Bancos



Lula: a doação da banqueira militante. Me engane que eu gosto.

Muita gente ainda não entendeu o ato de “filantropia” realizado pela banqueira Roberta Luchsinger, a herdeira da família fundadora do banco Credit Suisse, a qual fez doação no valor de R$ 500 mil para Lula.

Ela é ex-cônjuge do delegado aposentado da Polícia Federal, Protégenes Queiroz, que foi deputado federal e agora mora na Suíça. Roberta pretende ser candidata a deputada estadual pelo PCdoB do Rio de Janeiro.

Fácil de entender. A moça além de militante esquerdista, sabe muito bem que os bancos comerciais/tradicionais nunca exploraram tanto o povo e ganharam tanto como na “era Lula” (veja aqui)

Eles querem ajudar na continuação da farra dando sobrevida e ajudando a eleger Lula.

Os militantes petistas e da esquerda anacrônica do país replicam nas redes sociais discursos ensaiados de ódio ao sistema financeiro e rentista, mas adoram que seus lideres mamem nas tetas gordas do sistema financeiro tradicional/comercial.

Me engane que eu gosto.

5 Comentários


BNDES prepara ‘maior planejamento estratégico da história do banco’, diz novo diretor

Carlos da Costa (esquerda), diretor de Planejamento e Pesquisa e Carlos Thadeu de Freitas, das áreas de crédito, financeira e internacional (Foto: Daniel Silveira/G1)

O Banco Nacional de Desenvolvimento Social (BNDES) prepara um novo plano estratégico e, para isso, contará com a atuação de consultores externos com experiência internacional. O anúncio foi feito nesta sexta-feira (11) durante coletiva de imprensa para apresentação de dois novos diretores do banco.

Segundo Carlos da Costa, que assumiu a diretoria de Planejamento e Pesquisa do banco, trata-se do “maior planejamento estratégico da história” do BNDES. O plano contará com metas de médio e longo prazo – a primeira até 2023 e a segunda até 2030.
“Estamos fazendo uma rediscussão profunda do que deve ser um Continue lendo

Comente aqui


Expoingá: QUINTEIRO trouxe o BRDE e 100 milhões para Maringá

13174056_487668138085666_2983657972360962223_n

Wilson Quinteiro, Diretor de Operações do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), trouxe mais uma vez para a Expoingá a instituição financeira que dirige com 100 milhões de reais no caixa para financiar o desenvolvimento de empresas e negócios em Maringá e região.

Em época de “vacas magras”, a ação encabeçada por Quinteiro é necessária e muito bem-vinda para a nossa cidade. É injeção de recursos do BRDE no setor produtivo (indústria, comércio e médios e pequenos empreendimentos) que resultará certamente em mais emprego e renda em Maringá.

Falando em Quinteiro, impossível deixar de mencionar que ele noticiou sua pré-candidatura à prefeitura de Maringá nas eleições municipais deste ano.

Convenhamos, com o passar dos anos Wilson Quinteiro vem se consolidando, cada vez mais, como uma liderança política experiente e de alta qualificação técnica. A cidade de Maringá só tem a ganhar com o preparo e qualificação de Quinteiro.

Demonstração disso é o fato de que desde de que Quinteiro assumiu a Direção de Operações do BRDE, a instituição bateu recorde de contratações, de modo que somente em 2015 injetou 1,5 bilhão na economia do estado do Paraná, sendo que deste mais de 500 milhões somente em Maringá e região.

Em resumo, Wilson Quinteiro sem nenhuma dúvida é uma excelente e qualificada opção política para a nossa cidade.

Comente aqui


Tratamento diferenciado no “caixa”

Radar do ConsumidorO conselho Monetário Nacional (CMN) baixou nova resolução normativa (4.479) que altera e esclarece a redação da  Resolução n.º 3.694/2009 que regulamentava o atendimento dos caixas bancários.

Segundo a chefe do Departamento de Regulação do Sistema Financeiro do Banco Central, Sílvia Marques, a principal alteração foi na redação sanando dúvida de aplicação em relação a norma que já existia.

Agora, com a nova resolução, não há dúvida de que não poderá haver tratamento diferenciado entre clientes e não clientes quando do seu atendimento pelo caixa bancário.

Algumas exceções continuam valendo, como o recebimento de boleto vencido, o qual deverá, como antes, ser pago no banco do boleto, bem como a não obrigação da aceitação de pagamento em cheque, como antes também já ocorria, uma vez que a agência recebedora não tem como verificar a autenticidade da assinatura e a existência de saldo bancário.

No mais, com a nova resolução do CMN, clientes e não clientes bancários tem melhor assegurado tratamento igualitário nos caixas bancários de pagar boletos não vencidos de quaisquer bandeiras bancárias.

