Agronegócio



1° semestre com recorde

A greve dos caminhoneiros atrapalhou, mas não impediu que o Brasil fechasse o primeiro semestre deste ano com um recorde de exportações de soja.

Ao longo dos seis primeiros meses de 2018, foram 46,3 milhões de toneladas exportados, 2,3 milhões de toneladas a mais em relação ao mesmo período de 2017. (Gazeta do Povo).

Comente aqui


BNDES terá R$ 20,4 bilhões para a safra 2018/19

.

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) apoiará com R$ 20,4 bilhões os investimentos para a safra 2018/2019. O valor representa 50% do crédito direcionado para investimentos do setor. Adicionalmente, o BNDES disponibilizará R$ 100 milhões para financiamento de custeio.

O Plano Agrícola e Pecuário 2018/2019, com recursos totais de R$ 194,3 bilhões, foi anunciado no dia 7 de junho. Os recursos poderão ser acessados pelos agricultores entre julho deste ano e junho de 2019. No BNDES, programas agropecuários serão operados com taxas de 5,25% a 7,5% ao ano, dependendo da finalidade do financiamento.  São enquadrados como investimentos financiáveis a construção de armazéns com capacidade de até 6 mil toneladas nas propriedades dos pequenos e médios produtores rurais, a recuperação de reserva legal e de áreas de preservação permanente no âmbito do Programa ABC (Agricultura de Baixo Carbono), a aquisição de matrizes e reprodutores com registro genealógico e aumento do limite de renda para enquadramento dos produtores no Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural (Pronamp). O BNDES também participará do Plano Safra da Agricultura Familiar 2018/2019 com R$ 3,3 bilhões. Os recursos são voltados para investimento e custeio. (Fonte: Revista Amanhã).

BRDE é o grande financiador agropecuário no Sul do Brasil

O Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) é uma das instituições financiadoras que mais repassa as linhas do Plano Safra para a região do país. A instituição tem se caracterizado por ser uma das que mais estimula com os seus financiamentos o setor cooperativista e o agronegócio nos três estados da região Sul.

O produtor rural que tiver interesse em buscar financiamento para a subsidiar financeiramente as suas atividades produtivas na safra 2018/19 poderá agendar atendimento de um técnico do BRDE para a busca de informações por meio do telefone (41) 3219-8000.

Comente aqui


Frango será julgado

O frango brasileiro é competitivo no mercado internacional por que encontra no País alimento em abundância (milho e soja, principalmente), vive nas melhores condições fitossanitárias e é abatido e processado em frigoríficos que estão entre os mais modernos do mundo. Episódios sanitários adversos são apenas pontos fora da curva, que não refletem as boas práticas predominantes em toda a cadeia produtiva.
V

Com esses argumentos, embasados em planilhas e estudos técnicos, uma comitiva vai tentar demonstrar no próximo dia 25, em audiência do Ministério do Comércio da China, que não há base sustentável para manutenção de tarifas antidumping contra a ave produzida no Brasil. A sobretaxa provisória foi adotada no dia 9 de junho e afeta 29 empresas que exportam frango para o país asiático. Os depósitos adicionais variam entre 18,8% e 38,4% do total das compras. (Gazeta do Povo)

2 Comentários


Europa embarga o “frango brasileiro”

A Comissão Europeia decidiu embargar carnes e produtos derivados fabricados por 20 estabelecimentos brasileiros, incluindo três plantas da JBS e três da Aurora Alimentos.

As empresas entraram na lista negra da União Europeia por unanimidade em razão de “deficiências detectadas no sistema oficial de controle brasileiro”.

Veja a lista dos 20 frigoríficos brasileiros embargados:

Comente aqui


Enquanto isso….

…. na EXPOLONDRINA o tempo está aberto e ensolarado.

Hoje pela manhã teve julgamento da raça Nelore.

O Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) está com estande na EXPOLONDRINA com a sua equipe atendendo a todos os empreendedores urbanos e rurais da região que forem até a feira e tenham interesse em conhecer melhor sobre as linhas de financiamentos disponíveis.

Comente aqui


Show Rural: o show do bilhão paranaense

Foto: Gazeta do Povo

A feira, que está na 30ª edição, é uma das maiores da América Latina, ao lado da Agrishow, que acontece no começo de maio, em Ribeirão Preto (SP); e da Expointer, no fim de agosto, em Esteio (RS). Juntas, as três feiras movimentam mais de R$ 8 bilhões em negócios que vão desde vendas de máquinas agrícolas até fertilizantes. Metade dos recursos circulados em todas as feiras agrícolas espalhadas ao longo do ano no país.

