrões, pois para eles, o roubo era regra e como regra deve continuar. Agora, esses picaretas propõem uma reforma política para deixar tudo como está e, pior, preparando o cenário para a reeleição dos mesmos bandidos de sempre. Eles sabem que se forem para campanha apresentando seus nomes, o povo os jogará no lixo. Por esse motivo, estão propondo uma reforma política boa pra cachorro, com o apoio inclusive da Justiça Eleitoral, em que se pretende o voto em listas fechadas. Ou seja, o eleitor votaria numa lista escolhida pelos partidos dos corruptos e é lógico com o nome dos corruptos a encabeçando, inclusive com preferência para os que já têm cargo público. Está na hora de dizermos um basta. Reforma política só se for com a convocação de uma Constituinte específica para o tema. Gente comprovadamente honesta eleita só para isso. Bandido faz leis para favorecer bandido e não pode votar mais nada. Basta!

Quem avisa…
Há 15 anos avisei o sujeito que essa coisa de se dar bem iria acabar mal!

Hora boa
Doce hora, escutar o lamento dos que se achavam acima das leis e da Justiça.

No interior
Dezoito pessoas rés em Prudentópolis por corrupção, ex-prefeito Gilvan inclusive.

Mais
Tem prefeito na lista do Janot também!

Beto na lista
Beto Richa na lista de Janot. Ganhou um pirulito quem já sabia!

Cuidado, Greca!
Ex-comunicação de Beto Richa apavorado, isnogood, Greca!

Greve de patrão
Grande ‘greve geral’ de Curitiba pegou carona no locaute dos empresários de ônibus!

O TRE é só um cartório?
Deputada federal eleita declara R$ 80 mil de gastos. Só o TRE-PR para engolir essa!

Pelegada sem prática
E o gordo pelego não conseguiu terminar o protesto. 13 anos sem greves.

Filosofia
“Para quem não tem os pés, frieira é sonho” – Mestre Xunda.

Eterna greve
Pelo número de analfabetos funcionais, a Educação está em greve permanente no Brasil.

Nunca tem
Pedir juízo a poeta
É o mesmo que pedir
Dinheiro a miserável.

Mão churrasco
Botei minha mão no fogo por você
E ela virou churrasco!
Nunca mais, nunca mais…

Patientia, fratres mei!

Comente aqui


Odebrecht, a velhacaria de pai para filho

Somente dois minutos de vazamento do depoimento a Sérgio Moro do ex-presidente da organização criminosa Odebrecht, Emílio, no dia de ontem, foram suficientes para demonstrar que o Brasil nunca teve uma democracia de verdade. Ficou claro que, nas últimas décadas, as empreiteiras tinham por hábito comprar políticos para esquemas criminosos que dilapidaram o país e jogaram sua população na mais horrenda pobreza. É um esquema que vem de pai para filho, sucedendo-se, como as famílias mafiosas, em crime constante e continuado. Ora, se o poder do dinheiro elege candidatos, previamente comprados, é evidente que não temos uma democracia, temos sim, um sistema político de quadrilheiros que negocia no mercado do crime suas próprias leis e alvos do roubo.  Este depoimento, na maior tranquilidade e calma de velhaco bandido, mostra a cara de pau, o cinismo e a arrogância de um sujeito que perdeu toda a noção de honestidade e que ainda tem a desfaçatez de dizer que sempre procurou o melhor para o país, como se dele fosse dono, como se a vontade do povo estava à mercê de uma única coisa, do dinheiro que foi roubado do próprio povo.

Caixas bichados, TSE
Se Caixa 2 é “histórico e cultural”, para que serviu até hoje a Justiça Eleitoral? Caixa 2 continuado e Caixa 1 bichado, o TSE vai ter que se explicar: foi conivente, ou incompetente?

Ladrão virtuoso
Cada partido jura que tem o ladrão mais virtuoso. Caixa 2 é roubo sim.

Canastrão
Lula no seu melhor papel: o de eterna vítima que não sabia de nada.

“Imbigo”
Ouvi de um genial deputado estadual: “não vamo ficar olhando para o próprio imbigo”

Pilantras também
Ouvi numa reunião de prefeitos: “não vamos bater palmas para surdo dançar”.

Picuás
Preparem os picuás: seis meses de “matérias” na TV sobre o FGTS.

Itaipu
E o pilantrinha militonto de Itaipu falando em “limpar” imagem de políticos locais! Rá!

Só veneno
Deixei de fazer a barba
Joguei fora as navalhas
Ao notar-te influenciada
Pelos devaneios de Sartre.

Existencialista e suicida
São coisas que, juntas, dão certo
E carece não deixar por perto
Beauvoir, faca ou formicida.

