Mês: agosto 2015



82% querem trocar carro por `bike` ou caminhada

Morar a 20 minutos a pé ou de bicicleta do trabalho e de um parque, para as horas de lazer. Este é um sonho de muitas pessoas que vivem nas principais capitais do país, de acordo com uma pesquisa sobre mobilidade urbana que será apresentada nesta quarta-feira (26) em São Paulo.

Das mil pessoas que responderam ao questionário, 82% disseram preferir viver em uma cidade compacta, onde o uso do carro seria praticamente desnecessário. As entrevistas foram realizadas nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Curitiba, Porto Alegre e Salvador. — Com informações da Gazeta do Povo.

Comente aqui


Você conhece todas as tarifas do cartão de crédito?

Na hora de usar o cartão de crédito, você facilmente acredita nas propagandas do banco, porque tudo parece realmente muito simples e prático. O preço dessas comodidades, no entanto, aparece em valores cobrados na fatura que muitas vezes você não faz nem ideia do que se trata.

Então, antes de agir por impulso e concordar com determinados serviços oferecidos no cartão de crédito, é melhor conferir em quais deles você será tarifada. Listamos uma série de serviços que possuem tarifa, de acordo com as informações da Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs).

Continue lendo

1 Comentário


10 dicas para passar pela crise sem perder dinheiro

O tema crise econômico pode ser um pouco cansativo, mas aparentemente veio pra ficar, ao menos por algum tempo – e ignorá-lo pode ser perigoso. Caso você queria manter o assunto em mente, mas sem permitir que ele cause muitos desgastes, o jeito é se prevenir. A seguir, EXAME.com reuniu dez dicas para enfrentar os tempos de vacas magras sem sofrimento. Confira.

1) Organize-se

Um planejamento anticrise começa pela análise da sua situação financeira. Para isso, é importante se organizar e colocar na ponta do lápis todas as suas receitas e despesas (veja nove dicas para organizar suas finanças já).

Pesquisa do SPC Brasil, realizada em 2014, revelou que Continue lendo

Sem categoria


Desemprego: a maior taxa para o segundo trimestre desde 2012

A taxa de desemprego subiu no segundo trimestre deste ano e chegou a 8,3%, segundo dados divulgados nesta terça-feira (25) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). É maior taxa da série histórica, que teve inicio em 2012. No primeiro trimestre deste ano, o índice foi de 7,9%. Já no segundo trimestre de 2014, a taxa foi de 6,8%.

De acordo com o IBGE, a população desocupada, de 8,4 milhões de pessoas, subiu 5,3% frente ao primeiro trimestre e, ante o 2º trimestre de 2014, o avanço foi de 23,5% (G1).

Comente aqui


Segundo CNC, famílias inadimplentes no país sobe para 22,4%

CONSUMIDOR PREOCUPADOA maior parte das dívidas das famílias é com cartão de crédito (77,7%)Arquivo/Agência Brasil

O percentual de famílias inadimplentes cresceu em agosto deste ano, de acordo com a Pesquisa Nacional de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), divulgada hoje (25) pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). Segundo o levantamento, 22,4% das famílias têm dívidas ou contas em atraso.

O percentual de inadimplentes supera o de julho deste ano (21,5%) e o de agosto do ano passado (19,2%). A taxa de agosto deste ano é a maior desde setembro de 2013, quando foi observado o mesmo percentual (22,4%).

Em média, o tempo de atraso das dívidas é de 60,9 dias. A pesquisa mostrou ainda que as famílias que não terão condições de pagar suas contras ou dívidas somam 8,4% do total neste mês, percentual também superior ao de julho deste ano (8,1%) e ao de agosto do ano passado (6,5%).

A CNC também mostrou que o percentual de famílias endividadas, mas não necessariamente com dívidas ou contas em atraso, chegou a 62,7% em agosto deste ano, superior aos 61,9% do mês anterior, mas abaixo dos 63,6% de agosto de 2014.

A maior parte das dívidas é com cartão de crédito (77,7%), carnê (16,5%) e financiamento de carro (13,9%). — Informações: Agência Brasil.

Comente aqui


MPF: 10 novas medidas de combate à corrupção

MPFUm sistema político sem regras eficazes ao seu adequado funcionamento, bem como a falta de uma maior aprimoramento na legislação de combate à corrupção no país, que estabeleça, inclusive, marcos de conduta ética aos agentes públicos e políticos, dá margem à existência de entendimentos dúbios e à sensação de falta de parâmetros objetivos para o enquadramento “sem chance para dúvidas” em relação às condutas corruptivas.

E o exemplo disso está aí, na atualidade, em relação aos envolvidos na Operação “Lava Jato”, os quais repetidamente vem apresentando defesas das condutas praticadas explorando justamente a falta de aprimoramento da legislação anticorrupção existente.

A falta de normatizações aprimoradas e balizantes tem servido muito à confusão e ao apontamento de “um para o nariz do outro”, numa espécie de jogo de empurra-empurra da culpa, sempre apelando-se para as falhas da lei.

