Lembranças da Amazônia – Refletindo sobre os lagos centrais

Em meio à selva amazônica, a trezentos quilômetros da civilização mais próxima, adentramos um vão secreto oculto a olho nu pela mata exuberante, o nosso guia, índio nativo do local, nascido e criado naquelas águas, faz de tudo e mais um pouco para driblar os obstáculos naturais que a floresta impõe aos que arriscam chegar aos lagos centrais. Após todo aquele esforço em momentos intermináveis, somos recompensados, o intocável lago mágico! Tudo aquilo causa uma indescritível sensação mista, de alívio com nervosismo, não pelo longo percurso dentro da floresta, mas por tudo aquilo que envolve uma pescaria na Amazônia, como os longos meses de preparação, ansiedade e espera do tão sonhado dia. 

A recompensa de tudo isso vem à tona, quando um grande e enfurecido tucunaré ataca sua isca tão violentamente, que a consequência são gritos de exaltação ecoando pela mata. 

Coisas que só quem pesca na Amazônia entende, obrigado Senhor.

1

2

3

4

5

6

7

8

Rio Sucunduri 2014

 Guia Agnaldo – Vilanova Amazon.

Fotos e texto: João Medeiros

Um comentário sobre “Lembranças da Amazônia – Refletindo sobre os lagos centrais

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.