comunismo



O peixe morre pela boca

.. As bravatas do petista vem repercutindo muito mal junto ao Judiciário e à sociedade.. (Foto: Rafael Arbex/Estadão)

ESTADÃO

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva tem pouquíssimas chances de vitória no Superior Tribunal de Justiça (STJ), de acordo com avaliação de ministros do tribunal ouvidos reservadamente pelo Estado. No STJ, a percepção é de que a situação do petista se complicou após o placar unânime de 3 a 0 na 8.ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF-4), que aumentou a pena de prisão do ex-presidente em regime fechado no caso do tríplex do Guarujá (SP).

Tanto no STJ quanto no Supremo Tribunal Federal (STF), os votos dos três desembargadores do TRF-4 foram considerados bem fundamentados, técnicos e consistentes, enquanto as declarações de Lula no sentido de que não respeitará decisão judicial provocaram péssima repercussão. Para um ministro do STF, uma coisa é a briga política, outra é a batalha judicial, que tem de ser técnica.

Segundo o Estado apurou com seis integrantes do STJ, as chances de o petista conseguir uma liminar favorável do ministro Felix Fischer (relator de casos da Lava Jato no STJ) é vista como pouquíssima e até mesmo improvável.  Fischer é considerado um ministro de perfil técnico, rigoroso e um dos maiores nomes da área penal do tribunal. Nascido na Alemanha pós-guerra e naturalizado brasileiro, Fischer atuou como procurador de Justiça do Ministério Público do Paraná e foi nomeado pelo então presidente Fernando Henrique Cardoso ao STJ, onde está há 21 anos. Para um colega, o ministro defende com muita firmeza seus pontos de vista e conhece em profundidade o direito penal.

1 Comentário


Perseguição aos cristãos na Bolívia e o que os seus aliados querem para o Brasil

O vídeo abaixo traz relatos e informações muito importantes sobre a onda de perseguição a cristãos na Bolívia por um governo autoritário e que está totalmente alinhado com o comunismo, bem como faz uma interessante correlação entre os acontecimentos que estão a ocorrer em países autoritários bolivarianos, como Venezuela e Bolívia, com o que se tenta impor aqui no Brasil pelo PT e partidos aliados a estes.

Figuras da esquerda brasileira, como Lula, Ciro Gomes e Marina também são referidos e flagrados nos seus compromissos e apoios vindos externamente, como do partido comunista da China, e as suas identificações com a agenda que prioriza o combate à imprensa livre e a liberdade de expressão religiosa.

Vale muito assistir:

8 Comentários


Manifestaçōes mixaram. Fechem as fronteiras.

A cúpula do PT prometeu um “ato monstro” em Porto Alegre no dia 24/01, data do julgamento do recurso do Lula pelo Tribunal Regional Federal (TRF4).

Havia a promessa, inclusive, da presença dele na manifestação. Mas como esperado a prometida bomba provavelmente virará um traque.

Prevendo o mico na manifestação e a confirmação da sua condenação, Lula mandou avisar esta semana que não irá a Porto Alegre e a organização da mobilização já transmitiu a mensagem aos seus comandados de que cada um deve se manifestar de onde o estiver.

Em Maringá, para a manifestação pró-Lula marcada para o próximo dia 13 na câmara municipal da cidade, os senadores fomentadores da manifestação local (Requião e Gleise) também acabaram de dizer que não vem. Atiçaram a tropa, mas afinaram.

São os caciques vermelhos se escondendo do mico que se avizinha. Esbravejar pela internet, como eles sempre fazem, é fácil, difícil mesmo é encarar a realidade das ruas.

Fechem as fronteiras, o Luleco poderá tentar a fuga da prisão que está cada mais próxima.

7 Comentários


Cony se foi mas deixou sua opinião sobre Lula

Carlos Heitor Cony , jornalista da velha guarda do jornalismo nacional faleceu nesta semana, dia 05 (sexta). Foi um dos primeiros jornalistas a se posicionar contra a tomada do poder pelos militares em 64 e sempre foi próximo da esquerda brasileira e seu admirador.

