Politica



Vale-tudo eleitoral

À medida que a eleição se aproxima, o PT vai se desfazendo sem constrangimento da narrativa do “golpe” contra Dilma Rousseff. O editorial da Gazeta do Povo analisa o “perdão aos golpistas” pregado por Lula, estratégia clara para se abraçar novamente ao PMDB (veja aqui).

Assim como o “Lulinha paz e amor” de 2002 não passou de uma fachada amigável ao mercado para conseguir conquistar um eleitorado refratário ao discurso radical do líder sindicalista, não é um verdadeiro espírito de reconciliação que move o ex-presidente, mas puro pragmatismo.

PS – Não seria caso de puro fisiologismo político?

Comente aqui
 

Imoralidade pouca é bobagem. PT afasta Palocci

Medida foi aprovada por unanimidade em votação que consumiu um minuto. Preso na Lava Jato, ex-ministro dos governos petistas é alvo de processo de desfiliação do partido. (Gazeta do Povo).

*** Nota do blog – O PT realmente perdeu de vez o pudor, se é que ainda lhe restava algum. Encaminha processo interno de afastamento para depois expulsar quem (Palocci) vem esclarecendo as práticas de corrupção pelo chefe “mor” da organização petista, como se o Lula gozasse de absoluta certeza de inocência e sem dar ao processado o direito de provar as suas alegações.

É o inverso do senso de justiça e de cidadania, o que cada vez mais demonstra à população que o PT (e não somente Lula) perdeu totalmente as condições éticas e morais para voltar a chefiar a gestão do país, e, até mesmo, de existência.

Lembrando que a “razão” do processo de expulsão do Palocci pelo PT não é o fato deste estar envolvido até a medula no núcleo do “esquema” de corrupção que irradiou do Palácio do Planalto, mas por ter revelado o que todos já sabiam, ou seja que o mentor e também beneficiado pelo esquema criminoso era Lula.

Comente aqui


A leviandade dos acusadores de Richa

As viúvas das vultosas verbas que antigamente eram direcionadas à imprensa e que corriam como rios de dinheiro na época do governo Requião, bem como  as viúvas solitárias do ex-governo do PT/Dilma não cessam na tentativa de desestabilizar o governo Richa.

Se dão ao “luxo”, inclusive, de se utilizar de linguagem bélica (de guerra) contra o governo Richa, o qual vem servindo de exemplo de rigidez fiscal e administrativa para todos os demais estados do país (vejam o título de bélico de uma das matérias >> aqui).

Pretendem tomar o poder no estado a todo custo e no grito, como se acostumaram a fazer invadindo propriedades privadas, tribunas do Senado, de câmaras municipais ou mesmo manipulando informações, lançando mão de jogos de palavras. Não querem deixar governar quem foi eleito para tanto e o vem fazendo com extrema competência. Isto os incomoda muito.

Mas vamos aos fatos e às suas verdades.

A chamada Operação Quadro Negro, que investiga quadrilha de desvio de recursos públicos na Secretaria de Educação do estado, nos últimos dias vem fornecendo lenha para os detratores do governo Richa, os quais vem se utilizando deste “combustível” na tentativa sórdida de criarem um ambiente político artificial para que em 2018 retornem à cena político do estado personagens políticos que representam anacronismo político e social.

A partir da delação premiada do responsável pela Construtora Valor, Eduardo Lopes de Souza, a Rede Globo (nacional), a RPC e a Gazeta do Povo voltaram a fustigar o governo Richa trazendo novamente à tona referida operação, mediante matérias jornalísticas recheadas de narrativas embasadas, na sua maior parte do tempo, na versão do bandido (delator) e, em letras miudinhas e nos minutos finais das massivas reportagens, nas breves respostas do governo atingido pelas inverdades constantes de referida delação.

Bom que se reitere aqui que referida operação investigativa somente surgiu porque o próprio governo do estado ao tomar conhecimento das irregularidade que vinham ocorrendo nas medições e pagamentos de construções de escolas públicas, afastou imediatamente da função pública todos os agentes públicos envolvidos, bem como comunicou de ofício ao Ministério Público estadual os fatos, requerendo desde então a abertura de procedimento visando a caracterização e punição dos participantes do esquema, fazendo cessar imediatamente os devios de dinheiro público.

Ou seja, Richa fez extamente o que manda a lei: “não deixar roubar e buscar a responsabilização dos envolvidos” no esquema.

E é justamente neste contexto que surge, agora, a delação premiada vinda exatamente do empreiteiro que teve o seu “esquema” desbaratado e denunciado pelo governo Richa.

Uma delação premiada leviana e desacompanhada de quaisquer provas que visa, primeiramente, a tentativa de reduzir a pena do bandido delator e, em segundo lugar, que tem por objetivo se vingar politicamente de quem o descobriu e denunciou formalmente, no caso o governador Beto Richa.

