Para vitimas de padres pedófilos e por cumplicidade da Igreja o Papa pede perdão

papa-confessa-ter-furtado-cruz-em-velorioPela primeira vez  o papa Francisco admitiu que na denominação existe uma “cumplicidade inexplicável” no clero da Igreja Católica com os casos de abusos sexuais e pede perdão às vitimas dos abusos. O pedido aconteceu em homilia na segunda-feira(07), onde o papa pediu várias vezes perdão. -Confira, assista e comente…

O Papa Francisco denunciou nesta segunda-feira (7) a “cumplicidade inexplicável” da Igreja Católica com os padres pedófilos que cometeram abusos sexuais e pediu desculpas às vítimas em um encontro com algumas delas no Vaticano.

Em suas palavras mais fortes sobre o assunto, Francisco disse às vítimas que os abusos foram “camuflados com cumplicidade” e implorou por perdão.

papa-pede-perdao-as-vitimas-de-abusos-sexuais-na-igreja“Há muito tempo sinto no coração uma profunda dor, um sofrimento tanto tempo oculto, tanto tempo dissimulado com uma cumplicidade que não tem explicação”, disse o pontífice em uma comovedora homília na qual pediu várias vezes perdão.

“Diante de Deus expresso minha dor pelos pecados e crimes graves de abusos sexuais cometidos pelo clero contra vocês e humildemente peço perdão”, afirmou o Papa, que reconheceu que os líderes da Igreja “não responderam adequadamente às denúncias de abuso apresentadas por familiares e por aqueles que foram vítimas de abuso”, disse.

Durante a missa que celebrou no Vaticano na presença de seis vítimas, Francisco criticou, ainda, a forma como os crimes foram camuflados pelos que que podiam ter feito a diferença.

“Quero expressar a minha dor pelos pecados e pelos crimes graves que abuso sexual cometidos pelo clero contra vós. Humildemente peço perdão e peço, também, perdão pelo pecado de omissão por parte de líderes da igreja” afirma.

O Papa reuniu-se depois em privado com as seis vítimas de três nacionalidades: alemã, inglesa e irlandesa.

Antes da homilia, Francisco, também, não foi poupado a críticas como explica Philip Pullella, correspondente da Reuters novaticano-comunicado-papa-pedofilia-mais-empenho-1 Vaticano:

“o Papa foi criticado pelo tempo que demorou a reunir-se com vítimas de abuso sexual, ou seja, cerca de seis meses depois de ter sido eleito. As vítimas da Argentina ficaram tristes por não terem sido incluídas no grupo e enviaram uma carta ao Papa a dar conta desse sentimento que consideram ser de exclusão.”

Nos últimos 10 anos, o Vaticano investigou mais de 3000 casos e afastou cerca de 850 padres.

post inforgospel.com.br – com informação euronews.pt – via G1/Mundo – 07/07/14

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.