Bancos
Comente aqui


Cheque especial de 300% endivida ainda mais o consumidor

Vejam o absurdo com que nos deparamos neste momento de crise econômica resultante do desgoverno federal.

O cheque especial bateu na casa de 300% ao ano (!!!) dificultando o acesso saudável do consumidor-correntista bancário ao crédito.

Assim, em outras palavras, a política estabelecida pelo desgoverno federal, sob a batuta do Banco Central, está a determinar que os consumidores, endividados em virtude da política econômica maléfica criada pelo governo federal, a qual consistiu em fazer estes crerem – falsamente – se encontrarem em situação de ascenssão social mediante obtenção de crédito fácil endividador, sejam agora submetidos a escorchantes e descabidos juros anuais de 300%, como modo de lhes impedir acesso a meios financeiros para, ao menos, amenizar os impactos danosos que referido endividamento está a causar às suas finanças domésticas.

Indisfarçavelmente, o mesmo governo federal que promoveu políticas econômicas que endividaram excessivamente os consumidores, agora está, literalmente, a lhes “amar as mãos”, de modo a criar “barreira financeira” que lhes impede acessar os meios necessários para amenizar as suas falências econômicas, ocasionadas pelo próprio governo federal.

Quem sai ganhando com esta situação são somente os bancos (que nunca ganharam tanto “na história deste país” como na era PT). Ou seja, os bancos ganharam na época das “vacas gordas”, efetuando frenéticos empréstimos bancários aos consumidores-correntistas e ganharam muitíssissississimo (!!), e estarão ganhando ainda mais, agora, com a miséria financeira dos consumidores. Os bancos são mais ou menos como as funerárias que sempre ganham quando alguém morre.

Uma vergonha nacional deslavada.

Comente aqui


Abertura e fechamento de contas bancárias pela internet

O Conselho Monetário Nacional (CMN) editou nova regulamentação que possibilita aos consumidores abrirem e fecharem contas correntes e de poupança por meio remoto (internet), sem a necessidade da presença física do cliente bancário na respectiva agência.

A utilização destas funcionalidades, pelos bancos, fica condicionada a que as instituições criem mecanismos que garantam segurança, confidencialidade, autenticidade e integridade das informações e documentos eletrônicos exigidos.

A idéia é boa, mas os custos certamente não serão baixos para que as medidas estruturais necessárias sejam adotadas e como se sabe os bancos não dão ponta sem nó. Não assumem qualquer ônus sem repassar os respectivos custos aos clientes.

Portanto, amigos consumidores, tenham certo que nós é que pagaremos esta conta.

 

Bancos
Comente aqui


Porque os bancos elevam os juros

RADARCertamente todos já viram muitas reportagens ou mesmo viram nos seus extratos bancários sobre a elevação estratosférica dos juros bancários.

Somente o cartão de crédito chegou a 430% ao ano. Um verdadeiro absurdo.

Dentre outros motivos, como, por exemplo, inibir a utilização de crédito, os bancos vem elevando os juros bancários a fim de “fazer caixa” (provisões bancárias) para se resguardarem do aumento do risco de levarem calotes, uma vez que o aumento da crise amplia, muito, o nível de inadimplência.

Em outras palavras, é uma maneira de retirar do “lombo” do próprio cidadão a correia para se protegerem financeiramente da elevação do risco da inadimplência.

“Nunca na história deste país” os bancos e instituições financeiras nadaram tanto de braçada como na era PT/Lula/Dilma.

Veja mais aqui.

 

Comente aqui


Greve nos bancos: o consumidor deve ficar atento

Com greve em andamento nos bancos os consumidores devem ficar atentos ao pagamento de faturas, boletos bancários e outros tipos de cobrança.

Segundo o Instituto de Defesa do Consumidor embora a greve não afaste a obrigação do consumidor de pagar as obrigações, a empresa credora tem que oferecer outras formas e locais para que os pagamentos sejam efetuados.

Para não ser cobrado de encargos (juros e multa) e ter o nome enviado a serviços de proteção ao crédito, a recomendação do Procon-SP é que o consumidor entre em contato com a empresa e peça opções de formas e locais para pagamento, como internet, a sede da empresa, casas lotéricas, código de barras para pagamento em caixas eletrônicos, dentre outros. Continue lendo

Comente aqui


Justiça condena banco por emissão de boleto falso

Segundo decisão da 1º Vara Cível de Osasco, o Banco Bradesco S.A. deve efetuar o pagamento de indenização pela emissão de boleto falso.

A empresa autora da ação efetuou a impressão e o pagamento de dois boletos emitidos pela empresa Arcelor Mittal Brasil S.A. Mas em razão da falsificação dos códigos de barras, os valores foram direcionados à conta de terceiro causando um prejuízo de R$ 8.443,51. Continue lendo

Bancos
1 Comentário