Tanto o teor da delação de Eduardo Lopes de Souza é LEVIANA e DESPROVIDA DE PROVAS na parte em que tenta fazer acreditar sobre a participação direta do governador no esquema, que a própria Gazeta do Povo, em reportagem de hoje constante do seu sítio eletrônico, se viu obrigada a ressalvar que “Por enquanto, não apareceram provas das afirmações que Souza fez.” (vejam a íntegra da matéria aqui).

No entanto, muitos abutres políticos de plantão, alguns ainda que se autointitulam “jornalistas”, mas que na verdade são verdadeiros militantes políticos da esquerda anacrônica rançosa, vêm fazendo todo o esforço para nivelar o governador Beto Richa ao baixo nível da esquadrilha política representada por Lula, Zé Dirceu, Vaccari, Genuíno e demais meliantes políticos que compõe o quadro político da esquerda podre da nação e aos quais estão alinhados.

Para esta gente autointitulada de “jornalista” e que vem detratando o governo Richa sem quaisquer provas materiais em mãos, o “quanto pior é melhor”, fazendo parte das suas sujas estratégias colocar todos no mesmo saco da corrupção, uma fez que os seus “líderes” já o estão nele ensacados.

A verdade é bem simples de ser compreendida: quem defende a volta de Lula em 2018 não medirá esforços, daqui para frente e até as próximas eleições, na tentativa de assassinar as reputações daqueles que representam a libertação do estado como refém do funcionalismo público que suga a maior parte dos recursos públicos, que representem competência e rigidez administrativa e, especialmente, daqueles que buscam o aperfeiçoamento e reforma do estado visando elevar o Brasil ao desejável nível de competitividade internacional e de modernização da máquina pública.

Acreditar nesta imprensa marrom equivale, em muitas da vezes (como é o caso) em dar crédito ao bandido e em quem representa o atraso e imoralidade na administração pública. Simples assim.

Ótima semana de trabalho a todos. Toquemos o barco.

 

7 Comentários
 

Contradições no caso Temer. A falência do sistema político

Ontem vivenciamos mais uma página manchada da história política do País.

Deputados que enxergaram motivos para impedir Dilma, não “enxergaram” motivos suficientes para acolher a denúncia e autorizar o processamento de Temer pelo STF.

Por outro lado, não menos contraditório – diria até mais contraditório ainda – deputados do PT e da esquerda anacrônica, que fizeram acrobacias mirabolantes para defenderem as imoralidades do governo Dilma no processo parlamentar de impeachment desta, ontem se travestiram de arautos casuais e seletivos da moralidade para discursarem e votarem defendendo o processamento do Presidente.

São contradições que demonstram claramente a falência do sistema político nacional, bem como que o nosso Congresso Nacional nada mais é do que um balcão de “negócios”.

Enquanto as ideologias, partidarismos e a corrupção se sobrepuserem aos interesses da Nação não teremos futuro. Simples assim.

1 Comentário


PT, PCdoB e PDT assinam apoio à ditadura venezuelana

 

Gleise Hoffman, presidente nacional do PT, discursando em apoio ao ditador Nicolás Maduro (Foto: Estadão)

Nos últimos anos alguns partidos brasileiros paulatinamente vêm se demonstrando totalmente alinhados com o que há de pior na política e às ditaduras existentes na América Latina e na África.

Não bastassem as omissões de Lula e Dilma, quando estavam no exercício da presidência da república, em se posicionarem contra Chaves e Maduro diante do inegável estado ditatorial e das atrocidades existentes na Venezuela, agora, apeados do poder, o PT, o PCdoB e o PDT deixam cair definitivamente as suas máscaras ao assinarem apoio formal ao sanguinário e despótico governo chavista-bolivariano de Nicolás Maduro da Venezuela.

Como diz o velho ditado: “o diabo faz a panela, mas não faz a tampa” e, assim, referidos partidos mostram com qual finalidade militam na política brasileira e qual projeto defendem efetivamente (comunismo), bem como que destino teríamos caso tais partidos da esquerda anacrônica nacional estivesse no poder.

O cidadão consciente e que quer o bem do País deve fugir dos comunistas da política nacional ou se tornará cada vez mais um deles, pois, no fim, desejam implantar no Brasil os mesmos projetos que existem nos demais países dominados pelo comunismo: com destruição e ridicularização dos princípios da família tradicional, dos valores cristãos, defesa do aborto e da eutanásia, dentre outras excrescências que afrontam princípios de moralidade e de ética cristã.

Quem tiver ouvidos que ouça.

Vejam a reportagem completa sobre o assunto aqui e pasmem.

8 Comentários


Estragos do sucessor eleito pelos anacrônicos

Os preços dos combustíveis nas bombas estão de doer no bolso de qualquer um em razão do aumento de tributos incidentes sobre estes determinado pelo presidente Temer.

No entanto não podemos nos esquecer: quem elegeu Dilma também elegeu Temer e, portanto, foi a esquerda anacrônica do país que fez isto. Deu no que está dando, cáca total.

Pediram para errar e entraram na fila duas vezes. Vão votar mal assim lá longe.

