Do achincalhe à ameaça: a involução do pensamento petralha

Como afirmei na longa série ainda incompleta de 60 posts sobre a alma petralha, petralha que é petralha não possui argumentos para rebater acusações de que o governo Lula jogou na lata de lixo o que havia de mais precioso em seu ideário: a ética. Tornou-se, assim, como os demais que sempre combateu: prostituto das circunstâncias.

Por falta de argumentos, petralha que é petralha zomba dos que põem o dedo na ferida.

O achincalhe é a arma favorita dos petralhas, que montaram uma central para se antepor aos que não se curvaram ao mito Lula – mito fabricado pela propaganda milionária financiada pelo Planalto e pelas estatais, que, como todo mito construído sobre bases falsas, se dissolverá rapidamente.

Essa central, montada a partir do segundo mandato de Lula, atuou intensamente na pré-campanha e durante a campanha eleitoral da senha Dilma Vana. Foi a nocaute nos 15 dias que se sucederam ao primeiro turno, porque os petralhas contavam com uma vitória avassaladora naquele 3 de outubro, voltou com tudo uma semana antes do segundo e, uma vez vencida a eleição e a tarefa cumprida, desmobilizada em grande parte. Você, meu leitor, já notou que sua caixa postal não recebe mais postagens favoráveis ao Lula ou a Dilma, sempre tento como remetente um usuário do gmail?

Um membro do aparato do terrorismo na internet, sempre postando como anônimo, pois a coragem coletiva e a covardia individual são características do petralha, foi escalado para me atazanar desde que esse blog foi ao ar. Ou age por iniciativa própria, movido tanto por ideologia quanto por algum desvio psicológico ou de caráter. Ou as três coisas juntas, que casam bem com muitos petralhas. Seja qual for sua motivação, age como os demais integrantes do aparato terrorista: a desqualificação do adversário, o deboche, a zombaria são suas armas de ação.

É de morrer de rir o conhecimento que o enfant terrible dos blogs mais lidos do mundo tem do Lula. Ahahahahahahahahahahahah – eis uma mostra da argumentação “profunda” do meu algoz, esta postada no dia 25 de dezembro.

Resolvi, em abril deste ano, não publicá-lo mais. Ele insistiu. Retive mais de duas centenas de mensagens dele, que, depois de algum tempo em silêncio, mudou de estilo. Retirou as zombarias (teve uma recaída recente, como o exemplo mostrado acima, mas foi passageira) e, por não obter resultado, porque é incapaz de argumentar com lógica e coerência, partiu para as ameaças.

O estopim para a mudança de comportamento dele foi minha postagem, de 21 de dezembro, intitulada Eureka!, cujo teor é o seguinte:

“Não é sensato simplesmente achar que a imprensa pode tudo e o cidadão, o político – porque político também é gente -, não tem direito a nada”

Paulo Bernardo, ministro do Planejamento e futuro ministro das Comunicações.

Político também é gente: eureka!

 

Sua primeira manifestação foi:

Prepare-se para a regulamentação sobre a imprensa caro representante tupiniquim do PIG.

23 de dezembro de 2010 11:45

 

A segunda:.

 

Desceu do salto, né???

Espere só…. seus dias para escrever bobagens estão contados……

hsuashashasuasuahshua

27 de dezembro de 2010 10:32

 

Não me espanta, embora me preocupe, esta mudança de comportamento, manifestação individual de um comportamento coletivo. A ditadura está na essência dos que vivem em função do poder, desejando-o mais e mais, para os quais a mais preciosa força da democracia, que é a liberdade de imprensa, é um sério empecilho.

Por isso, os petralhas cultuam Hugo Chávez, líder de uma Venezuela, onde, segundo o presidente Lula, “há excesso de democracia”. Lula é o paradigma dos petralhas: fez do Congresso o que o mensalão tentou e não conseguiu, torná-lo capacho, e, batido nas urnas na eleição legislativa, obteve dos lacaios “superpoderes” para governar durante um ano por decreto, neutralizando nesse período a ação oposicionista.

A “regulamentação” proposta pelos petralhas é o primeiro passo para amordaçar a imprensa, que tem muitas falhas, mas é melhor que erre em liberdade porque jamais acertará uma vez aprisionada. Consolidados no poder com a vitória de Dilma e a perspectiva de retorno em breve de Lula, os petralhas, entre eles meu marcador “anônimo”, que se excita principalmente quando toco no nome do ministro Paulo Bernardo, querem silenciar a imprensa que tanto contribuiu para que eles chegassem onde estão…

As ameaças que venho recebendo confirmam o DNA ditatorial da alma petralha: liberdade para eles, mordaça nos adversários. Afinal, dói, e como dói, ter os mensalões, dólares na cueca, aloprados, maracutaias mil, dossiês e quebras de sigilos fiscal e bancário, perseguições a meros caseiros, Josés Dirceus e Erenices Guerras etc etc etc denunciados pela imprensa… Dói!

 

 

 

 

Sem categoria

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.