Dia dos Pais… aborto… preservação da vida…

 

Dias dos Pais, por coincidência em um clima de discussões sobre a descriminalizar o aborto, destaque para uma entidade que só existe em Maringá e em nenhuma outra parte do Brasil: o Lar Preservação da Vida.

Iniciativa de espíritas localizada na Vila Marumbi, não governamental, o Lar pratica a opção acertada: estende a mão, dá todo suporte à mulher grávida e ao filho que vai nascer, garantindo a nova vida independentemente se a mãe poderá cria-la, ou se a entregará para adoção.

O Lar se responsabiliza por cada gestante que acolhe e em 33 anos de história já registra cerca de 1100 nascimentos, cada um deles envolvendo o drama da mulher grávida repelida ou sem condições, seja ela jovem ou madura. Um traço praticamente comum a cada drama: a não aceitação da criança por parte do pai.

Em 2007 o Lar iniciou o projeto “Sim à Vida” que busca evitar o aborto. Outro projeto gratificante é o “20 Anos Depois”. Ele reúne as mães e aqueles bebês de duas dezenas de anos atrás para dar testemunho, relatar os dramas e a felicidade atual.

O lema do Lar: “A nossa felicidade será naturalmente proporcional em relação á felicidade que fizermos para os outros”. Allan Kardec.

Comente aqui


SINDICATO DOS SERVIDORES QUER ZERAR A FILA DAS CRECHES

O Sindicato dos Servidores Municipais de Maringá quer ajudar o prefeito Ulisses Maia a cumprir um dos seus compromissos eleitorais. Em documento com 11 páginas protocolado na prefeitura, o SISMMAR revê sua posição e sugere fórmula para que o prefeito encaixe finalmente uma longa fila de crianças – de 0 a 3 anos de idade – em creches da cidade.

A solução desse problema é exigida pelo Ministério Público em ação civil pública na Vara da Infância e Juventude e a sugestão do sindicato é fundamentada. Segundo a presidente Iraídes Baptistoni, “Nosso objetivo é ajudar a administração a conseguir vagas para todas as crianças que estão na fila de espera, por isso a realização dessa análise feita pelo jurídico do sindicato, conforme deliberado em assembleia”.

Inicialmente o sindicato propõe que Ulisses peça mais tempo ao Judiciário para resolver o problema. E que obtendo a postergação trabalhe para reduzir os gastos da folha de pagamento – hoje quase no limite prudencial – e abrir possibilidade para contratar mais servidores para as creches do município. Reiterando ser contra a terceirização parcial da educação infantil – propostas de Ulisses e da secretária Valkiria Trindade (Seduc) – também sugerem que a prefeitura acione a União para que assuma a corresponsabilidade pelos “sem creche”.

Finalizando, para demonstrar que os servidores também estão sensibilizados com o problema das crianças sem vagas nas creches municipais o sindicato abre um flanco em relação a posicionamento anterior: admite a contratação de vagas em creches particulares, desde que a administração estipule um prazo razoável para esse convênio, buscando alocar as crianças na rede municipal dentro do prazo mais curto possível.

Comente aqui


TCE SUSPENDE LICITAÇÃO DO AEROPORTO DE MARINGÁ

O Tribunal de Contas do Estado suspendeu licitação para a contratação de empresa para operar a Estação Prestadora de Serviços de Telecomunicações e de Tráfego Aéreo do aeroporto de Maringá. A proposta engloba torre de controle, estação meteorológica de superfície e sala de serviço de informação aeronáutica, com fornecimento de mão de obra especializada.

De acordo com o tribunal, a empresa de economia mista Terminais Aéreos de Maringá SBMG S.A.deverá informar as providências tomadas em relação à licitação e justificar qualquer alteração do edital incompatível com a legislação, além de apresentar a publicação do instrumento convocatório e observar os prazos legais, com a retomada das fases de recebimento das propostas e seguintes.

Precisará também apresentar todas as providências tomadas para a realização de concurso público; disponibilizar o cronograma futuro de toda a contratação de pessoal; juntar cópias de todo o processo administrativo; demonstrar que está providenciando a contratação e evidenciar a caracterização de situação emergencial da licitação.

