INMETRO



INMETRO aperfeiçoa normas de segurança dos berços

LOGO-FACE3

Ontem (1º), o Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) divulgou nova Portaria (53/16), que visa a aperfeiçoar a regulamentação e ampliar o escopo de produtos, abrangendo berços dobráveis, conversíveis, de balanço (que imita o movimento de ninar) e de movimento pendular (que permite movimento em qualquer direção).

Outra novidade é a proibição de laterais ou extremidades móveis. De acordo com Leonardo Rocha, chefe da divisão de Regulamentação Técnica do Inmetro, todas as regras valem também para berços artesanais e/ou feitos sob medida.

A partir de agora, os fabricantes e importadores têm 18 meses para se adequarem aos novos critérios de produção e importação. Após este prazo, terão mais 6 meses para cessarem a comercialização dos estoques.

Logo após este prazo de adequação, os comerciantes varejistas terão 12 meses para zerarem seus estoques e começarem a comercializar apenas os produtos que atendam os novos critérios.

Leonardo Rocha afirma que, apesar das novas normas, os produtos que estão no mercado são seguros. “Estamos apenas aperfeiçoando o rigor. Não quer dizer que entendamos que os produtos do mercado são inseguros”.

Quem tiver alguma dúvida, crítica ou sugestão em relação às regras de segurança de berços comercializados no Brasil pode entrar em contato com o Inmetro por meio do telefone 0800 2851818.

Fonte: Agência Brasil.

Comente aqui
 

INMETRO proíbe chupetas e mamadeiras customizadas

Chupetas customizadas que trazem risco à saúde e segurança dos bebês foram proibidas pelo Inmetro

Chupetas e mamadeiras customizadas — aquelas com pinturas, cristais, adesivos, entre outros, acessórios — estão com a produção, importação, distribuição e comercialização proibidas. A Resolução 517, do Inmetro, publicada, nesta quinta-feira, tem aplicação imediata. O assessor da Diretoria de Avaliação da Conformidade do instituto, Paulo Coscarelli, informa, inclusive, que as fiscalizações começam esta semana e o principal alvo são as feiras de bebê e gestante onde esses produtos são amplamente comercializados. Continue lendo

Comente aqui


Dia das crianças: cuidados ao comprar brinquedos

O Dia das Crianças se aproxima e, com ele, a correria dos adultos pelo comércio em busca de brinquedos para seus filhos, sobrinhos, netos etc. Mas, para que o presente não se transforme em um problema, alguns cuidados são necessários na hora de comprar. O Procon da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) preparou uma lista com dez recomendações para proteger o consumidor e deixar as crianças não apenas alegres, mas também seguras.

* Defenda seu bolso: após escolher o brinquedo que vai comprar, faça uma pesquisa de preços nas lojas de sua região e até mesmo na internet. No caso de compra em sites, fique atento ao prazo de entrega prometido, para que o produto não chegue após a data desejada.

* Antes de comprar o brinquedo, fique Continue lendo

Comente aqui


Consumidor pode relatar acidente de consumo ao Inmetro

RADARO Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) lançou esta semana uma pesquisa sobre acidentes de consumo, para identificar produtos e serviços que oferecem riscos à saúde ou segurança das pessoas. O objetivo é aprimorar os critérios de avaliação e subsidiar a lista do que será analisado pelo instituto nos próximos anos.

A pesquisa tem o mesmo princípio do Sistema Inmetro de Monitoramento de Acidente de Consumo (Sinmac), que recolhe relatos de consumidores que tenham sofrido acidente utilizando o produto ou serviço conforme indicado pelo fornecedor. De acordo com o chefe da Divisão de Gestão Corporativa (Dgcor) do Inmetro, Silvio Ghelman, a diferença é que o preenchimento da pesquisa é mais fácil, e vai ter os resultados divulgados de forma sistematizada. Continue lendo

Comente aqui


Berços para bebês devem estar certificados pelo INMETRO

RADAR-DO-CONSUMIDOR2Olá amigos, ótima semana de trabalho a todos vocês.

Muitos não sabem mas os berços para bebês devem obrigatoriamente possuir selo de certificação pelo INMETRO como condição para serem colocados regularmente à venda no comércio.

Importante saber que o INMETRO instituiu a certificação compulsória (obrigatória) dos berços por meio da Portaria n.º 269, de 21 de junho de 2011, a qual passou a vigorar nos prazos previstos nos seus artigos 4º e 5º.

