Financeiro



Ação milionária questiona conduta de gestora financeira

No mercado financeiro existem regulações que podem colocar na berlinda gestores financeiros que prestam serviços como administradores de investimentos. Vejam este caso específico.

Circula nos noticiosos do meio financeiro, dentre eles no Valor Econômico, o caso envolvendo a administradora de investivmentos BTG Pactual e a sua cliente, empresa varejista Leader, da empresária Ester Panarello, de Gioânia (GO). As informações dão conta de que esta empresa se voltou contra o BTG em uma ação milionária de R$ 47 milhões, que tem como fundamento a acusação de que o banco e outras empresas, como gestoras de seus investimentos, teriam violado, em tese, deveres de diligência e lealdade com o cliente, de conflito de interesses e conluio para obter vantagens indevidas.

A questão relacionada a responsabilidade civil, especialmente na prestação de serviços de gestão financeira, é muito delicada e sujeita a questionamentos que em não raras vezes resultam em ações judiciais reparatórias vultosas.

Eis aí um filão de mercado interessante a ser estudado com especialidade pelos nosso colegas advogados. Fica a dica.

Comente aqui


Poupar em 2015: ainda é possível?

Começa um novo ano e temos menos dinheiro na carteira depois da época festiva. Como assumir daqui para a frente o controle das nossas despesas?

Plants of money

Eis 2015. Renova-se a esperança de que este pode ser um ano melhor que os anteriores. É todos os anos assim. Acredita-se que tudo pode ser diferente quando começa a contagem decrescente para o ano novo. Três, dois, um… Viva 2015! E… tudo permanece igual, os dias vão passando e nada parece mudar (só as rugas que vão aparecendo e os quilos a mais depois das comezainas das festas alteram alguma coisa – mas mudanças dessas, quase todos dispensam).

Ainda há dias se multiplicavam os votos para que o novo ano fosse próspero e… por ora, não há grandes sinais de prosperidade. Mas o que se começou a fazer para alterar o rumo do ano? Agora que começou 2015, está na altura de se pensar em propósitos de vida para os meses vindouros. «A poupança tem de ser um objetivo de vida, mas também tem de ter um objetivo ou vários», sublinha Natália Nunes, coordenadora do Gabinete de Apoio ao Sobre-endividado (GAS), criado pela DECO.

O ano será mais frutífero se as sementes forem lançadas à terra no tempo certo. Janeiro é a altura ideal para se Continue lendo

Comente aqui


Inadimplência do consumidor cresce 10,9%

Homem mostra que está com o bolso vazioOs sucessivos aumentos das taxas de juros nos últimos 12 meses e o enfraquecimento do mercado de trabalho, especialmente na indústria, são fatores que dificultam o pagamento das contas e explicam o aumento de 10,9% da inadimplência do consumidor em novembro, na comparação com o mesmo mês de 2013.

O Indicador Serasa Experian de Inadimplência do Consumidor, divulgado nesta terça-feira, 9, apontou ainda uma alta de 5,6% no acumulado de janeiro a novembro de 2014, ante igual período de 2013.

Por outro lado, o levantamento revelou uma queda de 1,2% da inadimplência na comparação com outubro. Continue lendo

Comente aqui


Endividamento: o 13º para equilibrar contas em novembro

Serasa realiza dois feirões em novembro; instituições credoras oferecem vantagens exclusivas aos clientes que desejam negociar o pagamento de pendências financeiras

O consumidor que está com o nome sujo tem duas oportunidades para fazer acordo com o credor e fechar o ano sem dívidas. A SerasaConsumidor organiza dois feirões em novembro para ajudar os endividados a limpar o nome – um na zona Sul de São Paulo e a outro pela internet.

As datas são facilitadoras do pagamento porque estão próximas ao prazo máximo final para o pagamento da primeira parcela do 13º salário, dia 30 de novembro. A segunda parcela deve ser paga até dia 20 de dezembro, de acordo com o Ministério do Trabalho e Emprego. Continue lendo

Comente aqui


Consumidor pesquisa mais antes de comprar

Mais de 61% comparam preços e 84% não são fieis a um único ponto de venda
Em tempos de crise o consumidor brasileiro vem mudando seu comportamento na hora de fazer suas compras.

Uma pesquisa divulgada neste mês mostra que 61% dos consumidores e consumidoras comparam preços antes de finalizar uma compra. A pesquisa foi feita pela Kantar Worldpanel, líder mundial em conhecimento e compreensão do consumidor por meio de painéis de consumo.

O estudo mostrou que além de comparar os valores dos produtos, também é dada importância para as promoções no ponto de venda — 74% dos consumidores consideram promoções muito importante na hora da compra.

