Esportes



Itapoá ‘arruma a casa’ e anuncia obras em avenidas e parque

Depois de enfrentar vários problemas herdados de antigas gestões, desde os relacionados com a arrecadação até os de meio ambiente, a prefeitura de Itapoá anuncia importante programa de obras com início previsto para este ano. As principais delas são a revitalização de duas avenidas e a implantação de um parque linear

A avenida André Rodrigues de Freitas, em Itapoá, ganhará guias rebaixadas, estacionamento para bicicletas, ciclovia e faixa de pedestre, dentro das normas técnicas de mobilidade e preservação ambiental

CURITIBA – Os municípios brasileiros desde todo o sempre convivem com a escassez de recursos para obras. A atual administração de Itapoá, Litoral Norte de Santa Catarina, está há dois anos aprimorando os processos de gestão pública, na intenção de implementar importantes programas de obras financiados com recursos próprios, entre elas duas grandes avenidas e um parque linear.

Rodrigo Lopes: dois anos aprimorando a gestão pública de Itapoá

Ao conversar com Rodrigo Lopes, chefe de gabinete da Prefeitura de Itapoá, é fácil se chegar à conclusão que a realidade política dos municípios brasileiros é comum. O cobertor das prefeituras foi sempre muito curto; de ordinário, os recursos próprios são insuficientes para as grandes obras cobradas pela população.

“Estamos há dois anos colocando a casa em ordem: reduzindo despesas, revendo contratos, cobrando os tributos como deve ser feito, cuidando do meio ambiente por meio da legislação”, diz Rodrigo. “Ser austero pode desagradar alguns setores da sociedade por um tempo, mas isso muda a partir do momento em que as pessoas entendem a razão de certas medidas. Embora algumas  pareçam impopulares, elas são necessárias para uma gestão eficiente.”

Ou seja, a receita seguida pela Prefeitura de Itapoá é muito antiga, fruto de problemas de nossa legislação, e pouco ou nada difere das que são seguidas pelas prefeituras desde a República Velha. Um ou dois anos de ajustes na gestão e só depois, se for possível, o desenvolvimento de um plano de obras.

“Agora já contamos com os recursos próprios necessários para revitalizar com toda qualidade possível, duas importantes avenidas, a André Rodrigues e a Celso Ramos, além da implementação de um parque linear em Itapoá” – revela Rodrigo. Essas obras já estão em fase de licitação e devem começar ainda este ano. A Prefeitura de Itapoá administra este ano um orçamento de R$ 113 milhões.

Quadra 1 do Parque Linear de Itapoá, que deve ser implantado ainda este ano

Para a estudante de Arquitetura e também Artes Caroline Sales, que é de Curitiba (PR) e passa suas férias em Itapoá, o Urbanismo não pode estar dissociado da preservação ambiental, muito pelo contrário, todo projeto deve ter como propósito o cidadão em harmonia com o meio ambiente. “É possível ver nesses projetos o destaque para o meio ambiente, perfeitamente dentro das normas técnicas que privilegiam a mobilidade, em atenção ao pedestres e ciclistas. Tenho certeza que depois que as obras estiverem prontas, os moradores e turistas vão ganhar muito em qualidade de vida”, afirmou a Caroline.

A estudante cita o livro Planejamento Urbano e Meio Ambiente das arquitetas e urbanistas Gilda e Simone A. Cassilha da PUC-PR: “Uma cidade, não importa sua localização geográfica ou seu tamanho, deve ter preocupações com coleta seletiva do lixo, abastecimento de água potável, rigor na localização dos diversos usos – comercial, residencial, de serviços ou industrial, existência de locais de lazer para o uso público como praças e parques, enfim, uma dimensão de cidade  a ser vivida por uma comunidade e que deve possuir obrigatoriamente certo nível de organização.”

Av. Celso Ramos dentro dos padrões modernos de mobilidade

 

Trecho da atual Avenida Celso Ramos

Avenida Celso Ramos das obras de revitalização – novo asfalto, ciclovia e faixas para pedestres

 

Avenida Celso Ramos contará com pontos de ônibus cobertos e recuo para a parada de ônibus

 

Gestão ‘em dois tempos’ dos municípios vem desde a República Velha

O escritor Graciliano Ramos foi prefeito e considerado administrador exemplar

Como adiantamos, esse problema dos administradores terem que dedicar praticamente a metade de suas gestões para ‘arrumar a casa’ não vem de hoje. Em 1930, ainda antes de se tornar um dos maiores escritores brasileiros, Graciliano Ramos foi prefeito de Palmeira dos Índios (Alagoas). E assim, justamente como prefeito, por meio de seus relatórios ao governador, é que Graciliano se destacaria na imprensa nacional como intelectual e depois e como escritor, porque seus relatórios são antes de tudo, obras literárias.