A cautelar foi concedida pelo conselheiro Fernando Guimarães em 16 de julho e homologada na sessão do Tribunal Pleno realizada no último dia 19. Partiu de uma representação formulada pela empresa Airlift Soluções Aeronáuticas Ltda, apontando que a licitação visa contratar empresa operadora para atuar em conjunto com o pessoal concursado, sem distinguir qual a responsabilidade de cada um na prestação dos serviços. Também, que foram fixados no edital a quantidade de profissionais, as suas funções, o regime de trabalho e os custos trabalhistas, mas a eficiência operacional da empresa contratada seria gerenciada pela contratante quanto às normas referentes à operação de EPTAs.

Segundo a representação, a vencedora da licitação teria que utilizar e supervisionar os empregados públicos remanescentes da SBMG; mas o instrumento convocatório não prevê qualquer exigência de experiência técnica para a participação de licitantes, como se fosse licitada uma simples contratação de mão de obra, sem a operação da EPTA como um todo.

Comente aqui


Ministros alugam área de segurança exclusiva em Brasília

Habitamos um país onde os juízes ministros, por conta de suas sentenças não se sentem em condições de segurança para conviver com a população nem mesmo no aeroporto da capital federal.

Os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) que já possuíam a exclusividade de uma área VIP no aeroporto de Brasília, após algumas manifestações de cidadãos mais politizados decidiram comprar um isolamento de estrelas, detalhe que vinham sido mantido em sigilo.

De acordo com o tribunal, o aluguel da nova área, diferente da sala que a Corte tinha anteriormente no terminal de passageiros, ocorreu para garantir a proteção dos ministros depois da exposição com os julgamentos do mensalão e da Lava Jato. O espaço tem custo anual de R$ 374,6 mil e já é utilizado desde julho do ano passado.

Comente aqui


Brasileiros envolvidos com a “prostituição” da cidadania europeia

A concessão dos vistos de residência “Gold” em Portugal representa a “prostituição” da cidadania europeia, denuncia a vice-presidente da Comissão sobre Crimes Financeiros do Parlamento Europeu (PE), eurodeputada Ana Gomes (Partido Socialista) português. Ela se refere aos vistos de residência que já beneficiaram 451 brasileiros desde o início do programa, em 2012, para amenizar os efeitos da crise econômica de Portugal.

O sistema que pode abrir brechas para crimes financeiros é foco de um relatório da parlamentar visando impedir a concessão desse tipo de visto, onde o estrangeiro adquire um imóvel de no mínimo € 500 mil (mais de R$ 2 milhões), transação atrelada à obtenção da cidadania portuguesa após um prazo de seis anos.

O alerta foi acionado na Europa, após ser constatado pelo jornal britânico “The Guardian” que três brasileiros envolvidos pela Lava Jato estão entre esses adquirentes de imóveis em Portugal. São eles: Otávio Azevedo, ex-presidente da construtora Andrade Gutierrez; Sérgio Lins Andrade, acionista da mesma empresa, e Pedro Novis, ex-presidente da Odebrecht.

Tendo em vista esses casos suspeitos, a eurodeputada agora luta para investigar outros: “Se me derem dados concretos, eu gostaria muito de ter acesso a esta lista de 451 cidadãos brasileiros. Saber quem eles são. Muitos, eu poderei saber, outros, só com ajuda dos parceiros brasileiros. Isso seria muito útil e estou à disposição para colaborar com autoridades policiais, judiciárias, parlamentares ou da sociedade civil”.

Na outra ponta do problema, em resistências que aumentam as suspeitas, o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) e o Ministério da Administração Interna (MAI), dificultam a investigação. Em sua defesa, a Comissão Nacional da Proteção de Dados (CNPD), órgão do Parlamento Português, mas que funciona de maneira independente, alega que divulgar a lista seria “violação de privacidade”.

Comente aqui


Plano B do PT pode ungir Gleisi Hoffmann

O quadro político se encaminha para que o Paraná tenha dois candidatos à presidente da República. Além do senador Álvaro Dias (Podemos), também se esboça a candidatura da senadora Gleisi Hoffmann (PT).

A viabilidade de Gleisi começa a ser sondada através da Paraná Pesquisa. A opinião do eleitorado – principalmente petista – deverá ocorrer nos próximos dias.

