preço



Dengue: denúncias de abuso nos preços dos repelentes

LOGO-FACE3

Os consumidores devem estar atentos. Estão abusando nos preços dos repelentes em todo o país. Isso também pode estar acontecendo em Maringá e deve ser observado por todos.

Se o consumidor verificar elevação exagerada nos preços  (seja nas farmácias, supermercados ou lojas), devem guardar as notas fiscais das compras e abrir reclamações no Procon da sua cidade ou, na falta deste, ao Ministério Público.

Como o repelente visa combater doença que afeta a saúde pública, os Procons e o Ministério Público devem intervir em caso de eventual abusividade no exercício de preços.

Portanto, ficar atento e denunciar é a melhor arma que o consumidor tem neste caso.

Fica a dica.

Comente aqui


Como fica o cidadão com a gasolina a R$ 4 reais?

Logo logo teremos a gasolina a R$ 4 reais e no reboque virão aumentos no etanol e diesel.

O reflexo disso sobre as despesas domésticas serão acachapantes e lastimáveis.

É uma covardia o que o governo federal está fazendo com o povo. Está repassando para a população, e especialmente aos trabalhadores e empresários, o pagamento da conta da roubalheira na Petrobrás.

Enquanto o petróleo vem sendo cotado e comercializado a menos de 30 dólares o baril no mundo, aqui no Brasil, em razão dos desequilíbrios financeiros causado pela roubalheira na Petrobras, os combustíveis não param de subir.

Assim também está a ocorrer com a energia elétrica, que serviu, inclusive, de argumento eleitoral, quanto a sua redução de tarifa anteriormente às eleições presidenciais, pela presidenta Dilma, o que depois da sua eleição degringolou, com mais de 50% de reajustes sucessivos ocasionados pelo “represamento” irresponsável de preço pelo governo federal.

Cortar ou readequar ministérios, despesas com cartões corporativos milionários e cargos comissionados federais (em torno de 350 mil) nem pensar, né?

5 Comentários


Energia elétrica: bandeira vermelha em janeiro/2016

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) relembra que a bandeira tarifária válida para este mês de janeiro de 2016 continuará sendo de cor vermelha. A bandeira vermelha implica um acréscimo de R$ 4,50 para cada 100 quilowatts-hora (kWh) de energia consumidos em todos os Estados do País, exceto Amapá e Roraima, que ainda não estão conectados ao SIN (Sistema Interligado Nacional).

O consumidor está pagando mais caro pela energia desde o início do ano passado. A bandeira vermelha representa a existência de condições mais adversas para a geração elétrica no País. Há ainda a bandeira amarela, quando a cobrança adicional é de R$ 2,50 para cada 100 quilowatts-hora (kWh) consumidos, e a verde, sem custo adicional para o consumidor. Desde janeiro, contudo, foi mantida a cor vermelha.

Comente aqui


Consumidor deixa de pagar energia elétrica com inversor fotovoltaico

energia eletricaO eletrotécnico Alírio Macedo, instalou em sua casa na cidade de Chapadão do Sul (MS), um sistema de geração de energia elétrica que beneficia o meio ambiente e ainda zera sua conta de energia elétrica. O sistema faz a captação, geração e armazenagem de energia solar e a transforma em energia elétrica.

A energia gerada durante o dia é inserida na rede de energia, através de placas fotovoltaicas e o excedente gera um bônus, que Alírio pode consumir em até três anos. Um aparelho do sistema On-Gride (gerador de eletricidade que tem como combustível a energia solar) faz a inversão e Continue lendo

Comente aqui


Índice de Preços ao Consumidor (IPC-S) em alta nas capitais

Segundo calculo da Fundação Getúlio Vargas (FGV) o Índice de Preços ao Consumidor – Semanal (IPC-S) subiu, de 0,96% para 1,00%, em três das sete capitais pesquisadas entre a quarta e terceira quadrissemanas de novembro.

O acréscimo na taxa de variação de preços ficou assim: São Paulo (0,92% para 0,97%), Recife (0,67% para 0,69%) e Rio de Janeiro (1,05% para 1,47%).

