financiamentos



SHOW RURAL: BRDE entrega mais de 40 milhões em financiamentos

O Diretor de Operações do BRDE João Luiz Agner Regiani, e o Presidente Orlando Pessuti no ato de entrega de cheque simbólico a um dos clientes do banco

O Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) liberou nesta quinta-feira (8), durante o Show Rural Coopavel, R$ 45,2 milhões em financiamentos a cooperativas, empresas e produtores rurais das regiões Oeste e Noroeste do Paraná. Os recursos serão investidos em armazenagem, construção de aviários e ampliação e modernização de unidades produtivas.

“Estamos solenizando hoje os bons resultados alcançados pelo BRDE em 2017, apesar da crise econômica, política e moral que o país atravessa”, disse o diretor-presidente do Banco, Orlando Pessuti. “Os recursos liberados aqui fazem parte do total de R$ 2,3 bilhões investidos pelo BRDE em projetos de desenvolvimento nos três estados do Sul”, acrescentou.

O diretor de Operações do BRDE, João Luiz Regiani, disse que o Banco está sempre ao lado do setor produtivo, mas que, sozinha, a instituição não conseguiria cumprir a missão de facilitar o acesso ao crédito de agricultores, empresas, indústria e comércio. “Por isso a importância dessa parceria com vocês, produtores, cooperativas e empreendedores”.

“O BRDE tem sido um grande parceiro nesses 40 anos da cooperativa”, disse o diretor vice-presidente da Coagru Cooperativa Agroindustrial União, Cavalini Carvalho. Ele e o diretor-presidente da cooperativa, Áureo Zampronio, receberam um cheque simbólico no valor de R$ 11 milhões. O valor contratado pela Coagru será investido na ampliação da unidade de recebimento e beneficiamento de grãos em Ubiratã, sede da cooperativa.

Diretor de Operações do BRDE, João Luiz Agner Regiani, assinando os cheques simbólicos a serem entregues aos clientes

Comente aqui


Presidência do BRDE | Beto Richa e Cida Borghetti na posse de Pessuti

O governador Beto Richa participou da posse de Orlando Pessuti na Presidência do BRDE, em substituição a Odacir Klein. Curitiba, 14/11/2017. (Foto: Orlando Kissner/ANPr)

Nos últimos sete anos, as instituições de crédito pertencentes ao Governo do Estado aumentaram em 1.400% os recursos disponibilizados ao setor produtivo. A afirmação é do governador Beto Richa, que participou nesta terça-feira (14) da cerimônia de posse do ex-governador Orlando Pessuti na presidência do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE). Os recursos mencionados por Richa são do próprio BRDE e da Fomento Paraná, entidades de financiamento a projetos de diversos setores da economia. “São mecanismos que contribuem de forma decisiva com o fomento à produção no Paraná e o desenvolvimento da nossa economia”, disse Richa.

O governador também destacou a ampliação da capacidade de financiamento do banco. “Os financiamentos são bilionários, e o maior percentual ficou para o Paraná”, afirmou. Ele também citou a capitalização do BRDE feita pelo Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Cada estado destinou R$ 200 milhões, totalizando R$ 600 milhões, que permitiram alavancar em sete vezes a capacidade de financiamento do banco. “Foi a maior capitalização feita por um governo nos 56 anos de história do BRDE”, ressaltou o governador.

A vice-governadoroa Cida Borghetti esteve presente ao ato de posse e parabenizou Pessuti fazendo-lhe votos de sucesso e êxito frente à presidência

PRESIDÊNCIA

Como controladores do BRDE, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul estabeleceram governança colegiada na instituição, cabendo a cada estado assumir a presidência do Banco por um período de um ano e quatro meses, dentro do tempo de mandato de seus respectivos governadores. Pessuti era vice-presidente do BRDE e diretor administrativo da agência paranaense do banco. Na presidência ele substitui a Odacir Klein, do Rio Grande do Sul.