Dia da Poesia
Poesia nada nos custa
Aproveita Poeta, antes que taxem
O luar e a luz das estrelas!

Abunda
A paixão profunda
Em ti abunda, Raimunda!

Patientia, fratres mei!

Comente aqui


Eleições estaduais também foram delatadas pela Odebrecht

É dessa maneira e jeito, na Lava Jato, cada enxadada uma dúzia de minhocas graúdas. E assim, temos muitos governadores e ex-candidatos ao cargo sofrendo com insônia e ataques nervosos. Em seu depoimento ao TSE, o ex-executivo da Odebrecht, Benedito Júnior, o BJ, confirmou o que todo mundo desconfiava: na sua delação premiada da Lava Jato, são 60 anexos em que ele cita os pedidos e liberação de grana da empresa, no Caixa 2, para financiar as campanhas estaduais. Sim, não contente em comprar os corruptos federais, havia também um esquema de compra no varejo, de candidatos nos estados e até mesmo nos municípios, com obras importantes e ou que apresentavam boas perspectivas de negócios para a empresa. Entenda-se “negócios” como a mais deslavada corrupção. Há de inferir também, neste monte de lixo que está vindo à superfície, que outras delações de dirigentes de empreiteiras devem atingir, além dos estados e respectivas assembleias legislativas, as prefeituras, câmaras de vereadores e as insuspeitas secretarias de obras. Desta forma, não vai ser surpresa que se descubra uma tabela da corrupção, com preços bem definidos, que relacionam em valores monetários o custo de cada corrupto pelo cargo disputado. A vergonha fica por conta do corrupto que descobrir que se vendeu barato, baratinho mesmo.

***

Um novo jardim
Flores nascem sobre o esterco. O Brasil que trabalha e é honesto deve plantar um novo jardim, florido com as cores da Justiça e da Verdade, As novas gerações não merecem o lixo deste Congresso de mercadores de leis e que dá o país de presente para empreiteiros.

Militonto bipolar
Para os militontos bipolares, a delação do Odebrecht vale para todo mundo, menos para eles e os ladrões de estimação, é claro!

A sonsa
Além de Aécio, Marina Sonsinha da Silva também levou uma grana verde da empreiteira.

Bunda suja
Político da bunda suja: aquele que vendeu o país para uma empreiteira tomar conta!

Bandidos
Do jeito que vai a coisa, a eleição de 2018 será decidida na penitenciária!

Cães vadios
Se vivo fosse, Leonel Brizola daria uma surra de facão pranchado nesses cuscos vadios que venderam o PDT a troco de cargos e ministérios.

Em espírito
“Mãs, bah tchê, até tu, PDT!”, Frase ouvida de dentro do túmulo de Leonel Brizola.

Governo roubista
Odorico Mortadelaçu: “O governo entreguista golpeou o governo roubista”.

Mobral já!
Pela reativação do Mobral, urgente!

Bangu
Bruno deve jogar no gol do Bangu. Sugiro Sérgio Cabral na zaga, bandido prata da casa mal utilizado no esquema tático do time da penitenciária.

É assim
Para os que não gosto, o fel das frases secas. Para os que gosto, o mel dos versos.

O choro
Saudade a chorar em mim,
Qual soluço é o teu,
Qual soluço é o meu, enfim?

Serra do Mar
Sol, bolinha de fogo no céu
Nuvens brincam de pegar
E escondem-se na Serra do Mar.

Patientia, fratres mei!

Comente aqui


Receita Federal gosta de esfolar pobre

A Receita Federal, que consegue cobrar centavo por centavo do imposto de renda do trabalhador brasileiro, deve-nos uma explicação de como esses bilhões desviados dos cofres públicos por essa turma envolvida na Lava Jato, foram mandados para paraísos fiscais – bancos, empresas, cuecas – por anos, e sem ela dar um pio. Ou foi negligência, ou o sistema só funciona para os pobres assalariados. Desculpe-nos, mas pelo volume movimentado, não podemos pensar outra coisa. E por falar nisso, quando é que a RF vai corrigir sua vergonhosa tabela que avança ano após ano sobre o bolso vazio dos esfolados trabalhadores?

***

Perjúrio
Não nos parece que Marcelo Odebrecht queira juntar o perjúrio a seus crimes.Caso ele tenha mentido na qualidade de testemunha, no mínimo mais três anos de cana. Ele não nos parece tão burro assim!

Tem alguém aí?
Notícia agora será encontrar algum político honesto, os desonestos já sabemos.

