BRDE



PARANÁ: primeiro estado a adotar os objetivos sustentáveis da ONU

O Paraná foi reconhecido como o primeiro estado do mundo a aderir às metas globais definidas pela Organização das Nações Unidas (ONU) para o desenvolvimento sustentável (ODS). Nesta semana o governador Beto Richa esteve no World Family Summit, em Genebra, para receber o prêmio pelas boas práticas adotadas.

O evento realizado na Suíça reuniu lideranças globais para debater as práticas, ações e traçar experiências na atenção à família na erradicação da pobreza, visando tornar os ambientes sociais melhores pra se viver (veja mais aqui).

Neste sentido semanas antes (14/11) o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD/ONU) haviam firmado um acordo de cooperação com a finalidade de facilitar e fortalecer a promoção e o alcance dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU na Região Sul do País.

Assim, o Paraná e os seus órgãos governamentais se constituem na vanguarda da busca pelo cumprimento da Agenda 2030 da ONU quanto aos objetivos sustentáveis de que o Brasil é signatário.

Comente aqui


BRDE propōe fundo para investimentos no Sul em reunião do CODESUL

Nesta terça-feira se realizou no Palácio Piratini, em Porto Alegre, reunião do Conselho de Desenvolvimento e Integração da Região Sul (CODESUL). A reunião contou com a presença de toda a diretoria do BRDE, em especial dos diretores do banco pelo Paraná Orlando Pessuti e João Luiz Regiani, bem como dos governadores José Ivo Sartori (RS), governadora em exercício Cida Borghetti (PR), Raimundo Colombo (SC) e Reinaldo Azambuja (MS).

O tema de maior importância discutido pelos governadores e que foi proposto pelo BRDE, foi a criação de fundo orçamentário para região Sul, cuja região é a única no país que não conta com Fundo Constitucional tal como as demais regiões possuem para investimentos em desenvolvimento.

O diretor de operações do BRDE João Luiz Regiani estima que a criação de um fundo financeiro para investimentos nos três estados do Sul poderia movimentar mais de R$ 1 bilhão em investimentos de infraestrutura e de estruturação econômica e social para estes estados, gerando milhares de postos de trabalhos justamente numa época em que há a necessidade de se reforçar as políticas d empregabilidade no país.

 

Comente aqui


O BRDE assinou com a FNP

No dia 27 de novembro, durante a 72º Reunião Geral Frente Nacional dos Prefeitos – FNP, em Recife, o diretor Financeiro do BRDE, Odacir Klein, assinou um Acordo de Cooperação com a FNP que objetiva fornecer suporte e apoio técnico para o desenvolvimento de projetos de financiamento do Programa BRDE Municípios, que inclui também Mobilidade Urbana e o PMAT, pelos municípios participantes do Programa de Fortalecimento da Governança Local e da Articulação Interfederativa.
O Acordo consiste em um projeto da FNP com financiamento da Delegação da União Europeia no Brasil que objetiva fornecer apoio técnico e institucional aos municípios, prioritariamente aos integrantes do g100, para o desenvolvimento e conformação de projetos de modernização da administração tributária e dos setores sociais básicos para o PMAT.
O programa atende ao edital da União Europeia para o fortalecimento das associações de autoridades locais, terá duração de três anos e desenvolverá também ações sobre Parcerias Público-Privadas e Transparência e Accountability.(Ascom/BRDE)

Comente aqui


O BRDE entre os maiores do Sul

A equipe do BRDE esteve presente para receber prêmio de relevância institucional e de marca

O BRDE foi premiado nesta quarta-feira (22) pelo ranking 500 MAIORES DO SUL, da Revista Amanhã, por ocupar a 37ª posição entre as 500 melhores companhias da região e o 15º lugar na lista das 100 empresas do Rio Grande do Sul. A premiação foi na Expo Unimed, em Curitiba.

Estavam presentes o presidente Orlando Pessuti e os diretores Renato Vianna e João Luiz Regini, do governador Beto Richa, do presidente do BNDES, Paulo Rabello de Castro e do juiz Sérgio Moro. Os diretores do BRDE aproveitaram a presença do presidente do BNDES e trataram com ele dos limites de crédito liberados pelo banco nacional.