O novo presidente destacou o apoio do BRDE ao setor produtivo, em especial ao agronegócio. “O banco atua em todos os setores: na agricultura, comércio, indústria, prestação de serviços, atua com os municípios, somos o principal agente financiador dos recursos de inovação da Finep”, disse. “E estes mais de R$ 1 bilhão que investimos todos os anos no Paraná têm propiciado o desenvolvimento do Estado, basta ver os índices de crescimento que são superados a cada ano”, afirmou.

Para o ex-presidente do Banco, Odacir Klein, o desafio da atual gestão é ampliar as fontes de recurso de financiamento, buscando parcerias com entidades como a Financiadora de Estudo e Projetos (Finep). “Enquanto a minha gestão enfrentou a crise econômica e problema da inadimplência, agora é preciso resolver o problema da diminuição dos recursos do BNDES. Agora estamos na busca de outros meios, recursos internacionais e das mais diversas origens”, explicou.

Galeria de imagens:

Comente aqui


“Linhas do BNDES não ficarão caras”, diz Mansueto

A mudança na taxa de juros que baliza os empréstimos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) não vai encarecer o crédito aos tomadores de financiamento na instituição, disse nesta terça-feira, 8, o secretário de Acompanhamento Econômico do Ministério da Fazenda, Mansueto Almeida. Nos cálculos da equipe econômica, se a nova Taxa de Longo Prazo (TLP) já estivesse em vigor, ela estaria hoje em torno de 8% ao ano, apenas um ponto porcentual acima da atual Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP), que está em 7% ao ano.

“As linhas do BNDES não ficarão caras com TLP. Hoje não tem praticamente nenhuma linha do BNDES que seja TJLP pura, o banco já empresta acima da TJLP. Não haverá Continue lendo

Comente aqui


Presente para ajudar

Diretor de Operações do BRDE, João Luiz Agner Regiani (O Diário**).

Ontem tivemos a abertura oficial da 45a. Expoingá no Parque Internacional de Exposições Francisco Feio Ribeiro em Maringá. O evento contou com a presença de representantes dos diversos setores da economia regional e de várias autoridades, dentre as quais do governador Beto Richa e da vice-governadora Cida Borghetti.

Há muita expectativa por um bom resultado da feira  uma vez que a economia nacional vem dando os primeiros sinais efetivos de retomada positiva. Sinal disso foi o crescimento na venda de veículos novos anunciado pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotires (Anfavea), no índice de 11% no mês de abril comparativamente ao mesmo mês de 2016.

Neste contexto de recuperação econômica o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) tem atuado intensamente para contribuir e dar vigor financeiro aos empreendimentos urbanos e rurais nos estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

Com a missão de ajudar no estímulo econômico regional e oferecer alternativas de acesso ao crédito mais barato aos empreendedores, o BRDE também está presente na 45a. Expoingá com estande e equipe técnica em frente ao estande da Prefeitura de Maringá.

(**destaque dado na edição de hoje do jornal O DIÁRIO, coluna da Pathy Silva, p. D4)

Comente aqui


Política de desenvolvimento que dá certo

Com atuação nos estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, o BRDE foi o principal operador da linha BNDES Automático no país, com R$ 525,2 milhões em financiamentos em 2016 somente em relação a esta linha de crédito.

No Paraná, o BRDE alcançou a marca de R$ 1,2 bilhão em operações de crédito ao setor produtivo. O resultado é particularmente especial em função da situação econômica do país.

Pertencente aos três estados do Sul, o BRDE injetou em 2016 aproximadamente R$ 3 bilhões nas economias do PR, SC e RS, auxiliando no desenvolvimento, geração de empregos e renda na região Sul do país.

São números importantes que refletem a preocupação dos governos destes três estados, e especialmente do governador Beto Richa, atual presidentente do Codesul, em criar ambiente favorável para investimentos no Paraná num período de crise econômica nacional, constituindo, o BRDE, numa valiosa ferramenta de estímulo econômico para o Paraná, enquanto outros estados da nação atravessam por severos desequilíbrios financeiros.

Comente aqui