A modéstia de Olavo de Carvalho subiu-lhe à cabeça

Os discípulos do filósofo autodidata Olavo de Carvalho lançaram seu nome para o Ministério da Educação no governo de Bolsonaro, que o tem como um de seus gurus.

Educadamente, Carvalho, que mora na Virgínia, declinou da sugestão.

Mas eis que de repente a modéstia em último grau subiu-lhe à cabeça e, em vídeo postado no Youtube, o guru bolsonariano diz que o único cargo que se disporia aceitar no governo Bolsonaro seria o de “embaixador nos Estados Unidos”.

Nada mais, nada menos que o cargo mais importante de nossa diplomacia depois da chefia do Itamaraty!

Se conhecesse um tiquinho de política e de diplomacia, saberia que seu gesto o inviabilizou definitivamente para o cargo pretendido.

Seu iniciativa revela que não leu “O mínimo que você precisa saber para não ser um idiota”. O livro é de sua autoria!

Resumo de seu autoconvite, recheado de sandices, reproduzido pela Folha de S.Paulo:

Segundo Carvalho, antes de Bolsonaro ser eleito, o candidato do PSL tinha oferecido a ele os ministérios da Educação e da Cultura. Mas o escritor decidiu não aceitar por não conhecer o funcionamento, a estrutura e os funcionários das pastas.

“Eu conheço meus limites, não tenho uma grande capacidade administrativa de nada”, afirmou. “Eu sei o que tem que fazer, mas não consigo ficar pensando nisso todo dia.”

No entanto, acrescentou, se fosse convidado para assumir a Embaixada do Brasil em Washington, aceitaria, porque é uma responsabilidade que saberia cumprir e que “oferece a oportunidade de fazer algo real pelo Brasil sem ter que passar pelo filtro de resistência petista.”

“O que o Brasil mais precisaria é de dinheiro. E, como embaixador nos EUA, eu saberia fazer dinheiro. Eu peguei alguma prática desse negócio de comércio internacional no tempo em que morei na Romênia”, afirmou. “Eu não sou um total ignorante no comércio internacional.”

Carvalho disse ainda que, como embaixador, teria “autoridade total” sobre os brasileiros locais e poderia “mandar embora qualquer um, pode mandar prender qualquer um”. “É um reizinho”, completou.

O posto também daria acesso direto ao presidente, ao ministro das Relações Exteriores, ao secretário de Estado, disse. “E pronto, a petezada não tem nada a ver com isso, o que a gente combinar, vai ter que ser cumprido.”

Sem categoria
Comente aqui


A tese esdrúxula da defesa de Lula e suas consequências surrealistas

O novo pedido da defesa de Lula encaminhado ao STF é um atestado de imbecilidade. Alegando que o juiz Sergio Moro agiu com “parcialidade” em relação a seu cliente e “movido por interesses pessoais e estranhos à atividade jurisdicional, revelando, ainda, inimizade pessoal”, os causídicos, liderados pelo engomadinho Luiz Carlos Zanin, exigem a anulação de “todos” os atos do juiz federal relativos ao ex-presidente.

Não sei em que fato os advogados se baseiam para fundamentar a tal “inimizade pessoal” além da aceitação de Moro de chefiar o Ministério da Justiça no governo Bolsonaro. Se houvesse tal “inimizade pessoal”, Moro agiu com rigor, mas com o respeito devido à condição de ex-presidente de Lula, não teria determinado que o condenado cumprisse pena em uma cela individual na Superintendência da PF em Curitiba. Verdadeira suíte pós-presidencial! E com direito a academia de ginástica exclusiva, visita de amigos e uma enxurrada de “advogados”, que não advogam coisa nenhuma, entre os quais está o tesoureiro do PT e a presidente do partido, Gleisi, que teve retirada esse regalia por infringir a legislação (na condição de parlamentar não pode exercer a advocacia).

A defesa de Lula, assim como todo mentiroso que acredita na mentira que proferiu, convenceu-se da tese da “caçada judicial” que criou para ocultar os crimes praticados pelo ex-presidente. A aceitação do cargo ministerial por Moro os ensandeceu de vez.

