Financiamento



COHAPAR: nova legislação permite transferência de financiamentos

Mudança na legislação permite transferência de financiamento imobiliário em casas da Cohapar

Estimativa da empresa é de que 40% dos imóveis financiados sejam ocupados por famílias que não possuem qualquer vínculo com a empresa, que efetuaram a compra diretamente com os mutuários originais. Objetivo é facilitar a regularização dos imóveis em nome daqueles que possuem a posse de fato das casas.

Pessoas que compraram casas da Cohapar ainda em período de financiamento de mutuários da empresa poderão regularizar a situação e registrá-las em seus nomes. A mudança foi propiciada pela Lei Estadual 19.365 e pode beneficiar cerca de 10 mil famílias em todas as regiões do Paraná. O prazo de adesão vai até o final de 2019.

A mudança na legislação foi feita para resolver um problema crescente, que atualmente representa cerca de 40% do total de imóveis com financiamento ativo da companhia. A situação mais comum é a de pessoas que adquirem casas populares não quitadas sem qualquer contrato ou com contratos sem registro formal, os chamados “contratos de gaveta”, o que gera riscos tanto para o comprador quanto o vendedor.

Os interessados em regularizar a situação precisam atender a alguns critérios. Entre eles, os principais incluem não possuir outros imóveis e não ocupar residências cujos contratos originais de financiamento foram assinados há menos de dois anos.

Quem quiser aderir à iniciativa deve ligar para o telefone 0800 645 0055 de segunda à sexta-feira, entre as 8h30 e 12h e 13h30 e 18h. Também é possível procurar o escritório regional da Cohapar mais próximo da sua residência. A lista completa está disponível no site www.cohapar.pr.gov.br, na aba “Escritórios regionais”.

IMÓVEIS ABANDONADOS IRÃO A LEILÃO – Outro benefício propiciado pela nova legislação diz respeito à possibilidade de realização de um leilão público de casas financiadas pela companhia em situação de abandono. A aquisição de unidades ociosas é uma demanda antiga da população que compõe os cadastros da Cohapar e passou a ser feita de forma mais rápida e fácil.

A lista dos imóveis disponíveis para comercialização pode ser vista acessando o site www.cohapar.pr.gov.br. Basta selecionar a aba “Cidadão” e clicar em “Venda pública de imóveis”.

Para a companhia, as alterações ajudam a sanar um passivo relativo à carteira de crédito com a redução da taxa de inadimplência. Com o estímulo à regularização dos contratos, o efeito esperado é de que uma significante parcela do público alvo se interesse pela retomada do financiamento e quite o imóvel. A receita gerada, somada aos recursos arrecadados via leilão público, será reinvestida no desenvolvimento de novos projetos habitacionais.

Comente aqui


BNDES terá R$ 20,4 bilhões para a safra 2018/19

.

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) apoiará com R$ 20,4 bilhões os investimentos para a safra 2018/2019. O valor representa 50% do crédito direcionado para investimentos do setor. Adicionalmente, o BNDES disponibilizará R$ 100 milhões para financiamento de custeio.

O Plano Agrícola e Pecuário 2018/2019, com recursos totais de R$ 194,3 bilhões, foi anunciado no dia 7 de junho. Os recursos poderão ser acessados pelos agricultores entre julho deste ano e junho de 2019. No BNDES, programas agropecuários serão operados com taxas de 5,25% a 7,5% ao ano, dependendo da finalidade do financiamento.  São enquadrados como investimentos financiáveis a construção de armazéns com capacidade de até 6 mil toneladas nas propriedades dos pequenos e médios produtores rurais, a recuperação de reserva legal e de áreas de preservação permanente no âmbito do Programa ABC (Agricultura de Baixo Carbono), a aquisição de matrizes e reprodutores com registro genealógico e aumento do limite de renda para enquadramento dos produtores no Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural (Pronamp). O BNDES também participará do Plano Safra da Agricultura Familiar 2018/2019 com R$ 3,3 bilhões. Os recursos são voltados para investimento e custeio. (Fonte: Revista Amanhã).

