R$ 2 milhões do dinheiro público serão torrados em evento pró Lula e Dilma

A Universidade do Estado da Bahia (Uneb) investiu R$ 2,2 milhões em um evento que terá a presença dos ex-presidentes Lula e Dilma Rousseff, além do ex-presidente do Uruguai, Pepe Mujica, e Cristina Kirchner, da Argentina.

Do total investido, RS 296 mil serão destinados para uma empresa responsável pela instalação da estrutura do evento. Outros R$ 750 mil serão pagos à empresa que realizará tradução simultânea das comunicações feitas pelas personalidades internacionais.

O valor restante de RS 1,2 milhão é destinado para uma empresa, contratada sem licitação, que será responsável pelo planejamento, divulgação e operacionalização do Fórum Social Mundial (FSM).

O evento, que acontecerá entre os dias 13 e 17 de março, no Estádio de Pituaçu, em Salvador, reunirá marchas e assembleias com personalidades locais e internacionais. De acordo com a organização, o objetivo é “debater e definir novas alternativas e estratégias de enfrentamento ao neoliberalismo, aos golpes antidemocráticos e genocidas que diversos países estão enfrentando nos últimos anos”.

Outro lado

Em nota encaminhada à Gazeta do Povo, a Uneb afirma que os gastos não têm impacto no orçamento da instituição.

“O aporte financeiro de que tratam as notícias é proveniente de suplementação orçamentária do Governo do Estado da Bahia (publicado no Diário Oficial do Estado no dia 20/01/2018), portanto sem impactos no seu orçamento. Cabe a universidade a execução destes recursos para cumprimento das atividades estritamente relacionadas ao FSM”, diz.

A universidade destaca ainda que a contratação dispensada de licitação seguiu os procedimentos legais após chamada pública divulgada no Diário Oficial do Estado.

“Todo o processo foi realizado dentro dos trâmites legais, a partir de consubstanciado parecer jurídico, e resguardou os princípios da transparência, lisura e responsabilidade na gestão dos recursos públicos”, conclui. (Com informaçōes da Gazeta do Povo)

**Nota do blog – A justificativa apresentada pela UNEB não retira a indignação do cidadão brasileiro em ver dinheiro público, provindo do estado da Bahia, ser destinado pera os caprichos políticos da esquerda rançosa do país.

Para a esquerda anacrônica dinheiro público serve para isso, ou seja, a viabilização do seu projeto de poder assim como fizeram e fazem com as estatais quando estão no poder, as quais se constituem em meros instrumentos para o seu financiamento de campanha e sustentação de movimentos “sociais” que lhes dão respaldo nas ruas.

Sem categoria

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.