Sindicato registra sinais de retomada econômica

Pela primeira vez nos últimos três anos são registrados sinais de uma retomada econômica no Brasil. Três em cada dez empresas acreditam que a economia sairá da crise

A fonte dessa boa nova é do Sindicato da Micro e Pequena Indústria do Estado de São Paulo (Simpi), através da 50a. rodada do Indicador de Atividade da Micro e Pequena Indústria, encomendado pelo sindicato ao Datafolha.

A tabela mostra os primeiros sinais positivos desde o início da crise econômica, em setembro de 2014, no cenário industrial.

Faturamento

Abril/2017

Março/2017

Ótimo/Bom

22%

20%

Regular

37%

32%

Ruim/Péssimo

40%

48%

Para 35% dos entrevistados, a situação de suas empresas em abril esteve ótima ou boa, ante 26% em março. O faturamento das indústrias também teve uma leve melhora: 22% consideraram como ótimo ou bom; um aumento de 2%. 37% apontaram como regular, ante 32% em março, e 40% identificaram seus lucros como ruins ou péssimos; no mês anterior, este índice chegou a 47%.

Margem de Lucro

Abril/2017

Março/2017

Ótima/Boa

20%

19%

Regular

37%

30%

Ruim/Péssima

43%

48%

A margem de lucro também subiu, com o cenário passando de negativo para mediano. 20% dos empresários identificaram o mês anterior como ótimo ou bom, um acréscimo de 1%. 37% classificaram como regular, ante 30% em março, enquanto 43% apontaram como ruim ou péssimo; uma queda de 5% no comparativo com o mês anterior.

Questionados sobre a retomada do crescimento econômico, 69% das MPI’s informaram que a crise ainda é forte, afeta os negócios e impossibilita previsões sobre quando a economia voltará a crescer. Já 29% identificaram que a crise está mais fraca, e visualizam um crescimento nos próximos meses. 2% afirmaram que o período negativo já passou e 1% não soube opinar.

Para o presidente do Simpi, Joseph Couri, é necessário observar os aspectos positivos: “Embora seja uma melhora pequena numa base econômica deteriorada, este é um começo. Entretanto, é necessário olhar para os demais índices. A inadimplência, o custo e as demissões na micro e pequena indústria seguem altos. A ausência de capital de giro também continua a impedir o crescimento. São necessárias medidas, que colaborem para a retomada industrial e, consequentemente, para a melhora do país”.

O Indicador de Atividade da Micro e Pequena Indústria de São Paulo, encomendado pelo Simpi e efetuada pelo Datafolha, é reconhecido como sinalizador de tendência. 42% das MPIs de todo Brasil estão em de São Paulo.A íntegra das 50 pesquisas Simpi/Datafolha, desde março de 2013, está disponível no site da entidade www.simpi.org.br

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.