Escritor e professor João Carrascoza estará na FLIM 2017

Com uma escrita marcada pela temática das relações familiares e a exploração do que há de mais simples no encontro entre os indivíduos, João Carracoza é um dos autores que estarão presentes na FLIM (Festa Literária de Maringá) deste ano. Natural de Cravinhos, interior de São Paulo, Carracoza descobriu o amor pela literatura ainda muito cedo, a partir de tudo que ouvia de seu pai.

Mais tarde, dentro da biblioteca da mãe, tomou gosto por histórias. Foi na publicidade, porém, a profissão que optou na graduação, que pôde unir tudo isso à prática que aprendeu com o restante da família, o comércio. Durante décadas trabalhou em agências de propaganda e criou campanhas para grandes clientes como Coca-Cola, Ford e Nestlé, mas são os livros seu grande apreço.

Desde que saiu da cidade natal e passou a viver em São Paulo, escreveu livros de contos e novelas para crianças e jovens e recebeu importantes prêmios na área da literatura. Algumas de suas obras foram traduzidas para outros idiomas como inglês, francês, italiano, espanhol e sueco.

O autor tem mais de trinta livros publicados no total e atualmente exerce docência como professora na Escola de Comunicação e artes da USP, instituição onde fez mestrado e doutorado. Como pesquisador, a maioria dos artigos apresentados na academia envolvem a área de redação publicitária, abordando essencialmente o processo criativo nas agências e o a evolução da narrativas e da linguagem dentro da propaganda.

Em entrevista à Agência Riff, o autor diz que a literatura o inspira no ofício de ensinar. Segundo Carrascoza, incluir elementos próprios da ficção literária para ensinar publicidade é um dever. A tese de doutorado que defendeu foi transformada no livro “Razão e sensibilidade no texto publicitário”, que é justamente sobre anúncios que contam histórias.

Carrascoza define que “uma história vai começar quando sou dominado por uma emoção que me pede para revivê-la por meio das palavras, atualizando-a num personagem. Termino a história apenas quando sinto que fiz plenamente essa transferência. Escrever é reconstruir pelo texto as nossas emoções.”

O bate-papo “Diário das coincidências” com João Carrascoza em Maringá acontecerá nas imediações do auditório FLIM, localizado na Praça Renato Celidônio, ao lado da Prefeitura Municipal no domingo (29) as 17h45. A mediação ficará por conta de Marcos Peres. A entrada é gratuita.

Ana Luiza Berbert Ferreira, acadêmica do 4o ano de Jornalismo Unicesumar

 

 

Comente aqui


José Roberto Walker é destaque na Festa Literária de Maringá

Chegada a hora de celebrar a já tradicional Flim (Festa Literária de Maringá) começa nessa quinta-feira (26) e vai até domingo (29), o evento promete trazer vários nomes que variam desde da literatura até a música, palestrando, de graça, para o público. Entre eles está o publicitário e escritor, José Roberto Walker.

Há um ano o escritor lançou o seu último livro: “A Neve em uma Manhã de São Paulo”, que será o tema da mesa mediada por Luigi Ricciardi, no sábado (28) às 17h, contando com a presença do escritor.

Uma das histórias mais encantadoras – e menos contadas – do modernismo paulista segundo o autor é de um pequeno apartamento mantido por Oswald de Andrade entre 1917 e 1919 no centro da cidade de São Paulo onde se passa o romance principal do livro.

Para participar da mesa basta ir no Centro de Convivência Comunitário Renato Celidônio, a Praça da Prefeitura, no horário marcado e aproveitar o grande bate-papo sobre a obra.

A programação ficará concentrada no Centro de Convivência Comunitário Renato Celidônio, a Praça da Prefeitura, localizada na Av. XV de Novembro.

Genuíno de São Paulo o escritor também é formado em publicidade e propaganda e história, além de responsável por diversos documentários (Isaac Karabtchevisky – sinfonia de uma vida), especiais de TV (TV Cultura – 45 anos), e livros.

