“Botão do Pânico” para mulheres ameaçadas

O Paraná é o primeiro estado a implantar o sistema “Botão do Pânico” para mulheres colocadas em proteção judicial pelo risco de serem agredidas e mortas por ex-maridos ou companheiros.

A campanha foi lançada hoje em Curitiba pelo governador Beto Richa e de início 15 mulheres receberam o equipamento para ser utilizado no caso de ameaça de agressão. Quando acionado começa a gravar áudio e manda um alerta para a central e viaturas da Guarda Municipal com a localização da mulher, sua foto e foto do suspeito agressor que por determinação judicial deve ficar  mais de 100 metros distante dela.

As primeiras cidades a contar com o sistema, pois têm suas guardas municipais bem estruturadas, são Curitiba, Pinhais, Campo Largo, Ponta Grossa e São José dos Pinhais.

Outros municípios devem receber o dispositivo quando tiverem condições de atender o sistema, com GMs qualificados. Somente a GM de Curitiba monitora atualmente 6,6 mil mulheres.

Um comentário sobre ““Botão do Pânico” para mulheres ameaçadas

  1. augusto faria 28 de novembro de 2017 15:43

    Não acredito que este dispositivo, vá diminuir o número de mulheres que vão morrer nas mãos de seus companheiros. Isso por que alguns homens, quando decide matar, à sua companheira não pensam nas consequências que viram depois. Alguns cometem suicídio. Sendo irônico um pouquinho, eu diria que seria mais prático e útil, à mulher usar: Colete à prova de balas, spray e arma de choque.

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.