BRDE é o grande financiador agropecuário no Sul do Brasil

O Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) é uma das instituições financiadoras que mais repassa as linhas do Plano Safra para a região do país. A instituição tem se caracterizado por ser uma das que mais estimula com os seus financiamentos o setor cooperativista e o agronegócio nos três estados da região Sul.

O produtor rural que tiver interesse em buscar financiamento para a subsidiar financeiramente as suas atividades produtivas na safra 2018/19 poderá agendar atendimento de um técnico do BRDE para a busca de informações por meio do telefone (41) 3219-8000.

Comente aqui


BRDE e AFD assinam hoje contrato de 50 milhões de euros

O Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) e a Agence Française de Développement (Agência Francesa de Desenvolvimento) – AFD assinam, nesta quinta-feira (1°/3), contrato de crédito no valor de € 50 milhões para financiar projetos de impacto positivo sobre o meio ambiente e o clima.

O evento ocorrerá às 17 horas, no Palácio Piratini, em Porto Alegre, com a presença do governador do Rio Grande do Sul, José Ivo Sartori, do embaixador da França, Michel Miraillet, e diretores das duas instituições.

Da diretoria do BRDE, estarão presentes o diretor-presidente em exercício Neuto Fausto De Conto; o diretor financeiro Odacir Klein; o diretor de Planejamento Luiz Corrêa Noronha, que liderou as negociações com a AFD em todas as suas etapas; e o diretor de Operações João Luiz Regiani. A AFD será representada por seu diretor para o Brasil e Argentina, Philippe Orliange, e pelo executivo responsável pela área de projetos, Baptiste Charzat.

Força para o PROGRAMA BRDE PCS

A parceria BRDE-AFD apoiará o Programa BRDE PCS – Produção e Consumo Sustentáveis, que abrange cinco eixos prioritários: energias limpas e renováveis; gestão de resíduos e reciclagem; uso racional e eficiente da água; agronegócio sustentável e cidades sustentáveis. Nos próximos três anos, o BRDE e a AFD identificarão projetos de grande potencial de impacto e as condições de financiamento adaptadas ao contexto brasileiro.

Cooperação técnica

Os dois bancos desenvolverão, juntos, uma cooperação técnica centrada no monitoramento dos impactos dos projetos financiados, na consolidação da política social e ambiental do BRDE e no apoio ao desenvolvimento de seu portfólio de projetos verdes. Esse programa de cooperação será apoiado por um montante adicional de até € 800 mil, pelo Fundo de Expertise e Intercâmbio de Experiências (FEXTE) da AFD (recurso não reembolsável)(Ascom/BRDE)

1 Comentário


FIES: prazo para inscrições terminam hoje

Os estudantes que quiserem se candidatar a uma vaga para o Novo Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) têm até as 23h59 desta quarta-feira (28) para concorrer ao programa que oferece créditos para o ensino superior em universidades particulares.

As inscrições devem ser feitas pelo próprio site do Fies. Para se candidatar, é preciso ter realizado o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) depois de 2010 e obtido nota igual ou superior a 450 pontos — além de não ter zerado na redação. Além disso, também é preciso ter renda familiar mensal bruta de três a cinco salários mínimos.

Comente aqui


SHOW RURAL: BRDE entrega mais de 40 milhões em financiamentos

O Diretor de Operações do BRDE João Luiz Agner Regiani, e o Presidente Orlando Pessuti no ato de entrega de cheque simbólico a um dos clientes do banco

O Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) liberou nesta quinta-feira (8), durante o Show Rural Coopavel, R$ 45,2 milhões em financiamentos a cooperativas, empresas e produtores rurais das regiões Oeste e Noroeste do Paraná. Os recursos serão investidos em armazenagem, construção de aviários e ampliação e modernização de unidades produtivas.