“A partir desta edição, o evento assume um perfil mais eclético para celebrar a literatura num cenário de interação com outras atividades ligadas à arte, como teatro, música e cinema”, afirma o secretário de Cultura, Rael Toffolo em entrevista para o site da prefeitura.

Isto ajuda na popularização, além na disseminação da cultura da literatura, principalmente no público mais jovem. Como é o caso do ajudante Lucas Schimmack, 20, que frequentou as três edições da FLIM. Ele comenta que vai na edição desse ano sem falta, “Estou bem empolgado, fui em todas as edições da feira e é muito interessante acompanhar como ela mudou com os anos, felizmente sempre para melhor. Ano passado foi o melhor, eu adorei a palestra do Caco Barcelos, ele possuí muito conhecimento, fora que é muito divertido ver ele pessoalmente”.

Outro chamativo da feira é o networking, a possibilidade de conhecer novas pessoas, novos gostos, além de se ver perto de grandes nomes da literatura discutindo sobre diversas obras e oferecendo inúmeras oficinas.

Todo esforço é pouco quando se trata de literatura e inovação é a palavra de ordem desta edição como afirma o diretor cultural da Secretaria de Cultura, Mateus Moscheta: “Queremos promover um diálogo com o visitante, a partir de atividades culturais que conversam com ele estabelecendo interatividade. O formato da feira será menos engessado num figurino em que o visitante apenas observa, sem participar das atividades”

Outras informações sobre a feira podem ser obtidas no site da prefeitura www.maringa.pr.gov.br

 

Serviço:

Dia: 26/10/2017 – 29/10/2017

Onde: Av. XV de Novembro

mediador: Luigi Ricciardi

Estudante de jornalismo da UniCesumar

Comente aqui


Pearl Jam anuncia segunda apresentação no Brasil em 2018

Pearl Jam vai subir ao palco no estádio Maracanã, no Rio de Janeiro, em 21 de março de 2018. Além disso, a banda de rock alternativo também integra a lista de atrações do Lollapalooza 2018, que acontece em São Paulo de 23 a 25 de março. O show de Pearl Jam no festival, está marcado para o dia 24 de março.

A banda americana tem desde a sua criação, 1990, a sua formação com Eddie Vedder no vocal, Mike McCready na guitarra, Stone Gossard na guitarra rítmica e Jeff Ament no baixo. Em 1998, o quinto membro da banda, Matt Cameron, assumiu a bateria. Já em 2002, Boom Gaspar esteve com a banda assumindo o piano.

Em 2015 a banda marcou 25 anos de Pearl Jam ao vivo. Já produziram dez álbuns de estúdio: “Dez”, “Vs”, “Vitalogy”, “Sem código”, “Rendimento”, “Binaural”, “Riot Act”, “Pearl Jam”, “Backspacer”, “Lightning Bolt”. E contam com mais de 60 milhões de exemplares vendidos em todo o mundo. Além das centenas de performance ao vivo e lançamentos de concertos ao vivo.

Pearl Jam esteve pela primeira vez no Brasil em 2005, com uma turnê de cinco shows nas capitais Porto Alegre, Curitiba, São Paulo e Rio de Janeiro. Em 2018, a apresentação terá abertura do Royal Blood, outra atração do Lollapalooza.

Ao longo de sua carreira, Pearl Jam promoveu questões sociais e políticas mais amplas, o vocalista Vedder atua como porta-voz da banda sobre essas questões. A banda também promove uma série de causas, incluindo a consciência da doença de Crohn, que Mike McCready sofre.

Em 2011, Pearl Jam foi nomeado 2011 Planet Defenders pela Rock The Earth pelo seu ativismo ambiental e seus esforços para diminuir suas próprias emissões de carbono.

Os preços dos ingressos já foram disponibilizados, sendo que R$ 9 de cada entrada serão destinados à Fundação Vitalogy, com a qual o Pearl Jam realiza trabalhos na área de saúde comunitária, meio ambiente, artes, educação e mudança social.