Austero e comprometido com a administração pública, Graciliano relatava a dura tarefa de administrar um município e as carências de seu povo; por dois anos ele teve que tratar de economizar, rever contratações de pessoal e contratos com terceiros, fiscalizar, tirar privilégios e editar novas leis. Aliás, consta que ele mandou a fiscalização da prefeitura multar o próprio pai, que costumava deixar animais de sua propriedade soltos na rua, o que contrariava o Código de Posturas do município e que, até então, ninguém obedecia.

Somente depois, Graciliano começou a fazer investimentos. Com as verbas sempre aquém das necessárias, Graciliano revela, num dos trechos mais engraçados de seus relatórios, que teve que redirecionar o orçamento destinado à reforma do cemitério para a ampliação de vias públicas. Para o prefeito, os mortos poderiam aguardar mais um pouco, pois eram os munícipes que não reclamavam.

Comente aqui


Por que chora Schumacher?

O estado de saúde do ex-piloto alemão de Fórmula 1, Michael Schumacher (49) está envolto em mistérios desde o acidente de esqui em 2013, que lhe deixou em coma por muito tempo. Mas de acordo com informações da revista Paris Match, um membro da família do ex-piloto disse que escorre lágrimas silenciosas de emoção dos olhos de Schumacher quando ele contempla o Lago de Geneva (Lac Léman) e a natureza que lhe rodeia desde a janela de sua mansão na cidade suíça de Gland.

O Lago Léman ou Lago Lemano , que se chama Lac Léman na França e na Suíça, mas que é conhecido nalguns países como Lac de Genève, é um lago situado na França e na Suíça. É o maior lago da Europa Ocidental.

Schumacher também se emociona quando recebe estímulos com sons dos motores de carros de corrida por meio de fones de ouvido.

A revista francesa também informa que o ex-piloto segue sem poder caminhar e falar, embora apresente melhoras ao realizar os exercícios de reabilitação na piscina. Neste tempo todo, Shumacher está sendo acompanhado pela sua mulher Corinna Betsch, que ainda crê ser o estado do marido reversível. (tradução: Fernando Nandé).

2 Comentários


Mais uma medíocre Seleção Brasileira

pernaEssa seleçãozinha, a que se apresenta nos jogos do Pan, é o retrato da mediocridade no futebol masculino brasileiro. Os jogadores que “enfrentaram”  a seleção do Uruguai ontem, são frangos de granja oriundos dessas escolinhas que formam pernas-de-pau conformados e enquadrados em esquemas táticos do tempo dos afonsinhos, superados desde a década de 1980, pelo menos.

Sem personalidade alguma, no conjunto e individualmente falando, não nos foi possível identificar um craque nessa seleção, um galinho depenado desses que jogam pelada nos campinhos de vila e que comandam qualquer time, porque contam com bom futebol, nos pés descalços, e liderança natural. Ninguém ali,no jogo, estava com o coração na ponta da chuteira. Creio, sinceramente, que a única coisa que tinham na chuteira era o colorido de uma marca esportiva, suspeita patrocinadora de gente mais comprometida com seus empresários e interesses financeiros do que com o time nacional que defende, com as cores nacionais, e deveria amar.

Na realidade, o que existe é muita conversa e papo-furado dos ditos “professores”, esses técnicos e preparadores físicos que babam os ovos dos dirigentes da CBF, sempre metidos em pilantragens. Para esses medíocres, o jogador tem que ter a altura certa, o biotipo para aguentar o tranco de jogos seguidos e blá-blá-blá. Assim, saber jogar bola é um detalhe apenas. Com esses critérios de parvos, hoje, certamente um Garrincha ou Zico não teriam lugar em nenhum time da primeira divisão brasileira.

O Uruguai, como sempre, jogou na raça, com um jogador a menos durante quase toda a partida. O time brasileiro fez até um gol, mas foi só o Uruguai endurecer e a porteira se abriu em dois tentos seguidos, já no final da partida.

Temos que repensar o futebol brasileiro, caso contrário não ganharemos mais nem campeonato de jogo de botão. Imagina na próxima Copa, com um time desses dirigido pelo “genial” Dunga! – Desculpem-me, acho que fui muito além no meu otimismo, na verdade, nessas condições, acho que nem nos classificaremos para a Copa!

 

Esportes, Geral
Comente aqui