Nos últimos tempos de vida não se cansou de demonstrar o seu desencanto com os rumos assumidos pela esquerda nacional, mais apegada ao capital e ao patrimonialismo dos seus líderes do que  aos princípios inicialmente defendidos pelos partidos da esquerda nacional.

O site Antagonista relembrou esta semana interessante e marcante trecho de manifestação de Cony, escrita na Folha de S. Paulo em setembro de 2016, a qual sintetiza o seu desalento com uma das figuras proeminentes da esquerda do país, Luiz Inácio Lula da Silva.

A breve manifestação de Cony é um choque de realidade sobre o líder petista, anteriormente admirado por ele, e que alguns insistem teimosamente em fazer de conta que não existe.

O mesmo Cony que muitos da esquerda reverenciaram no seu falecimento, deveria servir de instrumento para lhes destravar os olhos.

Segue o texto de Cony:

“Em setembro de 2016, Carlos Heitor Cony escreveu o seguinte sobre Lula na Folha:

“Não lhe adianta acusar as elites, o imperialismo e os golpes que alega estar sofrendo.

Na sua primeira investida rumo ao poder, era um líder respeitável e pobre. Levado pelo seu primeiro secretário de imprensa, o elegante Ricardo Kotscho, cheguei a comprar uma camisa do PT para ajudar a sua eleição. Apesar da minha modesta contribuição, ele não se elegeu (votei em Brizola) e deixou de vender camisas, inaugurando uma corrupção que não soube parar e que agora o atinge pessoalmente. A pobre e solitária camisa, que lhe comprei e nunca vesti, não pode concorrer com o mensalão, o petrolão e a Lava Jato.””

1 Comentário


Promoção perdível

Tem ficado cada vez mais evidente que o tempo de glória do PT já passou. Com uma crise interna, membros do alto escalão sendo investigados, um líder maior condenado e podendo ser preso a qualquer momento, uma ex-presidente com uma retórica fraca e bravejando aos quatro cantos que sofreu um golpe são alguns dos fatos que mostram o abismo que o partido vive.

Mais adentro do abismo, temos o novo fracasso que é a venda do livro de Dilma Rousseff, intitulado de “A vida quer é coragem – A trajetória de Dilma Rousseff”, exemplar que não emplacou no gosto do brasileiro. Uma famosa rede de livrarias, vendo o fracasso evidente do exemplar, decidiu reduzir o preço para alavancar as vendas. O preço simbólico de R$ 2,99, mesmo valor de um cafezinho preto, é quase uma medida para se livrar o quanto antes do livro e seu fracasso de vendas. (Fabio Campana).

1 Comentário


Artigo: “As privatizações como meio de redução da corrupção”

** Por João Luiz Agner Regiani

A falsa ideia disseminada, especialmente por partidos de esquerda, de que as privatizações equivalem a entrega do patrimônio nacional ou estatal ao setor privado vem sendo desconstituída perante a sociedade brasileira nos últimos tempos.

As delações premiadas e condenações ocorridas no âmbito da Operação Lava Jato estimulou, nos 24 meses após a sua deflagração, sucessivas denúncias de práticas de corrupção por parte de integrantes da classe política e também de servidores públicos federais, estaduais e municipais, resultando numa média de 3 prisões por semana de funcionários públicos denunciados com envolvimento com organizações criminosas ou em práticas de corrupção ativa ou passiva.

Estes números fazem parte de levantamentos feito pela Divisão de Investigação e Combate ao Crime Organizado (Dicor), da Polícia Federal, englobando 2.325 operações feitas entre janeiro de 2013 e março de 2017, e apontam no sentido de que houve um crescimento de 57% nas prisões nos últimos 24 meses em comparação com os 2 anos anteriores.

Os dados oficiais demonstram o lamaçal que chafurda o serviço público federal, dos estados e dos municípios do Brasil, num sistema corruptivo sistêmico que não se restringe a esfera política, tão criticada pelas mesmas classes de servidores, contribuindo para colocar o Brasil na 79a. posição, entre 176 países, em nível de corrupção no mundo, segundo dados coletados em 2016 pela entidade Transparência Internacional.