Aposentado no sindicato
Fico muito admirado em ver velho camarada sindicalista, que há mais 30 anos não comparece na empresa para trabalhar, reclamando da reforma da previdência. Vai se aposentar pelo sindicato?

A revolta do gaúcho
“Mãs, bah tchê, até tu, PDT!”, Frase ouvida de dentro do túmulo de Leonel Brizola.

Mãe-joana
UFPR-MJ, Universidade Federal do Paraná e da Mãe-Joana. – Vi a lista dos envolvidos e dos presos por desviarem recursos da UFPR, identifiquei vários deles que participaram de protestos pedindo mais verbas para a universidade. Quem não chora não mama!

Tem mais
A coisa está feia nas universidades e deve chegar também às UTFPRs, nas bolsas de pai para filho!

Jornais
Os gatos de apartamento lamentam o fim dos jornais impressos. C*g*r só na areia é monótono.

Mobral
Vários “intelectuais” do movimento estudantil assinaram o manifesto pró-Lula.

Desde 1088
Universidade de verdade usa campus et campi; universidade meia-boca: câmpus.

Só louco
Mau negócio: brigar com padre, juiz, jornalista ou sogra.

Rio de propina
Le Monde aponta que houve propina na escolha do Rio para a olimpíada. Rá, o óbvio!

Grátis
Marcelo Odebrecht anunciou no TSE construção de penitenciária com lago e pedalinho.

A menina e a cobra
A cobra é cega e lisa, menina
Nasce com uma só cabeça
Mas como não tem ombro
Mente que é só ali nas coxas
Nas beiras, e neste bem-bom
Escorrega e está feita a besteira!

Patientia, fratres mei!

Comente aqui


Odebrecht, o “bobo” que comandava o Brasil

Magnífica é a capacidade dos grandes pulhas se fazerem de vítimas. No depoimento que prestou nesta quarta-feira (1) à Justiça Eleitoral, o condenado Marcelo Odebrecht disse que se sentia o “otário” “bobo da corte” do governo federal. O ex-presidente da Odebrecht, que já havia confirmado pagamento em dinheiro vivo ao ex-presidente Lula, segundo a Revista IstoÉ, demonstrou descontentamento por ser obrigado a entrar em projetos e empreendimentos que não desejava e bancar repasses às campanhas eleitorais, sem receber as contrapartidas que julgava necessárias. Marcelo Odebrecht declarou que mantinha contato frequente com o alto escalão do governo – como Guido Mantega, ex-ministro da Fazenda do governo Dilma Rousseff, com quem disse negociar os repasses do produto da maracutaia. “Eu não era o dono do governo, eu era o otário do governo. Eu era o bobo da corte do governo”, afirmou Marcelo Odebrecht, segundo relatos colhidos pelo jornal O Estado de S. Paulo. Ora, se Marcelo era o otário, o que vamos dizer do cidadão brasileiro? Que otário é esse que compra leis, compra políticos, rouba-nos e ainda usa o dinheiro do roubo para financiar campanhas eleitorais para continuar roubando?

O golpe da incompetência
Com frequência, os ineptos dão apelidos para a própria incompetência, no caso: “golpe”. Como é que pode, um partido que dominou o país por 13 anos, com militantes nos postos de comando dos poderes Executivo, Legislativo e até indicados nas cortes de Justiça, com penas regiamente pagas na imprensa, acusar ser vítima de um golpe político e se dizer imolado por um juiz de primeira instância?

Brasil sem ódio
Devemos restituir ao Brasil sua voz de altivez e grandeza, devolver-lhe a determinação de seu povo, suprimir-lhe o ódio, para que ele grite às nações sua vocação pacífica, seu amor pela verdade e não pelos clichês de propaganda e da mediocridade.

Pensar sem dor
Ao contrário do que muitos pensam, o computador ainda não pensa! A cibernética nos deu o computador e seus derivados (celulares, por exemplo) que são grandes bobos que guardam quantidades cada vez maiores de informações. Nada no computador funciona sem uma programação prévia. Então, geração mimimi, pensar não dói e não adianta esperar o seu computador fazer isso por você!

Currículo bonito e só
Temos escolas com currículos fabulosos, mas que não ensinam a ler, a escrever e a pensar.

A lógica em si
Usar equipamentos de informática no ensino é necessário, mas não esqueça que seu uso desenvolve habilidades mecânicas, num universo de informações desconexas. A parte de raciocínio, da lógica em si, e a do processamento das informações dependem do desenvolvimento da capacidade do educando pelos métodos tradicionais de ensino, em que o professor é condutor principal.

