Mês: fevereiro 2016



TIM é condenada por prática abusiva de venda casada

A TIM Celular S.A. foi condenada pelo Poder Judiciário a pagar R$ 863.612,77 para reparar danos morais coletivos devido à prática abusiva de venda casada, que obrigava consumidores a adquirir um aparelho telefônico ao contratar um serviço de telefonia fixa.

A sentença condenatória, que não admite mais a interposição de recursos, é resultado definitivo da ação civil pública ajuizada pelo Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), por meio da 14ª Promotoria de Defesa do Consumidor de Belo Horizonte, em 2010. — O Globo

Comente aqui


VW anuncia `recall`de 8 modelos de carros. Confira.

AmarokA Volkswagen do Brasil convocou, nesta quarta-feira (17/2), os proprietários dos veículos modelos Jetta, Jetta Variant, Tiguan, Passat, Passat Variant, Passat CC, CC e Eos, abaixo identificados, a agendarem, junto a uma concessionária da marca, inspeção e instalação de um componente adicional no conjunto da espiral de contato do airbag do motorista. Esta é a segunda fase do chamamento iniciado em 17/9/15.
Identificação dos veículos envolvidos:
MODELO
ANO/MODELO
CHASSIS NÃO SEQUENCIAIS
Jetta
2011 até 2014
BM001650 até EM026522
Jetta Variant
2012 até 2013
CM624628 até DM644980
Tiguan
2010 até 2014
AW091977 até EW589204
Passat
2010 até 2014
AE063903 até AE182319; AP026362 até EP008228
Passat Variant
2010 até 2014
AE049185 até EE023394
Passat CC
2010 até 2012
AE506514 até CE545760
CC
2013
DE519774 até DE552819
Eos
2010 até 2011
AV013181 até BV002845
No comunicado, a empresa informa ter constatado a possibilidade de rompimento do cabo plano da espiral de contato do airbag frontal do motorista, devido a eventual entrada de impurezas, como longos fios de cabelo e/ou de tecidos. Esse cabo mantém o airbag ativo enquanto o volante de direção está sendo esterçado e, no caso de rompimento desse componente, ocorrerá a perda da conexão elétrica e a luz de advertência do airbag acenderá no painel do veículo. Devido a não deflagração do airbag em uma colisão que demande o seu acionamento, há risco de danos físicos graves ou fatais ao motorista.

Continue lendo

Recall
Comente aqui


AZUL diminui atividades e devolve 20 aviões

A companhia tem reduzido a oferta de rotas como forma de reduzir custos de operaçãoApós navegar anos em céu de brigadeiro, a aviação civil brasileira atravessa forte turbulência. A Azul Linhas Aéreas admitiu a devolução de 20 aeronaves até junho deste ano. O encolhimento na oferta de rotas pegou em cheio o Aeroporto da Pampulha, que, a partir de 4 de abril, deixará de receber os voos da companhia.

Hoje, a Azul opera diariamente dois voos para o Rio de Janeiro (Santos Dumont) e dois para São Paulo (Campinas) com saída da Pampulha. Os clientes serão realocados para o Aeroporto Internacional Tancredo Neves (AITN) ou ressarcidos. A operação no aeroporto de Rio Branco, no Acre, também será encerrada em abril.

Os funcionários da Azul na Pampulha serão remanejados para outras bases. As informações são do blog Tudo Viagem (www.tudoviagem.com) e foram confirmadas pela assessoria de imprensa da companhia.

Válido para o Brasil

Além de reduzir os voos no país, no comunicado interno da companhia ao qual o Hoje em Dia teve acesso, a empresa anunciou aos comissários e pilotos um programa de “licença não remunerada”. Continue lendo

Comente aqui


PÁSCOA MAGRA

A previsão dos economistas é de que a próxima Páscoa será magra, com ovos de chocolate menores e em média até 16% mais caros que o ano passado.

A saída será o consumidor substituir os ovos, que estarão muito caros e menores, por caixas de bombons, barras de chocolates ou mesmo ovos de Páscoa feitos em casa, artesanalmente.

Estes produtos sempre ficam bem mais em conta que os ovos comprados prontos e com o mesmo dinheiro o consumidor consegue comprar uma quantidade maior de chocolate.

Com a caristia a melhor estratégia é substituir produtos. Sem dúvida.

Comente aqui


Dica de economia doméstica

ADECON-MERCADOEXTRAEm meio a crise os consumidores procuram alternativas para se adptarem à realidade dura dos escassos recursos financeiros.