3 Comentários


A ‘herança maldita’ e a sua origem


Depois de exercer o poder por 13 anos à fio Lula e Dilma, leia-se PT e partidos representantes da esquerda anacrônica do país (PSOL, PCdoB, etc), deixaram verdadeira ‘herança maldita‘ à nação, que está a produzir e ainda produzirá maiores resultados doloridos para os brasileiros, em forma de ajustes duros nas contas publicas, aumentos de tributos e cortes no orçamento público que se traduzirão na diminuição de serviços públicos essenciais à população.

No transcorrer destes 13 anos, o PT e Lula criaram políticas milagrosas e populistas para a população pobre com o fim de estabelecer um projeto de longevidade no poder e, assim, poderem acessar os cofres públicos por muito e muito tempo em conluio com comparsas de diversas matizes políticas.

Para isso, o PT liderado por Lula criou um ambiente econômico artificial se utilizando do Banco Central e do sistema financeiro nacional, manipulando a meta de inflação, concedendo crédito fácil e irresponsável às classes “C” e “D”, influenciando no aumento do consumo desregrado e no endividamento de mais de 65% da população, enfim, gerando bolhas imobiliárias, financeiras e de consumo que não tinham outro destino a não ser mais cedo ou tarde explodirem, como de fato aconteceu logo após a reeleição de Dilma em 2014.

Neste contexto de utilização do sistema financeiro para o seu projeto de poder, Lula se utilizou em excesso do BNDES, concedendo financiamentos suspeitos à ditaduras alinhadas ao Foro de São Paulo (ordem comunista e que reúne o que há de pior na política latinoamericana) que hoje se sabe,  por meio da “abençoada” Lava Jato, terem irrigado o caixa de campanha do PT e de partidos alinhados e cooptados, bem como irrigando o bolso de diversos de seus líderes, e ainda concedendo – por meio do BNDES – financiamentos bilionários a empresários dispostos a pagarem propina como contrapartida pelos “benefícios” financeiros recebidos.

Na verdade Lula e o PT promoveram o maior processo de manipulação financeira de massa e de cooptação corruptiva que se tem notícia mundialmente.

Tão logo Dilma se reelegeu a mentira petista já não tinha mais como ser escondida e, assim, vieram à tona sucessivas notícias de rombos bilionários nas contas públicas, até então sonegados para não causar prejuízos eleitorais ao PT na disputa presidencial, bem como a população tomou conhecimento do artifício contábil utilizado no período eleitoral presidencial pelo PT para dar ares de equilíbrio às já desequilibradas contas federais, qual seja: as denominadas ‘pedaladas fiscais’ que consistiam na tomada, pela União, de recursos junto a bancos públicos para maquiar as contas públicas dando a impressão de saúde financeira a estas e, desse modo, ficar encoberto, no período eleitoral presidencial, os ‘deficits’ bilionários então já existentes.

Depois veio o ‘impeachment’ e o governo Temer, também herdado de acordos políticos e de projeto de poder pactuados entre o PT e o PMDB, cujo governo atualmente se encontra cambaleante em virtude da vinda ao conhecimento público das relações perigosas e nada republicanas de Temer com a JBS.

Do breve histórico acima reelembrado se torna evidente concluir o que agora Lula e o seu exército de zumbis mentais fazem questão de esconder: que as consequências políticas, sociais, pelos desequilíbrios das contas públicas, restrição aos serviços públicos e pela elevação de tributos anunciada nesta semana e que ainda estão por vir, nada mais são do que a ‘herança maldita‘ deixada pelo PT depois de 13 anos de poder.

A cantilena dos petistas sobre a obtenção de conquistas sociais com Lula no poder não consegue esconder, para quem tem memória e olhos pra enxergar, os fins corruptivos e de manutenção do poder para os quais estas “causas sociais” foram utilizadas e, especialmente, que os efeitos danosos hoje sofridos pela população em forma de desemprego, aumento de tributos, corte de serviços públicos, redução de programas sociais, dentre outros, são ‘heranças malditas’ deixadas por Lula e Dilma depois de 13 anots de má versação do dinheiro e interesse público.

Quem defende a volta de Lula tem memória muito curta (mais curta do que coice de porco) ou é mal intencionado.

5 Comentários


Show de horrores da esquerda asquerosa (parte II)

No episódio de ontem no Senado, Gleisi Hoffmann, enquanto alguns parlamentares (inclusive alguns do próprio partido) discutiam sobre a necessidade de ceder ou não à votação da reforma trabalhista, ligou para o presidente da CUT para perguntar o que deveria fazer (O Antagonista).

**Nota do blog – Assim é possível entender melhor quem as “senhoras” senadoras do PT e do PCdoB serve no Senado, e vice e versa quando os sindicatos e Centrais Sindicais organizam barricadas e quebra-quebras pelo Brasil a fora. Inclua-se aí as barbaridades praticadas MST. Todos formam uma frente truculenta que não está nem aí para os princípios democráticos do Estado de Direito. E tem gente que ainda os defende.

6 Comentários