Das 500 maiores companhias do Sul, 185 estão no Continue lendo

Comente aqui


TCU quer devoluções rápidas ao Tesouro

A informação que se tem é a de que o Ministério Público de Contas, junto ao Tribunal de Contas da União (TCU) deve encaminhar parecer no processo que trata da devolução de recursos de bancos federais ao Tesouro Nacional (TN), pelo qual o MP-TCU se posicionará pela devolução integral e imediata ao TN do dinheiro que estes bancos receberam da União por meio de emissão de títulos públicos.

O pano de fundo de toda esta questão é a necessidade da União retomar recursos financeiros necessários ao reequilíbrio das suas contas públicas, a quais vem apresentando rombos bilionários ocasionados pelos desequilíbrios financeiros herdados do governo Dilma.

Neste contexto, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico Social (BNDES) é a instituição financeira pública mais visada na devolução de valores ao TN, de um total de R$ 500 bilhões de aportes recebidos da União. No entanto, bancos públicos como o Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Banco da Amazônia e o Banco do Nordeste, também estão na “alça de mira” para efetuarem devoluções à União.

No caso específico do BNDES o MP-TCU quer que a instituição nacional de desenvolvimento econômico devolva de imediato à União todo o valor que não estiver cedido em empréstimos financeiros.

Em resumo, se vislumbra no curto prazo que se acentuará a dificuldade do setor produtivo acessar o crédito provindo diretamente de fontes internas (nacionais) voltado ao fomento econômico do país, como é o caso do crédito ofertado pelo BNDES.

Por tais razões, as instituições financeiras de fomento repassadoras de fundos do BNDES, como é o caso do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), Fomento Paraná, Desenvolve São Paulo, dentre outras instituições de fomento voltadas ao desenvolvimento e financiamento do setor produtivo nas regiões onde atuam, terão que ser cada vez mais criativas na busca direta por fundos internacionais e na captação de recursos financeiros por meio da estruturação de fundos de investimentos, a fim de continuarem “irrigando” os investimentos no setor produtivo nacional, sob pena ocorrerem reflexos prejudiciais à rápida retomada econômica de que tanto o país precisa.

Comente aqui


Presidência do BRDE | Beto Richa e Cida Borghetti na posse de Pessuti

O governador Beto Richa participou da posse de Orlando Pessuti na Presidência do BRDE, em substituição a Odacir Klein. Curitiba, 14/11/2017. (Foto: Orlando Kissner/ANPr)

Nos últimos sete anos, as instituições de crédito pertencentes ao Governo do Estado aumentaram em 1.400% os recursos disponibilizados ao setor produtivo. A afirmação é do governador Beto Richa, que participou nesta terça-feira (14) da cerimônia de posse do ex-governador Orlando Pessuti na presidência do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE). Os recursos mencionados por Richa são do próprio BRDE e da Fomento Paraná, entidades de financiamento a projetos de diversos setores da economia. “São mecanismos que contribuem de forma decisiva com o fomento à produção no Paraná e o desenvolvimento da nossa economia”, disse Richa.

O governador também destacou a ampliação da capacidade de financiamento do banco. “Os financiamentos são bilionários, e o maior percentual ficou para o Paraná”, afirmou. Ele também citou a capitalização do BRDE feita pelo Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Cada estado destinou R$ 200 milhões, totalizando R$ 600 milhões, que permitiram alavancar em sete vezes a capacidade de financiamento do banco. “Foi a maior capitalização feita por um governo nos 56 anos de história do BRDE”, ressaltou o governador.

A vice-governadoroa Cida Borghetti esteve presente ao ato de posse e parabenizou Pessuti fazendo-lhe votos de sucesso e êxito frente à presidência

PRESIDÊNCIA

Como controladores do BRDE, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul estabeleceram governança colegiada na instituição, cabendo a cada estado assumir a presidência do Banco por um período de um ano e quatro meses, dentro do tempo de mandato de seus respectivos governadores. Pessuti era vice-presidente do BRDE e diretor administrativo da agência paranaense do banco. Na presidência ele substitui a Odacir Klein, do Rio Grande do Sul.

O novo presidente destacou o apoio do BRDE ao setor produtivo, em especial ao agronegócio. “O banco atua em todos os setores: na agricultura, comércio, indústria, prestação de serviços, atua com os municípios, somos o principal agente financiador dos recursos de inovação da Finep”, disse. “E estes mais de R$ 1 bilhão que investimos todos os anos no Paraná têm propiciado o desenvolvimento do Estado, basta ver os índices de crescimento que são superados a cada ano”, afirmou.

