Mês: fevereiro 2017



As heranças malditas da era Lula/Dilma

Dias atrás escrevi aqui no blog sobre a dívida bilionária (62 bilhões) deixada pelo (des)governo Dilma junto ao setor elétrico do país e que agora terá que ser paga por nós, os consumidores-contribuintes (veja aqui).

Coincidentemente hoje (28) o Estadão publicou um editorial interessante (aqui), muito bom para ser lido por quem quer entender melhor como funcionava o governo populista do PT, que ainda alguns teimam em defender, cujo editorial daquele qualificado jornal confirma integralmente as análises que fiz na postagem veiculada há dias atrás aqui no blog.

No referido editorial o Estadão informa textualmente o seguinte: ““O fato de não ter sido pago naquela época imputou hoje valor considerável para o consumidor, que não teve gestão na decisão de pagar ou não”, disse Reive Barros, diretor do órgão regulador. A Aneel estima um aumento entre 1,13% e 11,45%, com um impacto médio de 7,17% na conta de luz.”

O editorial afirma também: “A cobrança da indenização na conta de luz durará pelos próximos oito anos. Até 2025 o consumidor lembrará todo mês da manobra eleitoreira de Dilma Rousseff na conta de luz.”

Ou seja, nós pobres mortais teremos que pagar até 2025 a conta pela irresponsabilidade da presidentA Dilma junto ao setor elétrico do país.

Políticas de incentivos fiscais que permitiram isenções fiscais a muitos grandes apoiadores de campanha do PT também foram “patrocinadas” com propinas para que respectivas Medidas Provisórias fossem editadas por Lula e Dilma, e também fizeram parte do aparato utilizado pelo PT para  estufar o bolso dos seus aliados e mantê-los no poder.

Mas fiquem tranquilos, pois os seguidores e defensores do anacronismo político e moral representado pelo governo petista se utilizarão, como já vêm fazendo com a maior “cara de pau”, dos efeitos retardados e nocivos das políticas populistas utilizadas por Lula e Dilma para se manterem no poder, a fim de atacarem os governos que se seguirem no poder e que a bem da verdade herdaram várias “bombas relógios” que estourarão mais adiante.

Estes “caras duras” contam com a memória curta da população, mas cabe a nós relembrarmos constantemente de onde se originaram os pepinos que ainda estão por estourar.

7 Comentários


Qualificando a conversa: e o custo do crédito, hein!?

Não imaginava que se utilizar da liberdade de expressão para falar do que se pensa (‘post’ anterior) enfurecesse tanto os defensores da esquerda anacrônica.

Às vezes tenho recaídas em discutir um pouco sobre conjuntura política, o que confesso, não é o viés principal do blog, mas quando o faço vocês não imaginam a quantidade de comentários enfurecidos e impublicáveis que recebo. É o patrulhamento ideológico que a esquerda se acostumou a fazer, mas que em razão da disseminação das mídias sociais – como acentuei na postagem anterior – não conseguem mais dar conta de fazer com qualidade e eficiência. Como eu disse anteriormente, eles perderam o ‘monopólio da verdade’,

Em razão da última postagem minha até um conhecido blogueiro alinhado com pensamentos ultrapassados da esquerda anacrônica do país se aventurou a me fazer críticas, me chamando a atenção dizendo, pretensiosamente, como eu devia me portar. Tenha a santa paciência.

Assim como tal blogueiro não publica minhas opiniões no seu blog quando as faço, não vou dar azo a publicar as suas lições morais neste espaço. Simples assim.

Por que o custo do crédito ao consumidor está caro

Considerando que o assunto não merece mais do que as linhas escritas acima, vamos qualificar a discussão enfocando um dos assuntos que efetivamente interessa ao leitor: a difícil queda no custo do crédito ao consumidor.

Apesar da queda da taxa Selic e do horizonte de diminuição no índice da inflação, a conjuntura econômica é de persistência na manutenção do ‘spread’ bancário, que nada mais é do que a diferença entre o que custa a captação de capitais pelos bancos no mercado e o quanto este cobra para emprestá-los ao consumidor.

A dúvida que surge é a seguinte: se a taxa básica de juros (Selic) está caindo é porque a perspectiva de inflação está projetada para baixo da meta, então porque, mesmo com a percepção de melhora na economia, o custo do crédito ao consumidor continua elevado?

