comportamento



Procura do consumidor por crédito tem nova queda

6soqx24pugyy903lutu6vgj6o[1]A procura dos brasileiros por crédito segue em trajetória descendente. O número de consumidores que buscaram crédito em fevereiro teve retração de 10,7% em relação a janeiro.

A despeito de no segundo mês de 2014 ter ocorrido alta de 0,9%, foi o menor resultado interanual dos últimos sete meses, de acordo com o Indicador  Serasa Experian da Demanda do Consumidor por Crédito, divulgado nesta terça-feira, 10.

No acumulado do primeiro bimestre deste ano, houve aumento na procura por crédito por pessoa física, de 1,5%, ante igual período de 2014.

A desconfiança dos consumidores em relação à economia e às altas taxas de juros continuam limitando a busca por crédito, segundo os economistas da Serasa. — Fonte: Exame.

Comente aqui


Confiança do consumidor recua 8,8% em fevereiro

Trata-se do recuo mais intenso e o menor nível para o dado em toda a série histórica

O índice de Confiança do Comércio (Icom) caiu 8,8% em fevereiro ante janeiro, na série com ajuste sazonal, informou a Fundação Getulio Vargas (FGV), nesta quinta-feira. Diante desta quarta queda consecutiva, o Icom atingiu 97,9 pontos no período. Trata-se do recuo mais intenso e o menor nível para o dado em toda a série histórica, iniciada em março de 2010. Com o resultado, o índice ainda migrou para a zona considerada “desfavorável” à atividade, abaixo dos 100 pontos. A média histórica do índice é de 125,2 pontos.

“A confiança recuou de forma intensa e disseminada entre os segmentos do comércio em fevereiro. O resultado retrata um setor insatisfeito com os níveis atuais de demanda e pessimista em relação às perspectivas de vendas e lucratividade nos próximos meses”, avaliou o superintendente adjunto de Ciclos Econômicos da FGV, Aloisio Campelo, em nota. Continue lendo

Comente aqui


Bancos fecham dia 31 e reabrem somente sexta

Segundo a Febraban, Federação Brasileira dos Bancos, as contas de água, luz, telefone, TV a cabo, e os carnês que vencerem nesse período, poderão ser pagos na sexta-feira, dia 2. Não será cobrada multa.

Com os bancos fechados, os clientes podem pagar as contas nos caixas eletrônicos e também pela internet, pelo aplicativo no celular, por telefone, nas casas lotéricas, agências dos Correios, redes de supermercados e estabelecimentos comerciais credenciados.  O usuário ainda pode agendar o pagamento. Portal Brasil.

Itens relacionados:

Comente aqui


Endividados em crescimento

O percentual de famílias endividadas e inadimplentes aumentou em dezembro deste ano na comparação com o mês anterior. Apesar disso, houve queda na comparação com dezembro do ano passado, segundo a Pesquisa Nacional de Endividamento e Inadimplência do Consumidor, da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).
v
A proporção de famílias com algum tipo de dívida ficou em 59,3% em dezembro, acima dos 59,2% de novembro, mas abaixo dos 62,2% de dezembro do ano passado. O percentual de famílias muito endividadas passou de 11,6% para 10,8% em comparação com dezembro de 2013 (Agência Brasil).
Comente aqui


5 cuidados no uso do cartão de crédito

RADARA comodidade de comprar sem tirar o dinheiro da carteira e esticar o pagamento para o próximo mês são os grandes atrativos do cartão de crédito. Essas vantagens podem se voltar contra você, caso não tenha controle no seu uso. Confira algumas orientações do Procon-SP e não se enrole mais.

    1. Excesso de cartões atrapalha

Por que fazer cartões em vários lugares se você não recebe vários salários? Evite solicitar Continue lendo

Comente aqui


Percentual de endividamento caiu em novembro, mas …

João Luiz Agner Regiani, Diretor do Procon de MaringáSegundo a Confederação Nacional do Comércio (CNC) o percentual de famílias endividas diminuiu em novembro de 2014 (59,2%), pelo terceiro mês consecutivo. Houve queda também na comparação com o mesmo período (novembro) de 2013 (63,2%).