O pedido não vai prosperar. As manifestações do TRF-4, 13ª Vara Federal de Curitiba, agora sob o comando da juíza Gabriela Hardt (tão rigorosa ou mais que Moro) e PGR devem negar a procedência do pedido. E a 2ª Turma do STF, na qual Cármen Lúcia substitui Toffoli, deve agir da mesma forma, embora se possa contar com o voto favorável de sempre a Lula, o de Lewandowski, e o intermitente, de Gilmar.

Em merco exercício futurístico, admitamos que a tese da defesa de Lula venha a ser acolhida. O que acontecerá? Todos os condenados por Moro se sentirão incentivados a recorrer de suas sentenças. Todo o trabalho do rigoroso juiz federal poderá, portanto, ser jogado no lixo. E Lula, que foi impedido de tomar posse da Casa Civil do governo Dilma após a divulgação de um áudio em que a “presidenta inocenta” admitia que tudo não passava de uma maracutaia para blindar o ex-presidente dos processos da Lava Jato e outros, poderá se sentir no direito de exigir reparação por danos morais.

Surrealista!

Sem categoria
Comente aqui


Além de derrotados, petistas estão endividados

O PT anunciou ontem uma campanha para arrecadar recursos para cobrir o rombo da campanha eleitoral.

O partido sacou R$ 32 milhões do fundo eleitoral para tentar elefer o pau mandado de Lula e terminou devendo R$ 4,3 milhões.

Assim, além de derrotado, o PT está pendurado!

(E saber que Bolsonaro gastou R$ 2,4 milhões e teve sobra de R$ 1,4 milhão! E não usou o fundo elelitoral!!!)

Sem categoria
Comente aqui


E se o PT tivesse vencido…

Bolsa em alta, dólar em baixa, multinacionais anunciando a retomada de investimentos e contratação de pessoal. Previsão de crescimento do PIB de 3% no ano que vem.

Euforia geral, com exceção dos petistas, com o futuro imediato!
.
Este é o resumo da área econômica na semana que se seguiu à vitória de Bolsonaro.

Bolsa na lona, dólar na estratosfera, multinacionais anunciando congelamento de investimentos, demissões em massa e saída do país. Previsão de PIB negativo no ano que vem.

Apreensão geral, festa petista antecipando o desastre contido em seu plano de governo – que é repetir os erros que levaram o país à ruína,

Sem categoria
Comente aqui


Bolsonaro tira Moro da Lava Jato. E os petistas – ingratos! – protestam

Os petistas, além de tudo o que sabemos – e o que sabemos não se deve contar para menores de idade – são uns ingratos!

Fizeram o diabo para tirar Moro da Lava Jato, e do cangote de Lula e do PT: ameaçaram, difamaram, reclamaram no STF, STJ. Conselho Nacional de Justiça – e nada!

Nenhuma palha se moveu em favor deles.

Aí o Bolsonaro o indica para chefiar o Ministério da Justiça, Moro aceita e anuncia que deixará a Lava Jato… e os petistas entram em transe, bradando: viram, é golpe! é golpe! é golpe!

Essa turma não tem jeito mesmo.

Ingratos!

Sem categoria
3 Comentários


Moro ministro: golaço de Bolsonaro, golaço da Justiça

O juiz Sergio Moro aceitou chefiar o Ministério da Justiça no governo de Jair Bolsonaro, pasta que vai incorporar o da Segurança Pública e a Advocacia-Geral da União. Será, portanto, um superministério, como nunca antes na história deste país (ranjam os dentes, petistas!) Poderá agregar ainda a Controladoria-Geral da União, Coaf (Conselho de Controle da Atividade Financeira) e o Ministério da Transparência.

Não poderia ter escolha mais acertada do que essa de Bolsonaro, que se elegeu prometendo endurecer o combate ao crime e aos criminosos (talvez sua única proposta clara).

Proposta que só poderia convergir para Moro, símbolo do combate aos maiores criminosos deste país, os que assaltaram os cofres públicos para enriquecer e financiar o projeto de poder: o Partido dos Trabalhadores e seus cúmplices PTB, PP e MDB. Todos eles chefiados por Lula da Silva, aquele que prometia uma cruzada ética e empreendeu o maior saque aos cofres públicos de que se tem notícia.

A saída de Moro da Lava Jato vai enfraquecê-la? Certamente que não, pois seu sucessor, seja lá quem for, tem as qualificações necessárias para dar continuidade ao trabalho – que é estruturado e sistematizado. O sucessor pode vir a apresentar menor celeridade, menor retumbância, mas terá a mesma eficiência. Há centenas de Moros na Justiça Federal!

