Confiança



Crescimento econômico abrange grande parte dos setores

A indústria brasileira – que em 2017 voltou a crescer depois de três anos de queda – está vendo a recuperação se disseminar. O crescimento da produção industrial, no ano passado, foi além do setor automotivo, principal responsável pela retomada da indústria. Segundo estudo do Instituto de Estudos para o Desenvolvimento Industrial (Iedi), com base em dados do IBGE, 58 dos 93 segmentos – 62% do total – apresentaram resultados positivos.

O movimento foi maior no quarto trimestre, quando 66 ramos avançaram em ritmo superior ao registrado no mesmo período de 2016. A disseminação do crescimento tem relação com o encadeamento entre setores, alavancado especialmente pelo setor automotivo (com informações do Estadão).

Veja mais.

Comente aqui


Vendendo lenços porque o chô-rô-rô continua


Enquanto a oposição rançosa ao governador Beto Richa dá continuidade ao seu tradicional chô-rô-rô inventando factóides e “versões” visando fazer colar a falsa idéia de que o Paraná vai de mal a pior (que é o que de fato eles gostariam), Beto Richa segue anunciando obras, investimentos e repasse de verbas aos municípios do Paraná.

Hoje, por exemplo, o governador anúnciou em Curitiba a distribuição de mais R$ 100 milhões para 250 municípios do Paraná (aqui). Por estas e outras notícias boas para os paranaenses é que as viúvas do Lula, Dilma e Requião estão entrando em convulsão em praça pública por estes dias.

Podem notar, sempre que o governador Richa vem a público para anunciar conquistas favoráveis para o estado e sua população, surge na “mídia marrom” os arautos da desgraça inventando versões mirabolantes na tentativa de se compensarem psicologicamente pelo impacto psicológico que sofrem a cada vez que são golpeados pelas notícias positivas que vêm das bandas do Palácio Iguaçú.

Como já diziam os meus avós, “uns gostam dos olhos, outros da remela”.

E digo mais, o chô-rô-rô é livre. Falando nisso, estou vendendo lenços.

4 Comentários


‘Compliance’ nas corporações

Os escândalos de corrupção envolvendo corporações na Lava Jato e os escândalos que abalaram o mercado internacional envolvendo a Volkswagem e a Mitsubishi, demonstram o quanto é necessário a adesão das corporações/empresas às políticas de ‘compliance’ e de conformidade das suas ações e de seus agentes com regras éticas e de posturas limpas e claramente dispostas nas relações de mercado.

Vivemos tempos em que as novas relações profissionais e de mercado excluirão do mundo dos negócios contrapartes que não adotem políticas claras de conformidade ética, moral e de lealdade ampla concorrencial.

Comente aqui
 

Consumidor pensa em gastar menos

Endividamento e desemprego levam 59% a dizer que gastarão menos esse ano; porcentual dos que vão às compras também é menor, aponta pesquisa.

Assustado com o aumento do desemprego e da inflação, especialmente dos preços administrados, como combustíveis e energia elétrica, o brasileiro deve gastar menos e pagar mais à vista neste ano. Normalmente o desempenho de vendas da data dá uma pista de como vai ser o Natal. — Informações do Estadão.

Comente aqui


Procura do consumidor por crédito tem nova queda

6soqx24pugyy903lutu6vgj6o[1]A procura dos brasileiros por crédito segue em trajetória descendente. O número de consumidores que buscaram crédito em fevereiro teve retração de 10,7% em relação a janeiro.

A despeito de no segundo mês de 2014 ter ocorrido alta de 0,9%, foi o menor resultado interanual dos últimos sete meses, de acordo com o Indicador  Serasa Experian da Demanda do Consumidor por Crédito, divulgado nesta terça-feira, 10.

No acumulado do primeiro bimestre deste ano, houve aumento na procura por crédito por pessoa física, de 1,5%, ante igual período de 2014.

A desconfiança dos consumidores em relação à economia e às altas taxas de juros continuam limitando a busca por crédito, segundo os economistas da Serasa. — Fonte: Exame.

