Tabela do DPVAT coloca preço em partes do corpo

Indenizações por acidentes de trânsito serão pagas com base na nova tabela. Objetivo é reduzir custos com ações judiciais.- Veja no final do post orientações em vídeo sobre procedimentos.

As indenizações pagas por invalidez permanente nos acidentes de trânsito pelo Seguro Obrigatório de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre (DPVAT) agora têm uma tabela com valor para cada parte do corpo humano. Os valores são porcentagens do pagamento máximo de R$ 13,5 mil: R$ 1.350 (10%), R$ 3.375 (25%), R$ 6.750 (50%), R$ 9.450 (70%) e R$ 13.500 (100%). Como exemplo, a perda de um membro superior (braço ou mão) vale R$ 9.450, a surdez R$ 6.750 e um dedo R$ 1.350 (veja infográfico).

As novas regras foram aprovadas quarta-feira pelo Senado. Elas já estão em vigor desde o dia 16 de dezembro, com a edição da Medida Provisória 451/2008, mas, para alterar de vez a lei do DPVAT, o texto aprovado precisa da sanção do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

ONDE IR PARA RECEBER O SEGURO DPVAT

Segundo Márcio Norton, diretor de relações institucionais da Seguradora Líder, que administra o grupo de seguradoras responsáveis pelo DPVAT, a adoção de uma tabela própria vai reduzir os custos das seguradoras. Ela vai substituir os valores usados hoje, com base em tabelas de seguro de acidentes pessoais, acidentes de trabalho e a classificação internacional de doenças. “A omissão era suplementada por outras tabelas – isso causava muita dificuldade. Era uma complicação para os médicos, com conceitos muito subjetivos. Elas davam margem para interpretações diferentes. Isso aumentou muito o número de ações judiciais”, diz.

Norton afirma que a nova tabela é melhor para o segurado. “Ela aumentou alguns porcentuais e acrescentou outros danos. O número de indenizações pagas vai aumentar, mas o ganho é evitar as despesas com as ações judiciais”, avalia. Antes das mudanças, o teto de R$ 13,5 mil havia virado regra com as ações judiciais, gerando outras despesas para as seguradoras, como perícias, custas e honorários nas perdas de ações.

Para se ter ideia da situação, as indenizações por invalidez em acidentes de trânsito saltaram de R$ 3 milhões em 2003 para R$ 150 milhões em 2007, pulando de 50 mil para os atuais cerca de 250 mil processos em pouco tempo. A informação é da Superintendência de Seguros Privados (Susep).

Novidades

O DPVAT vai indenizar agora a perda do baço com R$ 1.350 e a perda residual de um membro, também com R$ 1.350. Neste caso, o perito poderá determinar indenização para o encurtamento de uma perna a partir de um centímetro, o que não era possível antes. Já para a invalidez parcial, a mudança prevê redução proporcional correspondente a 75%, 50% e 25% dos valores da tabela do DPVAT para perdas de repercussão intensa, média e leve, respectivamente.

Segundo Márcio Norton, as novas regras vão garantir sobrevida ao DPVAT e os valores de indenização podem aumentar no futuro. “Ele é um seguro social e o seu pagamento independe de culpa” – basta ter o dano oriundo de um acidente de trânsito. “À medida em que as fraudes diminuírem e os acidentes caírem, o valor dos benefícios pode aumentar”, diz.

Com as mudanças, os hospitais que têm convênio com o Sistema Único de Saúde (SUS) não vão mais receber a quantia de R$ 2,7 mil por serviços médicos e hospitalares, e o Instituto Médico-Legal (IML) passa a ter prazo de 90 dias para elaborar os laudos por invalidez – antes não havia tempo estabelecido.

* * * * *

Serviço

Para receber o DPVAT, a vítima deve procurar o IML, fazer a perícia e depois apresentar os documentos na seguradora escolhida. O prazo é de até três anos após o acidente. Acesso o site da NS Assessoria de Seguros DPVAT e consulte sobre os seus direitos –

CLIQUE AQUI

via Gazeta do Povo

207 comentários sobre “Tabela do DPVAT coloca preço em partes do corpo

  1. Rosimeire Bispo Senna 2 de agosto de 2016 17:27

    Sofri acidente de moto no dia 14/06/2016, houve fratura exposta quebrando o punho direito (onde agora estou com pinos e platina em três lugares). Quebrei dois dedos (mínimo e anelar) e foi amputado o dedo médio, ficando somente a última junta, (tudo isto na mão direita). Qual valor tenho a receber e como recorrer ao Seguro DPVAT?

  2. Thalles Soares 17 de agosto de 2016 16:56

    Boa tarde
    Eu sofri um acidente de moto em maio desde ano (2016) , no qual eu fraturei a tíbia em 2 lugares e a fíbula em 1 (perna direita) no qual tevi que ser colocado platina e parafusos . Eu queria saber como é paga a indenização do seguro

  3. Dionelle 24 de agosto de 2016 13:58

    Eu levei um acidente de moto aí eu perdi o dedo mindinho e fatura e o outro a sua fatura Esporte quanto é que eu tiro do siguro depevati E fora que fica sempre inchado né

  4. Rodrigo 31 de agosto de 2016 10:09

    Fraturei a femur da perna esquerda
    Colocando astes femural mais parafusos
    Qual o valor a receber estimado

  5. Everton 3 de setembro de 2016 05:46

    No acidente de moto nesse ano 2016 em julho quebrei a clavícula esquerda !
    Qual valor a seguradora pagará?

  6. Monica lima 3 de setembro de 2016 14:03

    Sofri um acidente na qual quebrei o femo eo tornozelo ,foram colocados uma placa grande na coxa com 12 parafusos e mais 2 parafuso no tornozelo . Dei entrada no seguro dpvat pelo correio a 10 meses atrás e até agora não obtive respostas oq devo fazer para concluir meu pedido?

  7. Renato 6 de setembro de 2016 20:54

    Sofri um acidente de moto no dia 07/09/2016 tive rompimento de menisco e ligamento cruzado vou precisar fazer uma cirurgia qual o valor que tenho a receber do dpvat

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.