Mês: outubro 2018

 

Empregos em vista

Fotografia: Fecomércio PR

A abertura de vagas temporárias deve aumentar neste fim de ano. Sondagem realizada pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná (Fecomércio PR) identificou que 17% das empresas dos setores de comércio e serviços do estado devem contratar trabalhadores temporários, o que deve gerar mais de 5 mil vagas temporárias no Paraná.

É a maior projeção de contratação dos últimos três anos. Em 2017, a pretensão de vagas temporárias era de 13,6%; em 2016 foi de 16,1%, e em 2015, de 14,5%.

O comércio concentra 18,8% das respostas positivas, enquanto o setor de serviços, 13%.

Sem categoria
Comente aqui


Terceiro turno

Manifestações em São Paulo e no Rio de Janeiro (foto) no dia de ontem (30)

Dois dias após o resultado das eleições os militantes dos perdedores já articulam manifestações nas ruas contrárias ao ganhador (Bolsonaro). Não querem o fim das eleições, mas uma espécie de “terceiro turno”.

v
Falta maturidade democrática destes que se dizem defensores da democracia, mas querem dar continuidade em disputas políticas sem fim. Isto não é bom para o país e tampouco atende aos interesses da nação.

v
Precisamos amadurecer mais e pensarmos mais no Brasil. Enquanto a defesa de partidos e de pessoas (políticos) for a prioridade das militâncias políticas ativistas (de todos os lados), o País, que é o que mais devia interessar, ficará em segundo plano.

Comente aqui


Vai acabar

Notícia interessante de hoje foi dada pelo presidente do PSL, Luciano Bivar, deputado federal eleito por Pernambuco.

Ela dá conta de que o presidente eleito Jair Bolsonaro vai extinguir com o Ministério das Cidades, o qual foi criado em 2003 pelo então Presidente Lula.

O ministério no decorrer dos anos se constituiu num penduricalho administrativo que se prestou, bastante, a fazer políticas questionáveis com verbas públicas junto aos prefeitos.

A idéia de Bolsonaro é criar outra modelagem, com relação direta com os prefeitos e governadores (cidades e Estados).

Sem categoria
1 Comentário


#EleNãoEMeuPresidente

Roseli Abrão informa que a hashtag #EleNãoEMeuPresidente, criada por eleitores de Fernando Haddad, comemora o fato de a grande maioria do eleitorado brasileiro não ter votado no presidente eleito, Jair Bolsonaro.

O cálculo que fazem é o seguinte: dos 147.306.294 eleitores brasileiros, 89.506.515 não votaram em Bolsonaro. Nessa conta entram os votos de Haddad (47.033.734), os brancos (2.486.571), os nulos (8.607.999) e as abstenções (47.038.792).

————————-

*** Nota do blog:

É bom lembrar aos petistas, esquerdistas em geral e afins, que ainda mais eleitores não votaram no candidato poste, representante de Lula e da esquerda anacrônica do país, uma vez que se somados os votos de Bolsonaro (58 milhões),  os brancos (2.486.571), os nulos (8.607.999) e as abstenções (47.038.792), temos que 116.133.362 brasileiros não votaram no “projeto” da esquerda nacional, o qual contemplava o controle da mídia, “revisão” (??) constitucional, soltar Lula e uma penca de bandidos, legalizar o aborto (assassinato de nascituros), dentre outros objetivos repugnantes e que foram reprovados pelos brasileiros nas urnas.

Assim, se é para fazermos “continhas”, repito, mais de 116 milhões de brasileiros NÃO VOTARAM em Haddad/PT/PCdoB/esquerda anacrônica do Brasil,

Sem categoria
4 Comentários


Bolsonaro Presidente do Brasil

O TSE está neste momento com 99,88% dos votos apurados nas eleições presidenciais e o resultado aponta Jair Messias Bolsonaro como o novo presidente do Brasil com mais de 57 milhões de votos, enquanto Fernando Haddad está com 47 milhões de votos.

Em percentuais: Bolsonaro 55,15% X 44,85% Haddad,

Foi uma eleição presidencial histórica, em que o candidato vencedor contou com apenas 8 segundos de tempo na programação eleitoral na televisão no primeiro turno e passou a maior parte do tempo da campanha sem ir às ruas e aos debates em razão de ter sofrido atentado a faca que lhe exigiu mais de 40 dias de recuperação em casa.

Mas o mais atípico e sem paradigmas históricos foi o fato de que Bolsonaro gastou em sua campanha míseros – para uma campanha presidencial – R$ 1,5 milhão de reais, sem utilização de recursos públicos (fundo partidário), enquanto os seus adversários fizeram companhas milionárias, sendo que algumas campanhas, como a de Haddad, superaram a casa de R$ 20 milhões em gastos e com utilização de recursos públicos.

Em resumo, foi uma eleição histórica e que entrou para os anais hsitóricos da política nacional.

Comente aqui
 

Bolsonaro entra novamente no TSE contra Haddad

O Antagonista

A campanha de Jair Bolsonaro entrou no TSE com mais uma ação contra Fernando Haddad.

A defesa do candidato do PSL quer que se investigate a relação da campanha petista com sindicatos e entidades estudantis que estariam beneficiando a candidatura de Haddad.

Para os advogados de Bolsonaro, o suposto uso de valores não contabilizados na campanha petista configura abuso de poder econômico e “evidente uso e aparelhamento” das entidades.

A ação pede, com isso, que o TSE determine a cassação dos registros de Haddad e de Manuela D’Avila e a inelegibilidade dos candidatos por oito anos.

Sem categoria
1 Comentário


Ciro Gomes diz “não” a Haddad

Aconteceu o tão aguardado retorno de Ciro Gomes do exterior. A expectiva da maioria das pessoas, e especialmente do PT e de Haddad, era de que Ciro ao retornar declarasse apoio à Haddad. Só que não.

Ciro Gomes deu de ombros em Haddad e hoje manifestou claramente “não querer tomar lado na disputa”.

Em resumo, pelo visto a virada mencionada pelo Haddad nesta reta final de campanha vai se resumir domingo basicamente em Haddad ver contado os votos da vitória de Bolsonaro, deitar de “cabeça inchada”, VIRAR e tentar dormir.

Sem categoria
2 Comentários