Segundo a organização do evento, são esperados 250 mil visitantes até sexta-feira (9). Ao todo, são 530 expositores espalhados por 720 mil metros quadrados. A expectativa de movimentação financeira é de R$ 1,5 bilhão.

“Devemos alcançar ou até superar a essa marca, que é a mesma do ano passado”, diz Dilvo Grolli, presidente da Coopavel. Segundo Grolli, igualar a marca não significa que o agronegócio vai mal. “No ano passado, tínhamos a expectativa de atingir apenas R$ 1,2 bi e ultrapassamos esse patamar” recorda. O índice chegou próximo a R$ 2 bilhões em 2017.

Na feira, os bancos e cooperativas de crédito Caixa Econômica Federal, Banco do Brasil, Bradesco, Santander, BRDE, Sicredi, Sicoob Credicapital, Cresol e Credicoopavel oferecem mais de R$ 2,5 bilhões em linhas de financiamento (Gazeta do Povo).

2 Comentários


Angola se prepara para o agronegócio

Hoje (02) pela manhã aqui na Angola, continente africano, visitei o “Projeto Quiminha”, localizado a 50 quilômetros de Luanda (capital), planejado e organizado pelo Ministério da Agricultura da Angola, e que abrigará progressivamente mais de 300 famílias angolanas preparando-as para o agronegócio.

É um ‘projeto piloto’ muito bem estruturado e que será replicado em outras regiões de Angola, preparando-a para abrigar uma nova fronteira do agronegócio, com excelência técnica, no continente africano.

Fui recebido e conduzido de modo muito cortez pelos Engenheiros Agrônomos angolanos Pedro Silveira (esq.)  e Vieira Dias (dir.), competentes profissionais que fazem a gestão do projeto.

3 Comentários


Investimentos, empreendedorismo e agricultura em Angola

Aproveitando período de férias estou a visitar algumas regiões da Angola e cumprindo agenda em diversos setores do governo na capital Luanda.

Ontem estive com o Ministro da Agricultura da Angola Marcos Alexandre Nhunga (ao centro na foto) e com o consultor de governo para assuntos agrários, engenheiro Sambeny (direita).

Tive a oportunidade de conhecer alguns aspectos relacionados a oportunidades para os brasileiros investirem na agricultura da Angola, bem como aspectos interessantes da economia do país.

Hoje terei audiência com o presidente do Banco Nacional de Angola e diretores de sete instituições financeiras angolanas, dentre as quais do Banco de Desenvolvimento de Angola (BDA) a fim de compreendermos melhor o sistema de fomento angolano e as possibilidade de auto-financiamento existente no país.

Comente aqui


Feira agropecuária de Paranavaí terá formato aprimorado

O PRESIDENTE DA SRNP FOI RECEBIDO HOJE NO BRDE

Na tarde de hoje o presidente da Sociedade Rural do Noroeste do Paraná (Paranavaí)(SRNP), Mário Helio Lourenço (centro), visitou o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) e foi recebido pelo presidente da instituição Orlando Pessuti e pelo diretor de operações João Luiz Agner Regiani.

Foi discutido sobre a feira agropecuária que será realizada em Paranavai no próximo mês de março e sobre o novo formato que será dado a ela.

A SRNP promete muitas novidades para a feira de 2018, dentre as quais está se alinhando a possibilidade do BRDE ter, pela primeira vez na feira, estande para a sua equipe técnica atender diretamente os empreendedores urbanos e rurais de Paranavaí e toda a região.

2 Comentários


Poderá ser menor em 2018

Preço ruim, seca, chuvas mal distribuídas e atraso no plantio, podem se constituir num “pacote” desfavorável à produção agrícola no ano que vem.

Após ter atingido uma produção de mais de 240 milhões de toneladas de grãos em 2017, estimativas do IBGE em outubro apontam que para 2018 a produção poderá se limitar a 218 milhões de toneladas. Uma redução de mais de 8% na produção total da safra de grãos.

Se consolidada, esta previsão afetará razoavelmente a balança comercial brasileira.

Veja aqui.

Comente aqui