comunismo



Opositores ao governo Richa ficam nús perante a verdade

Na edição de hoje do jornal impresso de O Diário (pg. A5) foi veiculada matéria (acima) que desmente peremptoriamente e comprova o desespero a/da turba petista-comunista opositora ao governador Beto Richa, a qual anda disseminando por aí a mentira de que para o Paraná obter aval da União para obter empréstimo direto junto BID, o Governador Richa teria se comprometido com o presidente Temer (numa espécie de troca-troca) a convencer a bancada paranaense de deputados federais votar a favor da reforma da previdência.

Referida matéria jornalística, além de comprovar o que eu disse ontem aqui no blog (vejam aqui) de que a decisão quanto ao aval da União para esta operação financeira internacional é “colegiada” e técnica (não dependendo da vontade individual do presidente Temer), comprova ainda que depende de aprovação do Senado Federal, o que ACABOU DE ACONTECER nesta semana, MUITO ANTES DA VOTAÇÃO DA REFORMA DA PREVIDÊNCIA e nitidamente sem o condicionamento disseminado pelos mentirosos opositores ao governo Richa.

Como diz o velho ditado: “mentira tem pernas curtas”. Como faz falta uma atividade produtiva para as viúvas do lulopetismo e ativistas requianistas.

2 Comentários


“Black friday” subvertida no Brasil

“No Brasil infelizmente temos o mau hábito de pegar modelos bons e que dão certo em países mais sérios do que o nosso, para subvertê-los em modelos de oportunismo, enganação e de rapinagem ao consumidor.” 

 

Há anos atrás, quando os brasileiros viram invadir o país a coqueluche americana denominada “Black Friday”, havia um estado de “ansia coletiva” que afetava as pessoas nos dias que precediam ao período (em novembro) em que estas “promoções” eram aguardadas.

Anos depois, esfolado pela sanha de parte do comércio em lucrar enganando o consumidor, este mesmo consumidor, calejado, já não demonstra tanta “alegria” ao se avizinhar a época da “Black Friday”.

A “quebra do encanto” do consumidor por ela é simples de ser explicado. O consumidor cansou de ser enganado!

Quem não se recorda da máxima que se tornou conhecida em época de “Black Friday”? “Tudo pela metade do dobro”.

Então, foi justamente a percepção do consumidor de que nem tudo o que parece promoção se trata realmente de promoção na “Black Friday”, é que fez com que ele perdesse o encanto pela campanha promocional e passasse a vê-la com muita desconfiança. Ou seja, para o consumidor “até que se prove o contrário a denominada promoção coletiva não se trata de promoção”.

No Brasil infelizmente temos o mau hábito de pegar modelos bons e que dão certo em países mais sérios do que o nosso, para subvertê-los em modelos de oportunismo, enganação e rapinagem do consumidor.

Infelizmente são coisas de uma cultura que não leva a sério a conduta ética e moral em sociedade. Exemplos disso? As defesas que a parte ativista – de esquerda – da sociedade brasileira faz da chamada “arte moderna”, que nada mais é do que a desconstrução de valores artísticos milenares, e a “política do esculacho” que algumas minorias fazem em relação a conduta moral das pessoas e das famílias, em relação a religiosidade e aos aspectos de conduta moral que deveriam nortear a vida em sociedade.

Um país assim tem tudo para dar errado.

Comente aqui


Como proteger os nossos filhos nas escolas

PROTEGENDO OS NOSSOS FILHOS DA AGENDA COMUNISTA NAS ESCOLAS DO BRASIL

Este é o procurador da república Guilherme Schelb orientando os pais a representar em defesa dos seus filhos quando alguém na sua escola tentar impor aos seus filhos a e tal da ideologia de gênero ou qualquer educação sexual fora dos parâmetros normais.

2 Comentários


50 anos da morte um bandido chamado CHE GUEVARA

NESTA SEMANA OS ESQUERDOPATAS COMUNISTAS DO BRASIL ESTÃO SE DESMANCHANDO EM COMEMORAÇÕES E VIAJANDO EM MENTIRAS SOBRE UM DOS MAIORES ÍCONES BANDIDOS DA REVOLUÇÃO LATINOAMERICANA, ERNESTO CHE GUEVARA.

PARA A ESQUERDA BRASILEIRA É ESTE TIPO DE VERME ESCROTO QUE MERECE CELEBRAÇÃO.

Por Rodrigo Constantino, Gazeta do Povo

Há aproximadamente 48 anos, Ernesto “Che” Guevara recebeu uma grande dose de seu próprio remédio. Sem qualquer julgamento, ele foi declarado um assassino, posto contra um paredão e fuzilado. Historicamente falando, a justiça raramente foi tão bem feita. O ditado “tudo o que vai, volta” expressa bem essa situação.

“Execuções?”, gritou Che Guevara enquanto discursava na glorificada Assembléia Geral da ONU, em 9 de dezembro de 1964. “É claro que executamos!”, declarou o ungido, gerando aplausos entusiasmados daquele venerável órgão. “E continuaremos executando enquanto for necessário! Essa é uma guerra de morte contra os inimigos da revolução!”

Ocorreram 14.000 execuções por fuzilamento em Cuba até o final de década de 1960. José Vilasuso, um cubano que à época era promotor dos julgamentos comandados por Guevara, fugiu horrorizado e enojado com o que presenciou. Ele estima que Che promulgou mais de 400 sentenças de morte apenas nos primeiros meses em que comandava a prisão de La Cabaña. Um padre basco chamado Iaki de Aspiazu, que sempre estava à mão para ouvir confissões e fazer a extrema unção, diz que Che pessoalmente ordenou 700 execuções por fuzilamento durante esse período. O próprio Che admitiu ter ordenado “milhares” de execuções durante o primeiro ano do regime de Fidel Castro.

Felix Rodriguez, o agente cubano-americano da CIA que ajudou a caçar Che na Bolívia e que foi a última pessoa a interrogá-lo, diz que Che, em sua última conversação, admitiu “algumas milhares” de execuções. “Eu não preciso de provas para executar um homem”, gritou Che para um funcionário do judiciário cubano em 1959. “Eu só preciso saber que é necessário executá-lo! Continue lendo

4 Comentários