Os ingressos variam de R$ 110 (meia-entrada) a R$700 (Pista Premium Elo) e a pré-venda exclusiva terá início em 7 de novembro para integrantes do fã-clube da banda. Já a venda de ingressos para o público em geral começa em 10 de novembro a partir das 08h pela internet e às 12h nas bilheterias oficias.

A classificação etária do evento é de 10 a 13, entrada permitida acompanhado de um responsável. A partir de 14 anos é permitida a entrada desacompanhado.

Serviço

Data: Quarta-feira, 21 de março de 2018

Local: Rua Professor Eurico Rabelo – Maracanã, Rio de Janeiro – RJ

Abertura dos portões: 16h

Horário Royal Blood: 19h30

Horário Pearl Jam: 21h

Isabela Soares, acadêmica do 4° ano de Jornalismo

Comente aqui


Luiz Ruffato fala sobre Literatura e Realidade na 4º edição da Flim

O comunicólogo e escritor Luiz Fernando Ruffato vai se apresentar da 4º edição da Festa Literária Internacional de Maringá (Flim) nesta quinta-feira (26) às 19h15, durante uma mesa redonda que tem como tema principal “Literatura e Realidade”.  Em entrevista concedida ao Jornalista Alexandre Gaioto, para o site do jornal O Diário de Maringá, ele comenta como foi sua trajetória no jornalismo. “Fui um repórter medíocre, e tinha consciência disso porque sou tímido e não gostava de perguntar as coisas para os outros. Essa consciência serviu para que eu me encontrasse no jornalismo”, contou.

Um Escritor na Biblioteca com Luiz Ruffato.
Curitiba, 26 de julho de 2011
Foto: Kraw Penas – Comunicação SEEC
[email protected]

Ruffato é mineiro de Cataguases, onde nasceu em 1961, filho de um pipoqueiro e de uma lavadeira de roupas. Estudou tornearia-mecânica no Senai de Cataguases e formou-se em Comunicação Social pela Universidade Federal de Juiz de Fora em 1981.

Antes de iniciar sua carreira na literatura, trabalhou juntamente com o seu pai como auxiliar de pipoqueiro, foi também caixeiro, balconista, torneiro-mecânico. Sua carreira como Jornalista começou a partir de 1990, como repórter de economia, redator, subeditor, coordenador e editor de política e secretário de redação.

Foi só em 2003 que Luiz Ruffato, passou a dedicar sua carreira exclusivamente para a literatura e tem histórias publicadas em revistas e antologias em francês, italiano, inglês, espanhol, croata, sueco, em Portugal e Angola.  Um dos trabalhos do escritor, o romance ′Eles eram Muitos Cavalos′, o autor conecta poesia, música, teatro e prosa em episódios distintos para contar a história de gente simples e anônima. O livro, de 2001, conquistou os prêmios Machado de Assis e da Associação Paulista dos Críticos de Arte (APCA) e foi publicado em diversos países, entre eles França e Alemanha.

Outro trabalho mais recente, em 2016, outro romance de sua autoria, “Estive em Lisboa e lembrei de você”, foi parar aos cinemas pelas mãos do português José Barahona. Segundo Ruffato, ele se reconhece no filme, não só como autor, mas pelo fato de conhecer aquele universo, pelo fato do filme ser ambientado na cidade em que ele nasceu.

Flim
A 4ª Festa Literária Internacional de Maringá (Flim), vai ser realizada de 26 a 29 de outubro de 2017 no Centro de Convivência Comunitário Renato Celidônio, a Praça da Prefeitura.  Estandes serão divididas entre editoras, instituições, secretarias, expositores de artesanato e espaço de alimentação.

Durante o evento, os visitantes poderão comprar livros, adquirir lançamentos de algumas das maiores editoras do país, participar de sessões de autógrafos, debates, mesas-redondas, seminários, encontro com autores, oficinas, leituras, narrações de histórias e da programação artística.