Uma das estratégias que vem sendo adotada pelos consumidores é a compra de produtos com embalagens econômicas. Embalagens do tipo compre 3 e leve 4 ou que propiciem um menor preço pela unidade do produto uma vez adquirido em embalagens fechadas contendo uma quantidade maior de unidades,

A consultoria Nielsen apurou de houve aumento de 60% na aquisição de produtos em embalagens econômicas nas 20 categorias mais importantes de gêneros domésticos, tais como: sabonete, papel higiênico, café, dentre outros.

Esta é uma boa dica para contribuir com a economia doméstica.

Comente aqui


Dívida do consumidor no rotativo do cartão dispara

Segundo dados do Banco central, a dívida dos brasileiros no rotativo do cartão de crédito disparou em 2015. A soma de todos os valores devidos cresceu 21,2% no ano passado e atingiu R$ 34,5 bilhões. Esse valor é praticamente o dobro do verificado em 2014, quando avançou 11,4%.

De acordo com o BC, o aumento pode ser explicado pela intensificação do uso do rotativo e a incorporação de juros – que atingiram o patamar recorde de 431,4% ao ano.

Sem dinheiro, o consumidor não paga o valor integral da fatura, para não ficar inadimplente, mas fica sujeito a uma taxa altíssima de juros.

Os dados não permitem quantificar o número de pessoas inadimplentes no cartão. Mas o descolamento entre o aumento da dívida (saldo) e a concessão indica que o juro recorde está criando um contingente de superendividados no Brasil. — Diário do Poder.

*** É como eu já disse em outras oportunidades. Quem mais lucra com a crise são os bancos, e o cidadão é sempre esfolado pela crise e pelos juros criminosos cobrados pelo sistema financeiro. E o governo federal, por sua vez, está nem aí com o crescente endividamento da população.

Sem categoria
Comente aqui


Artigo: “Não há mais como se endividar”

Radar do ConsumidorCompartilho com vocês artigo de minha autoria, que o jornal O Diário publicou ontem (12), na sua página A2. O texto trata da estratégia do governo federal consistente em aquecer a economia facilitando o crédito ao consumidor, que já se encontra demasiadamente endividado. Convido todos à leitura do artigo a seguir:

ARTIGO-ODIARIO

Artigo
Comente aqui


Dilma e o consumidor

José Roberto de Toledo, Estadão

A confiança do consumidor cresceu em janeiro, segundo a pesquisa mensal CNI/Ibope. E não foi pouco. Chegou ao maior patamar em cinco meses.

Em tese, isso é uma boa notícia para Dilma Rousseff, porque nada se correlaciona mais com a popularidade presidencial do que algumas das questões que estão por trás da medida de confiança do consumidor.

Porém, nós já vimos esse aumento acontecer antes e, para azar de Dilma, não se sustentou.

Sem categoria
Comente aqui


Onde a alta de preços pesou ou aliviou mais em janeiro

A inflação não deu trégua em janeiro: a taxa foi de 1,27%, acima de dezembro (0,96%) e a maior para o mês desde 2003 (quando chegou a 2,25%).

Depois de fechar 2015 em 10,67%, a inflação anualizada chegou a 10,71% – muito longe do teto da meta do governo, que é de 6,5%.

Os dois grandes culpados pela alta de preços deste início de ano foram dois grupos: Alimentação e Bebidas e Transportes. Juntos, eles responderam por mais de 70% do peso do índice.

Entre as comidas, chamam a atenção altas na cenoura (32%), tomate (27%), cebola (22%) e batata-inglesa (14%).

Nos Transportes,  pesaram os reajustes dos ônibus urbanos em 6 regiões e dos intermunicipais em 5. Em São Paulo, também houve alta no metrô.

Fonte: Exame.

Sem categoria
Comente aqui


Saques na poupança: realidade sem fantasias

RADAR“A quantidade de recursos que os investidores retiraram da poupança em janeiro, já descontadas as aplicações, foi a maior para qualquer mês da série histórica do Banco Central, iniciada em 1995. De acordo com a instituição, os saques superaram os depósitos em 12,03 bilhões de reais.” (Fonte: Estadão)

Este é mais um sinal preocupante em relação a percepção da economia nacional. Significa que o nível de “estrangulamento financeiro” dos cidadãos e a confiabilidade destes na economia está tomando contornos cada vez mais negativos, dia após dia.

É de conhecimento que quando são retiradas reservas feitas em poupança é porque a “coisa” está cada vez mais complicada financeiramente para as pessoas e estas não percebem confiança ou perspectivas positivas no cenário econômico.

Com o término do carnaval o cidadão brasileiro está voltando à realidade, e ela (a realidade) não está vestida com fantasias.

Comente aqui