Política e sociedade



Vale-tudo eleitoral

À medida que a eleição se aproxima, o PT vai se desfazendo sem constrangimento da narrativa do “golpe” contra Dilma Rousseff. O editorial da Gazeta do Povo analisa o “perdão aos golpistas” pregado por Lula, estratégia clara para se abraçar novamente ao PMDB (veja aqui).

Assim como o “Lulinha paz e amor” de 2002 não passou de uma fachada amigável ao mercado para conseguir conquistar um eleitorado refratário ao discurso radical do líder sindicalista, não é um verdadeiro espírito de reconciliação que move o ex-presidente, mas puro pragmatismo.

PS – Não seria caso de puro fisiologismo político?

Comente aqui


Consumo puxa PIB

O aumento do consumo das famílias brasileiras depois de 2 (dois) anos de retração elevaram o PIB (Produto Interno Bruto) nacional em 0,2% no segundo trimestre deste ano.

A diminuição dos juros e da inflação vem contribuindo para a tênue reação da economia nacional.

Oremos para que “novidades” políticas negativas não voltem a abalar o cenário econômico, afinal a classe empreendedora e trabalhadora do país, que são os que mais querem o bem da nação, não merecem tudo o que tem acontecido no país.

Comente aqui


Contradições no caso Temer. A falência do sistema político

Ontem vivenciamos mais uma página manchada da história política do País.

Deputados que enxergaram motivos para impedir Dilma, não “enxergaram” motivos suficientes para acolher a denúncia e autorizar o processamento de Temer pelo STF.

Por outro lado, não menos contraditório – diria até mais contraditório ainda – deputados do PT e da esquerda anacrônica, que fizeram acrobacias mirabolantes para defenderem as imoralidades do governo Dilma no processo parlamentar de impeachment desta, ontem se travestiram de arautos casuais e seletivos da moralidade para discursarem e votarem defendendo o processamento do Presidente.

São contradições que demonstram claramente a falência do sistema político nacional, bem como que o nosso Congresso Nacional nada mais é do que um balcão de “negócios”.

Enquanto as ideologias, partidarismos e a corrupção se sobrepuserem aos interesses da Nação não teremos futuro. Simples assim.

1 Comentário