A resposta se encontra na resistência à diminuição do ‘spread’ pelos bancos, o qual leva em conta o histórico no nível de inadimplências e o fato de que no país atualmente se encontram desempregados quase 13 milhões de trabalhadores, o que indica, mesmo com a gradual melhora na economia, a persistência de elevados índices de inadimplência no país.

Traduzindo em miúdos: até que a curva do desemprego vire para baixo e o ‘spread’ bancário, que atualmente está em torno 23,3 porcento segundo o Banco Central, sofra reduções, o custo do crédito ao consumidor continuará elevado.

4 Comentários


Críticos da “Lava Jato”. Defensores de corruptos.

Há quem critique a operação “Lava Jato” sob a alegação de que se trata de uma operação que visa o aparecimento midiático dos seus integrantes. Outros a criticam sob o enfoque, saliente-se suposto e conspiratório, de que ela é manipulada pelo governo americano para interferir na política nacional, bem como – supostamente – se prestaria a perseguir o PT e os seus líderes numa caçada judicial para exterminar do cenário político os também supostos “benfeitores” do bolsa-família e do minha casa, minha vida,

Para estes seres viajantes tudo cheira golpe e armação, menos propina e corrupção da parte dos seus protegidos.

A par destes argumentos esfumaçantes da realidade, constata-se, ainda, em frenética atividade, uma  fábrica de versões e teses ideológicas enraizada nas universidades públicas, com vencimentos salariais  pagos pelo cidadão-contribuinte, mas a serviço de uma esquerda anacrônica, velha e velhaca, que tenta de todas as formas sobrepor a versão aos fatos que vem sendo desnudados pelas investigações.

Estes agentes úteis do anacronismo social e político estão presentes também nas mídias, muitas vezes pertinhos de nós.

Para todos estes causa espécie e escândalo tudo o que diga respeito às investigações, até mesmo as condenações de criminosos comprovadamente envolvidos nos esquemas de corrupção e lavagem de dinheiro, pelo simples fato de se tratarem de políticos ligados ao PT e sua camarilha amiga.

Mesmo a operação “Lava Jato” tendo demonstrato e comprovado que não faz acepção ou escolhas partidárias, tanto que vem prendendo e condenando corruptos de todas as cores políticas, os ideólogos do lulopetismo e da esquerda putrefata ainda persistem na criação de teses mirabolantes para dar musculatura a versões insanas sobre a “Lava Jato”.

No entanto, temos uma péssima notícia a dar à turba  ideológica esquerdopata: o avanço tecnológico e das mídias sociais, pela qual há um fluxo incontrolável de informações correndo qual fluxo de sangue, não lhes permite mais exercerem, como antes, o “monopólio da verdade” por mais mentirosas e enganadoras que fossem as reais intenções dos seus ídolos/líderes políticos.

Portanto, desistam da tentativa de demonizar a “Lava Jato” pois felizmente hoje a população tem amplo acesso a informação e está aprendendo a raciocinar sem as limitações intelectuais que os esquerdopatas gostariam.

Certamente a fim de evitar isso é que o governo Dilma, antes de ser catapultado do poder, engendrou e ensaiou uma grave investidada sobre a liberdade de expressão, por meio de projeto que visava o controle sobre os meios de comunicação e mídias alternativas.

Sou capaz de apostar que os defensores do lulopetismo não se importavam com esta grave ameaça à liberdade de expressão e à democracia.

Aaaah! Mas a “Lava Jato”…..

4 Comentários


Dilma faz consumidor pagar conta de R$ 62 bi

A política populista consistente em interferir nas estatais a fim de controlar preços visando colher benefícios eleitorais sempre acaba resultando em desequilíbrios futuros, tanto em relação aos preços dos serviços, que depois precisam ser repostos mandando-se a conta para o consumidor-contribuinte, como na precarização na prestação dos respectivos serviços, que são diretamente afetados pela artificialização dos preços, resultando da desestruturação de investimentos no setor manipulado.

Quem não se recorda do estardalhaço feito pela presidente Dilma ao adotar política heterodoxa no setor elétrico, a partir de 2012, anunciando reducão de preços da energia elétrica ao consumidor? Tudo feito com o escarrado objetivo de se reeleger em 2015, como de fato acabou acontecendo.

Foi uma dentre tantas outras estratégias adotadas pelo lulopetismo para se manter no poder.