“Estamos solenizando hoje os bons resultados alcançados pelo BRDE em 2017, apesar da crise econômica, política e moral que o país atravessa”, disse o diretor-presidente do Banco, Orlando Pessuti. “Os recursos liberados aqui fazem parte do total de R$ 2,3 bilhões investidos pelo BRDE em projetos de desenvolvimento nos três estados do Sul”, acrescentou.

O diretor de Operações do BRDE, João Luiz Regiani, disse que o Banco está sempre ao lado do setor produtivo, mas que, sozinha, a instituição não conseguiria cumprir a missão de facilitar o acesso ao crédito de agricultores, empresas, indústria e comércio. “Por isso a importância dessa parceria com vocês, produtores, cooperativas e empreendedores”.

“O BRDE tem sido um grande parceiro nesses 40 anos da cooperativa”, disse o diretor vice-presidente da Coagru Cooperativa Agroindustrial União, Cavalini Carvalho. Ele e o diretor-presidente da cooperativa, Áureo Zampronio, receberam um cheque simbólico no valor de R$ 11 milhões. O valor contratado pela Coagru será investido na ampliação da unidade de recebimento e beneficiamento de grãos em Ubiratã, sede da cooperativa.

Diretor de Operações do BRDE, João Luiz Agner Regiani, assinando os cheques simbólicos a serem entregues aos clientes

Comente aqui


BRDE e governo do Paraná apostam no desenvolvimento regional

No último dia 06 (quarta-feira passada) foi apresentado ao governador Beto Richa, no Palácio do Iguaçú, pela diretoria da Jaguafrangos, o projeto de implantação/construção de nova unidade da empresa para abate e processamento de aves em Ivaiporã, região do Vale do Ivaí. Um projeto que após implantado gerará mais de 3.000 empregos diretos e indiretos e oportunizará a criação de aproximadamente 150 criatórios interligados em um raio de abrangência de aproximadamente 100 kilômetros, numa das regiões consideradas de Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) “depressivo” (abaixo da média) no estado do Paraná.

Os diretores do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) João Luiz Agner Regiani e Orlando Pessuti, gerentes e assessores do BRDE acompanharam a apresentação e colocaram a instituição financeira à disposição do governo do estado para realizar estudos e análises técnicas visando liderar a estruturação financeira de linha para o financiamento e viabilização do novo empreendimento.

O novo frigorífico em Ivaiporã terá capacidade, ao final da implantação da unidade, para processar 420 mil aves por dia, gerar 3 mil empregos e faturar R$ 1,8 milhão anualmente. O BRDE deverá participar da implantação das duas primeiras fases do projeto, um investimento total de R$ 145 milhões. O investimento deverá contar também com recursos repassados pela Fomento Paraná e BNDES.

“Vamos somar esforços para garantir a viabilidade desse importante projeto para Ivaiporã, que vai mudar a realidade não só do município, mas de toda a região, que precisa de novas indústrias e novos postos de trabalho, ainda mais nesse momento de crise nacional”, disse o governador. “Daremos toda atenção para fomentar o empreendimento”, afirmou o governador Beto Richa.

V
“Estamos aqui para levar adiante esse projeto de desenvolvimento perene da região do Vale do Ivaí”, afirmou o diretor de operações do BRDE, João Regiani. “Hoje, os financiamentos a produtores associados da Jaguafrangos no BRDE somam R$ 38 milhões, investimento que movimenta a economia regional, gerando empregos, renda e receita aos municípios”, acrescentou Regiani.

O diretor Regiani fez ainda referência sobre a importância do financiamento público de empreendimentos de abrangência regional em regiões economicamente “depressivas” pelo Sistema Parananense de Fomento (SPE) – composto pelo BRDE e Fomento Paraná -, criado no ano de 2015 por iniciativa do governador Beto Richa, como meio para o desenvolvimento econômico e social duradouro destas regiões.