Todo jogo ou disputa tem que ter regras claras e eficazes. A disputa política e a prática de atos de natureza pública ainda mais diante dos interesses públicos que envolvem.

Por isso penso que se faz urgente a criação de normatizações complementares nestes campos, para que o “vale-tudo”, que somente convém a quem pretende abocanhar o erário público, deixe de valer a pena.

Neste sentido muito oportuna a criação, pelo Ministério Público Federal (MPF), por meio dos Promotores Federais que compõem a Força-Tarefa da Operação “Lava Jato”, de 10 novas propostas visando o aperfeiçoamento da lei de combate à corrupção no país, cujas propostas o MPF quer ver convertidas em lei de iniciativa popular que deverá ser apoiada pela população mediante preenchimento de ficha de apoiamento ou impressão de ficha a partir do site www.10medidas.mpf.mp.br, visando coletar dados e assinaturas, para depois entregá-la numa das sedes do MPF próximas da sua casa.

Vejam aqui as 10 medidas propostas pelo Ministério Público Federal (MPF)(clicar no link abaixo):
http://www.combateacorrupcao.mpf.mp.br/10-medidas/docs/resumo-medidas-frente-verso.pdf

Sem categoria
1 Comentário


Prova para tirar CNH será filmada

Governo deve fazer licitação para instalar o sistema com o objetivo de combater o pagamento de propina para a compra de carteiras de habilitação; Detran vai comparar resultados registrados pela telemetria dos veículos com os relatos de examinadores.

Os carros usados em provas técnicas para tirar a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) terão câmeras para registrar os alunos e os funcionários do Departamento Estadual de Trânsito (Detran) que avaliam os futuros motoristas. Além disso, o órgão vai determinar que todos os veículos tenham um sistema de telemetria para comparar o resultado do teste com o que realmente aconteceu na hora da prova, evitando fraudes. — Estadão.

Sem categoria
Comente aqui


Proibição de negar atendimento ao consumidor

Segundo estabelece o Código de Defesa do Consumidor (artigo 39, inciso II), é vedado ao fornecedor recusar atendimento às demandas dos consumidores. Isso quer dizer que, ao inserir o seu produto ou serviço no mercado de consumo, o fornecedor é obrigado a atender a todo e qualquer interessado na aquisição da oferta, respeitados os termos em que ela é apresentada.

Nesse sentido, a Lei 8.137/90 dispõe que sonegar insumos ou bens, recusando-se a vendê-los a quem pretenda comprá-los nas condições publicamente ofertadas constitui crime contra as relações de consumo (artigo 7º, inciso VI), ao passo que a Lei 1.521/51 institui como crime contra a economia popular o ato de sonegar mercadoria ou recusar vendê-la a quem esteja em condições de comprar a pronto pagamento (artigo 2º, inciso I).

Por óbvio, a obrigatoriedade de atendimento ao consumidor encontra limite nas disponibilidades de estoque do produto, na capacidade de prestar o serviço e nos usos e costumes do local.

A título de exemplo, não pode o comerciante se recusar a vender o produto exposto na vitrine por não dispor de outro para substituí-lo, tampouco pode o motorista de taxi negar atendimento em razão da pequena distância a ser percorrida.

A prática é tida como abusiva e, portanto, passível das sanções previstas no artigo 56 do Código de Defesa do Consumidor, tais como multa; suspensão de fornecimento de produtos ou serviço; suspensão temporária de atividade; revogação de concessão ou permissão de uso; cassação de licença de estabelecimento ou de atividade; interdição, total ou parcial, de estabelecimento; e intervençãoadministrativa. — CDL/BH

Comente aqui


Cartão sem anuidade pode ser enganação

6soqx24pugyy903lutu6vgj6o[1]Será que vale a pena aderir a um cartão de crédito que se diz sem cobrança de anuidade, mas que te obriga a gastar todo o mês? Ou seja, a isenção de anuidade e outras tarifas é condicionada a um uso específico e, caso não esteja disposto a usá-lo na frequência estipulada, vai acabar pagando muito mais que por um cartão de crédito convencional. São as tais tarifas de inatividade, de manutenção, e por aí afora.

Também é bom ficar de olho em cartões oferecidos por supermercados para ter acesso exclusivo nos produtos. Verifique no contrato se há cobrança de anuidade ou outras taxas que possam tornar sem efeito o possível “desconto” nos produtos. Você não pode ser pressionado a usar o cartão mesmo que você não precise ou não queira, para evitar o pagamento de taxas.

, do Fique atento se a oferta não se configura propaganda enganosa. O parágrafo primeiro do artigo 37 do Código de Defesa do Consumidor (CDC) a define como a publicidade “inteira ou parcialmente falsa (…) capaz de induzir em erro o consumidor a respeito na natureza, características, qualidade, quantidade, propriedades, origem, preço e quaisquer outros dados sobre produtos e serviços”. — Com informações do Estadão.

Comente aqui