Entretanto houve recuo nas cidades de Salvador (0,57% para 0,47%), Brasília (1,02% para 0,89%), Belo Horizonte (1,12% para 1,01%) e Porto Alegre (1,08% para 1,03%). —- Com informações do Diário do Poder.

PS – Sinal de que a inflação continua pressionando os preços. Enquanto o circo pega fogo a presidenta Dilma continua equilibrando pratos para manter o espaço e projeto de poder do seu partido. Os interesses maiores da nação são apenas meros detalhes.

Comente aqui


Preço diferenciado no pagamento com cartão. Pode? 

Uma vez que a loja optar por receber essa forma de pagamento, não poderá exigir valor mínimo e nem cobrar a mais por isso

Muitos consumidores não sabem, mas as lojas não são obrigadas a aceitar outra forma de pagamento além de dinheiro em espécie.

No entanto, uma vez que se dispõe a receber cheque ou cartão de crédito, o estabelecimento não pode
Continue lendo

Comente aqui


Como anda a alta da cesta básica ?

Pesquisa aponta que a cesta básica paulistana subiu 2,11%.

Como vem se comportando o preço da cesta básica em Maringá no decorrer dos últimos meses?

Com base na sensação dos preços nos supermercados se percebe que os preços não param de subir, mas sem pesquisas constantes infelizmente é impossível saber tecnicamente.

 

Comente aqui


Cursinho pré-vestibular: mensalidade vai de R$-0 a R$-2.340

Radar do Consumidor

Por João Luiz Agner Regiani

Uma reportagem do Último Segundo (AQUI) traz matéria interessante em relação a diferença no custo mensal dos cursinhos pré-vestibulares de São Paulo. As mensalidades vão de zero a mais de dois mil reais.

Aqui em Maringá não é diferente. Os preços das mensalidades dos cursinhos pré-vestibulares apresentam diferenças que ultrapassam a 500%.

A pesquisa de preços nesta área também é fundamental ao consumidor. No entanto, como se trata de uma área especial, que trata da difusão de conhecimentos, a qualidade na prestação dos serviços educacionais e a estrutura oferecida pelo prestador de serviços educacionais (cursinho) deve ser analisada cuidadosamente pelo consumidor.

No velho e bom brocardo popular quer dizer que “qualidade tem preço”. Mas não custa o consumidor, ao menos, fazer um comparativo entre os preços cobrados pelos cursinhos nas suas mensalidades , aliado à análise comparativa quanto o que cada cursinho pré-vestibular pode oferece em termos de qualificação do quadro de docentes, estrutura e equipamentos oferecidos visando um melhor aprendizado.

Não se esqueçam disso.

Comente aqui


Companhias aéreas querem cobrar passagens de bebês

Radar do Consumidor“As companhias aéreas tem deixado muito a desejar na assistência material ao consumidor e ainda querem mais”

As companhias aéreas brasileiras solicitaram à Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) o fim da limitação de cobrança das passagens dos bebês de até dois anos de idade. A proposta será avaliada neste ano e se for aprovada as famílias que levarem crianças no colo estarão sujeitas a pagar uma passagem a mais, mesmo não ocupando espaço no voo. Hoje, o limite é de 10% do valor da passagem integral, mas nenhuma companhia cobra.

A medida é uma das 67 discutidas entre as companhias e a Anac e que receberam aval para serem submetidas a audiências públicas. A previsão é que a audiência pública ocorra em junho, quando será apresentada a proposta, em forma de uma resolução da Anac. Antes da aprovação também está prevista uma consulta pública a partir de novembro. — Com informações de Melhores Destinos.

Comente aqui


Energia elétrica: consumidor pagará mais do que se esperava

ENERGIA ELÉTRICA

Consumidor pagará mais do que se esperava pela energia elétrica em 2015

Impacto não foi informado mas altas podem ser superiores às de 2014. Aneel confirma que reajuste extra da tarifa de energia é ‘inevitável’.

As contas de luz dos brasileiros podem sofrer em 2015 aumentos ainda superiores aos registrados no ano passado, alguns acima dos 30%, depois da decisão do governo, anunciada nesta segunda (12) de repassar à tarifa de energia todos os gastos previstos para a CDE, um fundo do setor por meio do qual são realizadas ações públicas.

Veja mais.

Comente aqui