O papel de Moro na Lava Jato o fez maior do que a operação, que é a mais ampla da história no combate aos criminosos de colarinho branco: ele passou a personificar o rigor que se espera de um juiz e a eficiência que se espera da Justiça. Sua ascensão ao comando da Justiça corresponde ao deseja da maioria esmagadora dos brasileiros de dar um chega pra lá no lero-lero e punir os criminosos com o rigor que eles merecem.

O PT vai esculhambá-lo por isso? Claro que vai – é a sua índole! Vai alegar que, viram, não falamos, ele é um golpista conspirador!, etc e tal. Mas os petistas estão do outro lado da Justiça e, na condição de réus, só lhes resta o papel de espernear contra seu principal algoz. Que vai estender o seu conhecimento, rigor e honestidade da 13ª Vara Federal de Curitiba para todo o país. Cuidem-se, petralhas e afins!

Sem categoria
5 Comentários


Destruir para ressurgir: a estratégia do PT

A Câmara dos Deputados, para a qual elegeu 56 dos seus , é a trincheira que restou ao PT para oferecer “resistência” ao presidente eleito Jair Bolsonaro, como anunciou a chefe do partido, Gleisi Hoffmann (sua hora chegará, senhora, que o diga a ministra Càrmen Lúcia que relata um dos processos das quais é ré!).

O termo é coerente com a índole do partido, pois “resistência” ocorre quando se enfrenta um presidente que tomou o poder pela força. Quando ele chega ao poder pelos votos, seus adversários fazem oposição Ao anunciar a “resistência”, o PT insinua que não reconhece a legitimidade das urnas.
.
“Resistência” ou oposição é que o PT fará, e com a raiva de sempre, pois é a única coisa que sabe fazer – e nesse quesito é exímio! O partido tentou de todas as formas sabotar o processo de reconstrução do país iniciado no governo de Itamar Franco e consolidado no de FHC, manteve as diretrizes do Plano Real e da Lei de Responsabilidade Fiscal até o final do segundo mandato de Lula, pois viu que isso consolidava o seu poder, mas deu um cavalo de pau com a “nova matriz econômica” concebida por Dilma Rousseff. Resultado a mais profunda e longa recessão da história, desemprego em massa, inflação, déficit fiscal agudo, estatais com prejuízos bilionários, etc. E, no governo de Temer, posou de vestal, atribuindo-lhe a responsabilidade por todos os males causados pelo partido e obstruindo tudo o que o “golpista” tentou fazer para corrigir os erros da antecessora.

A derrota de domingo tirou da linha do horizonte a possibilidade de o PT retomar o poder em médio prazo. Com seu líder preso – e sem perspectiva de deixar a prisão tão cedo -, um candidato derrotado sem carisma e ideais, uma presidentA com altíssimo grau de rejeição externa e interna… só resta mesmo ao PT apostar na desgastada política do “quanto pior melhor” para manter viva a esperança de deixar o limbo e reascender ao céu. Tentar, ao máximo, inviabilizar o governo Temer para oferecer-se daqui a quatro anos como opção (quanta genialidade!).

Desta vez, no entanto, o partido não poderá empunhar solitariamente a bandeira da oposição: a concorrência será forte, e inclui os bonachões tucanos, que, assim como fizeram no governo Temer, prometem ações “pontuais” contra Bolsonaro. Para agravar, o PT não terá o apoio irrestrito do PDT, PSB e do nanico PCdoB, que anunciaram a alforria. E para agravar ainda mais, Ciro Gomes pretende personificar a oposição – e ele é muito mais inteligente, culto e mordaz do que o garoto de recados Haddad.

Obstruir e destruir para ressurgir: eis o lema do PT, que, segundo Gleisi, nem vai esperar a posse de Bolsonaro para desembainhar a espada. Vai tentar sabotar seu governo antes mesmo de seu início, impedindo a aprovação da reforma da Previdência e tributária, entre outras medidas vitais para a recomposição das finanças dilapidas pelo partido quando no poder, que estão na pauta da Câmara e podem ir a plenário a qualquer momento.