Pedagogia do mimimi
A pedagogia de algumas escolas manda pegar leve com aritmética e gramática para não “traumatizar” o aluno. Adulto, o sujeito se traumatiza ao se descobrir analfabeto nas letras e nos números. Escola é para ensinar, não para criar ignaros do mimimi.

Castigo de Baco
Nem zumbi salva! Escola que festejou Curitiba foi rebaixada! Castigo de Baco!

A originalidade
No fazer e refazer dos séculos, rara é a originalidade, sobremodo nas artes.

Quaresma
Nas noites escuras da quaresma
O peão se benze:
– Assombração, ó peste, cruz credo!

Tempos medonhos
Que tempo este, amigos
Este tempo no qual vivemos
Fingido, líquido, flácido…

Patientia, fratres mei!

Comente aqui


Ônibus em Curitiba, muito caro e sem conforto

Ônibus lotado em Curitiba – Gazeta do Povo

O prefeito de Curitiba, Valdomiro Greca (PMN), insiste na tarifa de R$ 4,25 para o transporte coletivo da Cidade. O Tribunal de Contas disse que não, mas o Tribunal de Justiça disse que sim. E nessa briga de elefantes, quem se danou mesmo foi a grama, ou seja, o povo, esse ente retórico dos flácidos discursos políticos, o qual pena na maior crise econômica já registrada pela história brasileira.

Greca diz ter lá os seus motivos e infere que o sistema está entre a cruz e caldeirinha, a majoração tarifária seria apenas um remédio amargo para o doente não definhar de vez.  Conhecemos esse gasto rosário, a mesma velha ladainha de sempre para magicamente remendar um sistema sabidamente ultrapassado e que já não atende satisfatoriamente à população.

A maior parte dos ônibus é praticamente sucata rodante, sem conforto algum, em que se viaja pendurado em varões, ou quando com alguma sorte, sentado em bancos sem estofamento e cinto de segurança. Nem mesmo ar condicionado, nos dias quentes, ou ar quente, nos dias frios, para justificar o quase dólar e meio cobrado por uma única viagem.

O mesmo acontece com as estações no formato de tubo, que encanam vento e chuva. Estações bonitinhas, porém ordinárias. Projetadas de forma horrorosa para nosso inconstante clima e com um pedaço de cano para o passageiro se encostar, num desconforto digno de câmaras de tortura.

Quanto aos terminais, os que existem parecem favelinhas urbanas, feinhos, feitos no improviso do aglomerado emborrachado e que no improviso ficaram. Isso sem falar que faz tempo que a cidade não ganha novos terminais, mesmo nos bairros que já os comportam, como o Pilarzinho e o Atuba.

Pensar que tudo está resolvido, porque espertamente se anteciparam as decisões para antes do Carnaval e se contou com a benevolência dos sectários de Momo, é erro. Temos aqui as redes sociais, e depois do Carnaval, todo mundo vai ter que pagar passagens para trabalhar. O bolso vai doer e acordar a memória do povo. Além de tudo, os estudantes retornam em sua totalidade às aulas. Não vai ser só por 20 centavos! Creiam-me! Essa novela ainda está em seu começo.

***
A ponte de Nietzshce e Jandisclay
“O Homem é uma ponte suspensa no abismo que liga a besta ao Super-Homem”. Friedrich Nietzsche, filósofo. “O homem brasileiro é uma ponte superfaturada por empreiteiros unindo a fome com a vontade de comer” – Jandisclay, filósofo e pedreiro.

Caritó no coração
Separa no coração um caritó
Um cantinho para coisas velhas
Em desuso, coisas de dó.

Brasil não merece
Viajar pelo Brasil e descobrir que o Brasil não merece os políticos que tem.

No balde
Em tempos de internet, censurar jornais é tentar esvaziar o mar com um baldinho.

As portas
Nos escuros
Abra portas para buscar a claridade
Mas, cuidado
Algumas dão para o Sol do jardim
Outras para os terrores da tempestade.

Namorada do lupanar
Alma Penada, amigo do Jandisclay, tomou o maior porrete no bar do Espiga. Antes de cair, repetiu sua história, triste pra cachorro. Alma Penada foi soldado, e na sua primeira saída do quartel, aos 18 anos, sem conhecer mulher, foi com os amigos para ser iniciado na Rua Riachuelo. Ficou com uma moça do interior, caipira como ele. Se apaixonou, levava até leite para o filho da sua amada, que não era dele, “mas que não fazia diferença”. Montou casa e, antes do Carnaval, deu baixa na tropa. Foi procurar a “Caipirinha”, queria casar na igreja e no cartório, e ela disse não. Alma Penada não era mais do Exército, e ela gostava de farda.

Patientia, fratres mei!

Comente aqui