 

Mesa Redonda (Luiz Ruffato)

Quando quinta-feira (26), às 19h15
Onde Paço Municipal
Mediação Luigi Ricciardi, escritor e doutorando em Estudos Literários (UEL)
Quanto grátis

Bruno Albertini, acadêmico do 4º ano de Jornalismo

Comente aqui


Rodrigo Maia prepara agenda pós-votação da 2ª denúncia contra Temer

A votação da segunda denúncia contra o presidente Michel Temer (PMDB) na Câmara já está com o resultado tão certo que o presidente da Casa, o deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), se deu ao luxo de falar sobre sua agenda no pós-denúncia, nesta terça-feira (24), quando eventualmente Temer tiver perdido poder político.

A intenção de Maia, dizem os aliados, é buscar um maior protagonismo no cenário político nacional, após esse eventual enfraquecimento do Presidente da República. Entre as pautas estão projetos de apelo popular – principalmente nas áreas de segurança pública e saúde – e matérias econômicas articuladas pessoalmente por ele.

Outra promessa que Rodrigo Maia vem fazendo a aliados, segundo noticiou o repórter Ernesto Neves, da Veja, é de colocar em votação a liberação de jogos de azar em novembro. Um dos deputados da frente parlamentar que se formou, com 262 deputados, Nelson Marquezelli (PTB-SP) afirmou que a construção dos cassinos podem começar já no ano que vem, caso o projeto seja aprovado.

Ainda sobre o resultado da votação da segunda denúncia contra Temer, que começou há cerca de três horas, Maia comentou, impaciente, algumas horas antes da Câmara atingir quórum: “Está todo mundo demorando para dar quórum, e o que a gente está fazendo aqui é completamente desnecessário. Isso prejudica a Câmara dos Deputados.” A fome de poder está escancarada.

Este mesmo deputado, que em setembro disse ser muito grave a acusação contra Temer, foi acusado de corrupção e lavagem de dinheiro pela Polícia Federal, no começo do ano. O relatório enviado ao Supremo Tribunal Federal em fevereiro concluiu que o já presidente da Câmara havia beneficiado a construtora OAS em troca de dinheiro para a campanha.

Os assessores de Temer se esforçam agora, enquanto ocorre a votação, para que o placar mantenha-se igual ou até mesmo aumente os votos da sessão de 2 de agosto a favor do Presidente. Naquela ocasião os deputados aprovaram por 263 a 227 relatório que recomendou ao plenário a rejeição da denúncia de corrupção passiva da Procuradoria Geral da República contra o presidente.

O placar vai dimensionar o poder político que Temer terá nos 14 meses que lhe restam de mandato. Fala-se apenas de poder político, pois, segundo a Confederação Nacional da Indústria (CNI), estava em constante queda e mostraram números expressivos: 77% da população consideram ruim ou péssimo; 16% avaliam com regular e 3% não sabem ou não responderam. Apenas 3% consideram o governo Temer ótimo ou bom.

A votação foi aberta às 18h30 pelo presidente da Casa, Rodrigo Maia.

Rafael Donadio, acadêmico do 4º ano de Jornalismo da Unicesumar

Comente aqui


Gonçalo M. Tavares é a principal atração da FLIM

Quem nunca ouviu falar em Gonçalo Manuel Tavares, que corra para a internet. O escritor português de 47 anos tem o romance “Jerusalém” (2011) na lista dos 101 livros para ler antes de morrer. Em 2005, o português foi ganhador do Prêmio Literário José Saramagno. Onde o próprio Saramagno reconheceu a qualidade do Gonçalo.

Gonçalo estará presente na 4º edição da FLIM (Feira literária de Maringá) nesta quinta-feira. Apontado como a maior atração deste ano, dará uma oficina de literatura das 9h às 12h no gabinete do prefeito. À tarde, às 14h horas será parte de uma mesa redonda. Os interessados precisam acessar o evento da FLIM no facebook, para fazer a inscrição da oficina, já a mesa redonda será aberta ao público.

Aqui no Brasil, Gonçalo divide opiniões. Enquanto em Jerusalém sue genialidade é incontestável, o seu último livro o “Torcicologologista, Excelência” parece dividir opiniões, há quem diga que a confiança de Gonçalo o atrapalhou. É o caso da doutora em Literatura Paola Poma. Entretanto, é inquestionavelmente um dos maiores talentos da literatura contemporânea.

