A ‘herança maldita’ e a sua origem


Depois de exercer o poder por 13 anos à fio Lula e Dilma, leia-se PT e partidos representantes da esquerda anacrônica do país (PSOL, PCdoB, etc), deixaram verdadeira ‘herança maldita‘ à nação, que está a produzir e ainda produzirá maiores resultados doloridos para os brasileiros, em forma de ajustes duros nas contas publicas, aumentos de tributos e cortes no orçamento público que se traduzirão na diminuição de serviços públicos essenciais à população.

No transcorrer destes 13 anos, o PT e Lula criaram políticas milagrosas e populistas para a população pobre com o fim de estabelecer um projeto de longevidade no poder e, assim, poderem acessar os cofres públicos por muito e muito tempo em conluio com comparsas de diversas matizes políticas.

Para isso, o PT liderado por Lula criou um ambiente econômico artificial se utilizando do Banco Central e do sistema financeiro nacional, manipulando a meta de inflação, concedendo crédito fácil e irresponsável às classes “C” e “D”, influenciando no aumento do consumo desregrado e no endividamento de mais de 65% da população, enfim, gerando bolhas imobiliárias, financeiras e de consumo que não tinham outro destino a não ser mais cedo ou tarde explodirem, como de fato aconteceu logo após a reeleição de Dilma em 2014.

Neste contexto de utilização do sistema financeiro para o seu projeto de poder, Lula se utilizou em excesso do BNDES, concedendo financiamentos suspeitos à ditaduras alinhadas ao Foro de São Paulo (ordem comunista e que reúne o que há de pior na política latinoamericana) que hoje se sabe,  por meio da “abençoada” Lava Jato, terem irrigado o caixa de campanha do PT e de partidos alinhados e cooptados, bem como irrigando o bolso de diversos de seus líderes, e ainda concedendo – por meio do BNDES – financiamentos bilionários a empresários dispostos a pagarem propina como contrapartida pelos “benefícios” financeiros recebidos.

Na verdade Lula e o PT promoveram o maior processo de manipulação financeira de massa e de cooptação corruptiva que se tem notícia mundialmente.

Tão logo Dilma se reelegeu a mentira petista já não tinha mais como ser escondida e, assim, vieram à tona sucessivas notícias de rombos bilionários nas contas públicas, até então sonegados para não causar prejuízos eleitorais ao PT na disputa presidencial, bem como a população tomou conhecimento do artifício contábil utilizado no período eleitoral presidencial pelo PT para dar ares de equilíbrio às já desequilibradas contas federais, qual seja: as denominadas ‘pedaladas fiscais’ que consistiam na tomada, pela União, de recursos junto a bancos públicos para maquiar as contas públicas dando a impressão de saúde financeira a estas e, desse modo, ficar encoberto, no período eleitoral presidencial, os ‘deficits’ bilionários então já existentes.

Depois veio o ‘impeachment’ e o governo Temer, também herdado de acordos políticos e de projeto de poder pactuados entre o PT e o PMDB, cujo governo atualmente se encontra cambaleante em virtude da vinda ao conhecimento público das relações perigosas e nada republicanas de Temer com a JBS.

Do breve histórico acima reelembrado se torna evidente concluir o que agora Lula e o seu exército de zumbis mentais fazem questão de esconder: que as consequências políticas, sociais, pelos desequilíbrios das contas públicas, restrição aos serviços públicos e pela elevação de tributos anunciada nesta semana e que ainda estão por vir, nada mais são do que a ‘herança maldita‘ deixada pelo PT depois de 13 anos de poder.

A cantilena dos petistas sobre a obtenção de conquistas sociais com Lula no poder não consegue esconder, para quem tem memória e olhos pra enxergar, os fins corruptivos e de manutenção do poder para os quais estas “causas sociais” foram utilizadas e, especialmente, que os efeitos danosos hoje sofridos pela população em forma de desemprego, aumento de tributos, corte de serviços públicos, redução de programas sociais, dentre outros, são ‘heranças malditas’ deixadas por Lula e Dilma depois de 13 anots de má versação do dinheiro e interesse público.

Quem defende a volta de Lula tem memória muito curta (mais curta do que coice de porco) ou é mal intencionado.