Depois disso, foi editada a Portaria n.º 594, de 05 de dezembro de 2013 estabelecendo os Requisitos de Avaliação de Consformidade (RAC), os instituíram os critérios de ensaios de SEGURANÇA e qualidade de insumos para os berços, a serem observados pelos fabricantes e fornecedores destes produtos.

Resumindo, a venda de berços sem a devida certificação estabelecida pelas Portarias do INMETRO se consitui em venda irregular de produto com certificação obrigatória, caracterizando exposição irregular de produtos à venda,  tornando respectivos produtos passíveis de apreensão.

Portanto, fica o alerta aos lojistas e, especialmente, aos consumidores: berços para bebês sem a devida certificação do INMETRO não podem ser colocados à venda, sob pena de serem recolhidos (apreendidos) mediante fiscalização do INMETRO ou dos Procons.

Atenção: o consumidor que encontrar berços sem a certificação obrigatória do INMETRO não deve adquirí-los, por óbvia questão de segurança, bem como deve denunciar imediatamente o fato aos órgãos fiscalizadores acima referidos.

Comente aqui


Cuidados e dicas para a compra de brinquedos

Natal chegando e a criançada já se encontra na expectativa dos brinquedos que serão comprados

As dicas que dei neste vídeo foram pensadas para a época das compras de brinquedos do Dia das Crianças, mas servem integralmente para a época de compras natalinas, que em grande parte serão dadas aos baixinhos.

São dicas importantes para o consumidor assimilar e não se dar mal nas compras natalinas. Confiram.

Comente aqui


Vai até amanhã operação ´Casa Segura` do INMETRO

RADARO Inmetro realizará até amanhã (9), em todo o país, a operação ‘Casa Segura’. Agentes fiscalizadores dos órgãos delegados do Instituto nos estados vão percorrer o comércio varejista ou atacadista para checar se os produtos atendem aos requisitos estabelecidos na regulamentação, entre eles, panela de pressão; ventilador de mesa, parede, pedestal e circulador de ar; batedeira elétrica; cafeteira e chaleira elétrica; espremedor de frutas; faca elétrica; grill ou grelha elétrica; liquidificador; processador elétrico de alimentos; sanduicheira; e máquina de lavar louça.

Todos devem ostentar o selo de identificação da conformidade do Inmetro. A certificação compulsória desses itens busca atestar que eles atendem aos requisitos mínimos de segurança, reduzindo assim a probabilidade de acidentes domésticos.

Empresas que não cumprirem a regulamentação vigente poderão ser penalizadas, com a apreensão dos produtos, além de multas que podem variar de R$ 100 a R$ 1,5 milhão, de acordo com o estabelecido na Lei n.° 9.933/99. Empresas que não se adequaram serão penalizadas, de acordo com o artigo 9º, estabelecido na Lei n.° 9.933/99 (IPEM/PR).

Comente aqui


Brinquedos têm que ter o selo obrigatório do INMETRO

Barbie1-300x200[1]A preocupação dos técnicos do instituto é verificar se os brinquedos ostentam o selo obrigatório do Inmetro. Produtos de certificação compulsória, os brinquedos não podem ser vendidos sem o selo.

Em outubro passado, em uma operação de fiscalização por ocasião do Dia das Crianças, o Inmetro interditou, apenas na região comercial da Saara, no Centro do Rio, cerca de 18 mil brinquedos sem o selo obrigatório.

Há ainda a preocupação dos técnicos com a falsificação de selos, o que será objeto de verificação. Para os consumidores, o Inmetro recomenda a leitura da Cartilha de Segurança de Brinquedos, com dicas para uma compra segura (Inmetro).

1 Comentário


INMETRO alerta para ovos de Páscoa

Radar do ConsumidorNa reta final para a Páscoa, vale prestar atenção às orientações do Inmetro sobre segurança dos brindes contidos nos ovos de chocolate.

Na primeira semana de abril, fiscais do instituto e de órgãos estaduais visitaram 502 pontos de venda no país. Verificaram, ao todo, 103.410 produtos. Em 3,2% encontraram irregularidades. Faltava o selo do Inmetro nas embalagens. Sem ele, os brinquedos podem oferecer risco às crianças.

Os ovos regulares devem ter, na embalagem externa, aviso informando que o brinde está certificado no Sistema Brasileiro de Avaliação de Conformidade. Junto com o brinquedo, dentro do ovo, deve estar o selo (Portal do Consumidor).

Comente aqui