Para o ex-presidente do Banco, Odacir Klein, o desafio da atual gestão é ampliar as fontes de recurso de financiamento, buscando parcerias com entidades como a Financiadora de Estudo e Projetos (Finep). “Enquanto a minha gestão enfrentou a crise econômica e problema da inadimplência, agora é preciso resolver o problema da diminuição dos recursos do BNDES. Agora estamos na busca de outros meios, recursos internacionais e das mais diversas origens”, explicou.

Galeria de imagens:

Comente aqui


Carlos Massa (Ratinho) no BRDE

Hoje recebemos na Agência do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), em Curitiba, a visita de Carlos Massa (Ratinho), proprietário da Rede Massa no Paraná.

Ratinho visitou ao BRDE para dar um abraço especial em Orlando Pessuti que amanhã assume a presidência da instituição.

Na foto, da esquerda para a direita, eu, Odacir Klein (Pres. BRDE), Carlos Massa, Orlando Pessuti (vice-pres. BRDE) e Antônio Silva (assessor Carlos Massa).

BRDE
Comente aqui


Governador Sartori confirmou acordo firmado entre o BRDE e a FINEP

Serão mais R$ 200 milhões a serem investidos pelo BRDE na região Sul em inovação e tecnologia.

(Foto: Luiz Chaves/Palácio Piratini)

Estive presente como diretor de operações do BRDE ao ato em que a Finep e o BRDE ajustaram interação institucional para desenvolver instrumentos de financiamento à inovação na Região Sul, em reunião realizada nesta sexta-feira (10), em Porto Alegre.

O governador do Rio Grande do Sul José Ivo Sartori chancelou o memorando de entendimento ass Nado pelo presidente do BRDE, Odacir Klein, o presidente da Finep, Marcos Cintra e o vice-presidente, Ronaldo Souza Camargo, para a renovação do convênio operacional.

Entre os desdobramentos, está a possibilidade de elevar os limites de crédito para o BRDE aplicar através do Programa Inovacred. Serão mais R$ 200 milhões a serem investidos pelo BRDE na região Sul em inovação e tecnologia.

(Foto: Luiz Chaves/Palácio Piratini)

Comente aqui


BRDE e FINEP assinaram ampliação de linhas para inovação


Segunda-feira (06) em na Federação da Indústria de Santa Catarina (FIESC), Florianópolis, foi realizada a solenidade realizada de assinatura de Memorando de Entendimento entre o BRDE (Banco de Desenvolvimento do Sul) e a FINEP (Financiando de estudos e projetos do Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação) a ampliação dos limites para financiamento de projetos voltados à inovação tecnológica na região.

Com a nova contratação junto a FINEP serão  adicionados aos limites do BRDE R$ 200 milhões que viabilizarão a implantação de projetos de inovação tecnológica na região Sul do país. A ampliação de financiamentos nesta área é de grande importância para o desenvolvimento econômico num seguimento estratégico para tornar o Brasil cada vez mais competitivo no mercado internacional.

Na oportunidade o diretor de operações do BRDE, João Regiani, e o Ministro de Ciência e Tecnologia Gilberto Kassab (na foto acima) estiveram juntos e dialogaram sobre Os projetos de tecnologia e inovação para a região, bem como sobre as políticas de investimentos nestas áreas.

Comente aqui


Prefeitos da AMUNPAR receberam visita do BRDE

Prefeitos da AMUNPAR se reuniram com o BRDE em Paranavaí (fotografias: Diário do Noroeste)

Prefeitos que compõem a Associação dos Municípios do Noroeste Paranaense (Amunpar) estiveram reunidos ontem na sede da entidade, em Paranavaí, com o diretor de operação do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo- Sul (BRDE), João Regiani, para conhecerem as linhas de financiamento disponibilizadas pelo banco aos municípios.

 
“São nas cidades que as coisas acontecem, e o BRDE tem recursos para o desenvolvimento dos municípios”, enfatizou Regiani.

 
As linhas de financiamento vão desde implantação da coleta seletiva, passando por recursos voltados à infraestrutura, mobilidade urbana, saneamento, entre outras ações.

 
“Temos linhas de financiamento para a realização do geoprocessamento para atualizar os valores dos impostos”, disse.

 
O BRDE foi criado em 1961, com objetivo de fomentar o desenvolvimento nos estados do Sul, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. “O BRDE é um banco operador de crédito, hoje estamos voltados aos municípios, dos 1.991 municípios do Sul brasileiro estamos em 1.095, uma cobertura de 91,9%”, disse Regiani.

Continue lendo

Comente aqui