No entanto, eis que agora a Agência Nacional de Energia Elétrica (ANATEL) anunciou a conta que terá que ser paga pelos consumidores-contribuintes em razão da adoção daquela política dirigista e eleitoreira levada a efeito por Dilma e seus malfeitores: R$ 62 bilhões que terão que sair dos bolsos dos consumidores, cujo valor será agora necessário para repor investimentos e ampliações de estruturas na área de energia, que tiveram que ser artificialmente bancados pelo Tesouso Nacional por conta da falta dos devidos e oportunos reajustes nas tarifas de energia ao consumidor.

Ou seja, enquanto a suposta competentA presidentA pousava de exímia gestora pública para os holofotes da nação, criava-se a conta bilionária que agora terá que ser paga por todos nós.

Num país sério este tipo de conduta resultaria em pena de prisão. Cadeia, no linguajar popular.

2 Comentários
 

Redução da Selic faz bancos reduzirem juros

Após o Comitê de Política Monetária (Copom) reduzir, nesta quarta-feira, a taxa Selic pela quarta vez seguida, cortando o juro básico em 0,75 ponto percentual, de 13% ao ano para 12,25% ao ano, bancos também anunciaram reduções de tributos.

O Banco do Brasil anunciou que as principais quedas, de até 0,12 ponto porcentual ao mês, ocorrerão, de acordo com a instituição, em linhas de crédito para capital de giro voltadas a micro e pequenas empresas, com destaque para operações de recebíveis. Os novos juros entram em vigor a partir do dia 1º de março.

  Continue lendo

Comente aqui


Financiamentos de até 1,5 mi com FGTS vale a partir de hoje

Começa a valer a partir de hoje (20) a nova regra que permite o financiamento pelo Sistema Financeiro de Habitação (SFH) de imóveis de até R$ 1,5 milhão.

Outra alteração importante diz respeito a possibilidade de utilização de valores do FGTS do mutuário para o pagamento de imóveis deste valor, algo até então vedado e que a partir de agora contribuirá para a redução dos custos efetivos dos financiamentos imobiliários.

Segundo especialistas do setor as medidas não terão  impacto suficiente para alterar os preços no mercado imobiliário, mas contribuirão ao menos para uma melhora parcial no otimismo do seguimento.

Comente aqui


Governo mapeia sinais da retomada econômica

Os sinais positivos que começam a aparecer na economia elevam o otimismo, ainda que cauteloso, dentro do governo para o ano. A expectativa da equipe econômica é de que, ao final do último trimestre, o Brasil esteja crescendo a um ritmo de 2% em relação ao mesmo trimestre de 2016.

“Devemos ter crescimento neste primeiro trimestre. O ponto da virada parece ter sido em dezembro”, diz o secretário de Política Econômica do Ministério da Fazenda, Fabio Kanczuk.

 
A Fazenda vem mapeando a intensidade do “vigor” da retomada nesses três meses. Até o momento, identificou pelo menos cinco importantes sinais de que o período de recessão econômica, que atravessou 11 trimestres consecutivos, está ficando para trás.

Continue lendo

2 Comentários


Retorno e posse na FACIAP

Depois de alguns dias de férias retornamos com as atividades no blog e no trabalho.

Ontem estive presente na posse do amigo maringaense Marco Tadeu Barbosa na presidência da Federação do Comércio e Indústria do Paraná (FACIAP), entidade de abrangência estadual de grande importância para auxiliar no planejamento e desenvolvimento do setor do comércio do estado.

Sem categoria
Comente aqui


O quadro da ex-primeira-dama “é irreversível”

Estadão Conteúdo

O estado de saúde da ex-primeira-dama Marisa Letícia Lula da Silva piorou ao longo desta quarta-feira, 1.

Segundo a equipe de médicos que atendem a mulher do ex-presidente Lula, o quadro dela é “irreversível”.

*** Independente das questões políticas, ideológicas e pessoais, penso que todos devemos lamentar pelo o que está acontecendo na saúde da ex-Primeira-Dama da nação. Meu pai teve AVC e padeceu por 8 anos das suas seqüelas até falecer, de modo que sei bem o quanto é difícil para a família e para a própria vítima passar por este tipo de afetação de saúde. Que Deus abençoe a Sra. Marisa e que Ele permita que ela saia desta situação.

Sem categoria
Comente aqui