Para consumo público, a presidente nacional do Partido dos Trabalhadores continua batendo na tecla de que o partido é Lula e não tem plano B. Com o líder preso e barrado pelo Ficha-Limpa, não se visualiza nenhuma rejeição contra o objetivo da pesquisa em um cenário em que nada ocorre por acaso.

O negado plano B está em andamento e mesmo preso Lula poderá ungir seu segundo erro de indicação para a presidência da República.

Admirador da inteligência política do líder petista, o ex-ministro Delfim Neto foi sardônico ao definir a escolha de Lula por Dilma – que é muito mais preparada que Gleisi – para a presidência: “Os inteligentes também erram!”

2 Comentários


UniCesumar inaugura capela e lança livro histórico

O reitor Wilson de Matos Silva e a governadora Cida Borghetti inauguram hoje no campus da UniCesumar, capela cuja qualidade e beleza arquitetônica a diferenciam e credenciam como um novo atrativo turístico e religioso de Maringá e região.

A Capela Cristã UniCesumar que será entregue às 14 horas foi idealizada pelo próprio reitor, inspirado em obras de Bruges, cidade belga que em 2002 ganhou o título de ‘Capital Europeia da Cultura’.

A construção da capela agrega elementos alusivos à força e beleza da natureza: pedra (nas paredes), ferro (na cruz), azul nos vitrais (representando o céu) e verde no peitoril do mezanino (representando a água).

Com área de 960,47m2, 17,30 metros de altura e localização privilegiada, o templo constitui um novo e permanente estímulo visual e espiritual para acadêmicos, professores e funcionários, já que pode ser avistado de qualquer ponto do câmpus da UniCesumar.

Também nesta sexta-feira a UniCesumar lança o volume II do “Maringá 70 anos – A Cidade Contada Pelos que Viveram Sua História”, livro que complementa o volume I lançado em maio de 2017, reportando o período de 1923 a 1959.

Com essas duas publicações o projeto iniciado pelo reitor Wilson de Matos cumpre a missão de realizar o resgate histórico dos 70 primeiros e vibrantes anos da cidade, fechando com “chave de ouro” as celebrações dos 70 anos de Maringá. Os livros estarão sendo vendidos no Museu UniCesumar, e em breve nas melhores livrarias da cidade.

Comente aqui


A escorchante e injusta carga tributária brasileira

* Por Celso Tracco

           O brasileiro trabalha mais de 5 meses por ano (153 dias) apenas para pagar impostos, taxas e contribuições aos governos federal, estadual e municipal. Existem cerca de 90 modalidades diferentes de obrigações tributárias que infernizam o cotidiano da população. Neste cipoal de normas tributárias, deve-se considerar que as regras mudam constantemente, para desespero dos contribuintes e alegria dos advogados tributaristas.

           Desde 1990, posse de Fernando Collor, primeiro presidente eleito democraticamente depois da ditadura militar, a carga tributária brasileira só cresce. Em 1990 ela correspondia a 23% do PIB, em 2017 chegou a 33% do PIB. Como não houveram condições políticas para aumento de impostos desde 2014, em função de escândalos de corrupção, recessão econômica, impeachment da presidente Dilma, as contas públicas apresentaram um déficit em torno de R$ 150 bilhões, financiados por empréstimos bancários. A situação fiscal de estados como Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul é dramática. Ou seja, a carga tributária brasileira que é uma das mais altas do mundo, ainda é pequena para fazer frente aos gastos governamentais, muitos deles inúteis.

             Imposto tem uma essência positiva, como mecanismo de redistribuição de renda, visando uma maior justiça social. Aqueles que possuem mais, renda e patrimônio, deveriam pagar mais, em relação aos que têm menos, desse modo subsidiando as necessidades dos mais pobres como: educação, saúde, moradia, segurança, transporte, saneamento básico. Mas aqui, não é isso que acontece. No Brasil, além de se pagar muito em geral, o pobre paga, proporcionalmente mais do que o rico, outra injustiça social. Isto se deve a que a estrutura fiscal no Brasil taxa mais a produção, o trabalho e o consumo, quando deveria taxar mais a renda e o patrimônio. O pobre paga mais porque praticamente toda a sua renda está comprometida com necessidades essenciais: moradia, alimentação, transporte, vestuário, bens e serviços que embutem imposto indireto, assim, a cada 4 pratos de comida, por mais simples que seja, 1 vai para o governo. Podemos dizer que a classe dos mais necessitados vive em uma condição servil e de semiescravidão e que o sistema fiscal é o responsável.