O jornal o Estado de São Paulo trouxe em 31/12/2107 matéria muito ilustrativa e esclarecedora sobre o tema, com o título “Operações da PF prende 3 servidores por semana”, e que serve como uma das bases às afirmações aqui traçadas (vejam aqui).

Os dados constatados, aliados aos labirintos descobertos pela Lava Jato, servem para confirmar a tese muito bem aceita em países desenvolvidos de que quanto menor o estado – e os serviços públicos – menores as probabilidades de ocorrência de situações cooptativas à corrupção. Se trata de uma conta de proporcionalidade, onde que: quanto maior a máquina estatal, maiores as situações relacionais que colocam em jogo o interesse público mediante trocas escusas, tráfico de influências e cooptações corruptivas ativas ou passivas junto a atores públicos envolvidos, sendo que, por outro lado proporcionalmente inverso, quanto menor a máquina estatal menores as possibilidades desta, por meio dos seus agentes públicos, se chafurdar na corrupção. Relação proporcional pura e simples. Continue lendo

7 Comentários


Na Alemanha é assim

A BandNews noticiou hoje pela manhã que na Alemanha foi determinada a prisão, para cumprimento de pena, de Oskar Groening, com 96 anos, o contador do campo de Auschwitz, por crime relacionado a contagem de dinheiro das vítimas daquele campo de concentração.

Diversamente do que ocorre aqui no Brasil, em que alguns “iluminados” se contrapuseram por diversos motivos à prisão recém ocorrida do também idoso Paulo Maluf, em países desenvolvidos e maduros politicamente se faz cumprir a pena de prisão – quando cabível – independente da idade, seja o criminoso adolescente ou idoso, mas em países contaminados pelo ativismo de esquerda e de excesso dos “direitos dos manos”, na concepção deles criminoso deve ser tratado a pão de ló.

1 Comentário


Chocante

Imagem do centro de Caracas. Foto: New York Times

Na Venezuela mais de 1,5 milhão de pessoas que há 3 anos atrás podiam pagar pelo seu próprio alimento, hoje reviram o lixo na busca do que comer.

Resultado de políticas autoritárias de controle da mídia, de cooptação do parlamento e do Poder Judiciário e de políticas sociais populistas que serviram de iscas para angariam apoio popular mas que se desvaneceu num autoritarismo doentio de Hugo Chaves e Maduro.

Semelhanças políticas do que a esquerda anacrônica do Brasil pretende realizar por aqui, mas que não se realizará pela força e fé do povo brasileiro.

 

Comente aqui


As duas filas de Iribarren

A esquerda latino-americana acostumou-se a celebrar ditaduras em nome da utopia. Na Venezuela, aprende a descartar a utopia, ficando apenas com a ditadura.

Artigo superinteressante de Demétrio Magnóli, na Gazeta do Povo, que faz uma reflexão realista das ditaduras almejadas pela esquerda latina (vejam aqui)

3 Comentários


Opositores ao governo Richa ficam nús perante a verdade

Na edição de hoje do jornal impresso de O Diário (pg. A5) foi veiculada matéria (acima) que desmente peremptoriamente e comprova o desespero a/da turba petista-comunista opositora ao governador Beto Richa, a qual anda disseminando por aí a mentira de que para o Paraná obter aval da União para obter empréstimo direto junto BID, o Governador Richa teria se comprometido com o presidente Temer (numa espécie de troca-troca) a convencer a bancada paranaense de deputados federais votar a favor da reforma da previdência.

Referida matéria jornalística, além de comprovar o que eu disse ontem aqui no blog (vejam aqui) de que a decisão quanto ao aval da União para esta operação financeira internacional é “colegiada” e técnica (não dependendo da vontade individual do presidente Temer), comprova ainda que depende de aprovação do Senado Federal, o que ACABOU DE ACONTECER nesta semana, MUITO ANTES DA VOTAÇÃO DA REFORMA DA PREVIDÊNCIA e nitidamente sem o condicionamento disseminado pelos mentirosos opositores ao governo Richa.

Como diz o velho ditado: “mentira tem pernas curtas”. Como faz falta uma atividade produtiva para as viúvas do lulopetismo e ativistas requianistas.

2 Comentários