Tribunal bloqueia os bens de Dilma Rousseff

 

 

O Tribunal de Contas da União (TCU) acaba de decidir pelo bloqueio dos bens de ex-membros do Conselho de Administração da Petrobras, entre eles a ex-presidente Dilma Rousseff. O objetivo é ressarcir a estatal pelo prejuízo de US$ 580 milhões causado pela compra da Refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos.

 

Além de Dilma, foram bloqueados os bens do ex-ministro Antônio Palocci, Claudio Luis da Silva Haddad, Fábio Colletti Barbosa, Gleuber Vieira e do ex-presidente da Petrobras José Sérgio Gabrielli.

 

Todos podem recorrer da decisão que estipulou um bloqueio solidário, o que significa que bens de todos ficam indisponíveis até que chegue ao valor de US$ 580 milhões.

 

Todos os citados participaram da decisão de comprar 50% da refinaria de Pasadena, em 2006, por US$ 360 milhões, valor foi muito superior que os US$ 42,5 milhões pagos um ano antes pela belga Astra Oil pela refinaria inteira. Na época, Dilma Rousseff era ministra da Casa Civil no governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e presidia o Conselho de Administração da estatal.

 

Pela negociação feita, depois, em 2012, a Petrobras foi obrigada a comprar 100% da unidade, antes compartilhada com a empresa belga. Ao final, aponta o TCU, o negócio causou um prejuízo astronômico, pois custou à Petrobras US$ 1,2 bilhão.

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.