             Para atender aos gastos sempre crescentes da máquina pública, executivo, legislativo, judiciário, empresas estatais, os “senhores feudais de plantão”, não importando a ideologia política, só conhecem um caminho: aumentar impostos, infelicitando os brasileiros e impedindo um real crescimento econômico e uma melhor condição de vida.

Celso Luiz Tracco é economista e autor do livro Às Margens do Ipiranga – a esperança em sobreviver numa sociedade desigual.

Comente aqui


LIBERDADE DE LULA PODE PROVOCAR LUTA ARMADA

Se o Supremo Tribunal Federal deixar Luiz Inácio Lula da Silva solto estará agindo como “indutor” da violência entre os brasileiros e “propagando a luta fratricida, em vez de amenizá-la”. Essa é a opinião do general de Exército da reserva Luiz Gonzaga Schroeder Lessa, destacando a importância do julgamento que o TRF fará amanhã.

Tendo em vista as reações populares contra a caravana do líder petista nos Estados sulinos, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, e boas recepções previstas para as regiões Norte e Nordeste, a análise é de que Lula vai continuar, irresponsavelmente e em interesse próprio, pregando que é representante de pobres e oprimidos contra “elites”, defensor na luta de “ricos contra pobres”.

Para o general, se o tribunal titubear permitindo a candidatura do ex-presidente semeador de ventos deixará as Forças Armadas sem outra alternativa que não seja a do seu dever de uma intervenção militar.

Entrevistado pelo O Estado de S. Paulo, Lessa externa a opinião de oficiais generais da reserva contra a concessão de habeas corpus que impeça a prisão de Lula, para eles “uma rasteira na lei”.

Para outro general, Paulo Chagas (pré-candidato ao governo do DF), “Nosso objetivo principal nesse momento é impedir mudanças na lei e colocar atrás das grades um chefe de organização criminosa já julgado e condenado a mais de 12 anos de prisão que, com o respaldo desse supremo fortim (o STF), tem circulado livre e debochadamente por todo o território nacional, contando mentiras, pregando o ódio e a luta de classes”.

O general Lessa vai adiante, aventando que se Lula continuar à solta, pregando o ódio “Vai ter derramamento de sangue, infelizmente é isso que a gente receia.” Disse também ser necessário evitar uma crise que “vai ser resolvida na bala” se continuarem a “abdicar da Justiça e fazer politicagem na mais Alta Corte do País.”

Para o ex-comandante militar do Leste, da Amazônia e do Clube Militar, se as Forças Armadas se julgarem na obrigação de agir haverá muitas mortes porque, concorrendo e influindo nos interesses locais estarão presentes também os globalistas, políticos, ideológicos e até do crime organizado.

1 Comentário


Começa a intervenção militar no Rio

 

O secretário de Segurança do Rio de Janeiro, Roberto Sá, será afastado ainda hoje. Para tentar vencer a guerra contra a poderosa e disseminada bandidagem assumirá um general do Exército.

O inesperado da mudança demonstra que as autoridades federais chegaram à conclusão de que a corrupção entranhada em todos os níveis oficiais do Rio não pode ser contida por um comando civil ou integrante das suas polícias.

Só mesmo um general, depois do possível afastamento também de coronéis, posicionado acima de todos e talhado pela rotina espartana da caserna, poderá quebrar a corrupção incrustada e tratar os traficantes como inimigos de guerra.

O general Walter Souza Braga Neto do Comando Militar do Leste, descrito como durão, incorruptível, terá autoridade como alta patente do Exército, para assumir o comando de todas as forças policiais disponíveis. Ele pretende enfeixar como uma só força, agindo em conjunto – atualmente obedecem a comandos distintos – os policiais civis, federais e militares. Essa organização das forças da lei vai fechar muitas brechas mantidas com dinheiro do tráfico e minar a força dos chefões que inclusive montaram QGs nos locais menos prováveis, as penitenciárias.

Marcada para vigorar até o último dia do ano, o resultado da intervenção militar na área de segurança pública poderá influir também eleitoralmente na população esgotada e traumatizada por tiroteios que quebram sua rotina diária, comandam a vida em comunidades e ameaçam com balaços até as crianças dentro de creches e escolas.

Comente aqui