RADARMas não é apenas o preço da mercadoria que é levado consideração pelo comprador. Ele quer racionalizar seu tempo, melhor atendimento durante as compras e ainda procura pela experimentação de novos produtos no ponto de venda.

Cerca de 42% buscam por produtos novos quando estão no ponto de venda e 44% reclamam por não conseguirem experimentar o produto antes de comprar. Informação é outro item importante — 66% dos que participaram da pesquisa gostam de receber conselhos sobre benefícios e uso dos produtos antes de comprá-los. Continue lendo

Comente aqui


Pequenas e médias empresas pagam mais impostos

RADAR

Pequenas e médias empresas resistem à crise e pagam mais impostos em 2014

AGÊNCIA BRASIL

Segundo o Fisco, o pagamento do Imposto de Renda Pessoa Jurídica (IRPJ) e da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) das empresas que declaram pelo lucro presumido – modalidade que abrange as menores companhias – cresceu 6,38% acima da inflação no primeiro semestre, de R$ 22,32 bilhões nos seis primeiros meses de 2013 para R$ 23,74 bilhões em 2014. O pagamento com base na estimativa mensal de lucro, que abrange as maiores empresas, caiu 14,29%, também descontado o IPCA, de R$ 55,49 bilhões para R$ 47,56 bilhões na mesma comparação.

Comente aqui


Empréstimo consignado: confira as dicas

creditoconsiguinadoDe acordo com a Associação Nacional das Instituições de Crédito, Financiamento e Investimentos (Acrefi), o consumidor o brasileiro tem preferido usar o crédito consignado no lugar de outras modalidades de crédito como, por exemplo, os financiamentos para vendas de veículos e o de cartões. Desde dezembro de 2011, o consignado subiu 36,8%.

Vantagens como menos burocracia na hora da contratação, mais comodidade para pagar as parcelas e juros mais baixos (próximos a 1%) são alguns atrativos que podem levar o consumidor  a optar por esse segmento.  Entretanto, é preciso ter cuidado para  não se endividar. Sendo assim, reunimos algumas dicas para quem pretende fazer um empréstimo consignado: Continue lendo

Comente aqui


Veja as 7 armadilhas em compras no exterior

RADARResistir à tentação das compras não é tarefa fácil, ainda mais quando você está curtindo uma viagem no exterior. Os preços atrativos e as conhecidas “lembrancinhas” são um convite para abrir a carteira – e ter problemas com o orçamento ao voltar da viagem.

Segundo o diretor da Mais Ativos Educação Financeira e autor do livro “Passaporte para viajar mai$”, Álvaro Modernell, é preciso tomar cuidado para não cair em armadilhas financeiras comuns entre os turistas, sobretudo, aqueles de primeira viagem. Confira abaixo alguns erros citados no livro:

1. Deslumbramento

Especialmente quem não está acostumado a viajar ao exterior, ao se deparar com tantas novidades, preços acessíveis e vontade de trazer lembranças e “troféus” da viagem acabam passando da conta e acabam se arrependendo dos excessos. Continue lendo

1 Comentário


Proteção aos superendividados pode virar lei

6soqx24pugyy903lutu6vgj6o[1]A preocupação com o superendividamento dos brasileiros pode levar à criação de uma lei de proteção ao consumidor.

O Projeto de Lei do Senado 283/12, que disciplina a oferta de crédito ao consumidor e previne o superendividamento, pode ser votado no plenário da Casa ainda este mês. O projeto faz parte da reforma do Código de Defesa do Consumidor, que também inclui proposta que regulamenta as compras pela internet.

O projeto prevê a garantia do crédito responsável, a educação financeira e a prevenção e tratamento das situações de superendividamento. Estabelece ainda o conceito do “mínimo existencial” de renda, que deve ser garantido por meio de revisão e repactuação de dívidas. De acordo com o projeto, a soma das parcelas reservadas para pagamento de dívidas não poderá ser superior a 30% da remuneração mensal líquida e, assim, será preservado o “mínimo existencial”. Continue lendo

Comente aqui


Dedução do salário do doméstico no IR

RADARProjeto que deduz salário de doméstico do IR do patrão avança na Câmara

A CAS (Comissão de Assuntos Sociais), da Câmara dos Deputados, aprovou na última quarta-feira (14) uma proposta que pretende deduzir do cálculo do Imposto de Renda os salários pagos pelo patrão aos empregados domésticos.

O projeto ainda precisa ser aprovado pelas comissões de Constituição e Justiça e de Assuntos Econômicos, antes de seguir para a votação no plenário e, depois –caso seja aprovado–, para a avaliação da presidente Dilma Rousseff.

O desconto está limitado ao total de salários pagos a apenas um empregado doméstico e dentro do limite de três salários mínimos por mês, mais o 13º salário e o terço adicional de férias. A vantagem só seria dada aos Continue lendo

Comente aqui