Mais uma vez, e como sempre, o PT se revela o maior inimigo do Brasil

Sem categoria
1 Comentário


Bom dia, presidiário Lula

Acabou! Acabou! Acabou!

Acabou a esperança de sair do xilindró.

O poste que vossa excelência escolheu para reconduzir ao poder a organização criminosa sob seu comando não acendeu desta vez.

Quem brilhou foi o “soldadinho de araque” do Bolsonaro, sem estrutura partidária, sem dinheiro, sem ideias – mas com milhões de brasileiros decididos a usá-lo com instrumento para se livrar da tirania, do embuste, da corrupção, do desastre petista.

Curta sua cela de prisão nos próximos anos, ciente de que a pena atual – 12 anos e um mês – será incorporada à dos demais processos a que responde.

Feliz ocaso no xilindró!

Sem categoria
4 Comentários


Lula está morto. Viva o Brasil!

O Brasil impôs uma derrota acachapante ao maior corrupto da história deste país, que, da prisão, tentou voltar ao poder por meio de um interposto e sua organização criminosa travestida de partido político.

Jair Bolsonaro é o novo presidente do Brasil!

O presidente que muitos dos que votaram nele não desejavam, mas não tiveram escolha, pois era a opção a Lula e ao PT.

Bolsonaro personificou o desejo de mudança do brasileiro e a profunda aversão que Lula e o PT incutiram na maioria da população. Aversão que é consequência da corrupção, do desmando administrativo, da arrogância, da mentira, da truculência contra os adversários, tratados como inimigos. E do legado moral, político e econômico catastrófico.

A primeira grande derrota de Lula e sua organização criminosa foi a deposição de Dilma Rousseff, um desastre em contínua evolução. Criminosamente, rotularam a derrota – feita segundo o rito jurídico – de “golpe”.

A derrota hoje é mais dolorosa que a primeira. Não apenas impediu o êxito da conspiração: foi imposta pelas urnas. É irrevogável. Inquestionável. E tira em médio prazo qualquer perspectiva de o PT voltar ao comando do país. “Lula está preso, babaca”, na iminência de outras condenações, e o partido não possui quem possa substitui-lo na inteligência, carisma e vilania.

O que restará ao partido senão, por meio de sua poderosa bancada na Câmara dos Deputados, dedicar-se única coisa que demonstrou saber: obstruir, ameaçar, destruir.

A eleição de Bolsonaro encerra um dos ciclos políticos mais perversos. É a vitória da esperança, por mais temerária que seja, sobre o crime institucionalizado. Sobre a mentira, a vilania, o relativismo moral, a utilização inescrupulosa do estado para perpetuar-se no poder.

A esperança é temerária, pois depositada em quem jamais demonstrou espírito de estadista e sim de pugilista . Mas temos instituições sólidas, que o eleito promete respeitar – o que não ocorre com o partido perdedor, que tentou o quanto pôde, e inclui em sua proposta de governo, submetê-las a seus propósitos criminosos E, acima de tudo, temos uma população que despertou do torpor a que foi induzida pela massiva máquina de propaganda do lulopetismo.

O criminoso Lula está morto. Viva o Brasil!

Sem categoria
9 Comentários


Adeus, queridos: é hoje!

Lula e o PT terão hoje a mais temida e dolorosa das derrotas: nas urnas.

O partido foi deposto da presidência da República há dois anos, mas o lulopetismo continuou incrustrado no poder por meio de Michel Temer, ao qual se associou para saquear o país.

A eleição de hoje marca o fim de um governo pernicioso, caracterizado pela: corrupção institucionalizada, desmando administrativo, ocupação de empresas e órgãos públicos por correligionários sequiosos por desfrutarem do banquete maldito, incentivo à violência social, divisão de classes, campanhas de difamação e ameaças contra os adversários e instituições – a Justiça em primeiro lugar. E um desastre econômico sem precedentes.

Lula e o PT protagonizaram a história da desonra!

A tentativa de voltar ao poder apresentando-se como paladinos da democracia – quando são defensores e sócios de ditadores repugnantes e pregam abertamente o controle da mídia, do Legislativo e do Judiciário – foi o epílogo de um embuste que se apresentou com várias roupagens. A “metamorfose ambulante”, como definiu Lula.

Adeus, queridos.

Que não voltem jamais!

Sem categoria
3 Comentários