fisiologismo



Vale-tudo eleitoral

À medida que a eleição se aproxima, o PT vai se desfazendo sem constrangimento da narrativa do “golpe” contra Dilma Rousseff. O editorial da Gazeta do Povo analisa o “perdão aos golpistas” pregado por Lula, estratégia clara para se abraçar novamente ao PMDB (veja aqui).

Assim como o “Lulinha paz e amor” de 2002 não passou de uma fachada amigável ao mercado para conseguir conquistar um eleitorado refratário ao discurso radical do líder sindicalista, não é um verdadeiro espírito de reconciliação que move o ex-presidente, mas puro pragmatismo.

PS – Não seria caso de puro fisiologismo político?

Comente aqui