Os livros do escritor deram origem a peças de teatro, objetos artísticos, vídeos de arte e ópera. Seus  livros estão sendo traduzidos para que tenha distribuição em quarenta e cinco países.

Quem é Gonçalo M. Tavares

 Uma curiosidade sobre o escritor, é que ele escreveu todos os dias durante doze anos,  e só começou a publicar livros em 2001. Foi bolseiro do Ministério da Cultura – IPLB com uma bolsa de Criação Literária para o ano 2000, na área de poesia. E em Dezembro de 2001 publicou a sua primeira obra: Livro da dança, na Assírio & Alvim. Nos últimos nove anos, já publicou 29 livros.

Quando questionado sobre a forma de escrever, Gonçalo diz ser adepto do método de escrever, e deixar se lado. Em entrevista para a folha de São Paulo ele diz: “Escrevo e esqueço, fico no mínimo um ano ou dois sem olhar para aquilo. Depois volto, retomo, corrijo, corto. Principalmente, corto.

Serviço

Oficina
Quando: quinta-feira (26), às 9h30
Onde: gabinete do prefeito, na Av. XV de Novembro, 701 – Centro

Mesa-redonda
Quando: quinta-feira (26), às 14h
Onde: auditório Flim, na Praça da Prefeitura (Deputado Renato Celidônio – Centro)
Quanto: grátis

Caroline Wisch, acadêmica do 4º ano de jornalismo, da Unicesumar. 

Comente aqui


Antônio Nóbrega apresenta ‘Da Quadrilha ao Golpe Beira Mar’ na Flim

Nesta sexta-feira (27) Antônio Nóbrega estará em Maringá apresentando o espetáculo “Da Quadrilha ao Golpe Beira Mar”, como parte da programação da 4ª Festa Literária Internacional de Maringá (FLIM). Nóbrega leva ao palco toda a diversidade de suas performances. A feira será realizada na Praça Renato Celidônio, ao lado da Prefeitura.

Nóbrega integrou as orquestras da Paraíba e de Recife como violinista antes de ser convidado por Ariano Suassuna para fazer parte do Quinteto Armorial, precursor da criação de uma música de câmara brasileira de raízes populares. Acabou por desenvolver um estilo pessoal de música e teatro, destacando-se como um dos mais talentosos e criativos artistas brasileiros.

Em sua quarta edição, a FLIM inicia nesta quinta, 26, e segue até domingo, 29, explorando os desafios do fomento à leitura com a música e a poesia compondo sua programação. A partir das 8 horas, a FLIM 2017 recebe livros, escritores, performances, palestras, shows e uma infinidade de atividades que conectam a literatura com diversas outras manifestações artísticas, reafirmando o caráter multidisciplinar do evento. O evento é realizado pela Prefeitura de Maringá, via Secretaria de Cultura, em parceria com a Câmara Brasileira do Livro (CBL).

Em entrevista para a Prefeitura, o secretário de Cultura, Rael Toffolo, disse sobre a expectativa. “A partir desta edição, o evento assume um perfil mais eclético para celebrar a literatura num cenário de interação com outras atividades ligadas à arte, como teatro, música e cinema”, afirma, acrescentando que a parceria com a CBL tem importância estratégica, ao associar a Flim com uma entidade de grande expressão nacional. “Essa aproximação favorece muito o evento, a começar pelo acesso ao acervo de escritores da entidade e, principalmente, à experiência da CBL, criada há mais de 70 anos”, destacou Rael.

História – Nascido em Recife, começou a estudar violino aos 8 anos. Em 1971, Ariano Suassuna convidou-o para integrar o Quinteto Armorial. A partir daí, passou a estudar o universo da cultura popular e a criar espetáculos de teatro, dança e música nela referenciados. Entre eles: BrincanteSegundas HistóriasO Marco do Meio DiaFiguralNa Pancada do GanzáMadeira Que Cupim Não RóiPernambuco Falando para o MundoLunário PerpétuoNove de FrevereiroNaturalmenteHúmus, entre outros. Recebeu diversos prêmios, entre eles o Shell de Teatro, o Tim de Música, APCA, Mambembe, Conrado Wessel, Governador do Estado de São Paulo.

