Comissão aprova por unanimidade 8 anos de proteção do dourado em MS

Projeto teve importante vitória na Assembleia e agora aguarda apreciação

O projeto que prevê a proteção do dourado por oito anos em Mato Grosso do Sul ganhou, por unanimidade, parecer favorável da Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJR) na Assembleia de Campo Grande, nesta terça-feira, 4.

É uma importante vitória do texto de autoria do deputado estadual Beto Pereira (PSBD), que agora aguarda apreciação da pauta pelo plenário, em primeira votação. Uma análise da constitucionalidade da proposta também será feita.

Há menos de um mês a proposta do dourado havia sido discutida em audiência pública, mas não havia conseguido grandes avanços. A situação mudou.

Se o projeto for aprovado, a pesca ao dourado será liberada apenas na modalidade pesque-e-solte. O objetivo é recuperar o estoque da espécie nos rios do estado, o qual, segundo dados levantados pelo próprio deputado, estão diminuindo.

“Proteger e ter mais dourados em nossos rios atrairia pescadores amadores que ajudariam a preservar a espécie e fomentar o turismo pesqueiro responsável nos rios de Mato Grosso do Sul”, argumenta.

“A  proibição  da  captura  e  comercialização  não  influenciará  na  renda  dos  pescadores profissionais, uma vez que, de acordo com dados do Instituto do Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul (Imasul), esse peixe é o oitavo na lista de espécies comercializadas no mercado local”, completa o deputado.

Fonte: Revista Pesca & Companhia

Atualizado:

A votação que decidiria proibição da pesca do dourado em Mato Grosso por oito anos foi adiada. Isso se deu porque na última quarta-feira, 31 de maio, o deputado Herculano Borges (SD) pediu vistas para o projeto, alegando a necessidade  de “melhor avalia-lo”.

Borges admitiu que atendeu o pedido de representantes de pescadores ribeirinhos, que são contra a proposta, por acreditar que podem prejudicar suas atividades. 

 

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.