1 Comentário


Bloqueados R$ 9 milhões de um pobre operário

A Brasilprev enviou ao juiz Sérgio Moro uma confirmação de que bloqueou cerca de R$ 9 milhões que estavam depositados em dois planos de previdência privada, em nome do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O documento foi anexado a um processo conexo à ação penal que o petista foi condenado na Operação Lava Jato.

No documento, a Brasilprev afirma que suspendeu a disponibilidade dos valores após a decisão de Moro de bloquear R$ 16 milhões dos réus condenados no mesmo processo em que o petista foi condenado a nove anos e meio de prisão.

Conforme o documento, o dinheiro está dividido em dois planos de previdência, um de R$ 7.190.963,75 e o outro no valor de R$ 1.848.331,34. Em ambos os casos, foram feitos apenas um aporte, no dia 6 de junho de 2014.

Segundo a Brasilprev, os dois planos de previdência foram abertos pela LILS Palestras e Eventos. A empresa pertence ao ex-presidente e é responsável por agendar eventos em que o ex-presidente participa.

Além dos planos de previdência, o Banco Central já havia determinado o bloqueio de R$ 606 mil, que estavam depositados em nome do ex-presidente. O dinheiro estava depositado em várias contas bancárias em nome de Lula.

O bloqueio atingiu ainda imóveis pertencentes ao ex-presidente, incluindo o sequestro e arresto de dois carros, três apartamentos e um terreno, em São Bernardo do Campo (SP). O sequestro e o arresto são medidas cautelares que evitam que o réu se desfaça de bens ou valores que podem ser entregues à Justiça após decisão definitiva. No momento, o ex-presidente pode usufruir dos bens. Quantos aos carros, ele não pode vender ou repassar a outras pessoas. O valor dos imóveis deverá ser descontado da multa de R$ 16 milhões.

Na mesma decisão, Moro fez ressalvas quanto ao espólio da ex-primeira-dama Marisa Letícia Lula da Silva. Embora ela tenha sido acusada pelos mesmos crimes a que o petista foi condenado, o nome dela foi retirado do processo após a morte, no começo deste ano. Sendo assim, caso os bens que pertenciam ao casal sejam leiloados, apenas 50% do valor poderá ser destinado ao pagamento das multas a que o petista foi condenado (G1)

Sem categoria
1 Comentário


Greca aprova o UBER em Curitiba. Maringá como fica?

A Prefeitura de Curitiba autorizou o uso de aplicativos para o transporte de passageiros, como Uber e Cabify. A medida está no Diário Oficial da Prefeitura de Curitiba publicado quarta-feira (19) no decreto 1302/2017, assinado pelo prefeito Rafael Greca.

Entre as medidas para a regulamentação do serviço está a obrigatoriedade de que o serviço deve compartilhar várias informações com a Prefeitura, como informações de cada corrida e a exigência de que os motoristas tenham certidão negativa de antecedentes criminais.

Pelo texto, as empresas donas dos aplicativos deverão se cadastrar na prefeitura como Administradoras de Tecnologia em Transporte Compartilhado (ATCCs) e ter um escritório físico em Curitiba. Segundo decreto, será estabelecido um “preço público” que deverá ser pago à prefeitura pela “exploração intensiva do viário urbano”. Os valores serão calculados de acordo com a distância percorrida. Os detalhes destes cálculos serão definidos e uma nova resolução da Secretaria de Finanças, que deve ser definida nos próximos dias (Bem Paraná)

VEJA A ÍNTEGRA DO DECRETO AQUI

*** Em Curitiba o prefeito Rafael Greca matou a bola no peito, chamou a responsabilidade para si e resolveu a pendenga e em Maringá como fica este imbróglio?

O prefeito e os vereadores vão continuar em cima do muro?

Enquanto isso a população que precisa de um serviço mais eficiente e mais em conta vai ficando na mão.

6 Comentários


Uma voz a ser ouvida

O comandante do Exército, general Eduardo Villas Bôas, tem se notabilizado nestes tempos espinhosos como uma corajosa voz a favor da moderação e do respeito às instituições. Sempre que se pronuncia a propósito da grave crise que o País atravessa, o general Villas Bôas acentua sua preocupação com a manutenção da estabilidade institucional – preocupação esta que se justifica plenamente diante da irresponsabilidade que algumas lideranças políticas e parte do aparelho de Justiça têm demonstrado ao longo desse penoso processo.