Já o percentual de famílias com contas ou dívidas em atraso aumentou entre os meses de outubronovembro (18%), assim como o percentual que relatou não ter condições de pagar suas contas em atraso (5,5%).

*** A situação do endividamento das famílias brasileiras é uma verdadeira gangorra, ora o percentual sobe, ora desce. De qualquer maneira, o que se percebe é que o nível de endividamento destas é muito elevado, sempre girando no patamar de 60% das famílias em situação de endividamento ou superendividamento. 

Por isso a necessidade dos consumidores replanejarem o seu comportamento frente ao mercado de consumo, bem como reorganizarem as finanças da família.

Comente aqui


Dor de cabeça à vista: cuidado com o prazo de entrega

Radar do ConsumidorJoão Luiz Agner Regiani

Muito importante o consumidor estar atento nesta época do ano, de compras natalinas e grande volume de vendas no comércio em geral (físico e eletrônico), quanto ao prazo de entrega dos produtos prometido pelo fornecedor.

Para atrair clientela é muito comum o fornecedor prometer a entrega rápida dos produtos, o que em parte das vezes não se concretiza e gera uma série de situações desconfortáveis ao consumidor, gerando prejuízos financeiros, frustração na entrega do presente e desgastes, até mesmo emocionais, dentre outros.

Por isso todos com as suas “antenas ligadas” para não cair no “conto da entrega express”.

A sugestão que se dá é para que o consumidor procure realizar compras no mercado físico ou virtual junto a fornecedores que tradicionalmente cumprem com suas promessas no “pré-vendas”, a fim de não ter uma baita dor de cabeça no “pós-venda”.

Comprar preferencialmente em estabelecimentos físicos tradicionais ou em `sites` que também atuem no mercado físico são boas dicas de maior segurança ao consumidor. Evitar promessas de entregas relâmpagos ou excessivamente vantajosas financeiramente também podem contribuir para o consumidor não cair em armadilhas engendradas especialmente para este cair.

Todo caso, orienta-se ao consumidor sempre manter em mãos os materiais publicitários dos produtos (mercado físico) ou os `prints`de tela destes (mercado virtual) como cautela necessária à realização de eventuais reclamações formais perante os orgãos de defesa do consumidor.

Portanto, muita cautela nesta hora.

Comente aqui


Consumidor conectado desafia o varejo

Como as novas tecnologias estão fazendo com que o comércio tenha de se reinventar para atender a um cliente que usa a web para tudo – especialmente no sul

De acordo com estatísticas atuais, nada menos que 63 milhões de brasileiros costumam fazer compras utilizando a internet. Apenas esse dado já seria o suficiente para alertar as empresas, mas o encontro Reinvenção do Varejo, evento promovido pela SAP para discutir as tendências de inovação para o segmento varejista nesta quarta-feira (10), em São Paulo, mostrou cinco potenciais preocupações para os líderes dessas companhias. Continue lendo

Comente aqui


Consumidor reduz procura por crédito

A demanda dos consumidores por crédito caiu 2,5% no primeiro semestre de 2014, segundo a Boa Vista Serviço Central de Proteção ao Crédito (SCPC). Na comparação com junho do ano passado a retração foi mais expressiva, de 6,5%, enquanto em relação a maio deste ano o recuo foi de 2,2%, já descontados os efeitos sazonais. Nos 12 meses encerrados em junho, a tendência de queda se intensificou, com a variação negativa de 1,4% no mês passado, ante queda acumulada de 0,9% em maio.

Veja mais.

Comente aqui


Serasa: procura do consumidor por crédito cai 12,6%

Radar do ConsumidorCom Copa do Mundo,  encarecimento do crédito e queda da confiança do consumidor a economia do País, procura do consumidor por crédito despencou 12,6% em junho próximo passado, comparativamente com o mês de junho de 2013. É o que afirmou a Serasa Experian na quinta feira passada.

No acumulado do primeiro semestre deste ano, segundo a Serasa, a retração da procura de crédito pelo consumidor brasileiro foi de 5,4 em relação ao primeiro semestre de 2013.

São dados estatísticos que aliado a outros demonstram a derrocada da economia brasileira e a queda internacional na confiança do País.

Enquanto isso o governo federal dorme em berço esplendido, sem tomar nenhuma medida contundente para proteger a economia do País.

Comente aqui