Com seus espetáculos, o artista tem viajado pelo Brasil e outros países. Recebeu duas vezes a Comenda do Mérito Cultural. Tem 12 CDs gravados e três DVDs. Em novembro de 1992, fundou com Rosane Almeida – atriz, bailarina e sua esposa – o Instituto Brincante, em São Paulo. Em 2014, o cineasta Walter Carvalho realizou o longa-metragem Brincante, dedicado à sua trajetória artística.

Serviço

Flim 2017

Tema: Da Quadrilha ao Golpe Beira Mar

Horário: 21h

Local: Auditório Flim – Praça da Prefeitura (avenida XV de Novembro, 701)

Gratuito

Daiana Cristina Francisco Verdério – Acadêmica do 4º ano de Jornalismo da Unicesumar

 

Comente aqui


Henrique Rodrigues discuti livro sobre Noel Rosa, nesta quinta-feira, na Flim

Uma das atrações da 4 ª Festa Literária Internacional de Maringá (Flim) é o escritor carioca Henrique Rodrigues. O autor faz discussão do tema “Livro: Conversas de Botequim Noel Rosa”, junto ao também escritor – e jornalista – Marcelo Moutinho, às 18h30, no auditório Flim, nesta quinta-feira (26). A mediação do debate fica por conta do jornalista Victor Simião.

Rodrigues tem trabalhos em contos, poesia e romance. A estreia foi com o livro de poemas “A musa diluída” (Record, 2006). O autor foca, também, em livros voltados ao público infantil e juvenil. Nessa linha de literatura, Rodrigues escreveu, por exemplo, “Versos para um Rio Antigo (Pinakotheke, 2007), “Machado de Assis: o Rio de Janeiro de Janeiro de seus personagens” (Pinakotheke, 2008) e “O Segredo da gravata mágica” (Memória Visual, 2009).

O último trabalho “solo” do escritor, foi no ano passado, com a obra “Palavras Pequenas” (Bazar do Tempo, 2016), voltado também para o público infantil. Apesar de a estreia ter sido com as poesias em 2007, Rodrigues foi coautor de alguns livros até o supracitada data: “Quatro Estações: Trevo” (independente,1999); “Prosas Cariocas: Uma nova cartografia do Rio de Janeiro” (Casa da Palavra, 2004).

O escritor obteve destaque, também, por ser organizador e coautor da obra “Como se não houvesse amanhã: 20 contos inspirados em músicas da Legião Urbana”, em 2010.

 

A fila anda

O autor esteve em Maringá para debater seu livro “O Próximo da Fila”, com o clube de leituras Bons Casmurros. O livro, com teor autobiográfico, discorre sobre um adolescente – no Rio de Janeiro da década de 1990 – que trabalhava em um lanchonete de Fast Food.

A obra se atém a descrever os padrões hierárquicos presentes na lanchonete bem como a personalidade e perfil dos que pela lanchonete passavam. Em entrevista a Juliana Krapp – no site da editora Record – Rodrigues destacou que o trabalho mecânico favorece a criatividade, pois deixa a mente livre. “Um trabalho mecânico deixa a cuca livre para criar, e sempre tive muita imaginação. Mas jamais poderia imaginar que aquela coisa simples de um adolescente viraria matéria para esse mesmo cara, quando ficasse mais velho, escrever um livro”, disse.

Rodrigues é formado em letras pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), com mestrado e doutorado em literatura pela PUC- Rio. Atualmente, trabalha no Sesc Nacional como assessor técnico em literatura, com coordenação de projetos que visam circulação literária – seja pelo incentivo à leitura, seja pela produção literária.