O vice-presidente e diretor administrativo do banco, Orlando Pessuti, fez um relato histórico da luta dos municípios do Vale do Ivaí para consolidar a avicultura de corte na região. “Esse projeto grandioso da Jaguafrangos implanta definitivamente a avicultura na região”, afirmou Pessuti. “E o BRDE está à disposição para liderar a operação que viabilizará o frigorífico e mudará o perfil econômico da região central do nosso Estado”, arrematou Pessuti.

Projetos que visam o desenvolvimento econômico e regional do estado são as melhores “apostas” para este momento de crise econômica nacional persistente, e neste sentido o Sistema Paranaese de Fomento (BRDE e Fomento Paraná) se constitui como excelente ferramenta para viabilizá-los financeiramente, gerando melhor ambiente econômico no estado e mais emprego e renda à população paranaense e de toda a região Sul do país.

Comente aqui


“Linhas do BNDES não ficarão caras”, diz Mansueto

A mudança na taxa de juros que baliza os empréstimos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) não vai encarecer o crédito aos tomadores de financiamento na instituição, disse nesta terça-feira, 8, o secretário de Acompanhamento Econômico do Ministério da Fazenda, Mansueto Almeida. Nos cálculos da equipe econômica, se a nova Taxa de Longo Prazo (TLP) já estivesse em vigor, ela estaria hoje em torno de 8% ao ano, apenas um ponto porcentual acima da atual Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP), que está em 7% ao ano.

“As linhas do BNDES não ficarão caras com TLP. Hoje não tem praticamente nenhuma linha do BNDES que seja TJLP pura, o banco já empresta acima da TJLP. Não haverá Continue lendo

Comente aqui


Presente para ajudar

Diretor de Operações do BRDE, João Luiz Agner Regiani (O Diário**).

Ontem tivemos a abertura oficial da 45a. Expoingá no Parque Internacional de Exposições Francisco Feio Ribeiro em Maringá. O evento contou com a presença de representantes dos diversos setores da economia regional e de várias autoridades, dentre as quais do governador Beto Richa e da vice-governadora Cida Borghetti.

Há muita expectativa por um bom resultado da feira  uma vez que a economia nacional vem dando os primeiros sinais efetivos de retomada positiva. Sinal disso foi o crescimento na venda de veículos novos anunciado pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotires (Anfavea), no índice de 11% no mês de abril comparativamente ao mesmo mês de 2016.

Neste contexto de recuperação econômica o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) tem atuado intensamente para contribuir e dar vigor financeiro aos empreendimentos urbanos e rurais nos estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

Com a missão de ajudar no estímulo econômico regional e oferecer alternativas de acesso ao crédito mais barato aos empreendedores, o BRDE também está presente na 45a. Expoingá com estande e equipe técnica em frente ao estande da Prefeitura de Maringá.

(**destaque dado na edição de hoje do jornal O DIÁRIO, coluna da Pathy Silva, p. D4)

Comente aqui


Cartão de crédito: Caixa reduz o juro do rotativo

A Caixa Econômica Federal (CEF) anunciou a redução das taxas de juros do rotativo do cartão de crédito em até 7,7 pontos percentuais, a depender da modalidade. De acordo com o banco, as taxas — que iam de 11,15% a 17,12% ao mês — agora variam entre 8% e 11% ao mês. Continue lendo

Comente aqui


BRDE financia os empreendedores da região Sul

Em entrevista concedida ao Paraná Portal o Diretor de Operações do Banco Regional de Desenvolvimento da Região Sul (BRDE), João Luiz Agner Regiani, falou sobre as diversas áreas atendidas pela instituição financeira de desenvolvimento, com especial ênfase ao financiamento do agronegócio, indústria, comércio, área de serviços, inovação e projetos socioambientais.

Comente aqui