Comente aqui


Confiança do consumidor recua 8,8% em fevereiro

Trata-se do recuo mais intenso e o menor nível para o dado em toda a série histórica

O índice de Confiança do Comércio (Icom) caiu 8,8% em fevereiro ante janeiro, na série com ajuste sazonal, informou a Fundação Getulio Vargas (FGV), nesta quinta-feira. Diante desta quarta queda consecutiva, o Icom atingiu 97,9 pontos no período. Trata-se do recuo mais intenso e o menor nível para o dado em toda a série histórica, iniciada em março de 2010. Com o resultado, o índice ainda migrou para a zona considerada “desfavorável” à atividade, abaixo dos 100 pontos. A média histórica do índice é de 125,2 pontos.

“A confiança recuou de forma intensa e disseminada entre os segmentos do comércio em fevereiro. O resultado retrata um setor insatisfeito com os níveis atuais de demanda e pessimista em relação às perspectivas de vendas e lucratividade nos próximos meses”, avaliou o superintendente adjunto de Ciclos Econômicos da FGV, Aloisio Campelo, em nota. Continue lendo

Comente aqui


Percepção econômica negativa afeta confiança do consumidor

Radar do Consumidor

“O pessimismo com a economia é responsável pelo autal refreamento do ciclo produtivo, resultante da diminuição das vendas no varejo, a exemplo do que aconteceu com a queda nas vendas natalinas na nossa região”

A piora na percepção do brasileiro sobre a economia foi a principal razão para a queda de 6,7% na confiança do consumidor em janeiro ante dezembro, segundo a Fundação Getulio Vargas (FGV) .

O indicador que mede o grau de satisfação com a situação econômica atual puxou a queda de 8,6% do Índice de Situação Atual (ISA) no período. — Com informações de Exame.com.

Comente aqui


Consumidor encontra objeto em garrafa de refrigerante

ADECON-PEPSI

Corpo estranho dentro da garrafa de refrigerante ainda lacrada. Foto: Estado de Minas

 Garrafa com corpo estranho ainda estava lacrada, o que torna evidente a denúncia feita pelo consumidor

O consumidor Gladstone Lopes teve uma surpresa. Ao virar uma garrafa de Pepsi para colocar na geladeira da sua casa, um objeto estranho começou a boiar dentro da embalagem. De acordo com o detetive profissional, que mora no Bairro Glória, Região Noroeste de Belo Horizonte, neste domingo ele comprou o refrigerante no supermercado Carrefour, localizado no Bairro Caiçara, e ao chegar em casa quando foi colocar o produto no congelador, sentiu que havia um objeto sólido dentro da garrafa. “Parece um tipo de couro, uma pele de bicho, é muito estranho. Por sorte não bebemos”, afirma Gladston.

No mesmo dia, o detetive Continue lendo

1 Comentário


Venda de PCs no Brasil caiu 27% em agosto

Divulgação/Positivo Informática.  / Em agosto foram comercializadas 760 mil unidades no Brasil

As vendas de computadores pessoais no Brasil recuaram 27% em agosto em relação ao mesmo mês do ano passado, para 760 mil unidades, informou nesta quinta-feira (23) a empresa de consultoria IDC Brasil.

Do total, foram comercializados 293 mil desktops (39% do total) e 467 mil notebooks (61%). Em agosto, 28% das vendas foram para o mercado corporativo e 72% para o consumidor final.

“Os números estão de acordo com a nossa projeção. Já esperávamos um desempenho negativo do mercado. O momento pré-eleição, a queda na disputa de preços pelas empresas, principalmente no setor de consumo, têm impactado os números nesses últimos meses”, disse em comunicado o analista Pedro Hagge.

Os dados também mostram queda nas vendas em relação a julho deste ano, quando foram comercializados 787 mil PCs, queda de 35% em relação a julho do ano passado, de acordo com dados divulgados nesta quinta-feira pelo instituto.

Foram vendidos em julho 324 mil desktops (41%) e 464 mil notebooks (59%), sendo 31% para o mercado corporativo e 69% para o consumidor final.

Para o analista, 2014 terá uma queda de 24% nas vendas de PCs, a mais forte já registrada nesse mercado (Gazeta do Povo)

*** Reflexo da retração de mercado nos diversos segmentos produtivos.

Comente aqui