 

Serviço

O que: “Livro: Conversas de Botequim Noel Rosa”, com Henrique Rodrigues

Quando: Quinta-feira (26)

Onde: Auditório Flim (Praça Renato Celidônio, praça da prefeitura)

Horário: 18h30 às 20h

Preço: Grátis

Comente aqui


Flim terá a presença de Ignácio de Loyola Brandão

Natural de Araraquara – SP, o escritor Ignácio de Loyola Lopes Brandão completou neste domingo (31) 80 anos, estará presente na 4º edição da Festa Literária de Maringá (FILM), em que estarão reunidos diversos escritores nacionais e estrangeiros. A festa irá acontecer nesta quinta-feira 26 e vai até domingo 29. O evento irá acontecer na Praça Renato […]

Comente aqui


Banda Uó anuncia pausa na carreira

Conhecida por hits misturando brega e pop, a banda Uó anunciou nesta quarta-feira (25) que dará uma pausa na carreira. O comunicado foi feito por meio de vídeo divulgado no YouTube. Os integrantes da banda, Mateus Carilho, Davi Sabbag e Mel Gonçalves informaram que irão se dedicar a projetos solo por um tempo. Segundo eles, a decisão foi coletiva e feita de forma amigável

Para os cantores, é hora de dar um tempo e se aventurar em novas experiências. “A Banda UÓ é um projeto de três pessoas, a gente tá aí há 7 anos e agora a gente pensa que é legal seguir uma ‘vibe’ nossa. Cada um tem coisas na cabeça (…) são três trabalhos novos que vão tá surgindo aí“, afirmou Sabbag no vídeo.

A pausa só será feita após o carnaval de 2018 e ainda este ano lançará a música inédita “Tô na rua”. “Mas antes disso lançaremos uma música inédita, é um presente para os uózeiros espalhados pelo Brasil. Ela se chama “Tô Na Rua” e será lançada ainda esse ano com clipe”, avisaram.

A banda, que está há sete anos junta, foi formada em 2010 na cidade de Goiânia (GO)e ganhou projeção com a versão de “Whip My Hair”, música de Willow Smith, que no português ganhou o título de “Shake de Amor”. Com essa canção, Mateus, Davi e Mel disputaram o Video Music Brasil, da antiga MTV, em 2011.

No ano seguinte ganhou ainda mais visibilidade na web com a edição do EP independente “Me emoldurei de presente pra te ter” (2011).

Ao longo desses sete anos de vida, a banda lançou mais dois álbuns, Motel (2012) e o fraco Veneno (2015), além do recente single Sauna (2017). Entre as parcerias de sucesso, a banda emplacou as músicas “Gringo”, produzida por Diplo, “Catraca” (com Mister Catra e que integrou a trilha sonora da novela I Love Paraisópolis, exibida pela Globo em 2015) e “Dá1Like” (com Karol Conka).

Trabalhos solos

Um dos integrantes da banda, Mateus Carilho, já fez uma participação solo recentemente. O cantor participou da música e clipe da música “Corpo Sensual”, de Pabllo Vittar.

Leia a íntegra do comunicado compartilhado nas redes sociais da banda:

“Após 7 anos de Banda Uó, nós tomamos a decisão de fazer uma pausa. Cada um sentiu que era a hora de dar oportunidade para coisas novas. Somos artistas em transformação constante, e sentimos essa necessidade, esse é o maior motivo para esse acontecimento. Estamos em um momento ótimo, e de forma natural cada um começou a desenhar um novo lugar para si. Somos uma família e nos amamos, por isso queremos ser sinceros com o nosso público e todos os fãs que nos amam e acompanham nosso trabalho.

Novos projetos surgirão, entre outras coisas que cada um deseja realizar nessa nova jornada. Mas antes disso lançaremos uma música inédita, é um presente para os uózeiros espalhados pelo Brasil. Ela se chama Tô Na Rua e será lançada ainda esse ano com clipe.

No mais nós só queremos agradecer todo carinho e amor de cada pessoa espalhada pelo mundo que fez uó e se divertiu com a nossa arte. Vocês agora acompanharão 3 carreiras e nós continuaremos aqui por vocês.

Até daqui a pouco, Mateus, Davi e Mel”

Ouça a música Shake de Amor da banda:

Ana Paula Foltran, acadêmica do 4º de Jornalismo da Unicesumar

Comente aqui