Veja mais aqui.

Sem categoria
Comente aqui
 

Reforma tributária “em brevíssimo tempo”?

Com a reforma trabalhista sancionada na semana passada, o presidente Michel Temer prometeu uma reforma tributária em “brevíssimo tempo”, apesar de ter dito que a enviaria há três meses ao Congresso. Em vídeo, o peemedebista disse apenas que os últimos dias foram “desafiadores”, mas com resultados “excelentes”. Na semana passada, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) votou contra a denúncia por corrupção passiva contra Temer. (O Globo)

**Nota do blog – A reforma trabalhista, da economia e do sistema tributário e político do país são pilares para a sustentação e reingresso do país de modo competitivo no cenário do mercado internacional. As reformas não podem parar. Oremos muito, pois somente assim, com desenvolvimento econômico, é que será possível a geração de emprego, renda e, portanto, verdadeira e sustentável inclusão social no país. 

 

Comente aqui


Brasil, campeão em isolamento comercial internacional

Comércio internacional: Brasil é o 69° país mais aberto do mundo, entre 75 pesquisados (foto/Thinkstock)

Além de toda a insegurança política, o Brasil continua a jogar contra seus empresários quando o assunto é abertura comercial

No discurso que fez quando assumiu a presidência, Michel Temer disse que uma de suas prioridades era “estabelecer bases sólidas” para que a política externa voltasse a representar “os valores e interesses permanentes no nosso país”. “A recuperação do prestígio do país e da confiança em seu futuro serão tarefas iniciais e decisivas para o fortalecimento da inserção internacional da nossa economia”, disse.

Mais de um ano depois – e com o presidente quase fora do poder – o país andou milímetros na “inserção internacional da nossa economia”. Além de toda a insegurança trazida por sucessivas crises políticas, o Brasil continua a jogar contra seus empresários quando o assunto é abertura comercial.

De acordo com o Open Market Index, o ranking da abertura de mercado da Câmara de Comércio Internacional (ICC, na sigla em inglês), publicado na última semana, o Brasil é o 69° país mais aberto do mundo, entre 75 pesquisados.

No ranking, está pior do que a Argentina, que fica em 68ª com todos os problemas conhecidos, Quênia, Uganda, China e Índia e ocupa a última posição entre os países-membro do G20 – o grupo de 19 maiores economias do mundo mais a União Europeia. Nas seis posições que ficam abaixo do Brasil estão Bangladesh, Nigéria, Paquistão, Etiópia, Sudão e Venezuela, em último.

“O Brasil perdeu uma janela de oportunidade, que aconteceu antes da Continue lendo

Comente aqui


Receita Federal paga nesta 2a. feira segundo lote da restituição

A Receita Federal vai pagar nesta segunda-feira (17) o segundo lote de restituição do Imposto de Renda de Pessoas Físicas 2017. Este lote também incluirá restituições residuais de 2008 a 2016, segundo informou o órgão.

No total, R$ 2,99 bilhões serão transferidos a 1.495.931 contribuintes. Por lei, idosos e contribuintes com alguma deficiência física ou mental ou com alguma doença grave têm prioridade na restituição neste primeiro lote. (G1).

Sem categoria
Comente aqui
 

Show de horrores da esquerda asquerosa (parte II)

No episódio de ontem no Senado, Gleisi Hoffmann, enquanto alguns parlamentares (inclusive alguns do próprio partido) discutiam sobre a necessidade de ceder ou não à votação da reforma trabalhista, ligou para o presidente da CUT para perguntar o que deveria fazer (O Antagonista).

**Nota do blog – Assim é possível entender melhor quem as “senhoras” senadoras do PT e do PCdoB serve no Senado, e vice e versa quando os sindicatos e Centrais Sindicais organizam barricadas e quebra-quebras pelo Brasil a fora. Inclua-se aí as barbaridades praticadas MST. Todos formam uma frente truculenta que não está nem aí para os princípios democráticos do Estado de Direito. E tem gente que ainda os defende.

4 Comentários